Publicidad
Publicidad

Más contenido relacionado

Publicidad

DIREÇÃO DEFENSIVA.pptx

  1. DIREÇÃO DEFENSIVA
  2. O QUE É? Direção Defensiva é dirigir de modo aevitar acidentes, apesar das ações incorretas dos outros e das condições adversas que encontramos nas vias de trânsito.
  3. Elementos fundamentais para a Direção Defensiva • Conhecer e seguir as leis e normas que regem o trânsito; • Manter o veículo em bom estado de conservação; • Atenção ao dirigir e ao se deslocar nas vias (cuidado consigo mesmo e com terceiros); • Antecipação preventiva/corretiva ao identificar uma situação de risco;
  4. Significa que você realiza viagem sem ACIDENTES, sem INFRAÇÕES de trânsito sem ABUSOS do veículo sem ATRASOS de horários, e, sem faltar com a CORTESIA devida. DESAFIO = NOSSA META
  5. ACIDENTES DE TRÂNSITO ACIDENTE EVITÁVEL Quando empresa e/ou motoristas deixam de cumprir normas e procedimentos. Falta de processos e equipamentos. ACIDENTE INEVITÁVEL Quando a empresa garante a direção em um veículo seguro, existência de procedimento e motorista realiza e cumpri todos as normas e pratica a direção defensiva. Causados por fatores externos que não está sob controle da empresa e do motorista.
  6. ACIDENTES DE TRÂNSITO CAUSAS: • FATORES HUMANOS: Stress, pressa, sono, cansaço, problemas familiares, estado de saúde, efeitos de drogas, álcool, falta de atenção, uso de celular entre outros; • AS CONDIÇÕES ADVERSAS: de tempo, luz, via, trânsito, veículos e passageiros.
  7. ELEMENTOS DA DIREÇÃO DEFENSIVA • Conhecimento • Atenção • Previsão • Decisão • Habilidade
  8. MÉTODO BÁSICO DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES • Preveja o perigo • Descubra o que fazer • Aja a tempo
  9. MÉTODO BÁSICO DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES Atenção!
  10. PRATICANDO A DIREÇÃO DEFENSIVA Mantenha sempre uma distância segura em relação ao veículo da frente: • 02 segundos se automóveis • 04 segundos se ônibus ou caminhão; • 06 segundos se articulados ou carretas. Ponto fixo! Fique atento a tudo que se passa ao seu redor, às condições da estrada e aos espelhos retrovisores. Já que o perigo chega sem avisar, pense sempre no que pode acontecer, com a maior antecedência possível.
  11. PRATICANDO A DIREÇÃO DEFENSIVA • Aja imediatamente, não espere que outra pessoa tome a iniciativa. • O tempo de indecisão é a diferença entre o acidente e a manobra defensiva. • Observe sempre os sinais do motorista à sua frente e os veículos que estão à sua volta.
  12. PRATICANDO A DIREÇÃO DEFENSIVA Defina com antecedência, o trajeto que será percorrido, localizando pontos de parada, postos de gasolina, hotéis, restaurantes, etc. • Verifique sempre o nível de combustível e a distância a ser percorrida até o próximo posto de abastecimento. Deixar acabar o combustível na via é Infração de Trânsito, sujeita a penalidade.
  13. PRATICANDO A DIREÇÃO DEFENSIVA • Mantenha os pneus em perfeito estado de conservação, verificando a calibragem correta, sem esquecer do estepe. • Faça o rodízio de acordo com as recomendações do fabricante. • Evite o uso de pneus carecas e recauchutados. • Conserve o balanceamento e o alinhamento da direção.
  14. PRATICANDO A DIREÇÃO DEFENSIVA • O motor bem regulado tem menos riscos de apresentar problemas durante a viagem, além de economizar combustível e diminuir a emissão de poluentes. • Verifique as correias e as mangueiras do sistema de arrefecimento. Leve sempre correias e mangueiras extras no caso de ter que substituí-las. • Verifique o sistema elétrico, teste todos os faróis, luzes, setas e inspecione o nível de água da bateria, caso não seja selada.
  15. CONDIÇÕES ADVERSAS • Condições adversas de LUZ; • Condições adversas de TEMPO; • Condições adversas de VIA • Condições adversas de TRANSITO • Condições adversas de VEÍCULOS • Condições adversas de MOTORISTA • Condições adversas de CARGA ou PASSAGEIRO
  16. CONDIÇÕES ADVERSAS CONDIÇÕES ADVERSAS DE LUZ • Incidência direta de raios solares. • Reflexos de luz solar em vidros, espelhos, janelas. • Luz alta em sentido contrário. • luz altas nos retrovisores. • Penumbra, lusco-fusco ou meia-luz. • Ausência total de luz solar.
  17. CONDIÇÕES ADVERSAS CONDIÇÕES ADVERSAS DE TEMPO (Chuva, granizo, Neblina, ventos, fumaça, poeiras) • Manter as palhetas do limpador de pára-brisa em bom estado. • Manter os vidros limpos, desengordurados e desembaçados. • Redobra a atenção e diminuir a velocidade. • Aumentar a distância de seguimento. • Redobrar os cuidados em curvas e nas frenagens. • Dependendo da visibilidade, acender as luzes de posição e o farol baixo
  18. CONDIÇÕES ADVERSAS AQUAPLANAGEM • Ocorre quando os pneus não conseguem remover a lâmina d’água e perdem o contato com a pista. • A combinação de pneus com sulcos gastos, velocidade alta e o volume de água na pista, são as principais causas da hidroplanagem. • O fenômeno acontece pela combinação de vários fatores: alta velocidade do veículo, pneus mal calibrados com sulcos gastos e o volume de água na pista de rolamento.
  19. CONDIÇÕES ADVERSAS CONDIÇÕES ADVERSAS DE VIA • Sinalização inadequada ou deficiente; • Pista defeituosa, mal conservadas com buracos. • Aclives de declives muito acentuado. • Faixas de rolamento com largura inferior à ideal. • Curvas em nível mal projetadas ou mal construídas. • Lombadas, ondulações e desníveis. • Inexistência de acostamento. • Má conservação, buracos, falhas e irregularidades • Pista escorregadias ou com drenagem deficiente. • Vegetação muito próxima da pista.
  20. CONDIÇÕES ADVERSAS CONDIÇÕES ADVERSAS DE TRÂNSITO • Trânsito lento ou congestionado. • Área de aglomeração ou com grande circulação de pessoas. • Presença de motociclistas, ciclistas e outros veículos não motorizados. • Transito intenso de veículos pesados, lento e compridos. • Comportamento agressivo, imprudente dos demais motoristas.
  21. CONDIÇÕES ADVERSAS CONDIÇÕES ADVERSAS DE VEÍCULOS • Suspensão desalinhada, rodas desbalanceadas. • Limpadores de pára-brisa, retrovisores e freios defeituosos; • Pneus gastos e ou mal calibrados. • Falta ou deficiência de um ou mais equipamentos obrigatório. • Freios deficientes, etc. • Lâmpadas queimadas e faróis desregulados.
  22. CONDIÇÕES ADVERSAS CONDIÇÕES ADVERSAS DE CARGAS • Carga mal distribuída, mal arrumada ou acondicionada inadequadamente. • Falhas na imobilização e amarração dos volumes dentro do compartimento da carga. • Desconhecimento do tipo da carga e das suas características. • Volume, tamanho e o peso da carga.
  23. CONDIÇÕES ADVERSAS CONDIÇÕES ADVERSAS DOS MOTORISTAS FATORES HUMANOS FÍSICOS PSÍQUICOS • Fadiga, sono; • Deficiência visual ou auditiva; • Efeito de bebidas alcoólicas; • Estado de saúde debilitado; • Uso de droga lícitas e ilícitas; • Stress; • Pressa; • Desajustes sociais e familiares; • Preocupação; • Medo; • Ansiedade; • Agressividade.
  24. POR QUE USAR O CINTO DE SEGURANÇA As estatísticas comprovam que em acidentes, 30% dos motoristas morrem por causa de choque violento contra o volante e 40% dos passageiros que viajam no banco ao lado, morrem batendo contra o painel ou o pára-brisa.
  25. Como usar o cinto de segurança • Nunca deixe uma folga maior do que um punho ou 5 cm entre o corpo e o cinto. • Nunca coloque o cinto retorcido • Nunca passe a diagonal do cinto de 3 pontos por baixo do braço, ele deve ser passado entre o ombro e o pescoço.
  26. COMO PRATICAR DIREÇÃO DEFENSIVA Mantenha sempre uma distância segura em relação ao veículo da frente: A distância segura de seguimento para veículos pequenos é no mínimo de 3 segundos e para veículos grandes são no mínimo de 4 a 7 segundos. Quando o veículo a nossa frente passa por um sinal, ou um outro objeto fixo, (no desenho é a árvore) comece a contar: “mil e um, mil e dois, mil e três” Se nós passarmos pelo objeto antes de terminarmos de contar, é que estamos demasiado perto. Devemos deixar mais espaço.
  27. COMO PRATICAR DIREÇÃO DEFENSIVA • Defina com antecedência, o trajeto que será percorrido, localizando pontos de parada, postos de gasolina, hotéis, restaurantes, etc. • Mantenha os pneus em perfeito estado de conservação, verificando a calibragem correta, sem esquecer do estepe. • Faça o rodízio de acordo com as recomendações do fabricante. • Verifique o sistema elétrico, teste todos os faróis, luzes, setas e inspecione o nível de água da bateria, caso não seja selada.
  28. COMO PRATICAR DIREÇÃO DEFENSIVA • Fique atento a tudo que se passa ao seu redor, às condições da estrada e aos espelhos retrovisores; • Já que o perigo chega sem avisar, pense sempre no que pode acontecer, com a maior antecedência possível. • Aja imediatamente, não espere que outra pessoa tome a iniciativa. • O tempo de indecisão é a diferença entre o acidente e a manobra defensiva. • Observe sempre os sinais do motorista à sua frente e os veículos que estão à sua volta.
  29. • Trafegar em velocidade compatível. • Avaliar todas condições adversas. • Manter a distância de segurança do carro da frente. • Tentar perceber o que se passa nas laterais e além do carro que segue. • Estar prevenido contra parada bruscas do carro da frente. EVITANDO COLISÕES COM O VEÍCULO DA FRENTE
  30. • usar os retrovisores com freqüência. • Quando alguém “colar” atrás do veículo, não tentar fugir dele acelerando. • Tire o pé do acelerador e apóie no freio para alertá-lo. • Se ele continuar colado, diminui a velocidade, sinalize e facilite a ultrapassagem. • Guardar distância do veículo da frente, para ter espaço para manobras. • Seja previsível, sinalize e antecipe suas intenções. • Evite frear bruscamente, essa manobra pode surpreendê- lo. • As luzes de freio devem estar limpas e em perfeito funcionamento.
  31. EVITANDO COLISOES COM VEICULOS EM SENTIDO CONTRÁRIO • Não fazer ultrapassagens mal feitas. • Falta de perícia para fazer curvas. • Falta de habilidade para sair de situações críticas. • Reações inadequadas frente a condições adversas. • Conversões mal realizadas, principalmente à esquerda
  32. EVITANDO COLISÕES EM ULTRAPASSAGENS • Se tiver alguém iniciando uma manobra para ultrapassar, facilitar e aguardar outro momento. • Se todas as condições forem favoráveis, incluindo potência suficiente para realizar a manobra, sinalizar e ultrapassar. • Como alerta, utilizar sinal de luz ou 2 breves toques na buzina. • Para retornar à faixa, conferir pelo retrovisor da direita, sinalizar e entrar, procurando não obstruir a via. • Jamais ultrapassar em curvas, túneis, viadutos, aclives, lombadas, cruzamentos e outros pontos que não ofereçam segurança.
  33. • Ultrapassar somente em locais onde isso seja permitido, em plenas condições de segurança e visibilidade. • Ultrapassar somente pela esquerda. • Antes de ultrapassar, não “colar” no veículo da frente para não perder o ângulo de visão. • Certificar-se de que há espaço suficiente para executar a manobra. • Conferir, pelos retrovisores, a situação do tráfego atrás do veículo. • Verificar os pontos cegos do veículo. EVITANDO COLISÕES EM ULTRAPASSAGENS
  34. EVITANDO COLISÕES EM CURVAS: • Adote velocidade compatível com a curva antes de entra nela. • Acelere suavemente ao realizar a manobra, a tração compensa à ação da força centrifuga. • Evite frear dentro da curva, essa manobra pode desequilibrar o veículo.
  35. EVITANDO COLISÕES NO CRUZAMENTOS: • Obedecer a sinalização e, na dúvida. parar. • Conhecer e respeitar o direito de preferência. • Aproximar-se com cuidado, mesmo tendo a preferência. • Cuidar dos procedimentos de convergência, principalmente à esquerda. • Não ultrapassar na zona dos cruzamentos.
  36. EVITANDO COLISÕES COM PEDESTRE: • Tomar cuidado especial com crianças, idosos, embriagados e deficientes físicos; • Na proximidade de pedestres, reduzir a velocidade e redobrar a atenção. • Lembre-se de que a maioria dos pedestres desconhecem as regras de circulação de trânsito.
  37. EVITANDO COLISÕES COM MOTOCICLISTAS e CICLISTAS: • Manter uma distância lateral e frontal segura. • Tomar cuidado em conversões, pois os motociclistas costumam transitar nos “pontos cegos”. • Observar pelos retrovisores antes de abrir a porta do após parar lateralmente a faixa de rolamento.
  38. EVITANDO COLISÕES EM MACHA À RÉ: • Antes de manobrar, verificar se há espaço para a manobra e se não há obstáculos • Se necessário, peça auxilio a outra pessoa. • Não entrar de ré em esquinas ou lugares de pouca visibilidade. • Evitar sair de ré de garagens e estacionamentos. • Cuidado com animais e crianças
  39. EVITANDO COLISÕES COM ANIMAIS: • Reduzir a velocidade assim que avistar o animal. • Evitar buzinar, para não assustá-lo. • Ficar atentos ao passar por fazendas ou locais abertos, principalmente à noite. • Nunca passar na frente do animal que cruza a pista.
  40. REGRAS GERAIS DE CIRCULAÇÃO • A CIRCULAÇÃO deve ser feita pelo lado direito da via, sendo admitidas exceções devidamente regulamentadas. • A ultrapassagem de outro veículo deve ser feita somente pela esquerda, exceto em situações devidamente regulamentadas
  41. REGRAS GERAIS DE CIRCULAÇÃO CUIDADOS NAS ULTRAPASSAGENS Antes de entrar em outra via, você precisa: • Verificar o trânsito em sentido contrário • sinalizar a suas intenções; • Verificar se não existe outro veículo tentando lhe ultrapassar; • Ir para a faixa da esquerda, acelerar e retornar a sua mão de direção.
  42. REGRAS GERAIS DE CIRCULAÇÃO Direito de preferência nos cruzamentos • Nos cruzamentos não sinalizados, a preferência de passagem é do veículo que vem a sua direita. Direito de preferência • Os veículos acompanhados de batedores têm prioridade no trânsito, respeitando as demais regras de circulação. • Ambulâncias, carros de bombeiros e viaturas policiais, além de terem prioridade, possuem o direito de estacionamento e trânsito livre, quando estão em serviço de urgência e com a luz e o alarme sonoro ligados.
  43. FIQUE LIGADO! GESTOS PRODUZIDOS POR AUTORIDADES DE TRÂNSITO
  44. PROIBIDO CARONA
  45. Segurança a responsabilidade é de todos! Obrigada
Publicidad