Se ha denunciado esta presentación.
Utilizamos tu perfil de LinkedIn y tus datos de actividad para personalizar los anuncios y mostrarte publicidad más relevante. Puedes cambiar tus preferencias de publicidad en cualquier momento.

Fonologia

Funologia

  • Sé el primero en comentar

Fonologia

  1. 1. Conceito, Encontros vocálicos, Dígrafos, Ortoépia, Divisão silábica e Prosódia- acentuação,
  2. 2.  Significa Estudo dos sons de uma determinada língua. Os sons que estudaremos aqui são chamados de fonemas.
  3. 3.  Cada fonema tem a função de estabelecer uma diferença de significado entre uma palavra e outra. Por exemplo, na linguagem oral as palavras “manto” e “canto” se distinguem apenas pelos fonemas “m” e “c”.  Em português, por exemplo, os sons "p" e "b" em "pala" e "bala" são dois fonemas diferentes, enquanto na palavra "dedo" o som do primeiro e do segundo "d" são alofones. O fone é a concretização do fonema enquanto que os alofones consistem em variações fônicas.
  4. 4.  Em muitas palavras, o fonema corresponde a uma letra. No entanto, é importante lembrar que o fonema é a representação sonora, enquanto a letra é a representação gráfica.  Nas palavras do primeiro exemplo, manto (m-ã-t-o) e canto (c- ã-t-o), devido à nasalização das vogais, cada palavra possui 5 letras e apenas 4 fonemas.  O mesmo fonema também pode ser representado por diferentes letras do alfabeto. É o caso do fonema “z” (som de z) nas palavras: azedo, asilo, exigente.  Por outro lado, uma mesma letra pode representar um ou mais fonemas. Um desses casos é a letra “x” que é pronunciada como:  z (exame) s (texto) ks (toxina) ch (enxame)  Um estudo mais aprofundado dos fonemas permite a classificação dos mesmos em: vogais (o fonema é produzido sem nenhum obstáculo à sua passagem), semivogais (ditongos i eu) e consoantes (o fonema é produzido após passar obstáculos como lábios, língua, dentes, palato, véu palatino e úvula).
  5. 5.  Um fonema é a unidade fônica mínima provida de valor distinto. A quantidade e os tipos de fonemas variam consoante as línguas, mas o seu número é limitado em oposição à variantes inter-individuais (alofones) e sobretudo às variantes individuais na realização fônica concreta (fones).  Um grafema é um conceito relacionado com a linguística e que representa a unidade de um sistema de escrita, podendo ser sinônimo de letra, apesar de apresentarem algumas diferenças sutis.  Em alguns casos, a mesma letra pode significar mais do que um fonema, o que implica que nem sempre o número de letras é igual ao número de fonemas.
  6. 6.  Os encontros vocálicos são agrupamentos de vogais e semivogais, sem consoantes intermediárias. É importante reconhecê-los para dividir corretamente os vocábulos em sílabas. Existem três tipos de encontros: o ditongo, otritongo e o hiato.
  7. 7.  É o encontro de uma vogal e uma semivogal (ou vice- versa) numa mesma sílaba. Pode ser:  a) Crescente: quando a semivogal vem antes da vogal. Por Exemplo:  sé-rie (i = semivogal, e = vogal)  b) Decrescente: quando a vogal vem antes da semivogal. Por Exemplo:  pai (a = vogal, i = semivogal)  c) Oral: quando o ar sai apenas pela boca. Exemplos:  pai, série  d) Nasal: quando o ar sai pela boca e pelas fossas nasais. Por Exemplo:  mãe
  8. 8.  É a sequência formada por uma semivogal, uma vogal e uma semivogal, sempre nessa ordem, numa só sílaba. Pode ser oral ou nasal. Exemplos:  Paraguai - Tritongo oral quão - Tritongo nasal
  9. 9.  É a sequência de duas vogais numa mesma palavra que pertencem a sílabas diferentes, uma vez que nunca há mais de uma vogal numa sílaba. Por Exemplo:  saída (sa-í-da) poesia (po-e-si-a)
  10. 10.  Saiba que:  - Na terminação -em em palavras como ninguém, também, porém e na terminação -am em palavras como amaram, falaram ocorrem ditongos nasais decrescentes.  - É tradicional considerar hiato o encontro entre uma semivogal e uma vogal ou entre uma vogal e uma semivogal que pertencem a sílabas diferentes, como em ge-lei-a, io-iô.
  11. 11.  O agrupamento de duas ou mais consoantes, sem vogal intermediária, recebe o nome de encontro consonantal.Existem basicamente dois tipos:  - os que resultam do contato consoante + l ou r e ocorrem numa mesma sílaba, como em: pe-dra, pla-no, a-tle-ta, cri-se...  - os que resultam do contato de duas consoantes pertencentes a sílabas diferentes: por-ta, rit-mo, lis-ta...  Há ainda grupos consonantais que surgem no início dos vocábulos; são, por isso, inseparáveis: pneu, gno-mo,psi-có-lo-go...
  12. 12.  De maneira geral, cada fonema é representado, na escrita, por apenas uma letra. Por Exemplo:  lixo - Possui quatro fonemas e quatro letras.  Há, no entanto, fonemas que são representados, na escrita, por duas letras. Por Exemplo:  bicho - Possui quatro fonemas e cinco letras.  Na palavra acima, para representar o fonema | xe| foram utilizadas duas letras: o c e o h
  13. 13.  Assim, o dígrafo ocorre quando duas letras são usadas para representar um único fonema (di = dois + grafo = letra). Em nossa língua, há um número razoável de dígrafos que convém conhecer. Podemos agrupá-los em dois tipos: consonantais e vocálicos.
  14. 14.  "Gu" e "qu" são dígrafos somente quando, seguidos de "e" ou "i", representam os fonemas /g/ e /k/:guitarra, aquilo. Nesses casos, a letra "u" não corresponde a nenhum fonema. Em algumas palavras, no entanto, o "u" representa um fonema semivogal ou vogal (aguentar, linguiça, aquífero...) Nesse caso, "gu" e"qu" não são dígrafos. Também não há dígrafos quando são seguidos de "a" ou "o" (quase, averiguo).
  15. 15.  A palavra ortoépia se origina da união dos termos gregos orthos, que significa "correto" e hépos, que significa "palavra". Assim, a ortoépia se ocupa da correta produção oral das palavras.
  16. 16.  1) A perfeita emissão de vogais e grupos vocálicos, enunciando-os com nitidez, sem acrescentar nem omitir ou alterar fonemas, respeitando o timbre (aberto ou fechado) das vogais tônicas, tudo de acordo com as normas da fala culta.  2) A articulação correta e nítida dos fonemas consonantais.  3) A correta e adequada ligação das palavras na frase
  17. 17.  Em muitas palavras há incerteza, divergência quanto ao timbre de vogais tônicas /e/ e /o/. Recomenda-se proferir:  Com timbre aberto: acerbo, badejo, coeso, grelha, groselha, ileso, obeso, obsoleto, dolo, inodoro, molho (feixe, conjunto), suor. Com timbre fechado: acervo, cerda, interesse (substantivo), reses, algoz, algozes, crosta, bodas, molho (caldo), poça, torpe.
  18. 18.  A - MOR  A palavra amor está dividida em grupos de fonemas pronunciados separadamente: a - mor. A cada um desses grupos pronunciados numa só emissão de voz dá-se o nome de sílaba. Em nossa língua, o núcleo da sílaba é sempre uma vogal: não existe sílaba sem vogal e nunca há mais do que uma vogal em cada sílaba. Dessa forma, para sabermos o número de sílabas de uma palavra, devemos perceber quantas vogais tem essa palavra. Atenção: as letras i e u (mais raramente com as letras e e o) podem representar semivogais.
  19. 19.  1) Monossílabas: possuem apenas uma sílaba. Exemplos: mãe, flor, lá, meu  2) Dissílabas: possuem duas sílabas. Exemplos: ca-fé, i-ra, a-í, trans-por  3) Trissílabas: possuem três sílabas. Exemplos: ci-ne-ma, pró-xi-mo, pers-pi-caz, O-da-ir  4) Polissílabas: possuem quatro ou mais sílabas. Exemplos: a-ve-ni-da, li-te-ra-tu-ra, a-mi-ga- vel-men-te, o-tor-ri-no-la-rin-go-lo-gis-ta
  20. 20.  Na divisão silábica das palavras, cumpre observar as seguintes normas:  a) Não se separam os ditongos e tritongos. Exemplos: foi-ce, a-ve-ri-guou  b) Não se separam os dígrafos ch, lh, nh, gu, qu. Exemplos: cha-ve, ba-ra-lho, ba-nha, fre- guês, quei-xa  c) Não se separam os encontros consonantais que iniciam sílaba. Exemplos: psi-có-lo-go, re-fres-co
  21. 21.  d) Separam-se as vogais dos hiatos. Exemplos: ca-a-tin-ga, fi-el, sa-ú-de  e) Separam-se as letras dos dígrafos rr, ss, sc, sç xc. Exemplos: car-ro, pas-sa-re-la, des-cer, nas-ço, ex-ce-len-te  f) Separam-se os encontros consonantais das sílabas internas, excetuando-se aqueles em que a segunda consoante é l ou r. Exemplos: ap-to, bis-ne-to, con-vic-ção, a- brir, a-pli-car
  22. 22.  A prosódia ocupa-se da correta emissão de palavras quanto à posição da sílaba tônica, segundo as normas da língua culta. Existe uma série de vocábulos que, ao serem proferidos, acabam tendo o acento prosódico deslocado. Ao erro prosódico dá-se o nome de silabada. Observe os exemplos.
  23. 23.  A ortografia se caracteriza por estabelecer padrões para a forma escrita das palavras. Essa escrita está relacionada tanto a critérios etimológicos (ligados à origem das palavras) quanto fonológicos (ligados aos fonemas representados). É importante compreender que a ortografia é fruto de uma convenção. A forma de grafar as palavras é produto de acordos ortográficos que envolvem os diversos países em que a língua portuguesa é oficial. A melhor maneira de treinar a ortografia é ler, escrever e consultar o dicionário sempre que houver dúvida.
  24. 24.  O alfabeto da língua portuguesa é formado por 26 letras. Cada letra apresenta uma forma minúscula e outra maiúscula. Veja:  Observação: emprega-se também o ç, que representa o fonema /s/ diante das letras: a, o, e u em determinadas palavras.
  25. 25.  Utilizam-se nos seguintes casos:  a) Em antropônimos originários de outras línguas e seus derivados.  Exemplos: Kant, kantismo; Darwin, darwinismo; Taylor, taylorista.  b) Em topônimos originários de outras línguas e seus derivados.  Exemplos: Kuwait, kuwaitiano.  c) Em siglas, símbolos, e mesmo em palavras adotadas como unidades de medida de curso internacional.  Exemplos: K (Potássio), W (West), kg (quilograma), km (quilômetro), Watt.
  26. 26.  Emprega-se o X:  1) Após um ditongo.  Exemplos: caixa, frouxo, peixe  Exceção: recauchutar e seus derivados  2) Após a sílaba inicial "en".  Exemplos: enxame, enxada, enxaqueca  Exceção: palavras iniciadas por "ch" que recebem o prefixo "en-"  Exemplos: encharcar (de charco), enchiqueirar (de chiqueiro), encher e seus derivados (enchente, enchimento, preencher...)
  27. 27.  3) Após a sílaba inicial "me-".  Exemplos: mexer, mexerica, mexicano, mexilhão  Exceção: mecha  4) Em vocábulos de origem indígena ou africana e nas palavras inglesas aportuguesadas.  Exemplos: abacaxi, xavante, orixá, xará, xerife, xampu  5) Nas seguintes palavras:  bexiga, bruxa, coaxar, faxina, graxa, lagartixa, lixa, lixo, puxar, rixa, oxalá, praxe, roxo, vexame, xadrez,xarope, xaxim, xícara, xale, xing ar, etc.

    Sé el primero en comentar

    Inicia sesión para ver los comentarios

  • NilmaSilva2

    Feb. 6, 2016
  • assisbarbosa7

    Dec. 1, 2017
  • CapitaoAzul

    Sep. 2, 2018

Funologia

Vistas

Total de vistas

3.305

En Slideshare

0

De embebidos

0

Número de embebidos

4

Acciones

Descargas

86

Compartidos

0

Comentarios

0

Me gusta

3

×