SlideShare una empresa de Scribd logo

Gênero Charge e Cartum.pptx

Material de apoio

Gênero Charge e Cartum.pptx

1 de 33
Descargar para leer sin conexión
Gênero Charge e Cartum.pptx
Gênero Charge e Cartum.pptx
Gênero Charge e Cartum.pptx
Gênero Charge e Cartum.pptx
Gênero Charge e Cartum.pptx
Gênero Charge e Cartum.pptx

Más contenido relacionado

La actualidad más candente (20)

Realismo e naturalismo
Realismo e naturalismoRealismo e naturalismo
Realismo e naturalismo
 
Linguagem, língua e fala
Linguagem, língua e falaLinguagem, língua e fala
Linguagem, língua e fala
 
SLIDES – PARÓDIA.
SLIDES – PARÓDIA.SLIDES – PARÓDIA.
SLIDES – PARÓDIA.
 
LITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIAS
LITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIASLITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIAS
LITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIAS
 
O pré modernismo
O pré modernismoO pré modernismo
O pré modernismo
 
Modalizadores
ModalizadoresModalizadores
Modalizadores
 
Aula Texto Publicitário
Aula Texto Publicitário Aula Texto Publicitário
Aula Texto Publicitário
 
Charge e Cartum
Charge e CartumCharge e Cartum
Charge e Cartum
 
Conto
ContoConto
Conto
 
Gêneros Textuais
Gêneros TextuaisGêneros Textuais
Gêneros Textuais
 
Literatura revisão
Literatura   revisãoLiteratura   revisão
Literatura revisão
 
Conjunções
ConjunçõesConjunções
Conjunções
 
Aula intertextualidade
Aula intertextualidadeAula intertextualidade
Aula intertextualidade
 
Modernismo e suas fases
Modernismo e suas fasesModernismo e suas fases
Modernismo e suas fases
 
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURAAULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
 
Intertextualidade
IntertextualidadeIntertextualidade
Intertextualidade
 
O barroco
O barrocoO barroco
O barroco
 
Gêneros argumentativos: a carta aberta
Gêneros argumentativos: a carta abertaGêneros argumentativos: a carta aberta
Gêneros argumentativos: a carta aberta
 
ESTILÍSTICA.ppt
ESTILÍSTICA.pptESTILÍSTICA.ppt
ESTILÍSTICA.ppt
 
Estrutura do-artigo-de-opinião
Estrutura do-artigo-de-opiniãoEstrutura do-artigo-de-opinião
Estrutura do-artigo-de-opinião
 

Similar a Gênero Charge e Cartum.pptx

HISTÓRIAS EM QUADRINHO - 7 ANO A E B - 18-04.pdf
HISTÓRIAS EM QUADRINHO - 7 ANO A E B - 18-04.pdfHISTÓRIAS EM QUADRINHO - 7 ANO A E B - 18-04.pdf
HISTÓRIAS EM QUADRINHO - 7 ANO A E B - 18-04.pdfCaitano José
 
Histórias em Quadrinhos (HQs).pptx
Histórias em Quadrinhos (HQs).pptxHistórias em Quadrinhos (HQs).pptx
Histórias em Quadrinhos (HQs).pptxAndrezaFlorencio1
 
Slides charges e quadrinhos - Prof Elke.pptx
Slides charges e quadrinhos - Prof Elke.pptxSlides charges e quadrinhos - Prof Elke.pptx
Slides charges e quadrinhos - Prof Elke.pptxElkeTicianeVieiraSak
 
[C6] hq no brasil (paula)
[C6] hq no brasil (paula)[C6] hq no brasil (paula)
[C6] hq no brasil (paula)agaoque
 
Comunicação visual Artes 8ª serie
Comunicação visual Artes  8ª serieComunicação visual Artes  8ª serie
Comunicação visual Artes 8ª serieDaniele Duque
 
Artigo.humor e ensino j. carlos e a caricatura no ensino de história
Artigo.humor e ensino j. carlos e a caricatura no ensino de históriaArtigo.humor e ensino j. carlos e a caricatura no ensino de história
Artigo.humor e ensino j. carlos e a caricatura no ensino de história+ Aloisio Magalhães
 
Caricatura x Charge x Cartum x História em Quadrinho
Caricatura x Charge x Cartum x História em Quadrinho Caricatura x Charge x Cartum x História em Quadrinho
Caricatura x Charge x Cartum x História em Quadrinho Valeria Nunes
 
Charge, Cartum, Caricatura
Charge, Cartum, CaricaturaCharge, Cartum, Caricatura
Charge, Cartum, Caricaturaprojetoassis
 
Oficina de História em Quadrinhos
Oficina de História em QuadrinhosOficina de História em Quadrinhos
Oficina de História em QuadrinhosTerc Cre
 
Charge - interpretação 9° Ano.pdf
Charge - interpretação 9° Ano.pdfCharge - interpretação 9° Ano.pdf
Charge - interpretação 9° Ano.pdfDanielaMonteiro32311
 
História em quadrinhos 4º ano
História em quadrinhos 4º anoHistória em quadrinhos 4º ano
História em quadrinhos 4º anoTaize Camargo
 
GÊNERO TEXTUAL: CHARGE
GÊNERO TEXTUAL: CHARGEGÊNERO TEXTUAL: CHARGE
GÊNERO TEXTUAL: CHARGEJomari
 

Similar a Gênero Charge e Cartum.pptx (20)

HISTÓRIAS EM QUADRINHO - 7 ANO A E B - 18-04.pdf
HISTÓRIAS EM QUADRINHO - 7 ANO A E B - 18-04.pdfHISTÓRIAS EM QUADRINHO - 7 ANO A E B - 18-04.pdf
HISTÓRIAS EM QUADRINHO - 7 ANO A E B - 18-04.pdf
 
Histórias em Quadrinhos (HQs).pptx
Histórias em Quadrinhos (HQs).pptxHistórias em Quadrinhos (HQs).pptx
Histórias em Quadrinhos (HQs).pptx
 
Diferenças entre cartum charge e tira
Diferenças entre cartum charge e tiraDiferenças entre cartum charge e tira
Diferenças entre cartum charge e tira
 
Charge
ChargeCharge
Charge
 
Slides charges e quadrinhos - Prof Elke.pptx
Slides charges e quadrinhos - Prof Elke.pptxSlides charges e quadrinhos - Prof Elke.pptx
Slides charges e quadrinhos - Prof Elke.pptx
 
[C6] hq no brasil (paula)
[C6] hq no brasil (paula)[C6] hq no brasil (paula)
[C6] hq no brasil (paula)
 
charge.pdf
charge.pdfcharge.pdf
charge.pdf
 
Charges
ChargesCharges
Charges
 
Comunicação visual Artes 8ª serie
Comunicação visual Artes  8ª serieComunicação visual Artes  8ª serie
Comunicação visual Artes 8ª serie
 
Oficina HQ
Oficina HQOficina HQ
Oficina HQ
 
Artigo.humor e ensino j. carlos e a caricatura no ensino de história
Artigo.humor e ensino j. carlos e a caricatura no ensino de históriaArtigo.humor e ensino j. carlos e a caricatura no ensino de história
Artigo.humor e ensino j. carlos e a caricatura no ensino de história
 
Caricatura x Charge x Cartum x História em Quadrinho
Caricatura x Charge x Cartum x História em Quadrinho Caricatura x Charge x Cartum x História em Quadrinho
Caricatura x Charge x Cartum x História em Quadrinho
 
Negros nas hqs parte 01
Negros nas hqs parte 01Negros nas hqs parte 01
Negros nas hqs parte 01
 
Charge, Cartum, Caricatura
Charge, Cartum, CaricaturaCharge, Cartum, Caricatura
Charge, Cartum, Caricatura
 
Oficina de História em Quadrinhos
Oficina de História em QuadrinhosOficina de História em Quadrinhos
Oficina de História em Quadrinhos
 
Charge - interpretação 9° Ano.pdf
Charge - interpretação 9° Ano.pdfCharge - interpretação 9° Ano.pdf
Charge - interpretação 9° Ano.pdf
 
História em quadrinhos 4º ano
História em quadrinhos 4º anoHistória em quadrinhos 4º ano
História em quadrinhos 4º ano
 
GÊNERO TEXTUAL: CHARGE
GÊNERO TEXTUAL: CHARGEGÊNERO TEXTUAL: CHARGE
GÊNERO TEXTUAL: CHARGE
 
Dadaísmo e Surrealismo - 3ª A - 2011
Dadaísmo e Surrealismo - 3ª A - 2011Dadaísmo e Surrealismo - 3ª A - 2011
Dadaísmo e Surrealismo - 3ª A - 2011
 
A ORIGEM DAS HQ.pptx
A  ORIGEM DAS HQ.pptxA  ORIGEM DAS HQ.pptx
A ORIGEM DAS HQ.pptx
 

Más de Caroline Assis

Matriz_LP_3o_ano_EM.pdf
Matriz_LP_3o_ano_EM.pdfMatriz_LP_3o_ano_EM.pdf
Matriz_LP_3o_ano_EM.pdfCaroline Assis
 
Matriz_Mat_8a_serie.pdf
Matriz_Mat_8a_serie.pdfMatriz_Mat_8a_serie.pdf
Matriz_Mat_8a_serie.pdfCaroline Assis
 
Matriz_Mat_3o_ano_EM_PROF.pdf
Matriz_Mat_3o_ano_EM_PROF.pdfMatriz_Mat_3o_ano_EM_PROF.pdf
Matriz_Mat_3o_ano_EM_PROF.pdfCaroline Assis
 
Matriz_LP_8a_serie_EF.pdf
Matriz_LP_8a_serie_EF.pdfMatriz_LP_8a_serie_EF.pdf
Matriz_LP_8a_serie_EF.pdfCaroline Assis
 
Defeitos textuais.pptx
Defeitos textuais.pptxDefeitos textuais.pptx
Defeitos textuais.pptxCaroline Assis
 
Elementos da Comunicação e Funções da linguagem.pptx
Elementos da Comunicação e Funções da linguagem.pptxElementos da Comunicação e Funções da linguagem.pptx
Elementos da Comunicação e Funções da linguagem.pptxCaroline Assis
 
Gêneros Carta aberta - carta do leitor.pptx
Gêneros Carta aberta - carta do leitor.pptxGêneros Carta aberta - carta do leitor.pptx
Gêneros Carta aberta - carta do leitor.pptxCaroline Assis
 
Diferentes formas de tratar uma informação.pptx
Diferentes formas de tratar uma informação.pptxDiferentes formas de tratar uma informação.pptx
Diferentes formas de tratar uma informação.pptxCaroline Assis
 
Finalidade discursiva dos textos.pptx
Finalidade discursiva dos textos.pptxFinalidade discursiva dos textos.pptx
Finalidade discursiva dos textos.pptxCaroline Assis
 
AULA 24- EMPREGO DA CRASE I.ppt
AULA 24- EMPREGO DA CRASE I.pptAULA 24- EMPREGO DA CRASE I.ppt
AULA 24- EMPREGO DA CRASE I.pptCaroline Assis
 
AULA 18- CONCORDÂNCIA VERBAL I - Sujeito simples.ppt
AULA 18- CONCORDÂNCIA VERBAL I - Sujeito simples.pptAULA 18- CONCORDÂNCIA VERBAL I - Sujeito simples.ppt
AULA 18- CONCORDÂNCIA VERBAL I - Sujeito simples.pptCaroline Assis
 
AULA 22- REGÊNCIA VERBAL I.ppt
AULA 22- REGÊNCIA VERBAL I.pptAULA 22- REGÊNCIA VERBAL I.ppt
AULA 22- REGÊNCIA VERBAL I.pptCaroline Assis
 
AULA 21- Funções do SE.ppt
AULA 21- Funções do SE.pptAULA 21- Funções do SE.ppt
AULA 21- Funções do SE.pptCaroline Assis
 
AULA 23- REGÊNCIA VERBAL II.ppt
AULA 23- REGÊNCIA VERBAL II.pptAULA 23- REGÊNCIA VERBAL II.ppt
AULA 23- REGÊNCIA VERBAL II.pptCaroline Assis
 
AULA 19- CONCORDÂNCIA VERBAL II - Sujeito composto.ppt
AULA 19- CONCORDÂNCIA VERBAL II - Sujeito composto.pptAULA 19- CONCORDÂNCIA VERBAL II - Sujeito composto.ppt
AULA 19- CONCORDÂNCIA VERBAL II - Sujeito composto.pptCaroline Assis
 
AULA 20- Funções da palavra QUE.ppt
AULA 20- Funções da palavra QUE.pptAULA 20- Funções da palavra QUE.ppt
AULA 20- Funções da palavra QUE.pptCaroline Assis
 

Más de Caroline Assis (20)

verbos_de_comando.pdf
verbos_de_comando.pdfverbos_de_comando.pdf
verbos_de_comando.pdf
 
Matriz_LP_3o_ano_EM.pdf
Matriz_LP_3o_ano_EM.pdfMatriz_LP_3o_ano_EM.pdf
Matriz_LP_3o_ano_EM.pdf
 
Matriz_Mat_8a_serie.pdf
Matriz_Mat_8a_serie.pdfMatriz_Mat_8a_serie.pdf
Matriz_Mat_8a_serie.pdf
 
Matriz_Mat_3o_ano_EM_PROF.pdf
Matriz_Mat_3o_ano_EM_PROF.pdfMatriz_Mat_3o_ano_EM_PROF.pdf
Matriz_Mat_3o_ano_EM_PROF.pdf
 
Matriz_LP_8a_serie_EF.pdf
Matriz_LP_8a_serie_EF.pdfMatriz_LP_8a_serie_EF.pdf
Matriz_LP_8a_serie_EF.pdf
 
Defeitos textuais.pptx
Defeitos textuais.pptxDefeitos textuais.pptx
Defeitos textuais.pptx
 
Elementos da Comunicação e Funções da linguagem.pptx
Elementos da Comunicação e Funções da linguagem.pptxElementos da Comunicação e Funções da linguagem.pptx
Elementos da Comunicação e Funções da linguagem.pptx
 
Gêneros Carta aberta - carta do leitor.pptx
Gêneros Carta aberta - carta do leitor.pptxGêneros Carta aberta - carta do leitor.pptx
Gêneros Carta aberta - carta do leitor.pptx
 
Gênero Resenha.pptx
Gênero Resenha.pptxGênero Resenha.pptx
Gênero Resenha.pptx
 
INTERJEIÇÃO.pptx
INTERJEIÇÃO.pptxINTERJEIÇÃO.pptx
INTERJEIÇÃO.pptx
 
Diferentes formas de tratar uma informação.pptx
Diferentes formas de tratar uma informação.pptxDiferentes formas de tratar uma informação.pptx
Diferentes formas de tratar uma informação.pptx
 
Finalidade discursiva dos textos.pptx
Finalidade discursiva dos textos.pptxFinalidade discursiva dos textos.pptx
Finalidade discursiva dos textos.pptx
 
ARTIGO.pptx
ARTIGO.pptxARTIGO.pptx
ARTIGO.pptx
 
AULA 24- EMPREGO DA CRASE I.ppt
AULA 24- EMPREGO DA CRASE I.pptAULA 24- EMPREGO DA CRASE I.ppt
AULA 24- EMPREGO DA CRASE I.ppt
 
AULA 18- CONCORDÂNCIA VERBAL I - Sujeito simples.ppt
AULA 18- CONCORDÂNCIA VERBAL I - Sujeito simples.pptAULA 18- CONCORDÂNCIA VERBAL I - Sujeito simples.ppt
AULA 18- CONCORDÂNCIA VERBAL I - Sujeito simples.ppt
 
AULA 22- REGÊNCIA VERBAL I.ppt
AULA 22- REGÊNCIA VERBAL I.pptAULA 22- REGÊNCIA VERBAL I.ppt
AULA 22- REGÊNCIA VERBAL I.ppt
 
AULA 21- Funções do SE.ppt
AULA 21- Funções do SE.pptAULA 21- Funções do SE.ppt
AULA 21- Funções do SE.ppt
 
AULA 23- REGÊNCIA VERBAL II.ppt
AULA 23- REGÊNCIA VERBAL II.pptAULA 23- REGÊNCIA VERBAL II.ppt
AULA 23- REGÊNCIA VERBAL II.ppt
 
AULA 19- CONCORDÂNCIA VERBAL II - Sujeito composto.ppt
AULA 19- CONCORDÂNCIA VERBAL II - Sujeito composto.pptAULA 19- CONCORDÂNCIA VERBAL II - Sujeito composto.ppt
AULA 19- CONCORDÂNCIA VERBAL II - Sujeito composto.ppt
 
AULA 20- Funções da palavra QUE.ppt
AULA 20- Funções da palavra QUE.pptAULA 20- Funções da palavra QUE.ppt
AULA 20- Funções da palavra QUE.ppt
 

Último

Artigo Sobre Técnicas de Fotografia.pdf
Artigo Sobre Técnicas de Fotografia.pdfArtigo Sobre Técnicas de Fotografia.pdf
Artigo Sobre Técnicas de Fotografia.pdfprojetorypess
 
Suplemento Acre 031 - fevereiro e março 2024
Suplemento Acre 031 - fevereiro e março 2024Suplemento Acre 031 - fevereiro e março 2024
Suplemento Acre 031 - fevereiro e março 2024AMEOPOEMA Editora
 
Entender e compreender as teorias que embasaram e ainda embasam as tendências...
Entender e compreender as teorias que embasaram e ainda embasam as tendências...Entender e compreender as teorias que embasaram e ainda embasam as tendências...
Entender e compreender as teorias que embasaram e ainda embasam as tendências...mariaclarinhaa2723
 
01837600010fffffffffffffffffffffffffffff1011 (24).pdf
01837600010fffffffffffffffffffffffffffff1011 (24).pdf01837600010fffffffffffffffffffffffffffff1011 (24).pdf
01837600010fffffffffffffffffffffffffffff1011 (24).pdfRenandantas16
 
Apresentação sobre a arte, os conceitos, funções, experimentações, análise de...
Apresentação sobre a arte, os conceitos, funções, experimentações, análise de...Apresentação sobre a arte, os conceitos, funções, experimentações, análise de...
Apresentação sobre a arte, os conceitos, funções, experimentações, análise de...CarlaKohlCamargo
 
FDFDFDFDFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFF
FDFDFDFDFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFDFDFDFDFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFF
FDFDFDFDFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFRenandantas16
 

Último (6)

Artigo Sobre Técnicas de Fotografia.pdf
Artigo Sobre Técnicas de Fotografia.pdfArtigo Sobre Técnicas de Fotografia.pdf
Artigo Sobre Técnicas de Fotografia.pdf
 
Suplemento Acre 031 - fevereiro e março 2024
Suplemento Acre 031 - fevereiro e março 2024Suplemento Acre 031 - fevereiro e março 2024
Suplemento Acre 031 - fevereiro e março 2024
 
Entender e compreender as teorias que embasaram e ainda embasam as tendências...
Entender e compreender as teorias que embasaram e ainda embasam as tendências...Entender e compreender as teorias que embasaram e ainda embasam as tendências...
Entender e compreender as teorias que embasaram e ainda embasam as tendências...
 
01837600010fffffffffffffffffffffffffffff1011 (24).pdf
01837600010fffffffffffffffffffffffffffff1011 (24).pdf01837600010fffffffffffffffffffffffffffff1011 (24).pdf
01837600010fffffffffffffffffffffffffffff1011 (24).pdf
 
Apresentação sobre a arte, os conceitos, funções, experimentações, análise de...
Apresentação sobre a arte, os conceitos, funções, experimentações, análise de...Apresentação sobre a arte, os conceitos, funções, experimentações, análise de...
Apresentação sobre a arte, os conceitos, funções, experimentações, análise de...
 
FDFDFDFDFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFF
FDFDFDFDFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFDFDFDFDFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFF
FDFDFDFDFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFF
 

Gênero Charge e Cartum.pptx

  • 9. A charge é um gênero textual que retrata situações que estejam acontecendo no tempo e no espaço, de forma mais específica, por meio de sátiras, críticas e humor. Geralmente tem como personagens principais figuras públicas, como políticos ou artistas, fazendo críticas sociais, políticas e econômicas.
  • 10. Este termo é de origem francesa e significa carga, ou seja, é uma ilustração ou desenho humorístico, com ou sem legenda ou balão, veiculado pela imprensa, que tem por finalidade satirizar e criticar algum acontecimento do momento As charges foram criadas no princípio do século XIX (dezenove), por pessoas opostas aos governos, ou seja, por críticos políticos que queriam se expressar de forma jamais apresentada, inusitada. Foram reprimidos por governos, porém estes textos foram bastante aceitos pela população, fato que acarretou sua existência até os tempos atuais. As charges costumam ser publicadas em jornais, revistas, livros, etc. Nos jornais e revistas as charges podem ser encontradas na sessão de cultura ou de opinião.
  • 11. Nas ilustrações das caricaturas, os chargistas utilizam-se de traços específicos para enfatizarem as características do personagem que está sendo caricaturado. Estes traços são desenhados, muitas vezes, com características da pessoa de maneira exagerada, isto provoca o humor da imagem. A caricatura e os demais elementos verbais e não-verbais da charge são pontos de partida para que o chargista manifeste a sua opinião a respeito de fatos da vida real.
  • 13. Apesar da natureza humorística da charge, seu objetivo não é simplesmente provocar o riso, mas formar opinião ou reflexão crítica sobre a temática que veicula, satirizando, criticando, por meio de uma caricatura, algum acontecimento atual com uma ou mais personagens envolvidos..
  • 14. A charge se dirige ao público-alvo dos leitores dos veículos onde são publicadas.
  • 15. A charge pode ser publicada em  Jornais;  Revistas;  Livros;  Redes sociais;  Sites e blogs especializados.
  • 16. Imagem A charge tem, pela sua natureza, um aspecto pictórico, ou seja, trata-se de um desenho cujos traços, cores e formas contribuem na construção de sentido. No geral, representa figuras humanas com elementos caricaturais, explorando traços da personalidade ou do físico.
  • 18. Ironia A ironia é um recurso utilizado pela literatura e pela retórica que consiste em dizer o contrário daquilo que se pensa, deixando uma distância intencional entre o que dizemos e aquilo que realmente pensamos. A ironia é um recurso muito utilizado pelos chargistas para provocar o humor. Ao afirmar algo, quando a intenção é dizer exatamente o contrário, o chargista torna o discurso cômico, provocando o riso e também a reflexão.
  • 20. Personalidades As charges procuram expor figuras públicas a situações ridículas ou mostrar, de forma não convencional, temas normalmente tratados com maior seriedade, suscitando, assim, o riso. A forma como o chargista retrata suas personagens caracteriza-se pelo exagero e, em muitos casos, elas são apresentadas de modo caricatural. Os personagens mais retratados pelos chargistas são políticos, artistas de televisão e jogadores de futebol.
  • 27. Um cartoon, cartune ou cartum é um desenho humorístico acompanhado ou não de legenda, de caráter extremamente crítico retratando de uma forma bastante sintetizada algo que envolve o dia- a-dia de uma sociedade.
  • 28. Ao contrário da charge, o cartum relata um fato universal que não depende do contexto específico de uma época ou cultura, sendo assim atemporal. Temas universais como o náufrago, o amante, o palhaço, a guerra, o bem x mau, são frequentemente explorados em cartuns. São temas que podem ser entendidos em qualquer parte do mundo por diferentes culturas em diferentes épocas. É comum vermos a ausência de textos em cartuns. A ideia é representada somente pela expressão dos personagens no desenho sem que seja necessário o emprego de texto como suporte.
  • 29. O termo é de origem britânica, e foi pela primeira vez utilizado neste contexto na década de 1840, quando a revista Punch publicou uma série de charges que parodiavam estudos para as pessoas do Palácio de Westminster, adaptados para satirizar acontecimentos da política contemporânea. O significado original da palavra cartoon é mesmo "estudo", ou "esboço", e é muito utilizada nas artes plásticas. Este tipo de desenho é ainda considerado uma forma de comédia e mantém o seu espaço na imprensa escrita atual. Aqui no Brasil, o cartum tornou-se muito popular. Um elemento que contribuiu muito para isso foi a revista Pererê, de Ziraldo, que abordava problemas políticos e sociais de nosso país. Mas ele não foi o único, não.
  • 30.  Linguagem e não-verbal;  Sátira;  Humor;  Ironia;  Comicidade;  Flexibilidade;  Associação da linguagem verbal ao desenho expressivo;  Temas e imagens atemporais;  Entrelaça palavras, imagens e sentido.
  • 31. No cotidiano jornalístico, o cartum apresenta ao leitor referências de mundo semelhantes ao dele. É embasado em crítica cultural e ética, expondo os personagens alvo, revelando suas particularidades, singularidades, posições sociais e políticas.
  • 32. Embora se utilizem da imagem aliada à escrita como recurso gráfico, cartum e charge são diferentes e aplicados, também, de maneira diferenciada. Enquanto o cartum é associado a fatos e textos atemporais, a charge demonstra um fato da atualidade. O cartum não retrata uma pessoa de maneira isolada, mas a coletividade. Já a charge é originária de uma notícia e revela ao leitor a posição editorial do veículo se utilizando de alertas à polícia e sociedade.
  • 33. ,