Se está descargando su SlideShare. ×
0
DST
DST
DST
DST
DST
DST
DST
DST
DST
DST
DST
DST
DST
DST
DST
DST
DST
Próxima SlideShare
Cargando en...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

DST

19,354

Published on

2 comentarios
15 Me gusta
Estadísticas
Notas
Sin descargas
reproducciones
reproducciones totales
19,354
En SlideShare
0
De insertados
0
Número de insertados
5
Acciones
Compartido
0
Descargas
702
Comentarios
2
Me gusta
15
Insertados 0
No embeds

Denunciar contenido
Marcada como inapropiada Marcar como inapropiada
Marcar como inapropiada

Seleccione la razón para marcar esta presentación como inapropiada.

Cancelar
No notes for slide

Transcript

  • 1. Doenças<br />Sexualmente<br />Transmissíveis<br />
  • 2. Colégio Estadual Getúlio VargasDisciplina de BiologiaProfª Stefany Wieth<br />DST<br />Marcelo<br />Allison<br />Lenon<br />Bruno<br />3A<br />Agosto/2010<br />
  • 3. DST (Doenças Sexualmente Transmissíveis)<br /> É a designação pela qual é conhecida uma categoria de patologias antigamente conhecidas como doenças venéreas. São doenças infecciosas que se transmitem essencialmente (porém não de forma exclusiva) pelo contato sexual. O uso de preservativo (camisinha) tem sido considerado como a medida mais eficiente para prevenir a contaminação e impedir sua disseminação. Vários tipos de agentes infecciosos (vírus, fungos, bactérias e parasitas) estão envolvidos na contaminação por DST, gerando diferentes manifestações, como feridas, corrimentos, bolhas ou verrugas. Certas DST, quando não diagnosticadas e tratadas a tempo, podem evoluir para complicações graves como infertilidade, infecções neonatais, malformações congênitas, e aborto (no caso de gestantes), câncer e até a morte. Alguns grupos, especialmente religiosos, afirmam que a castidade, a abstinência sexual e a fidelidade poderiam bastar para evitar a disseminação de tais doenças. O ramo da medicina que estuda as DST é denominado no Brasil "Deessetologia". No passado, essa especialidade era conhecida como venereologia, termo em desuso pois carrega em si muito preconceito, uma vez que no passado era sinônimo de atividade sexual com prostitutas.<br />
  • 4. Exemplosde DST<br /><ul><li> AIDS
  • 5. Sífilis
  • 6. Gonorréia
  • 7. Cancro Mole
  • 8. Herpes
  • 9. Hepatite B
  • 10. Linfogranuloma Venéreo
  • 11. Molusco Contagioso
  • 12. Pediculose do púbis
  • 13. Granuloma Inguinal
  • 14. Condiloma acuminado/HPV
  • 15. Candidíase
  • 16. Infecção por clamídia
  • 17. Infecção por trichomonas
  • 18. Dentre outras...</li></li></ul><li>aids<br /> O vírus compromete o funcionamento do sistema imunológico humano, impedindo-o de executar sua tarefa adequadamente, que é a de protegê-lo contra as agressões externas (por bactérias, outros vírus, parasitas e mesmo por células cancerígenas).Com a progressiva lesão do sistema imunológico o organismo humano se torna cada vez mais susceptível a determinadas infecções e tumores, conhecidas como <br />doenças oportunísticas, que acabam por levar o doente à morte. Os tipos de transmissão da AIDS podem ser sangue e líquidos grosseiramente contaminados por sangue, sêmem, secreções vaginais e leite materno. Pode ocorrer transmissão no sexo vaginal, oral e anal.<br />Obs.: Os beijos sociais (beijo seco, de boca fechada) são seguros (risco zero) quanto a transmissão do vírus, mesmo que uma das pessoas seja portadora do HIV. O mesmo se pode dizer de apertos de mão e abraços.Os beijos de boca aberta são considerados de baixo risco quanto a uma possível transmissão do HIV.<br />
  • 19. Sífilis<br />Doença infecto-contagiosa sistêmica (acomete todo o organismo), que evolui de forma crônica (lenta) e que tem períodos de acutização (manifesta-se agudamente) e períodos de latência (sem manifestações). Pode comprometer múltiplos órgãos (pele, olhos, ossos, sistema cardiovascular, sistema nervoso). De acordo com algumas características de sua evolução a sífilis divide-se em Primária, Secundária, Latente e Terciária ou Tardia. Quando transmitida da mãe para o feto é chamada de Sífilis Congênita. O importante a ser considerado aqui é a sua lesão primária, também chamada de cancro de inoculação (cancro duro), que é a porta de entrada do agente no organismo da pessoa.<br /> Transmissão:<br />Relação sexual (vaginal anal e oral), transfusão de sangue contaminado, transplacentária (a partir do quarto mês de gestação). Eventualmente através de fômites.<br />
  • 20. Sífilis<br /> Órgãos Genitais Masculino e Feminino.<br />
  • 21. Gonorréia<br />Doença infecto-contagiosa que se caracteriza pela presença de abundante secreção purulenta (corrimento) pela uretra no homem e vagina e/ou uretra na mulher. Este quadro freqüentemente é precedido por prurido (coceira) na uretra e disúria (ardência miccional). Em alguns casos podem ocorrer sintomas gerais, como a febre. Nas mulheres os sintomas são mais brandos ou podem estar ausentes (maioria dos casos). <br />TransmissãoRelação sexual. O risco de transmissão é superior a 90%, isto é, ao se ter um relacionamento sexual com um(a) parceiro(a) doente, o risco de contaminar-se é de cerca de 90%. O fato de não haver sintomas (caso da maioria das mulheres contaminadas), não afeta a transmissibilidade da doença.<br />
  • 22. Gonorréia<br /> Oftalmia gonocócica.<br />Uretrite gonocócica (no homem) <br />Vaginite gonocócica.<br />
  • 23. Cancro Mole<br />Ulceração (ferida) dolorosa, com a base mole, hiperemiada (avermelhada), com fundo purulento e de forma irregular que compromete principalmente a genitália externa mas pode comprometer também o ânus e mais raramente os lábios, a boca, língua e garganta. Estas feridas são muito contagiosas, auto-inoculáveis e portanto, freqüentemente múltiplas. Em alguns pacientes, geralmente do sexo masculino, pode ocorrer infartamento ganglionar na região inguino-crural (inchação na virilha). Não é rara a associação do cancro mole e o cancro duro (sífilis primária).<br />TransmissãoRelação sexual<br />PrevençãoCamisinha. Higienização genital antes e após o relacionamento sexual. Escolha do(a) parceiro(a).<br />
  • 24. Cancro Mole<br />Lesões localizadas na vagina. <br />Lesões localizadas no pênis. <br />
  • 25. Herpes<br />Infecção recorrente (vem, melhora e volta) causadas por um grupo de vírus que determinam lesões genitais vesiculares (em forma de pequenas bolhas) agrupadas que, em 4-5 dias, sofrem erosão (ferida) seguida de cicatrização espontânea do tecido afetado. As lesões com freqüência são muito dolorosas e precedidas por eritema (vermelhidão) local. A primeira crise é, em geral, mais intensa e demorada que as subseqüentes. O caráter recorrente da infecção é aleatório (não tem prazo certo) podendo ocorrer após semanas, meses ou até anos da crise anterior. As crises podem ser desencadeadas por fatores tais como stress emocional, exposição ao sol, febre, baixa da imunidade etc. A pessoa pode estar contaminada pelo vírus e não apresentar ou nunca ter apresentado sintomas e, mesmo assim, transmiti-lo a(ao) parceira(o) numa relação sexual. <br />TransmissãoFrequentemente pela relação sexual. Da mãe doente para o recém-nascido na hora do parto.<br />
  • 26. Herpes<br />Lesões no períneo feminino.<br />Herpes Labial<br />
  • 27. Quem pode pegar DST? <br />Quem tem relações sexuais sem camisinha; <br />Quem tem parceiro que mantém relações sexuais com outras pessoas sem camisinha; <br />Pessoas que usam drogas injetáveis e compartilham seringas; <br />Pessoas que têm parceiros que usem drogas injetáveis, compartilhando seringas; <br />Pessoas que recebem transfusão de sangue não testado; <br />Qualquer um - casados, solteiros, jovens, adultos, ricos ou pobres - pode pegar DST. <br />
  • 28. Prevenção<br />A camisinha é a melhor maneira de se prevenir contra as DSTs.<br />Use sempre, em todas as relações sexuais.<br />
  • 29. Referências<br />http://www.uro.com.br/dsttotal.htmhttp://www.camisinhas.net/home.asphttp://www.suapesquisa.com/cienciastecnologia/virus.htmhttp://www.todabiologia.com/microbiologia/fungos.htmhttp://www.enq.ufsc.br/labs/probio/disc_eng_bioq/trabalhos_pos2003/const_microorg/bacterias.htmhttp://www.todabiologia.com/microbiologia/parasitas.htmhttp://www.dst.com.br/<br />
  • 30. Obrigado pela paciência de todos!!!<br />

×