GUIA TECNICA ISO 14001:2015

185 visualizaciones

Publicado el

GUIA TECNICA ISO 14001:2015

Publicado en: PYMES y liderazgo
0 comentarios
0 recomendaciones
Estadísticas
Notas
  • Sé el primero en comentar

  • Sé el primero en recomendar esto

Sin descargas
Visualizaciones
Visualizaciones totales
185
En SlideShare
0
De insertados
0
Número de insertados
1
Acciones
Compartido
0
Descargas
2
Comentarios
0
Recomendaciones
0
Insertados 0
No insertados

No hay notas en la diapositiva.

GUIA TECNICA ISO 14001:2015

  1. 1. Move Forward with Confidence GUIA TÉCNICO ALTA DIREÇÃO - GESTORES DE MEIO AMBIENTE ISO 14001:2015 Como gerenciar a transição de forma bem sucedida
  2. 2. Cláusulas introdutórias Cláusulas básicas, comuns a todas as normas de sistemas de gestão Cláusula Cláusula Cláusula Cláusula Cláusula Cláusula Cláusula Cláusula Cláusula Cláusula ESCOPO1 REFERÊNCIAS NORMATIVAS2 TERMOS E DEFINIÇÕES3 CONTEXTO DA ORGANIZAÇÃO4 AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO9 LIDERANÇA5 OPERAÇÃO8 MELHORIA10 PLANEJAMENTO6 APOIO7 POR QUE UMA REVISÃO? GUIA TÉCNICO ISO 14001:2015 ALTA DIREÇÃO - GESTORES DE MEIO AMBIENTE 2 Alcançar um equilíbrio entre o meio ambiente, a sociedade e a economia é considerado essencial para atender às necessidades de hoje, sem comprometer a capacidade das gerações futuras em atender às suas necessidades. O objetivo do desenvolvimento sustentável para as organizações é alcançado ao equilibrar os três pilares da sustentabilidade. MELHORANDO O DESEMPENHO AMBIENTAL A REVISÃO 2015 INTRODUZ NOVOS CONCEITOS NO SISTEMA DE GESTÃO DOCUMENTAÇÃO Embora os requisitos básicos de controle de documentação permaneçam os mesmos, a organização pode agora decidir sobre o que documentar e quanto irá documentar. Note que, embora tenha sido removido o requisito que exige um procedimento documentado especificando como os documentos devem ser controlados, os requisitos de controle da norma anterior permanecem inalterados. O principal objetivo da revisão é fornecer um conjunto de requisitos comuns e que permanecerão válidos, ao menos, pelos próximos 10 anos. Isso será possível porque todas as normas de sistemas de gestão devem usar a mesma estrutura de alto nível como base. O objetivo da ISO 14001:2015 é fornecer às organizações uma estrutura para proteger o meio ambiente e responder às mudanças nas condições ambientais em equilíbrio com as necessidades socioeconômicas. Ela especifica requisitos que permitem que uma organização atinja os resultados estabelecidos para o seu SGA. A abordagem de gestão ambiental permitirá que a alta direção obtenha informações que ajudarão a construir o sucesso em longo prazo. A ISO 14001:2015 foi estruturada com base na Estrutura de Alto Nível proposta no Anexo SL para todos os sistemas de gestão ISO. Além das 3 cláusulas introdutórias habituais, ela inclui 7 cláusulas básicas comuns a todas as normas de sistemas de gestão. São elas: Contexto da organização, Liderança, Planejamento, Apoio, Operação, Avaliação de desempenho e Melhoria. Elas substituem as atuais cláusulas 4.1, 4.2, 4.3, 4.4, 4.5 e 4.6. da ISO 14001:2004. Esta estrutura pretende fornecer uma apresentação coerente de requisitos ao invés de um modelo para documentar as políticas, objetivos e processos de uma organização. A nova ISO 14001:2015 mostra que não basta gerenciar os aspectos ambientais associados à aquisição de produtos ou serviços, mas sim ir um passo além, influenciando os aspectos ambientais relacionados ao seu projeto, processos de fabricação e posterior utilização dos produtos e serviços (ciclo de vida). MEIO AMBIENTE SOCIEDADE ECONOMIA DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL QUAIS SÃO AS MUDANÇAS NA NORMA VISÃO GERAL
  3. 3. NOVO USO FABRICAÇÃO RECURSOS RECICLAGEM ARMAZENAMENTO / MONTAGEM VENDA RESULTADOS PRETENDIDOS QUESTÕES INTERNAS CULTURA TECNOLÓGICAS• ECONÔMICAS• MERCADOLÓGICAS• CONCORRENCIAIS• • CULTURAIS • LEGAIS • SOCIAIS VALORES CONHECIMENTO DESEMPENHO QUESTÕES EXTERNAS AMBIENTE DE NEGÓCIOS GUIA TÉCNICO ISO 14001:2015 ALTA DIREÇÃO - GESTORES DE MEIO AMBIENTE 3 de alcançar o(s)resultado(s) pretendido(s) do seu sistema de gestão ambiental.Incluindo as condições ambientais que possam afetar a organização ou que estejam sendo afetadas por ela. • Nenhuma documentação específica é exigida. • Fornecer evidências de que este processo existe e é eficaz. As principais alterações começam ao se exigir que a organização identifique explicitamente quaisquer questões internas e externas que possam afetar a capacidade do seu sistema de gestão ambiental de atingir os resultados pretendidos. Elas também devem compreender as necessidades e expectativas das «partes interessadas” - aquelas pessoas e organizações que podem afetar, ser afetadas, ou se perceberem afetadas pelas decisões ou atividades da organização. As partes interessadas relacionadas às questões ambientais normalmente podem incluir a matriz da empresa, clientes, acionistas, autoridades municipais/estaduais/nacionais, vizinhos, ONGs, etc. Alguns exemplos de necessidades e expectativas das partes interessadas poderiam ser: Uma organização dedicada à limpeza urbana, por causa do ruído emitido pelas suas máquinas, deve alterar o seu horário de trabalho no início da manhã, fazendo o trabalho o mais longe possível do núcleo urbano. Outro exemplo: O uso de papel proveniente de fontes sustentáveis, certificadas FSC, poderia melhorar a imagem da empresa. ESCOPO1 REFERÊNCIAS NORMATIVAS2 TERMOS E DEFINIÇÕES3 ENTENDENDO O CONTEXTO DA ORGANIZAÇÃO4 AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO9 LIDERANÇA E COMPROMETIMENTO5 OPERAÇÃO8 MELHORIA10 PLANEJAMENTO PARA O SGA6 APOIO7 2004 2015 4. CONTEXTO DA ORGANIZAÇÃO 4.1 Entendendo a organização e seu contexto 4.4 Sistema de Gestão Ambiental 4.1 Requisitos Gerais 4.2 Entendendo as necessidades e expectativas das partes 4.3 Determinando o escopo do sistema de gestão ambiental GESTÃO DE RELACIONAMENTOS Para um sucesso sustentável, as organizações devem gerenciar os seus relacionamentos com as partes interessadas. • As partes interessadas influenciam o desempenho ambiental de uma organização. É mais provável que o sucesso sustentável seja alcançado quando uma organização gerencia os relacionamentos com as partes interessadas para otimizar o seu impacto sobre o seu desempenho ambiental. • A nova revisão reforça esse conceito ao introduzir, como novos requisitos, a análise do contexto da organização e a identificação das necessidades e expectativas das partes interessadas que podem afetar o cumprimento dos resultados pretendidos do SGA. • Uma parte interessada pode ser uma pessoa ou organização que pode afetar, ser afetada, ou perceber que foi afetada por uma decisão ou atividade. Nem todas as partes terão necessidades e expectativas que afetam a organização. • Cada organização terá seu próprio conjunto de partes interessadas relevantes que pode mudar ao longo do tempo. Muitas organizações já estão monitorando questões internas e externas que podem afetar o seu SGA. Eles devem fornecer evidências para os auditores internos e externos de que o processo existe e é eficaz. Por outro lado, a comunicação externa de seus aspctos ambientais agora deixa de ser opcional. Ela é agora um item obrigatório se for exigida pelas suas próprias obrigações legais, ou caso seja parte das expectativas das partes interessadas relevantes. Esta nova cláusula reagrupa requisitos bem conhecidos, mas coloca uma nova ênfase na avaliação de dados provenientes de fontes apropriadas, que forneçam informações para a tomada de decisão por parte da alta direção. Ela exige evidências da avaliação de resultados de monitoramento e medição, e não apenas a sua análise. A avaliação precisa considerar o quê, como e quando medir e demonstrar que as saídas desta decisão resultam no monitoramento adequado do desempenho ambiental e da eficácia do SGA. As informações sobre o desempenho ambiental agora também incluem o uso de tendências, além dos indicadores. Cláusula Novo Requisito: A organização deve determinar questões externas e internas que sejam pertinentes para o seu propósito e para seu direcionamento estratégico e que afetem sua capacidade
  4. 4. 4 Esta cláusula substitui a atual cláusula relativa às responsabilidades da direção. A eliminação do papel do “representante da direção” exige agora um papel de liderança mais proativa e maior envolvimento da alta direção na identificação de riscos que podem afetar a conformidade dos produtos e serviços, a satisfação do cliente e a integração dos requisitos do SGA aos seus processos de negócio. O comprometimento e a delegação de autoridade da gestão foram fortalecidos pela nova norma, o que significa que a responsabilidade não incidirá sobre uma única pessoa. A política de meio ambiente deverá incluir o compromisso de melhoria de todos os aspectos relevantes do SGA, não apenas da sua eficácia, e deverá fornecer uma estrutura (isto é, um processo) para o «estabelecimento» dos objetivos ambientais. MUDANÇAS IMPORTANTES: • A alta direção deverá estabelecer, implementar e manter uma política ambiental • Que seja apropriada ao propósito e o contexto da organização • Que esteja disponível para as partes interessadas relevantes, conforme apropriado • Que esteja comprometida com a melhoria do SGA • Que seja comunicada, entendida e aplicada dentro da organização • Que seja mantida como informação documentada Cláusula Cláusula TERMOS E DEFINIÇÕES3 ENTENDENDO O CONTEXTO DA ORGANIZAÇÃO4 AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO9 LIDERANÇA E COMPROMETIMENTO5 OPERAÇÃO8 MELHORIA10 PLANEJAMENTO PARA O SGA6 APOIO7 RIBBONSBANNERS Loremipsumdolorsitamet,consecteturadipiscingelit.Integer rutrummattismaurisnecmollis. RIBBONSBANNERS Loremipsumdolorsitamet,consecteturadipiscingelit.Integer rutrummattismaurisnecmollis. ORIGAMIBANNERS Loremipsumdolorsitamet,consecteturadipiscingelit.Integer rutrummattismaurisnecmollis. NOVA DESCRIÇÃO DE RESPONSABILIDADES A ALTA DIREÇÃO DEVE ESTAR ENVOLVIDA COM: • o esclarecimento da missão e visão; • a análise das mudanças e tendências; • os relacionamentos, percepções e valores das partes interessadas; • as prioridades estratégicas e a disponibilização dos recursos apropriados. ESCOPO1 REFERÊNCIAS NORMATIVAS2 TERMOS E DEFINIÇÕES3 ENTENDENDO O CONTEXTO DA ORGANIZAÇÃO4 AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO9 LIDERANÇA E COMPROMETIMENTO5 OPERAÇÃO8 MELHORIA10 PLANEJAMENTO PARA O SGA6 APOIO7 2004 2015 6. PLANEJAMENTO4.3 PLANEJAMENTO GUIA TÉCNICO ISO 14001:2015 ALTA DIREÇÃO - GESTORES DE MEIO AMBIENTE 6.1. Ações para abordar os riscos e oportunidades 4.3.1 Aspectos ambientais 6.1.1 Generalidades 6.1.2 Aspectos ambientais 4.3.2. Requisitos legais e outros 4.3.1 e 4.3.2 6.1.3. Requisitos legais e outros requisitos 4.3.2. Requisitos legais e outros 6.1.4. Planejamento de ações 6.2.1. Objetivos ambientais 6.2.2. Planejando ações para alcançar os objetivos ambientais4.3.3. Objetivos, metas e programas
  5. 5. DETERMINAÇÃO DA COMPETÊNCIA NECESSÁRIA GARANTIR QUE AS PESSOAS SEJAM COMPETENTES TOMAR MEDIDAS PARA ADQUIRIR A COMPETÊNCIA NECESSÁRIA VERIFICAR A EFICÁCIA DAS AÇÕES TOMADAS RETER INFORMAÇÕES DOCUMENTADAS COMPETENTES? PESSOAS QUE REALIZAM TRABALHOS SOB O CONTROLE DA ORGANIZAÇÃO Cláusula 5 REQUISITOS NOVOS, REVISADOS E MAIS CLAROS: REQUISITOS REVISADOS: 6.3 PLANEJAMENTO DE MUDANÇAS TOMADA DE DECISÕES BASEADA EM EVIDÊNCIAS • Considerar a perspectiva do ciclo de vida; • Levar em consideração situações emergenciais anormais; • Situações de emergência razoavelmente previsíveis; • Reter informações documentadas; • Estabeleça os objetivos ambientais em funções e níveis relevantes; • Considerando os seus riscos e oportunidades; • O planejamento deveria incluir: - o que vai ser feito; - quais recursos serão necessários; - o prazo para conclusão; - a forma como os resultados serão avaliados. • As ações para atingir os seus objetivos ambientais podem ser integradas aos processos de negócios da organização. • Manter informações documentadas sobre requisitos legais e outros requisitos; • As obrigações de conformidade legal podem resultar em riscos e oportunidades para a organização. Realizar as mudanças de uma forma planejada e sistemática considerando: • As possíveis consequências da mudança • A integridade do SGA • Disponibilidade de recursos • Alocação ou realocação de responsabilidades e autoridades É mais provável que as decisões baseadas na análise e avaliação de dados e informações produzam os resultados desejados. • A tomada de decisão pode ser um processo complexo, e sempre envolve algum grau de incerteza. Frequentemente, a tomada de decisão envolve diversos tipos e fontes de dados de entrada, assim como a sua interpretação, que pode ser subjetiva. É importante compreender as relações de causa e efeito e possíveis consequências não intencionais. Análises de dados, evidências e fatos aumentam a objetividade e confiança nas decisões tomadas. • A revisão não mudou muito esse conceito, exceto pelo fato de que ela é mais clara sobre o que se espera da organização, e esclarecendo que a análise e avaliação de dados são necessárias para avaliação de desempenho e para fornecer entradas para a análise crítica pela alta direção. GUIA TÉCNICO ISO 14001:2015 ALTA DIREÇÃO - GESTORES DE MEIO AMBIENTE ESCOPO1 REFERÊNCIAS NORMATIVAS2 TERMOS E DEFINIÇÕES3 ENTENDENDO O CONTEXTO DA ORGANIZAÇÃO4 AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO9 LIDERANÇA E COMPROMETIMENTO5 OPERAÇÃO8 MELHORIA10 PLANEJAMENTO PARA O SGA6 APOIO7 2004 2015 7. APOIO4.4. IMPLEMENTAÇÃO E OPERAÇÃO 7.1 Recursos 7.4 Comunicação4.4.3 Comunicação 4.4.4 Documentação 4.4.2 Competência, treinamento e conscientização 4.4.1 Recursos, funções, responsabilidades e autoridades 4.4.2 Competência, treinamento e conscientização 7.2 Competência 7.5 Informações Documentadas 7.3 Conscientização REQUISITOS REVISADOS: • Determinar e prover os recursos necessários para o SGA. “Pessoas que realizam trabalhos sob o controle da organização”; • Considerar o possível impacto sobre o “desempenho ambiental”; • Avaliar a eficácia das ações tomadas; • Reter informações documentadas como evidência de competência; • Não é necessário haver um representante específico da direção.
  6. 6. 6 Esta é uma nova seção na qual as cláusulas de controle provenientes da norma de 2004 foram reagrupadas. AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO9 MELHORIA10 APOIO7 GUIA TÉCNICO ISO 14001:2015 ALTA DIREÇÃO - GESTORES DE MEIO AMBIENTE 2004 2015 9. AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO4.5 VERIFICAÇÃO 9.1. Monitoramento, medição, análise e avaliação 9.2. Auditoria interna4.5.5. Auditoria interna 4.6. Análise crítica pela alta direção 4.5.2. Avaliação do atendimento a requisitos legais e outros 4.5.1. Monitoramento e medição 9.3. Análise crítica pela alta direção 9.1.2. Avaliação do atendimento aos requisitos legais e outros requisitos MUDANÇAS: REQUISITOS NOVOS E REVISADOS: • O “Desempenho ambiental” do SGA também deve ser “analisado”; • “O quê, como e quando monitorar e medir”; • Quando os resultados devem ser analisados e avaliados; • Divulgar as informações relacionadas ao seu desempenho; ambiental; • Determinar a frequência para a avaliação; • “Tomar ações” se necessário; • Conhecimento e compreensão do nível de conformidade legal. REQUISITOS NOVOS E REVISADOS: • “Reagir” à não conformidade: - Ações para controlá-la; - Tratar das “consequências”. • Determinar se: - Outras não conformidades existem ou poderiam existir; - As mudanças, se necessário, no SGA; - A referência ao procedimento de ação corretiva foi eliminada; - Informações documentadas devem ser apresentadas como evidência da natureza das não conformidades. REQUISITOS NOVOS: • Requisitos novos e revisados: -- A adequação do SGA também deverá ser melhorada de forma contínua; - Considerar as saídas de análises, de avaliações e da análise crítica pela alta direção. • No planejamento de auditorias internas, é preciso considerar também a importância ambiental dos processos e as mudanças que têm impacto sobre a organização; • Os programas de auditoria devem incluir a frequência, as responsabilidades, os requisitos de planejamento e a elaboração de relatórios; • Os resultados das auditorias devem ser apresentados para os gestores relevantes. ESCOPO1 REFERÊNCIAS NORMATIVAS2 TERMOS E DEFINIÇÕES3 ENTENDENDO O CONTEXTO DA ORGANIZAÇÃO4 AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO9 LIDERANÇA E COMPROMETIMENTO5 OPERAÇÃO8 MELHORIA10 PLANEJAMENTO PARA O SGA6 APOIO7 2004 2015 10. MELHORIA 4.5.3. Não conformidade, ação corretiva e ação preventiva 10.2. Não conformidade e ação corretiva 10.3. Melhoria contínua RIBBONSBANNERS Loremipsumdolorsitamet,consecteturadipiscingelit.Integer rutrummattismaurisnecmollis. RIBBONSBANNERS Loremipsumdolorsitamet,consecteturadipiscingelit.Integer rutrummattismaurisnecmollis. RIBBONSBANNERS Loremipsumdolorsitamet,consecteturadipiscingelit.Integer rutrummattismaurisnecmollis. RIBBONSBANNERS Loremipsumdolorsitamet,consecteturadipiscingelit.Integer rutrummattismaurisnecmollis. ORIGAMIBANNERS Loremipsumdolorsitamet,consecteturadipiscingelit.Integer rutrummattismaurisnecmollis. NOVOS REQUISITOS Inclui requisitos da cláusula 4.5.3 da ISO 14001:2004 Cláusula Cláusula
  7. 7. QUAL O IMPACTO ESPERADO NO SEU SISTEMA DE GESTÃO? O QUE É O PROCESSO DE TRANSIÇÃO? Durante o período de 3 anos de transição, caberá à organização decidir quando será feita a transição de sua certificação. Uma organização ainda poderá ser recertificada na norma antiga durante este período. Os certificados atuais permanecem válidos até ao fim do período de transição. OBTER A NOVA CERTIFICAÇÃO ISO: 14001:2015 DATA DE INÍCIO PARA PREPARAR A TRANSIÇÃO 2O TRIMESTRE DE 2015 PRAZO PARA A TRANSIÇÃO PARA O CERTIFICADO ISO 2015 3O SEMESTRE 2018 O PROCESSO DE TRANSIÇÃO LEVA DE 6 A 18 MESES TREINAR OS PRINCIPAIS MEMBROS DE SUA EQUIPE (GESTORES AMBIENTAIS, AUDITORES INTERNOS, ALTA DIREÇÃO). ADAPTAR OS SEUS PROCESSOS DE GESTÃO PARA ALCANÇAR A CONFORMIDADE. INTEGRAR PARTES DE OUTROS SISTEMAS DE GESTÃO E ATUALIZAR A DOCUMENTAÇÃO. MONITORAR OS NOVOS PROCESSOS, PRODUZIR E ANALISAR NOVOS INDICADORES. TOMAR AS AÇÕES ADEQUADAS. AS MUDANÇAS SÃO MAIS SIGNIFICATIVAS DO QUE AS DA REVISÃO ANTERIOR O IMPACTO DAS MUDANÇAS DEPENDE: • Do nível atual de maturidade do Sistema de Gestão • Da decisão estratégica da organização de aumentar a integração dos diferentes Sistemas de Gestão BAIXO IMPACTO MÉDIO IMPACTO MÉDIO IMPACTO ALTO IMPACTO Sistema de Gestão mais avançado Manter o mesmo nível de integração dos Sistemas de Gestão Maturidade do Sistema de Gestão Em direção a uma maior integração dos sistemas de gestão Aumentar a integração dos Sistemas de Gestão Sistema de Gestão mais simples 7GUIA TÉCNICO ISO 14001:2015 ALTA DIREÇÃO - GESTORES DE MEIO AMBIENTE
  8. 8. 8 QUAIS SÃO OS BENEFÍCIOS DA TRANSIÇÃO PARA VOCÊ? Decisões melhores e mais oportunas com base em informações relevantes e pertinentes. Mais liberdade para desenvolver sua própria maneira de lidar com os requisitos da norma. Maior eficiência do SGA devido ao maior envolvimento de seus funcionários e partes. A confiança dos clientes em seus produtos e serviços será reforçada. A responsabilidade por problemas da ambientais será compartilhada entre vários pessoas. Menos requisitos prescritos O SGA estará estreitamente alinhado aos Processos Centrais do Negócio para facilitar uma implementação eficaz. A Estrutura de Alto Nível facilita a integração de mais de uma norma ao seu sistema de gestão. Você garantirá a satisfação do cliente em longo prazo devido à melhoria da gestão de risco.  A criação de uma base de dados de conhecimento garantirá uma troca interna eficaz do conhecimento pertencente à empresa. A Gestão Ambiental é colocada no centro da governança do negócio. Você estabelecerá relações sustentáveis ​​ com todas as partes interessadas relevantes. Você garantirá o fornecimento de produtos e serviços de alta qualidade. Requisitos menos imperativos Aumento da capacidade de atender os requisitos dos clientes e de outras partes interessadas relevantes. Melhoria contínua Permite que todos os tipos de empresas e setores se beneficiem da ISO 14001. Limitando os riscos envolvidos na execução de processos relevantes. Será mais fácil conhecer os requisitos obrigatórios de seus clientes. O SGA será feito sob medida para as especificidades de cada organização. Colaboradores mais motivados Maior controle operacional sobre os aspectos ambientais das atividades. Melhor gestão do impacto ambiental A antecipação de necessidades futuras e atuais das suas partes interessadas levará a uma identificação precoce das oportunidades de negócio. Menos ênfase em documentos Linguagem e texto simplificados GUIA TÉCNICO ISO 14001:2015 ALTA DIREÇÃO - GESTORES DE MEIO AMBIENTE
  9. 9. FERRAMENTA DE AUTO-AVALIAÇÃO ONLINE E GAP ANALYSIS PRESENCIAL DA ISO 14001:2015 DESAFIO DO NEGÓCIO Em um mundo de constantes mudanças nos desafios econômicos, tecnológicos e ambientais, as empresas precisam se transformar constantemente para ficarem à frente da concorrência. A norma internacional de gestão Ambiental, ISO 14001, foi revista em 2015 para ajudar a desenvolver essa vantagem competitiva. Você deseja gerenciar a transição da sua empresa para a ISO 14001:2015 de uma forma totalmente segura, e quer saber quais áreas do seu sistema de gestão ambiental precisam ser adaptadas? SOLUÇÃO O que são a FERRAMENTA DE AUTO-AVALIAÇÃO ONLINE E O GAP ANALYSIS PRESENCIAL DA ISO 14001:2015? Com a Ferramenta de auto-avaliação online, você pode revisar o seu atual sistema de gestão ambiental com base nos requisitos da ISO 14001:2015. Com a Verificação Presencial, um auditor qualificado do Bureau Veritas irá verificar e validar os gaps que você identificou no seu SGA atual. Quais são os principais benefícios? Ajuda a identificar os gaps entre a sua situação atual e o estado futuro que você deseja atingir para cumprir os requisitos da norma ISO 14001:2015. COMO O BUREAU VERITAS PODE APOIÁ-LO NA SUA TRANSIÇÃO? CURSOS E-LEARNING AGORA DISPONÍVEIS! Prepare-se para a transição no seu próprio ritmo e sem ter que arcar com despesas de viagem. DISPONÍVELEM DIFERENTESIDIOMAS GUIA TÉCNICO ISO 14001:2015 ALTA DIREÇÃO - GESTORES DE MEIO AMBIENTE 9
  10. 10. 10 SOLICITE UMA PRÉ-AUDITORIA O QUE É? • Uma auditoria opcional de validação é uma visão geral dos requisitos da ISO 14001:2015, em comparação com o seu nível atual de conformidade, em um sistema de gestão ambiental da ISO 14001:2004, e as novas mudanças provenientes da revisão da norma. QUAL O VALOR DESSA AUDITORIA PARA A SUA TRANSIÇÃO: • Uma oportunidade de compreender plenamente os novos requisitos e seu impacto sobre o seu sistema de gestão existente. Isso poderá, então, esclarecer as ações que você precisa tomar para concluir a transição com sucesso. MAS: • Uma pré-auditoria é completamente independente da auditoria de transição. Ela não concede a certificação ISO 9001:2015 ou 14001:2015. AUDITORIA DE TRANSIÇÃO DURANTE AUDITORIAS PLANEJADAS O QUE É? • Os requisitos de transição são auditados como parte de uma das auditorias programadas subsequentes, como a auditoria de manutenção ou de Recertificação. • Durante esta auditoria, a conformidade com a norma revisada é avaliada juntamente com os outros requisitos. QUANDO DEVE SER FEITA: • Quando você estiver pronto e tiver implementado todas as mudanças; • Quando você estiver planejando a sua próxima auditoria de manutenção ou Recertificação (qualquer que seja a próxima auditoria). Atenção: após o final do mês de setembro de 2018, o seu certificado da versão 2004 não será mais válido. QUAIS SÃO OS BENEFÍCIOS PARA A SUA EMPRESA? • Não há necessidade de uma auditoria separada. Atenção: Se for verificado que a organização não cumpre todos os requisitos, serão abertas não conformidades que deverão ser fechadas antes que um novo certificado possa ser emitido. GUIA TÉCNICO ISO 14001:2015 ALTA DIREÇÃO - GESTORES DE MEIO AMBIENTE
  11. 11. 11 DIVERSAS OPÇÕES DE TREINAMENTOS ESPECIALIZADOS SEMINÁRIOS E OFICINAS DE CONSCIENTIZAÇÃO Este curso irá ajudá-lo a descobrir o que você precisa saber sobre a transição para a nova norma ISO 14001:2015. Você vai aprender mais sobre as mudanças e como elas afetarão sua organização para que você possa começar a tomar as medidas necessárias. Este curso permitirá que você identifique as principais mudanças e requisitos da ISO. Ele irá ajudá-lo com a implementação das mudanças no seu negócio. Após a conclusão do curso, você será capaz de aplicar os seus conhecimentos sobre os requisitos alterados da ISO 14001:2015 para desenvolver um plano de ação que poderá ajudá-lo em seus processos de implementação. Este curso irá ajudá-lo a permanecer na vanguarda da estratégia do SGA. Ao participar, você irá transformar suas habilidades existentes em competências de auditor da ISO 14001:2015. Tirando proveito do seu conhecimento atual, você irá desenvolver as habilidades necessárias para auditar com base no cenário de mudança do Sistema de Gestão Ambiental ISO 14001:2015. Você obterá o conhecimento prático necessário para o desenvolvimento das suas habilidades de auditoria. Também estão disponíveis diversas oficinas de aprofundamento, que focam na auditoria de riscos, de liderança, de provisão externa e de ação facilitada. Esta oficina irá ajudá-lo a identificar os requisitos da ISO 14001: 2015 em relação à gestão de risco de processos e identificar as ferramentas e técnicas para implementar uma abordagem baseada em riscos dentro de seu sistema de gestão. Após a conclusão do curso, você será capaz de aplicar os seus conhecimentos para identificar, classificar, quantificar e tratar riscos e desenvolver um plano de ação para gerenciar o risco dentro da sua organização. TREINAMENTOS DE AUDITOR INTERNO TREINAMENTOS DA NORMA 2015 REVISADA TREINAMENTOS DE GESTÃO DE RISCOS PARA SABER MAIS SOBRE OS TREINAMENTOS DISPONÍVEIS E OS SEUS RESPECTIVOS HORÁRIOS, ENTRE EM CONTATO COM O SEU ESCRITÓRIO LOCAL DO BUREAU VERITAS. GUIA TÉCNICO ISO 14001:2015 ALTA DIREÇÃO - GESTORES DE MEIO AMBIENTE
  12. 12. MANTENHA-SE ATUALIZADO NO NOSSO WEBSITE BR.LEAD.BUREAUVERITAS.COM COMPARTILHE SUAS PERGUNTAS E DISCUTA COM SEUS COLEGAS NO LINKEDIN E NO TWITTER Participe da nossa comunidade Bureau Veritas Certification Siga-nos no Twitter @LEAD__BV atendimento.spl@br.bureauveritas.com br.lead.bureauveritas.com www.bureauveritascertif ication.com.br COMO OBTER MAIS INFORMAÇÕES? .frPhotos:fotolia.com SAIBA MAIS SOBRE AS MUDANÇAS E OS NOVOS REQUISITOS DA ISO 9001:2015 COM O NOSSO GUIA TÉCNICO PARA A ALTA DIREÇÃO - GESTORES DA QUALIDADE GUIA TÉCNICO ALTA DIREÇÃO – GESTORES DA QUALIDADE ISO 9001:2015 Como gerenciar a transição de forma bem sucedida

×