Se ha denunciado esta presentación.
Utilizamos tu perfil de LinkedIn y tus datos de actividad para personalizar los anuncios y mostrarte publicidad más relevante. Puedes cambiar tus preferencias de publicidad en cualquier momento.

Coesão

Coesão Textual

  • Inicia sesión para ver los comentarios

Coesão

  1. 1. COESÃO José Antonio Ferreira da Silva - ISEP Prof. José Antonio Ferreia da Silva
  2. 2. Coesão Textual ● interligação dos elementos linguísticos na superfície do texto. Prof. José Antonio Ferreia da Silva
  3. 3. Coesão Textual ● Palavras como preposições, conjunções e pronomes possuem a função de criar um sistema de relações, referências e retomadas no interior de um texto; garantindo unidade entre as diversas partes que o compõe. Prof. José Antonio Ferreia da Silva
  4. 4. Coesão Referencial  Em um texto bem amarrado, isto é, coeso, há termos (pronomes e advérbios) que retomam palavras já citadas (Anáfora) e termos que introduzem novas palavras (Catáfora): A voz, o sorriso cínico, a leviandade das opiniões, tudo me irritava. Tudo me irritava: a voz, o sorriso cínico, a leviandade das opiniões. Prof. José Antonio Ferreia da Silva
  5. 5. Coesão Referencial  Outro recurso de coesão referencial é a substituição. Os termos já citados são substituidos por outros similares para evitar a repetição.  As principais formas coesão referencial por substituição são: nominalização, nome genérico, sinônimo e hiperônimo. Prof. José Antonio Ferreia da Silva
  6. 6. Coesão Referencial  Nominalização: consiste em transformar em substantivos palavras de outras classes gramaticais: (Amar – amor / Esperto – esperteza / Necessitar – necessidade etc.) Eu o amei desde que nos vimos pela primeira vez. Pensei que você também compartilhasse desse amor, enganei-me. Prof. José Antonio Ferreia da Silva
  7. 7. Coesão Referencial  Nome genérico: consiste em empregar nomes genéricos, abstratos, vagos, imprecisos para retomar um termo já citado: (coisa, negócio, problema, situação, pessoa, fato, fenômeno, algo etc.) O exagero de tempo dedicado aos videogames sempre nos preocupa. A coisa não deve passar dos limites. Prof. José Antonio Ferreia da Silva
  8. 8. Coesão Referencial  Sinônimo: emprego de expessões sinônimas, equivalentes: (Fé – convicção, crença, confiança. Ajudar – auxiliar, socorrer, assistir, amparar) Às crianças cabe levar a sério a brincadeira. Não será eficiente se os infantes desrespeitarem as regras dos videogames. Prof. José Antonio Ferreia da Silva
  9. 9. Coesão Referencial  Hiperônimo: palavra de significado genérico que abrange outras de sentido específico, podendo substitui-las em qualquer situação: (Calçado – sandália, chinelo, sapato, bota, tênis etc.) A lição que me deram com o famoso videogame Mario Brothers foi ainda melhor. Não tendo a paciencia de meus filhos eu vivia cortando caminho pelos vários atalhos existentes no jogo. Prof. José Antonio Ferreia da Silva
  10. 10. Coesão Sequencial  Consiste em utilizar conjunções, advérbios e expressões de ligação (operadores argumentativos) para amarrar o sentido de um texto, fazendo com que o tema progrida ao estabelecer relações lógicas entre as partes.  As conjunções são os principais operadores argumentativos: Prof. José Antonio Ferreia da Silva
  11. 11. Coesão Sequencial  Pode-se dividir as conjunções em dois grandes grupos: as coordenativas (introduzem orações coordenadas) e as subordinativas (introduzem orações subordinadas).  As coordenativas são de 5 tipos. As subordinativas que introduzem orações adverbiais são de 9 tipos. As subordinativas que introduzem orações substantivas são de 2 tipos. Prof. José Antonio Ferreia da Silva
  12. 12. Tipo Ideia que encerra Principais Conjunções ou Locuções conjuntivas 1 - Aditiva Soma, adição, acréscimo, fatos sucessivos ou simultâneos. e, nem, mas também, mas ainda, não só, como também. 2 - Adversativa Oposição mútua entre dois fatos, contraste, restrição, adversidade, retificação. mas, porém, contudo, entretanto, todavia, no entanto, não obstante. 3 - Alternativa Fatos que se alternam ou se excluem mutuamente. ou, ou...ou, ora...ora, quer...quer, já...já, umas vezes...outras vezes, seja...seja, talvez...talvez. 4 - Conclusiva Conclusão lógica sobre um raciocínio expresso anteriormente. logo, portanto, por isso, por conseguinte, pois (depois do verbo), assim, então, em vista disso. 5 - Explicativa Justificativa de uma opinião, explicação, motivo, razão. que, porque, porquanto, pois (antes do verbo) senão (quando equivale a porque).Prof. José Antonio Ferreia da Silva
  13. 13. 1 – Não só fez a sua parte, mas também ajudou a mãe. (Orações coordenadas sindéticas aditivas) 2 – Pedro fuma, e não traga. (Oração coordenada sindética adversativa) 3 – Ou você me engana, ou não está madura. (Orações coordenadas sindéticas alternativas) 4 – Meu carro está estragado, portanto não viajarei com ele. (Oração coordenada sindética conclusiva) 5 – Vamos embora, que a chuva vai desabar. (Oração coordenada sindética explicativa ) Prof. José Antonio Ferreia da Silva
  14. 14. Oração Subordinada Adverbial Principais Conjunções Circunstância expressa por esse tipo de oração Exemplo 1 - Causal Porque, já que, visto que, como, uma vez que Indica a causa que provoca o fato expresso na oração principal. Não fui ao jogo porque choveu muito. (“chover” é a causa de “não ir ao jogo”) 2- Condicional Se, caso, contanto que, desde que, a menos que Exprime a condição necessária para a ocorrência do fato referido na oração principal. Ele virá, contanto que tu peças. (“pedir” é a condição para ela “vir”) 3- Conformativa Conforme, como, segundo, consoante Exprime a conformidade de um pensamento com outro, existente na oração principal. Ele agiu como manda o regulamento. (Ele não agiu de qualquer jeito, ele agiu conforme manda o regulamento) Prof. José Antonio Ferreia da Silva
  15. 15. Oração Subordinada Adverbial Principais Conjunções Circunstância expressa por esse tipo de oração Exemplo 4 - Concessiva Embora, se bem que, ainda que, mesmo que Exprime um fato que poderia impedir o fato da ação principal, mas não o impede. Mesmo que chova, irei ao jogo. (“chover” poderia impedi-lo de “ir ao jogo”, mas não impedirá) 5 - Comparativa Que, do que, como, mais... que, menos... que Estabelece uma comparação com o fato expresso na oração principal. O rapaz chorava como uma criança. (Ele chorava “igual” uma criança [chora]. Note que na oração subordinada o verbo está subentendido ) 6 - Consecutiva Tão que, tanto que, tamanho que, tal que Indica a conseqüência ou o resultado do fato expresso na oração principal. Choveu tanto, que não fui ao jogo. (“não ir ao jogo” é o resultado de “chover tanto”) Prof. José Antonio Ferreia da Silva
  16. 16. Oração Subordinada Adverbial Principais Conjunções Circunstância expressa por esse tipo de oração Exemplo 7 - Final Para que, a fim de que, que Exprime a finalidade, o objetivo do fato expresso na oração principal. Para que você me ouça bem, gritarei. (O objetivo de “gritar” é “você ouvir bem”) 8 - Proporcional À proporção que, à medida que, quanto mais... mais Indica um fato que ocorre simultaneamente e proporcionalmente ao fato expresso na oração principal. Quanto mais fala, mais ele se confunde. (“falar e confundir-se” são fatos proporcionais e simultâneos) 9 - Temporal Quando, enquanto, logo que, desde que Expressa o tempo de ocorrência do fato da oração principal. Ele a odeia, desde que ela o traiu. (A segunda oração indica quanto tempo faz que “ele a odeia”. Prof. José Antonio Ferreia da Silva
  17. 17. John Lennon chegou mais tarde em casa no dia 8 de dezembro de 1980. John Lennon tinha hábitos diferentes. John Lennon estava contrariando os hábitos costumeiros. John Lennon ocupara o trono de maior astro da música pop internacional. John Lennon havia se transformado em um pacato homem doméstico. John Lennon cuidava do filho Sean, de cinco anos. John Lennon preparava-se para lançar um álbum, “Double Fantasy”, com a esposa de John Lennon, Yoko Ono. Na noite do dia 8 de dezembro de 1980, John Lennon chegou à uma hora da manhã. John Lennon não chegou a entrar no edifício Dakota, em Nova York. John Lennon morava no edifício Dakota, em Nova York. John Lennon foi recebido por cinco tiros, disparados por um desconhecido. O desconhecido saltou do crime para a prisão. O desconhecido chamava-se Mark Chapman. COESÃO TEXTUAL Prof. José Antonio Ferreia da Silva
  18. 18. John Lennon chegou mais tarde em casa no dia 8 de dezembro de 1980. Ele tinha hábitos diferentes, portanto Ø estava contrariando os hábitos costumeiros. Depois que Ø ocupara o trono de maior astro da música pop internacional, o ex- Beatle havia se transformado em um pacato homem doméstico: Ø cuidava do filho Sean, de cinco anos, e Ø preparava-se para lançar um álbum, “Double Fantasy”, com a sua esposa, Yoko Ono. Na noite do dia 8 de dezembro de 1980, o ídolo do rock chegou à uma hora da manhã, mas Ø não chegou a entrar no edifício Dakota, em Nova York, onde Ø morava. Lennon foi recebido por cinco tiros, disparados por um desconhecido, chamado Mark Chapman, que saltou do crime para a prisão. COESÃO TEXTUAL Prof. José Antonio Ferreia da Silva

×