O MÉTODO DINERGÉTICO{
Como pensar as relações entre cultura, inovação e sustentabilidade?
O que conservar dos princípios aprendidos durante a er...
Dinergia é o processo de criação de padrões pela união dos opostos. O termo foi cunhado
pelo arquiteto húngaro György Docz...
A : B = B : A+B
“O limitado dá forma ao ilimitado.”
Pitágoras
O método dinergético sociocriativo é um modelo conceitual aberto, em construção, para
pensar e ativar projetos sociocriati...
Autopoiese
Os organismos se autoproduzem, são
produzidos pelo meio que habitam, e são
produtores desse mesmo meio. As
inic...
O método aborda o empreendimento pessoal ou coletivo não como um objeto, mas como um
fluxo autopoiético que pode ser induz...
Ser Grande
Para ser grande, sê inteiro:
Nada teu exagera ou exclui
Sê todo em cada coisa.
Pôe quanto és
No mínimo que faze...
PROPÓSITO
Imaginar é o princípio da criação.
Nós imaginamos o que desejamos,
queremos o que imaginamos e,
finalmente, cria...
MÉTODO
Eu sou a fonte original de toda a vida.
Sou o chão que se prende à tua casa.
Sou a telha da coberta de teu lar.
A m...
APRENDIZADO
Se
Nem
For
Terra
Se
Trans
For
Mar
(Paulo Leminski)
aprendizado
método
propósito
#SONHOS
#ESCOLHAS
sentido
#PLANOS
Estes elementos, compreendidos em contextos múltiplos e interdependentes de
interações colaborativas, também não são abord...
Arte e Linguagem
Economia
Sustentável
Articulação
em Redes
Identidade
e Memória
Diversidade
em Diálogo
Cogestão
Pesquisa e...
Alguns conhecimentos e pensamentos referenciais
Biologia Cultural :: Humberto Maturana
Teoria da Atividade :: Valery Leont...
www.inteligenciasociocriativa.com.br
https://www.facebook.com/inteligenciasociocriativa
Copyright © 2014 Laboratório de In...
Resumo do Método Dinergético
Resumo do Método Dinergético
Resumo do Método Dinergético
Resumo do Método Dinergético
Resumo do Método Dinergético
Próxima SlideShare
Cargando en…5
×

Resumo do Método Dinergético

5.136 visualizaciones

Publicado el

Publicado en: Diseño
  • Sé el primero en comentar

Resumo do Método Dinergético

  1. 1. O MÉTODO DINERGÉTICO{
  2. 2. Como pensar as relações entre cultura, inovação e sustentabilidade? O que conservar dos princípios aprendidos durante a era industrial? Como transformar a energia da competitividade, da produtividade e do pensamento econômico linear em pensamento sistêmico e práxis cocriativas e colaborativas? Como gerar padrões econômicos harmônicos, homeostáticos e resilientes? Como seria uma economia do afeto, da criatividade e do conhecimento? Como gerar inovação social sustentável a partir de fluxos criativos? Como garantir que contextos culturais, sociais, humanos, digitais e intangíveis contemplados pela economia criativa possam ajudar a gerar novos padrões econômicos, mais afetivos, mais orgânicos, mais sustentáveis? Como evitar que o reducionismo econômico contamine fluxos e ecossitemas criativos?
  3. 3. Dinergia é o processo de criação de padrões pela união dos opostos. O termo foi cunhado pelo arquiteto húngaro György Doczi (1909-1995) para expressar a organização geométrica presente nas harmonias naturais e estudadas pelos artistas, filósofos e cientistas, do passado e da atualidade. Pensado a partir da Proporção Áurea, dinergia é um vocábulo que expressa a energia criadora pela ordem harmônica. Podemos entender a dinergia como a sinergia dos opostos.
  4. 4. A : B = B : A+B
  5. 5. “O limitado dá forma ao ilimitado.” Pitágoras
  6. 6. O método dinergético sociocriativo é um modelo conceitual aberto, em construção, para pensar e ativar projetos sociocriativos: empreendimentos, organizações, políticas, estratégias e arranjos que buscam inovação social de forma sustentável e a partir de fluxos e processos criativos. Propõe ao empreendedor ou gestor criativo lidar com o projeto como um processo orgânico, autopoiético, circular e ecoefetivo.
  7. 7. Autopoiese Os organismos se autoproduzem, são produzidos pelo meio que habitam, e são produtores desse mesmo meio. As iniciativas (co)criadas pela comunidade a (re)criam simultaneamente. Ecoefetividade Uma ação empreendida, independentemente do recorte temático (cultura, esporte, educação, etc), provoca efeitos psicosociais-culturais- econômicos-ambientais múltiplos e interdependentes. Organicidade Um projeto sociocriativo é um sistema vivo. Um organismo. Circularidade Empreender é aprender. Planejamento e gestão realizados a partir da produção continuada de conhecimento interdisciplinar sobre a ação - preferencialmente por meio de pesquisa social participativa – permitem que cada período de gestão corresponda a uma nova e potente curva de aprendizagem.
  8. 8. O método aborda o empreendimento pessoal ou coletivo não como um objeto, mas como um fluxo autopoiético que pode ser induzido e harmonizado considerando-se quatro elementos geradores: sentido (fogo), propósito (ar), método (terra) e aprendizado (água). Sentido e propósito são os elementos masculinos, forças da criação, da intelecção, da razão, da ação. Levam as pessoas e comunidades à expressão, à energia que mobiliza, comove. Método e aprendizado são os elementos femininos, forças do pragmatismo, da absorção, da intuição, da compreensão (não-ação). Permitem encontrar a deriva, o fluxo que mantém o empreendimento vivo.
  9. 9. Ser Grande Para ser grande, sê inteiro: Nada teu exagera ou exclui Sê todo em cada coisa. Pôe quanto és No mínimo que fazes. Assim em cada lago a lua inteira brilha, Porque alta vive. (Ricardo Reis) SENTIDO
  10. 10. PROPÓSITO Imaginar é o princípio da criação. Nós imaginamos o que desejamos, queremos o que imaginamos e, finalmente, criamos aquilo que queremos. (George Bernard Shaw)
  11. 11. MÉTODO Eu sou a fonte original de toda a vida. Sou o chão que se prende à tua casa. Sou a telha da coberta de teu lar. A mina constante de teu poço. Sou a espiga generosa de teu gado e certeza tranquila ao teu esforço. (Cora Coralina, O cântico da terra)
  12. 12. APRENDIZADO Se Nem For Terra Se Trans For Mar (Paulo Leminski)
  13. 13. aprendizado método propósito #SONHOS #ESCOLHAS sentido #PLANOS
  14. 14. Estes elementos, compreendidos em contextos múltiplos e interdependentes de interações colaborativas, também não são abordados como blocos, mas como sistemas de relações dinergéticas, onde busca-se harmonizar aspectos opostos como o ecossistema interior (método) em relação ao ecossistema exterior (propósito) e a deriva posterior (sentido) em relação à deriva anterior (aprendizado). Um contexto colaborativo consiste em um conjunto de circunstâncias de colaboração entre pessoas. Nele, interações sociais são articuladas sob determinadas lógicas e linguagens, gerando atividade e transformações. Cada contexto colaborativo contempla modos próprios para observar, pensar e narrar o projeto sociocriativo e de planejar e gerir seus propósitos e métodos.
  15. 15. Arte e Linguagem Economia Sustentável Articulação em Redes Identidade e Memória Diversidade em Diálogo Cogestão Pesquisa em Ação
  16. 16. Alguns conhecimentos e pensamentos referenciais Biologia Cultural :: Humberto Maturana Teoria da Atividade :: Valery Leontiev Desenvolvimento Proximal :: Lev Vigotiski Complexidade e Auto-eco-poiese :: Edgar Morin Diálogo :: David Bohm, Paulo Freire Contrucionismo Social :: Kenneth J. Gergen Conhecimento tradicional taoista, budista, sul-africano e indígena. Geometria sagrada.
  17. 17. www.inteligenciasociocriativa.com.br https://www.facebook.com/inteligenciasociocriativa Copyright © 2014 Laboratório de Inteligência Sociocriativa. Todos os direitos reservados.

×