Se ha denunciado esta presentación.
Se está descargando tu SlideShare. ×

7- Queimaduras, Acidente vascular encefálico (AVE), Infarto agudo do miocárdio (IAM), Desmaio e convulsão, Estado de choque

Anuncio
Anuncio
Anuncio
Anuncio
Anuncio
Anuncio
Anuncio
Anuncio
Anuncio
Anuncio
Anuncio
Anuncio
Cargando en…3
×

Eche un vistazo a continuación

1 de 46 Anuncio

Más Contenido Relacionado

Similares a 7- Queimaduras, Acidente vascular encefálico (AVE), Infarto agudo do miocárdio (IAM), Desmaio e convulsão, Estado de choque (20)

Más de ElioenaiAlmeida1 (13)

Anuncio

Más reciente (20)

7- Queimaduras, Acidente vascular encefálico (AVE), Infarto agudo do miocárdio (IAM), Desmaio e convulsão, Estado de choque

  1. 1. QUEIMADURAS
  2. 2. Queimaduras Lesão no tecido de revestimento do corpo, causada por agentes térmicos (pelo frio e pelo calor), químicos, ou elétricos. Uma queimadura pode destruir total ou parcialmente a pele e seus anexos, e até atingir camadas mais profundas. (músculos, tendões e ossos)
  3. 3. • 1º Grau (superficial); • 2º Grau (moderada); • 3º Grau (profunda). Classificação Queimaduras
  4. 4. Atingindo apenas a primeira camada da pele (epiderme); caracteriza-se por ser uma queimadura dolorosa, mas que regride em poucos dias. A pele fica avermelhada. 1° Grau (superficial) Queimaduras
  5. 5. Queimadura mais profunda (epiderme + derme), causa bolhas (flictenas), eritemas e manchas e é muito dolorosa; 2° Grau (moderada) Queimaduras
  6. 6. Pode atingir todas as camadas como tecido gorduroso, músculos, nervos, vasos, ossos e órgãos; aparência esbranquiçada, com tecidos negros e sem vida; não há dor porque as terminações nervosas responsáveis pela sensibilidade à dor foram também queimadas; nas bordas poderá haver queimaduras de primeiro e segundo grau. 3° Grau (profunda) Queimaduras
  7. 7. - Em mãos, pés, face, virilha, nádegas, genitália, coxas e queimaduras circunferências do tronco ou dos membros; - Em vias aéreas (manifestadas por dificuldade respiratória, dor e pelos nasais chamuscados); - De 2º e 3º graus em mais que 20% da área do corpo; - Queimaduras elétricas. A.Idade maior que 55 anos e menor 5 anos; B. Fratura em ossos longo. Graves Queimaduras
  8. 8. Para o socorrista determinar a extensão da queimadura, pode-se utilizar da “regra dos 9”, onde cada parte do corpo do paciente equivalerá a uma determinada porcentagem: Queimadura Extensão de uma queimadura- Regra dos 9 18
  9. 9. Cabeça e pescoço: 9% Tronco: 36% Cada braço: 9% Cada perna: 18% Região do períneo: 1% ADULTO Queimadura Extensão de uma queimadura- Regra dos 9
  10. 10. Cabeça e pescoço: 18% Tronco: 36% Cada braço: 9% Cada perna: 16 % Região do períneo: 1% CRIANÇA Queimadura Extensão de uma queimadura- Regra dos 9
  11. 11. Cabeça e pescoço: 18% Tronco: 36% Cada braço: 9% Cada perna: 14 % Região do períneo: 1% BEBÊ Queimadura Extensão de uma queimadura- Regra dos 9
  12. 12. ATENÇÃO: O risco de vida está mais relacionado com a extensão do que com a profundidade, devido ao (choque e infecção). Queimadura Extensão de uma queimadura- Regra dos 9
  13. 13. • Exponha o corpo do paciente, removendo as roupas não aderidas a pele. Corte em volta as roupas aderidas a pele; • Remova anéis, relógios e joalherias; • Resfrie a área afetada com soro fisiológico, limitando-se a 10% da área corporal, para evitar hipotermia; • Cubra a área queimada com curativo estéril umedecido limitando a 10% da área corporal ou usa o kit queimaduras; Queimadura Conduta
  14. 14. • Dedos queimados deve ser separados com gazes umedecidas; • Não fure nenhuma bolha; • Trate lesões adicionais; • Previna o estado de choque e forneça oxigênio. Queimadura Conduta
  15. 15. Não passar nada no local, não furar bolhas e cuidado com a infecção; Clara de ovo Pasta de dente Pó de café Etc.. Queimadura
  16. 16. ▪ Lavar os olhos com água em abundância durante vários minutos no sentido do nariz para a extremidade; ▪ Vedar os dois olhos com pano limpo e úmido, sem comprimir os olhos; ▪ Encaminhar para atendimento hospitalar. Queimadura Nos olhos
  17. 17. As queimaduras por produtos químicos são causadas por substâncias cáusticas que entram em contato com a pele, os olhos ou que são ingeridas. Exemplos: Ácidos, Álcalis (corrosivos), substâncias desconhecidas. Queimadura Químicas
  18. 18. • Afaste da fonte • Verificar respiração, circulação e nível de consciência; • Identificar o agente químico; • Lave com água em abundância por no mínimo 20 minutos • Não aplique água sob pressão • Se for substância “não diluída” escove antes de lavar • Remova todas as roupas se necessário; • Aplique gaze estéril úmida • Procure atendimento médico imediatamente Queimadura Condutas
  19. 19. Queimadura Condutas Cuidado! Não pode • Furar bolhas; • Remover vestes aderidas à queimaduras; • Passar sobre a queimadura quaisquer tipos de substâncias; • Utilizar gelo sobre a queimadura; • Dar líquidos para a vítima beber
  20. 20. • Garanta sua segurança; • Desligue a corrente elétrica; • Verificar respiração, circulação e nível de consciência; • Caso não haja resposta da vítima iniciar manobras de reanimação; • Chame a Cia. Elétrica e/ou o corpo de bombeiros; • Atente para estado de choque; Queimadura Procedimentos em queimaduras elétricas
  21. 21. AVE-ACIDENTE VASCULAR ENCEFÁLICO
  22. 22. Caracterizado pela perda rápida de função neurológica, decorrente do entupimento (isquemia) ou rompimento (hemorragia) de vasos sanguíneos cerebrais. Doença de início súbito na qual o paciente pode apresentar paralisação ou dificuldade de movimentação dos membros de um mesmo lado do corpo, dificuldade na fala ou articulação das palavras e déficit visual súbito de uma parte do campo visual podendo ainda evoluir para o coma. Acidente Vascular Encefálico (Ave)
  23. 23. • Alteração do nível de consciência; • Vertigem; • Perda visual parcial, visão embaçada, visão dupla (diplopia); • Cefaleia (dor de cabeça); • Náuseas e vômitos; • Falta de coordenação, perda de força, fraqueza súbita; • Afasia (perda da linguagem), Disartria (dificuldade na fala) ou Disfasia (fala descoordenada); Sinais e sintomas Acidente Vascular Encefálico (Ave)
  24. 24. • Hemiparesia (dificuldade de movimentar metade do corpo) ou Hemiplegia (paralisia da metade do corpo); • Hipertensão arterial; • Ausência de movimento nos olhos; • Anisocoria (diâmetro desigual das pupilas); • Dispnéia (dificuldade de respirar); • Sudorese; • Incontinência urinária; • Síncope (desmaio), torpor, convulsão, coma (Glasgow menor que 8). Sinais e sintomas Acidente Vascular Encefálico (Ave)
  25. 25. 1 achado = 72% de chance de AVE 3 achados = 85% de chance de AVE Escala pré-hospitalar de cincinnati Acidente Vascular Encefálico (Ave)
  26. 26. SINAIS COMANDO NORMAL ANORMAL QUEDA FACIAL Peça ao paciente que sorria e/ou mostre os dentes. Ambos os lados do rosto movem-se igualmente. Um lado do rosto não se move tão bem quanto o outro. DEBILIDADE DOS BRAÇOS Peça ao paciente que feche os olhos e mantenha os braços estendidos por 10 segundos. Ambos os braços movem-se igualmente. Um braço cai ou não se move em relação ao outro. FALA ANORMAL Peça ao paciente para dizer “o rato roeu a roupa do rei de Roma” ou outra frase similar. O paciente utiliza as palavras corretamente, com pronúncia clara. O paciente pronuncia palavras ininteligíveis, usa palavras incorretas ou é incapaz de falar. Escala pré-hospitalar de Cincinnati Acidente Vascular Encefálico (Ave)
  27. 27. Identificação visual de queda facial e debilidade dos braços, conforme a Escala de Cincinatti. Escala pré-hospitalar de Cincinnati Acidente Vascular Encefálico (Ave)
  28. 28. IAM – INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO
  29. 29. Também tratado como ataque cardíaco, o infarto surge sempre que ocorre uma obstrução completa da passagem de sangue em uma das artérias coronárias. 1. Dor no peito, em aperto, durante alguns minutos ou horas; 2. Dor ou sensação de peso no braço esquerdo; 3. Dor nas costas, no queixo ou na "boca do estômago"; 4. Formigamento nos braços; 5. Falta de ar; 6. Suores frios; 7. Náuseas; 8. Vômitos; 9. Tonteiras; 10.Palidez; 11.Ansiedade. IAM Emergências clínicas
  30. 30. DESMAIO
  31. 31. Perda curta de consciência. Normalmente é uma falta de O² no cérebro - SNC. Ao primeiro sinal de falta de oxigênio para o cérebro, uma mensagem é enviada ao bulbo ordenando que o sistema de equilíbrio do corpo seja desligado, então o individuo fica inconsciente e o organismo dele passa a trabalhar em função dos órgãos nobres, o cérebro como parte de um deles vai receber mais oxigênio e assim que a taxa necessária for restabelecida, a pessoa volta a consciência. DESMAIO Emergências clínicas
  32. 32. Conduta - Não dar nada para a vítima cheirar, não passar nada nos pulsos da vítima; - Afastar a vítima do local agressor; - Monitorar sinais vitais; - Cabeça mais baixa do que o resto do corpo (oxigenação do cérebro); Emergências clínicas
  33. 33. CONVULSÃO
  34. 34. Define-se como abalos musculares de parte ou de todo o corpo, decorrente do funcionamento anormal do sistema nervoso central. Causas mais comum - TCE; - Intoxicação exógena; - Febre alta; - Infecção, meningite, AIDS; - Toxemia graves; - Epilepsia; - Existem casos sem causas conhecidas. Emergências clínicas CONVULSÃO
  35. 35. CONDUTA - Proteger a vítima segurando sua cabeça evitando que ela se machuque; - Proteger a língua com um pedaço de pano para evitar risco de ser secionada; - Cabeça colocada lateralmente se não houver risco de trauma na cervical; - Se em 05 minutos não passar, transportar para o hospital. Emergências clínicas CONVULSÃO
  36. 36. ESTADO DE CHOQUE
  37. 37. O Estado de Choque é um só, porém são vários os motivos que dão causa a ele. A classificação é diagnosticada, pelo motivo que deu causa a instauração do Estado de Choque. ESTADO DE CHOQUE
  38. 38. A. Hipovolêmico Pode ocorrer devido a hemorragias graves (+de 1 litro de sangue perdido, interna ou externamente), nas queimaduras que atinjam mais de 10% da área corpórea, nas diarréias e nos vômitos (desidratação). Causa: Perda de volume circulante. TIPOS DE CHOQUES
  39. 39. B. Cardiogênico Acontece nos casos de IAM (Infarto Agudo do Miocárdio), nas arritmias cardíacas e nas insuficiências cardíacas congestivas. Causa: Defeito na bomba do sistema. TIPOS DE CHOQUES
  40. 40. C. Neurogênico Pode ocorrer quando existe lesão da medula espinhal e nas dores intensas. Causa: O excesso de adrenalina, provoca dilatação dos vasos sanguíneos. TIPOS DE CHOQUES
  41. 41. D. Séptico Ocorre nos casos de infecções graves. Causa: A toxina do agente infeccioso, entra na célula causando a morte da mesma. TIPOS DE CHOQUES
  42. 42. E. Anafilático Acontece uma reação de hipersensibilidade a medicamentos ou alimentos. Causa: O excesso de histamina provoca a dilatação dos vasos, pode ocorrer também edema de glote causando dificuldade respiratória e possível pane no sistema. TIPOS DE CHOQUES
  43. 43. Pele pálida, úmida e fria; Pulso fraco e rápido (> que 100 BPM); Respiração curta e rápida; Pressão Sistólica menor que 90mmHg; Perfusão capilar lenta ou nula; Tontura e desmaio; Sede, tremor e agitação; Rosto e peito vermelho, coçando, queimando, edemaciado, dificuldade respiratória, edemas de face e lábios, (são próprios da classificação anafilático). SINAIS E SINTOMAS
  44. 44. ► Posicione a vítima deitada, eleve os membros inferiores se não houver problemas cardíacos ou TCE; ► Posicione a vítima deitada, eleve o tronco se houver problemas cardíacos ou TCE; ► Afrouxe suas roupas; ► Aqueça a vítima ► Ministre oxigênio CONDUTA

×