Acabamento de costura

2.475 visualizaciones

Publicado el

Publicado en: Educación
0 comentarios
11 recomendaciones
Estadísticas
Notas
  • Sé el primero en comentar

Sin descargas
Visualizaciones
Visualizaciones totales
2.475
En SlideShare
0
De insertados
0
Número de insertados
14
Acciones
Compartido
0
Descargas
70
Comentarios
0
Recomendaciones
11
Insertados 0
No insertados

No hay notas en la diapositiva.

Acabamento de costura

  1. 1. Acabarnentos de Costura Punhos Bolsos Decotes Golas Fecho Ecler Bainhas Bordados Franzidos etc- Vera Sterblitch E ES 2 > o 1 2 Q c: ¡LI
  2. 2. r a ‘l .2’: sonora ‘recnoonnr Sk. 1979 Duelos aunrais cocidos a Editora Tecnoonnr Sk. Prop aida a reproducao lola! ou serial son qualquer forma. men ou 4,om¡_ no Brasil ou Exiernon sem previa au» uruapan oa nrulat As nossas edicoes reproduzem integralmente os textos onginals ¡san ss-oo-seno-o Grupo Eauoura EDITORA TECNOPFUNT SA. ÁÉWÏÏSFÏ; -_____. __l Acabamenras de Costura As Medidas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . , . . . , . . . . . .. Ii O Equípamemo Indispensóvel . . . . . . . . . . , . . . . . . . . , . . 14 O Ferro Elévrico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4 . . . . , , . . . . . . . . . . . ,. 15 Como Lidar com Cenas Fazendas . . . . . . . . . . . 16 Cuidados com Cenas Fazendas . . . . . . . . . . . . . . . . . . 18 Conselhas que Evivam Aborrecimenlos . . . . . . . . . . . . 20 Fio Reta . . . , . . . , . . . . . . . . . . . .. . 21 Fio Envíesado . 22 Como Diminuir um Molde . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .. 24 Como Aumentar um Molde 27 Correqóes . . , . . . . . . . . . . . , . . 30 Busto Baixa . . . . . . . . . . . . . _ _ __ 30 Costos Arredondados . . . . . . . . . . . , . . . . . . . . . . . . . _ . . . . . 31 Ombros Quadrados 32 Ombros Caídos . . 33 Ombros Largm 34 Buxln Cuvcdo r 35 Saliéncia Embaixo do Braga 36 Ombros ¡suenos , , . . . . . . . . . . . . . . . . . . j7 Bunlo Gr nds‘ . . . . . . . . . . . . . , . . . . . . , , . , 3B Árluplogút Para os Ombros . . . . . . . . . . . . . . . . , , . . . . 39 Busto Grande com Adapiaqóo das Pences . 40 Ombros Largos com Manga Japonesa 41 Braco Eweum _. . . , 42 Brag ; - rom- Perio do Ombro. . . . . . . . . . . . . .. . 43 Colovelo Guarde , . . , . . . . . . . . . . . . , . . . . . . , 44
  3. 3. Conselhos . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... .. . . Conando Fazendas Estampadas — Listradas Franzindo . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... .. . . Alinhavos . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... .. . . Acobamento das Costura; C0510"; Piggmdg _ _ _ _ _ _ _ _ . . . . . , . _ , . . . . . . . . . . . . .. Acobamento Alinhavado . . Chuieio . ... ... ... ... ... ... . . . Costura Sobreposta . . Costura Francesa . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... . . . Tiro Sobreposto . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... .. Acabarnento Tipo Francés . ... ... ... ... ... ... ... ... .. Cava . ... ... ... . . . Manga Japonesa . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... . . . Manga Ragló . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... . . . Montagem da Manga . ... ... ... ... ... ... ... ... ... .. . . Punhos Punho Virado Para o Lado Direito . ... ... ... ... .. . . Punho Aplicado com Viés . ... ... ... ... ... ... ... ... .. Punho Franzido com Elóstico . ... ... ... ... ... ... ... .. Punho Abeno . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... .. Punho de Camisa . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... . . . Bolsos Bolso Embutido . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... . . . Bolso com Lapela . . Bolso Aplicado . . . . . . . . . , . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .. Bolso com Lapela Salta . ... ... ... ... ... ... ... ... ... .. Bolsa Lateral . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... . . . 45 46 48 S0 SO Si 5| 52 S2 53 53 S4 62 63 64 67 69 7| 73 75 77 Acabomontos de Aberturas Decora: Galas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 94 Baínhas Maneira Para Sala ou Decote . ... ... ... ... ... ... . . . 79 Terminagéo Simples . ... ... .. . . 80 Ïerminacóo Lateral (2 Tiras) . ... ... ... ... ... ... ... .. 82 Acabamento com Tira Enviesada . ... ... ... ... ... .. 84 Acabamento em Forma . ... ... ... . . ... ... ... ... . . . 86 Acabamenro com Vista . ... ... ... ... ... ... ... ... ... .. 88 Terminacóo Simples com Algas . ... ... ... ... ... .. . . 90 Acabamento com Cordóo . ... ... ... ... ... ... ... ... .. 92 O Fecha Eclor . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... .. . . A Colocogüo do Fecho Ecler . ... ... ... ... ... ... .. . . 99 Fecho Ecler Colocado com Vista . . . . . .. .. 101 Colocacóo de Cós . ... ... ... ... ... ... ... . . . . . 103 Cintas Forrados . ... ... ... ... ... .. . . . . 106 Morcacóo de Bainho . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... .. ¡O7 Bainha Sobre Pregos . . . ... ... ... ... ... ... . . . 108 Boinha Falsa . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... . . . 109 Baínho Ïerminoda com Viés . ... ... ... ... ... ... ... .. H0 Boinha em Ponlo de Meio Espiga . ... ... ... ... .. . . lil Bainha Simples . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . , . . . . . H2 Boinha em Ponto de Cruz . ... ... ... ... ... ... ... ... .. ‘ll l
  4. 4. Remates Bainha Enrolada . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... .. . . H4 Bainha de Costureira . ... ... ... ... ... ... ... .. HS Bainha Italiana . . . H6 Bainha em Forma . . . . . . . . . .. H7 Seta . . . . . . . . . ‘ . . . . . . . . . . . , . . . . . . . . . . . . . _ . . . . . . . . . . . . . . . . . . l4l Pé de Corvo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . , . . . . . . . . . . . . . . . . . . H2 Franzidos Bainha Falsa n. ° 2 . ... ... . . . . 118 Bainha Terminada com Viés . ... ... ... ... ... ... ... .. 119 P°“'° de C°d°¡° Bainha em Concha . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... .. , . 120 C°5° de Abellm - - - - - - - - - - - - - - - - - - A - - - - - - « - - - - - - 4 - - - - -- ¡45 Boinha Bordado . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... .. 121 Ponto de Cobertor . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... .. 122 Cantos ïerminagóo em Ángulo 123 Canto de Casaco . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... .. 124 Prasilhas . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... .. 126 Casas de Fazenda . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... .. . . 128 Casas Tipo Algo . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... .. 130 Algas Contínuas . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... .. l3l Como Pregar seus Botóes . ... . . .'. .. ... ... ... ... ... .. ¡32 Tiras Enviesadas . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... .. ¡33 Bordado Ponto de Codeia . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... .. . , 134 Ponto em X . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... .. 135 Cosas Feitas a Móo . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... . . . 136 llhós . . . . . . . . . . . . . . . , . . . . . . . . . . . . . , . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 137 Alclnhas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .. l38 llhós . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... . . . U9 Presilhas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 140
  5. 5. Acabamenios de Costura As medidas cenas sóo de imponóncía vital poro a execugóo de um molde, pois nodo mois feio de que um vestido opertado no busto ou urna mango por demois largo ou mesmo uma saio comprido. Veiomos os seguimos pontos: Busto Esta medido deve ser tornado folgado dando-se sempre uma margem de ócm olém do medido normal. No caso de um blusóo (dependendo do gasto individual) o folga devora ser de IO até 12cm. Cintura Nóo deve ser tomado muito iusta. Quadrís A medido cena é tomada na pone mais tone e uma vez o fito passoda oo redor dos quadris deveró poder subir e descer Iivremente. Costos Tire o medido conforme mostro o desenho, evi- tando costas estreitos. A altura da blusa e do meio do pescogo até a cintura.
  6. 6. Acabamentos de Costura As medidas cenas sóo de imponóncía vital poro a execugóo de um molde, pois nodo mois feio de que um vestido openado no busto ou uma mango por demois largo ou mesmo uma saio comprido. Veiomos os seguimos pontos: Busto Esta medido deve ser tomado folgado dando-se sempre uma margem de ócm olém do medido normal. No caso de um blusóo (dependendo do gasto individual) o tolga devora ser de IO até 12cm. Cintura Nóo deve ser tomado muito iusta. Quadrís A medido cena é tomada na pone mais tone e uma vez o fito passoda oo redor dos quadris deveró poder subir e descer Iivremente. Costos Tire o medido conforme mostro o desenho, evi- tando costas estreitos. A altura da blusa e do meio do pescogo até a cintura.
  7. 7. , —-z‘-. f - - - - , ‘ue’ °'9""‘°S feflflcogoes seguindo os conselhos dc po. Frente gina. Proceder como poro os costos. A altura da b| uso é do ombro até o cintura possando pelo por-ita do busto. i — e _ Tire duos medidas extras partindo do ombro até a ponta do seio e também de um seio ao outro, acenando assim a terminagóo das pences. w-FíL EYBT« Ombro Tire esto medida panindo do pescogo até o ossinho n. no cobego do brogo. Para blusóo esta medida de om- bro deveró ser um pouco maior, Manga Ao tirar uma medida de comprimento para mangos 3/4 ou compridas nóo se esquega de dobrar o brago. Tire esta medida conforme mostra a figura. A manga nóo deve ser larga demois o menos que se tome modo. Um detalhe que escapo freqüentemente ós costu- reiras é o colocoqóo cena dos mangas — sóo muitas os mangas deteituosas pelo simples foto de estarem troca- dos. Marque bem a frente de suas mangas e coluque- os certinhos. Pescogo Tire o medida tolgada. Deve-se poder possar um dedo dentro da fita métrica uma vez esta passada em volta do pescoqo, Vocé poderó utilizar qualquer podróo desde que este se aproxime de suas medidos -— seró necessório e _, s _ , IZ H
  8. 8. Para se obter bons resultados no execugóo de um trabolho qualquer, e’ necessório o equipamento auxiliar: l. ‘LU ÑPN? !" ll. l2. 13. l4. IS. 16. colchetes, viés, elástico, gorgorño, fecha ecler. Uma mesa grande (a fazenda deve ficar bem esti- cada. 0 chóo também poderó servir). . Um monoquim (facilita muito para as provas). . Um espelho para corpo inteiro. Uma máquina de costura em perfeito funcionamen- ta. Um ferro elétrico. Um por de tesouras. Uma fito métrica. Um dedal. Agulhas de diversos números. As mais finas sóo para acabamentos mais perfeitos. Alfinetes grandes. Linha para marcagóo. Giz de alfoiate. Um marcador de bainha. Uma corretilho. Papel-carbono. O molde cerro. A boa costureira deve ter sempre a méo: botóes, Um dos ¡tens mais importantes para o bom acabo. menta e sem a menor dúvida — o ferro elé1r¡co_ Muiros principiantes passam a roupa somente de- 9°“ de P"°’"°: quando é realmente essencial abrir a;
  9. 9. Veludo 0 veludo assim como fazendas felpudas, requer todo atencéo ao cortar para evitar um vestido ou co‘ saco com um lado liso e outro todo arrepiado. Use o método francés marcando o sentido certo da fazenda pelo lado da avesso — risque setas todo ao longo da metragem. As fazendas com brilha também devem ser marcadas para evitar um lado fosco. Chiffon Todas as fazendas finas requerem um tratamento especial e rnuito atengóo oo cortar. Seria aconselhóvel deixar-se as partes do molde alinhavadas a fazenda e só retiró-las depais do vestido todo costurado. Para ¡sto deveria-se utilizar um papel mais fino paro o molde. Caso as folhas de papel fino forem rnuito pequenos uti« lize lito Durex para uni-las. Nóílon Antes de mais nada seró necessória possuir-se boas tesouras e alfinetes de ago ou melhor ainda agulhas para prender o nailon ao molde. A fibra do nailon e’ muito dura e só as agulhas de ago entram mais facil- mente. Use de preferencia uma agulha de maquina bem lina e experimente o ponto e a tensóo da maquina 16 antes de cornegar a costuror. Procure costurar bem de- vagar segurando o tecido cam ambas as méos guiando, sem puxar.
  10. 10. l ‘Fuidagdosfíomï Sirtosfazendvosi L6 Picote as ourelas poro evitar que o fozendo enco- lho. Molhe bem um pano com óguo fria e depois esprema-o. Coloque o pano úmido sobre a lá e enrole- os bem ¡untinhos e opertados deixondo ficor durante o noite. No dio seguinte retire o pano e passe o tozendo pelo avesso com o auxilio de um outro pano seco. Ferro quente, sem excesso. Aperte lentamente, sern esticor, porém, nao deixe o ferro descansar em cimo da fozen- do. Algodüo ou Linha Deixe de molho durante todo a noite. Caso o cor nao seia firme molhe rapidamente em agua com sol e estendo logo para secar. Posse do lodo do avesso. Seda, Raiom ou Nóilon Nao precisom ser pré-encolhidos, podendo ser Ia- vodos sem susto. Posse do lodo do avesso com ferro momo. Veludo Nóo deve ser molhado e sim tratado com vapor. Pode-se cobrir o ferro quente com um pana molhada e passar o veludo do lodo do avesso muito de leve até levantar o péla, 18 o I Moure Omoiréeost‘ -- co ' ecidos metalico; dgyem se, passed“ ¡“P etomente secos. Ao passar procure nao esticor a fozendo e passe “Wwe no sentido do fio reta l9
  11. 11. lO. 20 Conselhos que Evitom Aborrecime ntos CALMA — nóo foco tudo correndo, pois o presso é inimigo do perteicóo. Conheca o tipo de fozendo que vai cortar pois ce. tas lozendos precisom ser bem molhados antes, principalmente os forros que sempre encolhem. Ve- rifique como devem ser tratados certos fozendas. Verifique o linha certo para costuror, pois cada fo- zendo requer umo outro linha. Fago seu molde nos medidos certas. Aprenda a adaptar o molde oo seu corpo. Fago umo experiencia numo fozendinho de olgodóo an- tes de estragor umo fozenda boa. Procure passar a lozenda e os moldes antes de cor- tor, evitando os dobros e os papas. Antes de comegor a cortar verifique bem a fio da tozendo assim como os desenhos — evitará muitos surpresos desogradóveis. Nóo se esquega de dar umo folga para as costuras e procure cortar tudo de umo só vez. Nóo estique os cavas e decotes — as fazendos que esticom de- vem ser alinhovodas imediotomente. Marque com papel-carbono todos as pences e cos- turas — pouparó muitos oborrecimentos. Use ogulhos adequodas para obter um ocabamento mois tino. w "7 W Fio Reto O fio reto e aquele que corre oo longo da cui-eh. OUREIA 2| -s. e._
  12. 12. O fio enviesodo 6 obtido dobrondo-se o ponto do fazenda de moneira a colocar a ourelo otroveuodo so- bre o fio reto do tecido, conforme mostra o desenho. OURELA 22 molde sobre o fozendo C OS TAS Obtenlta o máximo de sua metragern espolhondo o azendo Dobroda FRENYE cima ‘
  13. 13. . l o Í u t Ïnunutfl V’
  14. 14. Como Aumentar um Molde
  15. 15. Ïks vezes nóo se pode usar o mesmo molde para duos pessaos com as mesmos medidos pois o tipo de corpo pode ser totalmente diferente. Verifique bem as correqóos que 36a necessárlos e foco o reoiuste certo para obter assim rnelhens resulto- dos. Fig. l — Busto Baixa Acerte o pence conforme mostro o desenho. Obteró assim o posicóo certo. 30 Fig. 2 — Costos Arredondodos Corte o molde no altura dos omoplotas para dar mois folgo. Náe separe o pone de cimo da de boixo, abro simplemente com a tesoura até chegor o cava sem no entanto destacar. Aeene tambóm o decote no meio e casomeceuório foca urna pequena ponce. Fig. 2 3|
  16. 16. Fig. 3 — Ombros Quadrodos Acene a ombro conforme mostra o linha P°"'¡"‘°d° na parte da frente e dos costos. levante entao o linha do covo para que esta nao fique demasiadamente grande. Fig. 4 — Ombros Caídos Conforme mostro o desenho, oboixe a linha da ombro no altura do covo, no pone da frente e das cos- tas. Aboixe também, conforme a pontilhado, a linha do covo paré-m nóo rnexo no decote. —l . l
  17. 17. Fig. 5 — Ombros Largos Dé mais folgo oo ombro e acerte também a linha da cava. Cosa seio necessório foca duos pences na ol- tura dos ombros poro acertar. mm’ H9» 6 — Busto Cavodo Para acertar o blusa é "¿cesa-mo d¡m¡nu¡r_se o frente fazendo . . . ' _ "mc, p'°9° °U d°bro que ira diminuindo "0 dlrecoo do covo. Acerte o decote e o covo.
  18. 18. Fig. 7 — Soliéncia Embaixo do Braco Aumente o molde emboixo do broca e olongue o cintura no parte da frente e dos costos. A pence de- boixo do broca deveró ser mois profundo. Sigo o dese- nho. 36 Fig. 3 — Ombros Estreifos F090 Uma dobra no ombro para obter o oiuste ne- cessório e depois acerte a linha do ombro Fig. 8
  19. 19. Fig. 9 — Busto Grande Para aumentar o molde de moneira a acertar o calocacóo dc pence, tratando-se de um busto grande, é necessorio cortar e abrir o molde no tamanho deseiodo. Aumente um pouco a ponto do pence. Fig. 10 — Adaptocüo Para os Ombros Quando deseiar dar uma caido maior poro os om- bros proceda conforme mostra o desenho. Foco um corte um pouco obaixo da linha do decote e espalhe o molde de moneira o obter o coimento que deseia. Pro- ceda da mesmo moneira para os costos.
  20. 20. Fig. ‘ll — Busta Grande cam Adoptocáo dos Pences Como sempre corto-se o molde em cruz conforme nos mostro a figura e depois espalho-se o necessório. As pences deveróa ser mais fundas em proporcóo. 40 Fig. l2 — Ombros Largos com Mango Japonesa Foco um corte no altura do ombro sem no entonto desmfi" °5 ¿V05 907105 — abra no altura do ombro paro dar maior falga. Depois acerte o coimento do om- bro. 4|
  21. 21. Fig. 14 — Braco Forte Perto do Fig. 13 Braco Estreito Ombro Foco uma dobra no meio do manga e depois acerte a covo no porte de cima. Nao se esqueco de diminuir a cava no blusa de moneira a acertar depois com a mango. Pode-se diminuir um pouco nos costuras. Corte o manga quose que separando completa- mente. Nao se esqueca de aumentar a covo de blusa, "l ng u 43
  22. 22. Fig. 15 — Cotovelo Grande Corte o molde do manga conforme mostro o dese- nho. Aumente e depois acerte a extremidode. Busto Grande Procure usar sempre o seu molde de blusa com as costuras panindo do ombro pois as pences acentuom ainda rnoís. Cintura Grosso Evite vestidos cortados no cintura. Os vestidos intei- ras sña a melhor solucóo, Os vestidos de duos pecas ou o costume clóssico também resolvem o problema. Barriga Saliente Use pences loterais soltos pois distarcam bastante. Ombros Caídos Procure usar pequenos olmofodinhos e sempre que possível utilize a manga ragló. Quadris Fortes Aqui também procure usar pences loterais soltos. As soias pregueodas disforcam. Quando executar um conjunto de duos pecas ou ainda um costume procure sempre fazer o casaca mais comprido. 45
  23. 23. Cortando Fazendas Estampadas — Listradas » Ao cortar uma tazenda estampada é necessórío ve- rificar se o desenho é todo numo só direcño e entéa prestar bastante atencóo e cortar como se fasse ve» ludo. — Ao cortar fazendas quadriculadas é necessório espalhar-se o molde vendo cuidado para colocar as partes correspondentes nas mesmos linhas, caso contrario o desastre seria completo. As fazendos quadriculadas devem combinar nas costuras loterais assim como na cintura, tonto na frente como nas costas, e procure acertar também a manga no ponto em que é montada na b| usa. ‘. —- As fazendas listradas também requerem um cuidado todo especial pois nada mais feio do que listras de- sencontradas num vestido ou blusa. Procure marcar com piques os dois moldes ¡untos tanto da frente como dos costas, separe-os e ao colocar sobre a fa- zenda acerte os piques para que tiquem sobre urna Iistra. Assim teró o trabalho terminado certinho. —- Estude bem suas tazendas antes de cortó-las para depois nóo desanimar ao ver o resultado. Fazendas com barras, fazendas com flores grandes, veludas, quodriculados ou um simples estampadínho reque- rem um estudo atencioso. 46
  24. 24. Franzïiqdo r A figura acima da pógina seguinte nos mostra como se deve proceder para obter um franzido perfeito, Recorte em papelóo a distancia que deseía entre cada carreira e ao passar a linha procure colocar os pontas bem embaixo uns dos outros. Prenda a linha de cada carreira por meio de alfinetes ou dando um nozinho. Quando todos as carreiras estiverem prontos segure as pontas dos íios e puxe todos de uma só vez. Acerte a quantidade de franzido procurando prender as respecti- vas pontas do mesmo a parte onde sera costurado pos- teriormente, divida e espalhe depois até obter o tama- nho deseiado. Procure sempre marcar o centro do fran- zida cam o centra da parte a que este seró costurado r isto facilita muito o trabalho. A figura abaixo nos mostra como fazer para re» forgar um franzido. Corta-se ‘no tamanho deseiado um reforco para cobrir o franzido. As pontas deveróa ser dobradas conforme mostra a figura e depois o todo cos- turado com pequenos pontinhos invisíveis.
  25. 25. Fig. 3 — Costura Picotada Obtem-se um acobamento paro as costuras com o Fig. l — Alinhavos Sao pontas corridos que servem para prender ou ¡untar duos partes do molde, marcar as linhos centrois, fazer serzidos (neste coso os pontas deveróo ser bem auxilio de uma tesoura de picotar, Este processo evita . f V que o fozenda destie. pequenmos) e ronzir. í ___________ l n, z Fig. 4 — Acobamento Alinhavado Fig. 2 -— Acobamento das Costuras Este acobamento é feito com pequenos pontinhos Vire as pontas da fazenda depois de ter aberto bem a costura com o ferro de passar. Pude-se entóo costuror os beirodos o maquina ou a móo. Este pro- ¡nvisíveis sem no entonta prender ao vestido. cesso serve poro tozendos leves pois as fozendas peso- dos ticoriam com um acobamento muito grosso.
  26. 26. Fig. 7 — Costura Francesa Dobra-se as pontas e costura-se iuntas, o máo. Pode-se prender oo vestido de preferencia executado em fazenda firme. Fig. 5 — Chuleio Eis o clóssico cliuleio para terminar as costuras. Procure fazer os pontinhos ¡untos bem caprichodos, para obter assim um acobamento perfeito. Fig. s Fig. 8 — Tira Sobreposta Fago umo costura simples do lado direito. Depois de acertar as sobras e abrir o costura com o ferro colo- Fig. 6 — Costura Sobreposta Foco urna dobra no parte de cima P°'° W“ °°°’ bomento melhor e depois prendo-d COP" 0 90'” de baixo por meio de alfinetes. Posse urn alinhovo con- forme mostra o figura n. ° l. Costura ó máquina "0 ¿“"3"- que o tira por cimo do costura conforme mostra o dese- nho, olfinete-a poro alinhavor depois de dobrar os bei- rodos da tira. Ao costuror procure fazer um ponto certi- nho no beirada da dobra, cio que deseiar.
  27. 27. Fig. 9 — Acobamento Tipo Francés Dobra-se somente uma das pontas da costura e termina-se com pequenos pontinhos invisíveis. '_‘"’""'""’“-_": '7 I » — ‘i___. c“? e e*_4 Terminogóo l. Corte uma tira enviesada com aproximadamente 3cm de largura. Alinhave-o ao redor da covo con- forme mostra a figura n. ° l. O lado direito da tira ficoró sobre o lado direito do roupo. Acerte o costura emboixo do brago fechando antes o costura lateral da blusa e depois a tira de arremote. Costure embaixo do brogo e depois oo redor da ca- va. importante fazer piques, conforme mostra a fi- gura, pois assim o tira noo viró a repuxar. Depois do tira costurodo, vira-se para o lodo do avesso, tomando a alinhavor para obter um bom acobamento. Dobre o beirodo da tiro poro dentro e termine com pequenos pontinhos ínvisíveis. Prenda a tira o roupo no porte de cimo, na costura do ombro, e no costura de baixo ou entóo ao dor os pequenos pontinhos invisíveis ao longo do tira dé uns pontinhos pegando o roupo também.
  28. 28. S6 LADO DIRE ¡TO LADO DÍREITO Manga Japonesa . ._. __. e_, _ N , , -_. .. . . ._ . ... _) Fig. l É necessório picotar o costura deboixa do brago poro nao repuxor a mango. Onde a curva é mois pro- nunciada o pique deveró ser mais profundo. Frg l _ e _ J . Fig. 2 Mostra como picotar uma manga ragla obrindo-se ríe-pois o costura com o ferro de passar. x S7
  29. 29. -« ' “M” ' ' "Wim" "'""‘”' ' "7 ¿‘mb"'¡d° d°b’°"d°'Se ¡""95 08 bordos para dentro que Manga ROQIO J vóo ¡untar-se os bordos do pique e costuradas iuntos. A m” "'"""""_—’" ing. 2 mostra o trabalho terminado. Fig. 1 e Mostra como proceder para embutir um taco bem ‘ cieboixo do brogo. Do-se o pique conforme mostra o de- senho e depois costura-se em volta do pique para que noo desfie ou deforme. . Fig. 2 Pode-se utilizar o taco enviesado que neste caso leva uma prega no centro. Para evitar também que este se deforme deve-se usar um reforgo nos cantos. Fig. 3 Pode-se também usar o taco quadrado senda que este e colocado no costura deboixa do brago. Depois de dar o pique mede-se o tamanho da abertura e corta-se o taco no tamanho certo mais as costuras. Alinhovo-se o 58
  30. 30. Depois da roupo pronto só resta montar a manga para que tenha um bom coimento. Faz-se duos carrei- ros de pontas largos entre os piques conforme opre- senta o desenho n. ° l. O centro da manga também de- veró ser marcado no parte de cimo onde a manga en- contrató o costura do ombro. Vire a roupo pelo lodo da avesso e enfie o mango, ¡ó costurado e virado, pelo direito. por dentro do covo. Nao se esquego de antes abrir os costuras com o ferro. Alfinete o manga ao re- dor do cava conforme mostro a figura n. ° 2, acertondo por meio dos piques e costuras. Puxe os fios que forom possados em duos correiras de moneira a acertar o manga com a cava mas procure embeber a manga e só franzir tratando—se de uma manga bufante que tera sido cortada bem maior. Depois do manga acertado dentro do cava passe um fio de olinhavo e retire os alfinetes. Costure comegando embaixo do brogo. Corte o excesso de fozenda ao redor da cava e dé piques para evitar que o manga fique repuxanda. Posse bem a ferro com um paninho mall-tado procurando alisar ao maximo a parte que foi embebida, Um dos pontas mais importantes num vestido ou costume é sem dúvida alguma a colocogóo certo do mango. Verifique se a manga esta caindo bem, coso contrario sera necessório deslocar ligeiromente para frente ou poro tros. Muitos pessoas tém o habito de 60 trocarem as mangas o que resulta numo péssima colo- cogóo e por mois que se recoloque nunca dó certo. Quando os mangas sao montadas abaíxo dos am- bros é necessório que o rnontagem se lago menos fron- zida pois o alto e neste caso muito menos arredondado.
  31. 31. l Punlio Virada ‘Para «¿Es? » Direit: L_ _. ___. ___. ___ . _. . __. __. .._ . ____. ._____i Costurar o punho pelo lado do avesso tendo o cuidado de colocar o lado direito do punho contra o avesso da manga (A). Virar o punho para o lado direito da manga (B). Pesponte entóo virando a beirada do punho poro dentro de moneira a obter um acobamento perfeito (C). AVESSO l Punlto; com Viés Alinhave o punho ¡o pronto o manga e oo mesmo tempo sobreponha umo tiro enviesado (A). Costure e 60'50 vire somente a tira para o lado de dentro do manga terminando com pequenos pontinhos (B), DIREIYO DIREIÏO 63
  32. 32. , _Ñ. ..e ti? ., e _. .._. .. . .. .._. . _ _. _.. _.¿ Eunlto frortziydomcotnilóstíco Termine o bordo da manga com a própria bainha ou com uma tira que seia suficiente para possor o elas- tico (A). Deixe uma abertura na costura para poder passar o elástico (B). Franza sobrepondo as pontas do elástico e costuranda firme. A costura aberto deveró ser terminado ó móo (C).
  33. 33. Esta terminogóo é geralmente usada 90"’ "‘°"9°5 - - arte de- que sao cortados em dois P°d°9°5' c°’""e ° p tros da manga até a altura que deseiar a abertura (A). . . ' n . Posse De um mque (a) no parte de cima d: abbe ura ' _° ' O ex ensa as costuras a ferro. F090 ° b°'"h° e ° re da porte de cima também para o lado do avesso panhondo g linha de costura dobre os cantos e de OCDFH ' . ' te. A outro uns ponhnho, para prender convenientemen enensao deveró ser sobreposto (C)- de-Gam __¡ Corte a abertura no lugar indicado pelo molde. Corte em ¡ornal a tira, acerte como ficaró na mango e depois passe para a fazenda — trata-se de duas partes que seróo costuradas separadamente. Dobre umo pe- quena tiro para as costuras (A). Alinhave estas duas portes no mango observando que o lado direito destas tiras deveró ficor contra o lodo do avesso da manga. certifique-se que a tiro que ficaró por boixo esteio na parte detras da abertura e a tira que ira sobrepor es- teia no parte da frente da abertura. Costure entóo os duas tiras e vire para o lado direito da manga, alinhave-as para que fiquem certinhas e pesponte con- forme mostra o desenho (8). Este trabalho deveró ser feito, de preferencia, com a manga aberto. Uma vez a manga costurado pode-se franzir ou preguear em volta do punho (C). DlRfIïO
  34. 34. Prepare o punho com ontecedéncia e adapte-o em torno da manga. O punho devera ser forrado com fa- zenda ¡a molhada e encolhida. (D). Costure a borda in- terna do punho com a manga deixondo o P0"? de °¡'“° salta (E). Alinhave entao a parte de cima e P€5P°"'°'° conforme mostra o desenho. Ïermine o punho ptegondo o botóo e fozendo o C050 do lado oposto. Bolsos Corte um retangulo de fazenda que tenho aproxi- madamente Scm olém da delineagóo do bolso. Marque o local do bolso e entóo alinhave o pedago de fazenda sobre o local marcado (A). Direito contra direito da rou- pa. Alinhave em volta da marcogao da bolso o uma distancia de aproximadamente lcm. Costure. Corte en- tao pela linha de marcagóo dando piques nos extremi- dades para depois poder virar sem repuxar (B). Posse a fazenda pela abertura e dobre-a conforme mostra o desenho (C). É necessario fazer uma pequena prega, ¡untando bem as bordos. Alinhave novamente. Do lado direito da roupo sera necessario prender com pequenos pontinhos a mao ou a maquina para se- guror o bolso no lugar. De acordo cam o molde, corta-se duas partes para fazer o fundo do bolso. Uma dos partes sera colocada obaixo da abertura e a outro no pone de cima con- forme mostra a desenho (E). Pode-se entao costuror a rnao ou a maquina, pelo lodo direito do roupo, a parte de cima do bolso por cimo da abertura. 69
  35. 35. DIREITO B ífi""" l o memo DlRElïO Bolso com Lapela Em primeira lugar foca a ¡apela (A). Vire-a do lado direito e passe um ponto de alinhave (B). Fago um tragado com giz próprio conforme mostra a figura (C) e em seguida coloque a ¡apela conforme o tragado ou esquema (D). Cane um pedago de fazenda para fazer a fundo do bolso e arredonde os cantos. Coloque-o sobre a lo- pela tendo o cuidado de observar o desenho (E). O centro deveró ser colocado diretamente sobre a linha central do esquema. Alinhave novamente e entóo passe uma linha de alínhavo e mais ou menos lcm da linha do centra para marcar o lugar certo para cortar (E). O desenho (F) mostra o resultado final ¡ó com o corte eletuado e com piques nas pontas para evitar que re- puxe. Posse entóo a fazenda pela abertura virando o trabalho para o avesso (G), Costure as bordos do balsa para maior seguranga ‘HJ. Costure o móo ou a maquina a parte de cima da abertura (l). Coloque entóo a ¡apela par cnma da abertura, alfi- nete os cantos e depois termine com pequenos pontunhos ¡nvusíveis (J). 7| á í ¡z
  36. 36. Bolso Aplicado Fago uma pequena dobra e passe a máquina na porte de cima (A). Dobre a fazenda trazenda o lado do avesso sobre o lado direito e passe a maquina aa redor da bolso pela linha de costura (B). Acene os cantos de cima e pícote a valta todo para poder virar sobre a linha de costura do bolso. Esta borda picatada deve ser de largura suficiente para virar — cone a excesso (C). . mi: -_. .--_. _-_L-_ '_. 'u
  37. 37. Vlfe a bainha para o lado do avesso e dobre entóo a borda virada alinhavando (D). Alinhave a bolso a roupa verificando bem a lugar certo Costure entóo a maquina certificanda-se que as cantos esteiam bem firmes (E). DIREIYO 74 Bolso com [apela Salta Prepare a Iapela de acordo com o molde. Depois desta forrada, vire pelo lada direito e passe a ferro (A). Faga um esquema de calocagóo e alinhave con- forme mostra a figura (B). Cane uma parte que servira para a fundo do bolso e aplique sobre a lugar do bolso conforme bem mostra o desenho (C). L 4,4,4,“ , .. o:
  38. 38. Conforme ¡ó foi explicado na figura n. ° 2 (bolso com lapela) enfie pela abertura a fazenda que servira como fundo. Costure entóo as bordos para maior segu- ranga (D). Com o bolso ¡ó pronto é só virar a Iapela sobre a abertura e arrematar a rnóo os cantas (E). (¿al 76 Bolso Lateral _ _ . __. A* . ._. _.e, ,_. __. ._. ., . ._. -__. ..__. . . __. .._. __ u-. . Corte um fundo de bolso no formato deseiado. Cos- ture esta pone colocando o direito da mesmo contra o lodo direito da saia (A). Ïenha o cuidado de alinhavar antes de costuror para obter assim um trabalho perfei- ta. Apare o excessa da folga da costura. Vire entóo esta parte para o lado do avesso da saia. Tome a alinhovar (B). AVESSO 77 -—v7r.5.n: .r 2:17?- xs-: n.‘—-, -.—, --r, : . »,, a
  39. 39. Coloque entóo a parte detras da saia sobre 957€ fundo de bolso observando bem ¡We ° l°d° ¿"elm e" teia colocado certo. ïorne a alinhavar as duas P°"°‘ ¡untos conforme bem mostra o desenho. Costure de ponto a ponto (C). Alinhave a lodo do bolso a costura lateral da saia, pois assim a bolso ficaró preso no lugar certo. A pone de cima do bolso seró preso pelo CÓS (Ü)- Acabamenfos de Aberturas Maneira Para Saia ou Decote Corte uma tiro de fazenda com uns Scm de largura e que tenho duas vezes o comprimemo da abertura Costure a tira colocando o lado direito da mesmo contra o direito da abertura. O centro do abertura seria a pone mais difícil, parém se proceder conforme mostro o desenho, saindo um pouco a costura no centro, nóo en» contraró maiores dificuldades (A). Vire entóo a. tira para dentro da abertura e ob- serve que um dos lados devera ser virada completa- mente enquanto o outro devera virar olém da costura deixando uma beirada (B). Alinhave no lugar e depois costure a maquina ou mesmo a móo. El . l Í l. ‘ a l‘ l l i‘.
  40. 40. Acerte t‘ - . . f o Ira tendo o cuidado de ¡unta-lo no centro con arme mo y _ d l d s m o desenhc’ (cl- Posse a ferro e ÍBITHIHC ° a ° d° °v°“° °°m PGQUGVWS pontinhos ínvisíveis. Terminagóo Simples Cane uma tira cam aproximadamente 3 a dcm de cada lado da abertura e com uns 2cm olém do com- primento do abertura. Alinhave em volta do carte con- forme mostra o desenho (A). Faga o cone dando piques nos cantos para poder virar a tira sem repuxar (B). Vire a tira para a lado do ‘ff. -‘. ?-1«'v‘v; ;¿¡; _:- Ï; —?}H-*"*_ _. ‘—. ._. —._-. _-V_. ..__ OVeSSO. É 80 8|
  41. 41. Terminagña Lateral (2 tiras) l Corte 2 tiras enviesadas que tenham aproximada- mente Hcrn de largura e 3am olém do comprimento da abenura. Alinhave as tiras pela lado direito da roupo e depois costure 0,5cm para foro da linha da costura con- forme mostra o desenho (A). Posse as costuras em dire- góo das tiras. Para poder manter a folga da costura e a tira ¡untos costure novamente conforme mostra o dese- nho seguinte (B). Vire entóa a tira completamente para o avesso para obter a pone de cima como se tosse uma vista de fazenda‘ Costure ao longo desta dobro tam- bém. Termine as beiradas e entóo coloque a parte de cima sobre a parte de baixa (C). Alfínete as linhas de costura ¡untos e depois costure as pontas dos tiras ¡un- tas. Coloque entóo um colchete para fechar a linha da costura e pressóes nos intervalos.
  42. 42. Decofes (Termínagóes) Acobamento com Tira Enviesada Cane uma tira enviesado com aproximadamente 3cm de largura e alinhave-a ao redor do decote tendo o cuidada de colocar lado direito contra lodo direito. No caso do decote em V deve-se tomar cuidado para dei- xar falga suficiente na tira de moneira a nóo repuxar uma vez costurado. Costure as pontas do tira e depois apare rente a costura. Nóo se esquego de picotar o decote no pone detrás conforme mostro a figura (A). Uma vez costurado a tira enviesado vire para o lodo de dentro ou melhor pela avesso e alfinete para manter no lugar certo. Dobre a borda do tira para den- tro (só a beírinha), tome o alinhavar e só entóo termine prendendo a tira com pequenos pontinhos invisiveis. z > LADO DIREIYO LADO DO AVESSO J 85
  43. 43. Aca ba mento em Forma Corte o acobamento ern forma de acordo cam o decote, porém estes acabamentos no forma do decote devem ser sempre um pouco mais largos do que os acabamentos com tiras enviesadas. A ¡ungóa devera ser feita nos ombros tendo o cuidado de passar a ferro para abrir a costura. Alinhave a recone ao decote ob- servando que os lados direitos dos mesmos se encon- trem. Depois de costuror, picote aa longo do decote e principalmente nos cantos (A). A LÁDO DIREIYO ‘¡"9 ° WW"? Pelo avesso e proceda conforme foi explicado na figura anterior (B). LADO D0 AVESSO a
  44. 44. Aca bomento com Vista Cane uma vista conforme mostra a figura tendo o cuidado de utilizar o molde para que o decote fique cena. Coloque o lado direito do recone contra o lado direito da roupo e alinhave no lugar. Costure e só entóo dé o cone central para a passagem da cabega. Vire pelo avesso e passe bem a ferro, principalmente as bei- rada: para que naa aparego o recorte interno (A). O desenho seguinte (B) nos mostra a decote pronta. Nao se deve costuror a vista au recane a roupo e o acobamento ficaró mais perfeíto sem repuxar. Termine a vista fazenda uma pequena bainha conforme ¡á foi explicado anteriormente. ' umo oo AVESSO 88 LADO DIREITO 89
  45. 45. A costura central da roupo devera ser um pouco mais larga para permitir a vira no pone de cima. Apara-se entóo a excesso de costura conforme mostro o ‘ desenho (A). l A figura seguinte ió nos mostra o acobamento l senda a pone interna completamente abena e a pone que viró por cima recebe uma dobra onde seróo feitas as algas de linha (B). l l B LADO DIREIYO una oo AVESSO A | 9° 91 Terminagño Simples com Algas l el
  46. 46. Acobamento com Cordáo Cane uma tira enviesado no tamanho e largura de- seiada e conforme mostro o esquema B dobre uma das bordos sobre o cordüo alinhavando a seguir. Esto dobra sobre o cordño devera ter aproximadamente uma terga pone da largura da tira. Costure entao, a rnao ou a maquina com o pé apropriado, bem iunto aa cordóo e o seguir dobre a outro borda e costure bem na beirada. Dobre a borda do decote onde será aplicado o acaba- mento. No caso do decote em (V) dé um pique sem cor- tar no entonta em demasia. Coloque o cordóo conforme mostra a primeira figura (A), e depois de verificar que nao repuxa termine na ponto em (V) sobrepondo as pon- tas do cordóo. Alinhave e termine com pequenos ponti- nhos invisíveis. ___-. ..-__ - - . . —_. __u-* 93 . .n-—á -. .. ._. .., ,4 ax zïrmfi-¿«T-u ‘asomo-w m, . , a-gn-EH’. —<-3;-u—‘-‘—— e: o¿é“'ï
  47. 47. Depois da roupo terminado eis a moneira de colo- car urna gola redonda. Cono-se uma tira enviesado e alinhave-se sobre a gola conforme nos mostra a desenho (A). A galo ¡ó de- vera estar pronta. Depois de alinhavada a tira, costura-se o máquina e vira-se pelo lado do avesso. Para terminar faz-se uma pequena bainha na tira enviesado e termina-se com pequenos pontinhos invisi- veis. O desenho nos mostra o trabalho terminado (B). LADO CHREIYO 3 LADO D0 AVESSO m 95
  48. 48. Outra acobamento mais perfeito para casacos abenos e o que vem a seguir. Depois do gala termi- nada e alinhavada aa decote (A), cana-se uma vista que devera ser também alinhavada sobre a gola (B). Depois do trabalho costurado, vira-se pela avesso termi- nada somente a vista com uma pequena bainha invisível (C). Á DlREfTO DIRENO AVESSO
  49. 49. O Fecha Ecler 0 toque final de um trabalho é sem duvida algumo a colocagóo do fecha ecler. A figura abaixo nos mostro . . , . . m o trabalho senda terminado 0 "Wqwnm para“, um c: . . _ e- selho que dou as leitoras, deve se sempre P7999’ ° cho a móo cam pequenos pontinhos invisíveis tratando- - - t mo's se de roupa fina que requeira um acabomeno I pe rfeito. 98 Depois de terminado a saia deve-se alinhavar o abertura que foi deixada para a colocogóo do fecha ecler conforme nos mostro o desenho (A). Abra a cos- tura com o ferro e vire a saia para a lado direito. A figura seguinte nos mostra a colocagóo do fecha com o lado direito do mesmo sobre a linha alinhavada. porém o fecha está senda colocada do lado de dentro da saia ou seia do lado do avesso (B). LADO DIREITO
  50. 50. Pregue com olfinetes e passe um alinhave em cruz ou mesmo simples para manter o fecha ecler no lugar cena. Depois de alinhavar pode retirar os alfinetes. O fecha devera estar sempre fechado (C). Com o Pregadar de Fecha comece a costura na pone de cima, de a volta conforme mostra o desenho para terminar de novo em cima (D). Pode-se entóo prender a fecha dentro do cós da saia para urn acobamento mois perfeito ou no caso do fecha ser colocada ¡ó com o cós no lugar, a terminogóo sera feita conforme mostra o desenho (E). DIREITO AVESSO Fecha Ecler Colocado com Vista Proceda conforme foi explicado anteriormente cos. t - . UFOHÓO 0 moneira somente com pontas de olinhavos, passe a ferro abrindo bem a costura (A). Costure uma tira ou a vista a barda do frente da abenura conforme mostra o desenho (B). 0 fecha ecler deveró ser costurado no borda de tros (C). l t l l t l l l l t l I l l I I l l /
  51. 51. Acerte o fecha conforme mostra a desenho seguln" (D) e entóa vire a saia pela lado direito- O lada direito nos mostrará um fecha embutido. Alinhave ao longo do fecha e termine 9"‘ ¿"9"l° “é (hegar o costura central. Posse a costura em formo ¿O letra L. l02 Eis a moneira cena de se colocar um cós numo saia ou calga comprido. Em primeira lugar cana-se a tira de acordo com as medidas de cintura. 0 gorgoróa deve ser previamente molhada para evitar quaisquer surpresas posteriores — basta passar o ferro, molhando bem com um paninha. Coloque o gorgoróo sobre o cós alinhavada (A) e depois de dobrar o cós direito contra direito costura-se os extremidades. Vire, alinhave e passe a ferro (B). l A extremidade do cós que levou o gargoróa e que sera costurado a saia assim como mostra o desenho (C). Tenha o cuidado de nao esticar a saia ao colocar a 103
  52. 52. cós. Termine o cós pelo lodo da avesso do saia tendo o cuidado também de terminar cam pontinhos invisiveis. O desenho final nos mostra a trabalho terminado cam excelentes resultados (D). LADO DO AVESSO LADO D0 AVESSO l04
  53. 53. Cintas Forro dos Cane 2 tiras para o cinta (A) e alinhave uma tira de gorgaróa ao avesso de uma destos tiras (B). Deixe as extremidades abenos para virar. Costure e apare o excessa. Corte os cantos. Vire o cinto pelo lodo direito e alinhave a volta to- da. Coloque uma fivela numo dos pontas corno mostra o desenho (C) e a seguir coloque uma olcinha para ab- ter um acobamento mais perfeito. Querendo, antes de colocar a fivela e olcinha, poderó pespontar a cinto a volta toda. Marcagóo de Bainha A marcagüo cena de uma bainha é feita conforme mostro o desenho. A pessoo poderó ficor em cimo de uma mesa para maior facílidade. Usa-se um marcador de bainhas ou simplesmente uma régua que devera ser colocada sempre bem retinha para evitar erros. Depois de virada a bainha termine tendo o cuidado de conse- guir uma só largura a volta todo do trabalho. l()’7 É.
  54. 54. Bainhas Boínha Sobre Pregas Bülnlïü Falso Dé um pique na costura na altura da bainha de mo- Caso a fazenda nao dé para terminar com uma neira a noo deixor volume. Abra a costura e passe a bainha grande, cone uma tira com aproximadamente ferro achotondo-o bem. Depois termine o bainha. Scm. Coloque direito contra direito, costure e vire pelo avesso terminando com pequenos pontinhos invisíveis. Al- gumos costureiras castumam conar esta tira enviesado. 108 '09
  55. 55. Baínha Terminada cam Viés Bainha em Ponta de Meio Espiga Para um acobamento mais perfeito de sua saia, Trata-se quose de um ponto de cosear largo. De- use um viés ou fita própría, procedendo como explicado P°¡S do bainha Virada trabalho-se conforme mostra o no p¿g¡no ongeyiot desenho, trazenda a agulha para fora passando por cima da linha. "0 lll
  56. 56. Bainha Simples Bainha em Ponta de Cruz l T¡aba| h°.5e geralmente do direito para o esquer- TrabaIho-se da esquerda para a direito e é gera| - 4 do. Apanha-se dais fios do tecido por baixa da dobra mente usado para fazendos grassas. Este ponto serve ¿o bamho e passa-” a ogulho atravessando a beira da para segurar e chulear a bainha aa mesmo tempo. l; _ bamha Trabalha-se em ponto atras aponhondo um ou dois fios bl ‘ __ da bainha e um ou dais fios no roupa e assim consecu- ñ l l l 7 7 y i tivamente. _ F! 112 "3
  57. 57. Bainha Enrolada Usada geralmente para fazendos leves. Enralo-se o beiro da fazenda com o polegar e o indicador e costura-se com pontas ínvisíveis utilizando sempre agu- Iha e linha bem finas. Algumas costureiras costumam passar a maquina no beirada da fazenda, antes de en- rolor. Bainha de Castureiro Posse umo costura na borda da bainha e ainda foco um alinhava caprichado para evitar que a fazenda desfie. Levanto-se entóa a bordo prendenda a bainha conforme mostra a desenho com pontas largos. ll5
  58. 58. ljv li Bainha Italiana B°¡"h° em F°rm° 4 Para facilitar a execu óo de uma bainha em forma Enrola-se o dobra da bainha entre o polegar e o l; indicador e prende-se um ponto no bainha e outro no fazenda até que se encontrem varios pontas na ogulha que seróo puxodos de umo só vez. é necessario passar um fio de franzido na beirada pu- xando porém de leve. Prenda cam alfinetes marcando pequenos preguinhas e termine cam pequenos pontinhos invisíveis. A«-É—. :mn-r_, Ñ Íïr- w H6 ll7
  59. 59. l Bainha Falsa N ° 2 Mesmo quando só nos resta umo beirinha de tecida podemos comprar uma fita largo para salvar um ves- tido cuna. O desenho nos mostra como proceder nestes COSOS. H8 " f, y Batnha Terminada cam Vies Esta terminagao servira também para lingerie ou para fazendos leves. Costumo-se usar este acobamento para decotes, cavas, cintas etc. Cono-se uma tiro en- viesado com aproximadamente 3cm de largura. Estique o viés com o ferro quente o que o tornaró mais estreito. Coloque o viés direito contra o direito da borda e ali- nhave. Posse a costura, vire e termine pelo avesso com pequenos pontas invisiveis. 119
  60. 60. Dobre o beirada duas vezes para obter uma boi- nho estreiva. Fago dois ponto: sobre a bainha puxondo bem o fio. Posse o ogulha pelo bainha o repita esta operogóo mais adianve. A ¡A ¡, -.¡. ..¡t4——¡—«¡—v _/ s./ ./ ‘/ J4 xJ V ‘1'«_u_g_I LHJBILÜLHLIIQIIJÜÚ Desenhe o recorte com pequeno: pontinhos em duos linha: paralelas e depois encho entre os linha: com vórios outro; pequenos pontinhos. Ïrabolho-se da esquerdo poro direito colocando a ogulha no pone ¡n- verna, conforme mosvra o desenho, e puxando-a no borda inferior. A ogulha deveró passar sempre sobre o linha. Depois do boinho terminado recorta-se como na figura.
  61. 61. . Ponta de Coberfor l Trabolho-se do esquerda poro a direito obrando-se um efeivo bonito. Segura o fio com o polegar esquerdo e conservando a ogulha bem reto passe sobre o fio con- forme mostra o desenho. Dobre a bainha para o lodo direito e foca umo costura no como conforme mostra o esquema (A). Apare o excesso de fazend abrir bem a costura (B). o e passe a ferro poro Vire o bainha poro o lodo do avesso e vermine (C) i713
  62. 62. Em primeira lugar será necessario terminar-se o bainha. A bainha vertical ou visto devera cobrir o bai- nha inferior, conforme esquema (A). Para evitar volume corte o fazenda como mostro o desenho. Ïermine cam pequenos pontinhos inviaíveís (B).
  63. 63. Nado mais feio do que uma olga de combinacóo oporecendo e nada mais fácil para evitar. Use uma fitinha estrena com aproximadamente Scm de comprimenla. Pelo lado do avesso, costure uma dos pontas por cima do costura do ombro do lado da covo. Na extremidade solta seró colocado umo pressño sendo que o outro mevode da mesmo seró colocada di- relamente sobre a costura do ombro, conforme mostra o desenho. El‘ °""° ’"°"°¡'° de prender o fítinho no ombro. Costure uma dos pontas do lado do decoro sobre a cos- fura do ombro e sobre esla mesmo exvremidade coloque o metade de uma pressüo. A outro melade seró colo- cado conforme mostra o desenho de moneira o dar o valla sobre o olga de sua combínagóo.
  64. 64. Corte um pedago de fazenda que tenho aproxima- damente 3cm além do comprimento da abenura e Scm na largura, Seguinda a fía do fazenda alinhave o pe- dogo sobre o centro da caso tendo o cuidado de colocar o lado direito do pedogo de fazenda contra o direito da roupa (A). Conforme mostra a figura seguinte costure a maquina um retangulo a volta da marcagao da casa (B). Procure dar o mesmo número de pontas em cado lado para evitar umo casa torta. Ao terminar esta cos- tura passe a maquina por cima dos pontas íniciois para prender bem firme. Retire entóo o fio de marcagóa e corte a casa pelo centro sem cortar porém o costura — corte OS Cantos em í “"50 Para o lado g: ï«zïáci)rsipuï o pedo“ de fu» todo a cuidado (D), peio ¡odo düefi; te? ?? Canto; com que devera encontrar-se no centra ——- alinlacaï: : pï: ° ferro para marcar a posigóo cena. Pel Um° Pfego tipo macho e prendo co, “ o avesso ¡aca vórios pontas
  65. 65. Casas Tipo Algo Corte as algas no tamanho deseioda. Posse um oli- nhavo para obter cosas do mesmo tamanho e meca a distancia certo para evitar aborrecimentos posteriores. Costure a alga — coloque uma tira de fazenda mar- cando uma nova costura por cima da anterior e passe novamente a maquina para entao virar esta vista de fazenda para o lado do avesso obtendo assim um aca- bamento perfeita. —_. _a—
  66. 66. r " " ""7 Como Pregar Seus Botóes i Os primeiros desenhos nos mostrom as diversos modalidades de desenhos que se pode obter ao pregor os botóes (A-B-C-D). A seguir temas o botao com alga: Comece dando um ponto do direito para o avesso de moneira a escan» der o nó da linha embaixo do botao. Coloque entóo um alfinete por cima do batóa e prenda com a linha 3 a d vezes — retire o alfinete e enrole a linha por trós do batóo de moneira a formar o algo (E-F). 0 desenho seguinte mostro um botóa reforcado com um pedago de fazenda pelo avesso da roupa (G). Ü l A C I’ Tiras Enviesados i _, J O desenho nos mostra como proceder para ¡untar duas tiras enviesadas. Coloque lado direito contra lado direito tendo o cuidado de acertar o desenho de ma- neiro a que as bordos da tira terminada formem uma linha reta. Depois dos duas tiras costuradas, passe o ferro e acerte os cantos excedentes (A). Para fazer um ralo de viés dobre a fazenda com- pletamente enviesado e corte pela linha diagonal. Veia quantas tiras deseia e a largura certo das mesmos. Marque todo a fazenda com quantas linhas compartar o pedaco de fazenda. Junte as pontas retos mas deixe uma largura de viés olém da ¡ungóo em cada ponto. Pregue com alfinetes e forme um tubo. Comece numo ponto em linha reta e corte a tira de maneiro circular até obter umo enrome tira enviesado.
  67. 67. Bordado ‘ Ponta de Codeia Trabolhe pelo lado direito da fazenda segurando o “who com o polegar de moneira o manter o lacado. Eniie a ogulha onde sai a linha e traga a ponto da “‘95’“° Um Douco adiante puxando-o pela lacado da mha. Os pontas deveróo ter todos o mesmo tamanho. la Este é um ponto decorativo que serve para ¡untar duas bordos. Desenhe duos Iinhas paralelos num pe- dogo de papel cam a distancia deseiada. Depois de dobrar as bordos da fazenda para dentro alinhave-as oo papel ao longo dos linha: desenhadas. Principie no alto trazenda o ogulha para a lado direito a direito e dé o ponto seguinte a esquerda. A ogulha devera entrar de baixa para cima e passar por baixa do fio no ponto seguinte.
  68. 68. Casas Feitas a Mao -. __. ._ _. ._ . . . ,_J Marque a posigao dos casas com alfinetes e corte cada casa por sua vez, observando o fio da fazenda. Reforce as beiradas da casa com um pequeno alinhava para nao desfiar. Foco um pequena ponto atras pelo lado do avesso e traga a ogulha para cima estendendo um fio ao longo da abertura da cosa (A). Chuleie agora com pontos largos conforme mostra o esquema seguinte (B). Utilize um fio grosso. Espete a ogulha para o lado de cima mantendo uma distancia de aproximadamente 2mm para fazendos finos e 3mm para fazendos mais grossas. Espete a ogulha sab a bordo da casa e dé o ponto no tamanho deseiado, trazenda a ponto da agu- lha para cima. Dé a volta na ogulha mantendo a linha do lodo da abertura. As pontas do caseado podem ser espalhadas conforme mostra o esquema ou poderao ser retos (C), I , _ , - __, LA I 136 ts Fago um buroco com a ponto da tesoura ou fura- dor apropriado. Pode-se fazer o ponto caseada con- forme ¡a foi explicado anteriormente, ou simplesmente um pontinho cheio a volta todo, conforme mostra o de- ' senha seguinte. l s . ¿gg- _. .__
  69. 69. Faca 3 ou 4 algas no tamanho deseiado. Estes pon- tos deverao ser dados no beira do roupa. Segure entao estas algas possados com ponto de caseodo bem ¡unti- nho. conforme mostra o desenho. Depois do cinto furado dé alguns pontinhos de ali- nhava conforme mostra o primeira desenho . Preen- cha a rodinha com pontinho cheio enfiando no buroco e trazenda a ogulha para cima na distancia deseiado.
  70. 70. Reforgo empregodo nos extremas dos bolsos. Pre- gue alguns fios de linha através do final da abertura como nos mostra o primeira esquema (A). Depois prenda estes fios ¡untamente com um pouco de fazenda (B), Depois de tudo pronta foca um orremate nos pon- tas (C). Remates Terminacao decorativa para pregas e bolsos. Foco um pequena triangulo no ponto deseiado. Cam linha de bordar foca um pequeno P°Ntinho perro de A e suba com a ogulha para 8 dando um pequeno ponto sab o ponto do triangulo, leve a ogulha para C e traga a ponto da mesmo por baixa para sair novamente em A. Repita o trabalho colocando os fios lodo a lado até o espaco ficor preenchido como em D. Termina prendenda com pontos atras pelo avesso. l4l
  71. 71. Pé-ide-Corvo Marque um lrióngu| o conforme nos mostro o dese- nho. Prenda a linha em A conforme ¡ó foi explicado unvenormeme, leve o ogulha oté B dando um pequeno ponto sob o ponlo do triángulo. Vire o bordado e dé um pomo em C vrozendo o pomo dc ogulha por cimo pero son novamente em A. Dé um pequeno ponto sob o porno de A e repito todo o operocóo até encher o cen- rro‘ Os | odos dos triángulos ficaróo assim ligeíramenre . *‘> g i m, __ ___T _ _, _,. /— u: Franzidos Ponto de Codeia Puxe o pomo do ogulha pelo ponto l colocando o linha acima do ogulha. Enfie o ogulha pelo pomo 2 no. zendo o fio novamente para cimo A seguir segure o fio abaixo da ogulha e enfie no pomo 3. O (¡o voi novo. mente para cimo ao pegar o ponto 4, Cominue nesta operogóo até lermincr a correim_
  72. 72. F '-. / 1 ” xïkhpi Casa de Abelha Puxe o ogulha pelo pomo l. Dé um ponto pegando no n. ° 2 e n. ° 1. Puxe o fio bem firme. Depois iorne a enficr a ogulha no ponto 2 e puxe para o lodo do aves- so. Puxe a ogulha para o lado direito pelo pomo 3. Repito o operogóo nos pontos 3 e 4 e novomenve nos pontos 5 e 6. Cominue desta moneira. f __¡ 0| n: - 4" M 145
  73. 73. w w W ¿ A ¿ w V x; M / / / / / 146 na Ediouro. Para a 0 Literatura Brasileira e 0 Grandes Clinico: d; Literatura Mundial - Lkcmur: lnnnrnunmil o Rormma Rnichis 0 Espana 0 Finde Científica 0 (hrliniria I Ann Marcus o Arrenmto 0 Decano - Língua Rmuguesa o lingua Esznngdm 0 Esolaisno 0 Folclore 0 ¡Habría - Humor o Jardinagun 0 Jogos c Rassatanpos o Arquhauru c Brgcnluria 0 Bordado o Informática - Rcugjao - Saúde o mas e Crocbe 0 Elcxricidnde e Elcuúnica - Pmpsioologh 0 Adminisuncña o Animals Dome-licor o Astrologia v Agñcullun 0 Eqnrirismo 0 Cumabilidaflc v Psiwlogu o Druonários Esscs s10 apenas alguns assunlos quc voce ccnamcnle encontra " nossoslis-rosvrxtemmnomócs. Fazer o seu pedi pclo Rccmbolso Postal. utilizando o cardo-resposta do ¡‘mal do livro. ou comprar diretzmenrc nas hvrarías Curia cspalhadas pelo país. Aiïdiouropossnúmaisdeísomdrulossobrcosmais variadosasunws.

×