Imunidade Inata e Adaptativa
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Imunidade Inata e Adaptativa

el

  • 58,489 reproducciones

Aula prática sobre imunidade inata e adaptativa

Aula prática sobre imunidade inata e adaptativa

Estadísticas

reproducciones

reproducciones totales
58,489
reproducciones en SlideShare
58,211
reproducciones incrustadas
278

Actions

Me gusta
7
Descargas
575
Comentarios
1

4 insertados 278

http://www.slideshare.net 209
http://www.labimuno.org.br 63
http://webcache.googleusercontent.com 4
http://www.clearspring.com 2

Accesibilidad

Categorias

Detalles de carga

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Derechos de uso

© Todos los derechos reservados

Report content

Marcada como inapropiada Marcar como inapropiada
Marcar como inapropiada

Seleccione la razón para marcar esta presentación como inapropiada.

Cancelar
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    ¿Está seguro?
    Tu mensaje aparecerá aquí
    Processing...
  • Não consigo fazer Dowlood deste arquivo.

    Tá de rosca.
    ¿Está seguro?
    Tu mensaje aparecerá aquí
    Processing...
Publicar comentario
Edite su comentario

Imunidade Inata e Adaptativa Presentation Transcript

  • 1. Imunidade inata e adaptativa: uma visão geral. Segunda parte 18 / 19.08.2008
  • 2. Imunidade inata e adaptativa: uma visão geral Os mecanismos adaptativos -são específicos -apresentam tipicamente uma resposta primária fraca e de curta duração, seguida, após novo contato, por uma resposta bem mais intensa e duradoura, fruto da geração de uma memória imunológica no primeiro momento.
  • 3. Imunidade inata e adaptativa: uma visão geral Resposta adaptativa primária e secundária:
  • 4. Imunidade inata e adaptativa: uma visão geral A ativação de células como macrófagos e células dendríticas culmina com a geração de mecanismos de resposta adaptativa: eg
    • através de anticorpos;
    • através de células (diretamente ou por moléculas
    • por elas sintetizadas).
  • 5. Principais células do Sistema Imune
  • 6. A resposta imune é, portanto, gerada principalmente pela ação de células mononucleares fagocíticas e linfócitos. Existem três populações principais de linfócitos: - os linfócitos T, com três padrões fenotípicos e funcionais básicos: - o linfócito CD4+, conhecido como linfócito T auxiliar tem papel central na regulação da resposta imune e funciona através da produção de citocinas [são divididos, com base nas citocinas que pro- duzem, em linfócito T auxiliar 1, 2, 17 e regulatório (este último tem fenótipo CD4+, CD25+ e função regulatória)]. Principais células do Sistema Imune
  • 7. Treg Th1, Th2 Th17 Principais células do Sistema Imune
  • 8.
    • - o CD8+, conhecido como linfócito T citotóxico – tem atividade citolítica espe-
    • cífica para, por exemplo, células infectadas por vírus, células tumorais etc.
    • o CD4+, CD4-/CD8- ou CD4+/CD8+, CD1d , conhecido como linfócito NKT,
    • com funções comuns às imunidades inata e adaptativa. Assim, pode apresentar
    • ação citotóxica inespecífica, mas pode também reconhecer especificamente an-
    • tígenos glicolipídicos e produzir citocinas que estimulam a resposta adaptati-
    • va celular e humoral.
    Principais células do Sistema Imune
  • 9. - o linfócito B, com duas atividades principais: - produção de anticorpos, particularmente após se diferenciarem em plasmócitos. - apresentação de antígenos. Os linfócitos B endocitam, processam e apresentam antígenos para os linfócitos T. Principais células do Sistema Imune
  • 10.
    • e a célula NK, que como já afirmado, tem atividade
    • citotóxica natural, além de realizar ADCC.
    Principais células do Sistema Imune
  • 11. As células mononucleares fagocíticas, capazes de fagocitar e apresentar antígenos aos linfócitos, constituem um grupo grande e heterogêneo. www.uni-ulm.de/.../projekte_Syrovets_neu1.htm pathmicro . med . sc.edu / lecture / hiv7.htm s99. middlebury.edu /.../ Howard / Mpneumoniae.html www.neuro-zone.com/sites/neurozone/?nid=22 www.i-med.ac.at/ahe/histologie-embryologie/ar Célula dendrítica Monócito Macrófago Célula de Langerhans Micróglia ... Principais células do Sistema Imune
  • 12. As células imunologicamente competentes embora transitem por todo o corpo, estão especialmente agrupadas formando o teci- do linfóide, que por sua vez constitui os ór- gãos linfóides. Principais células do Sistema Imune
  • 13. O Tecido Linfóide
  • 14. O Tecido Linfóide o tecido linfóide: linfócitos e os diferentes tipos de fagócitos mononucleares, aí incluindo as diversas populações de células apresentado- ras de antígeno, estão compondo o tecido linfóide, que pode ser frouxo, denso e nodular. Veja: frouxo denso mais células mono- nuleares fagocíticas, menos linfócitos bastante linfócitos, menos células mono- nucleares fagocíticas nodular nódulo em formação nódulo bem desenvolvido, evidenciando o manto e o centro germinativo o nodular tem celula- ridade do denso, or- ganizado, porém, em nódulos (= folículos) frouxo denso centro germinativo manto
  • 15. Os Órgãos Linfóides Primeira parte: Órgãos Linfóides Primários
  • 16. Os Órgãos Linfóides órgãos linfóides primários ou centrais: . medula óssea, timo e bursa órgãos linfóides secundários ou periféricos: . linfonodos, baço e MALT Os órgãos linfóides são classificados como:
  • 17. Os Órgãos Linfóides órgãos linfóides A medula óssea hematogênica no indivíduo adulto é encontrada nas cristas ilíacas, vértebras, costelas e no esterno. O timo A medula óssea Linfonodos Uma cadeia como exemplo. O baço “ MALT”: apêndice, placas de Peyer, tonsilas... GRANT, 1993
  • 18. Os Órgãos Linfóides
    • A medula óssea vai gradualmente assumindo essa função e, por volta da puberdade, a hematopoiese
    • ocorre principalmente no esterno, vértebras, ossos ilíacos e nas costelas. Nesses ossos é encontrada a
    • medula vermelha.
    A medula é uma estrutura reticular semelhante a uma esponja, localizada entre longas trabéculas. TRABÉCULA órgãos linfóides primários: a medula óssea
  • 19. Os Órgãos Linfóides
    • O timo é um órgão bilobado, situado no mediastino anterior. Cada lobo é dividido em
    • múltiplos lóbulos por septos fibrosos. Cada lóbulo consiste de um córtex e uma medula.
    órgãos linfóides primários: o timo Localização e estrutura do timo
  • 20. Os Órgãos Linfóides veja a estrutura histológica do timo com mais detalhes: - novamente o lóbulo tímico córtex medula córtex medula córtex: tecido linfóide denso medula: tecido linfóide frouxo corpúsculo de Hassall células reticulares epiteliais linfócitos
  • 21. O Tecido Linfóide
    • no timo a maioria dos timócitos, em vários estágios de maturação, sofre seleção positiva e negativa entre o córtex e a medula de cada lóbulo.
    MEDULA ÓSSEA Precursores de células T Lóbulo tímico - no caminho do córtex para a medula, os linfócitos amadurecem e expressam receptores para antígenos (TCR) e marcadores de superfície (CD4 ou CD8); - este processo envolve a seleção positiva e negativa mencionada. As células T maduras saem da região medular tímica para os órgãos linfóides secundários, via circulação sangüínea. Entram S a e m Córtex Medula Timócitos imaturos Linfócitos T maduros
  • 22. O Tecido Linfóide A Bursa de Fabricius está presente nas aves. Está localizada na parede do intes- tino grosso, na cloaca. É responsável pela maturação dos linfócitos B. A Bursa de Fabricius possui estrutura histológica semelhante ao Timo. Tam- bém é dividida em lóbulos (nódulos, para alguns autores). órgãos linfóides primários: a bursa Luz intestinal Epitélio intestinal Lóbulo Córtex Medula