SlideShare una empresa de Scribd logo
1 de 4
Descargar para leer sin conexión
INTRODUÇÃO À PSICANÁLISE
O que é psicanálise?
Psicanálise é a disciplina instituída por
Sigmund Freud que estuda o
funcionamento e desenvolvimento da
mente humana.
Ela compreende as mais importantes
contribuições humanas já feitas até hoje
em relação à Psicologia Humana.
Baseia-se na suposição de que os
significados das experiências vividas
pelos seres humanos permanecem, em
grande parte, desconhecidas pelos
próprios.
Estes significados inconscientes exercem um
papel muito importante sobre os sentimentos e
sobre o comportamento humano, gerando
sofrimentos ou distúrbios que variam de um
simples desajustamento ocasional até graves
distúrbios da personalidade e do contato com
a realidade, inibição de diversas funções
psíquicas (ou corporais) ou dificuldades
diversas no relacionamento pessoal e
emocional.
O tratamento psicanalítico, na medida em
que traga estes significados inconscientes à
tona permitindo que eles sejam analisados
pelo paciente junto com o analista, abre um
campo novo de perspectivas para o indivíduo
ajudando-o a lidar melhor consigo próprio e
com as realidades da vida.
A análise implica em um relacionamento íntimo
durante o qual o paciente revive com o
analista seus conflitos inconscientes na
experiência do dia-a-dia, nas fantasias e nos
sonhos. Por esse motivo, a análise demanda
tempo, continuidade e precisa se dar em um
ambiente de acolhimento, isenção, respeito e
confiabilidade, ambiente cujas regras e limites
o analista aprenda durante o longo período
de sua formação analítica.
Mas a análise não é apenas um método de
conhecer a mente. Ela é também, uma teoria
geral sobre o comportamento humano que
influenciou como nenhuma outra disciplina
deste século as ciências humanas em geral.
Determinismo Psíquico
Determinismo psíquico é o princípio que
na nossa mente afirma que nada
acontece por acaso ou sem importância.
Cada evento psíquico é determinado por
outros que os precederam. Sempre existe
uma razão para todos. É que os
fenômenos mentais necessitam de um elo
de ligação entre eles. Nenhum deles é
acidental. Sempre existirá também uma
razão para todos eles.
Na psicanálise não existem "casualidades".
Tudo tem uma explicação!

Más contenido relacionado

Similar a INTRODUÇÃO À PSICANÁLISE.pdf

Palestra Semelhanças e diferenças entre Freud e Jung
Palestra Semelhanças e diferenças entre Freud e JungPalestra Semelhanças e diferenças entre Freud e Jung
Palestra Semelhanças e diferenças entre Freud e Jung
tacio111
 

Similar a INTRODUÇÃO À PSICANÁLISE.pdf (20)

Curso técnico em segurança do trabalho
Curso técnico em segurança do trabalhoCurso técnico em segurança do trabalho
Curso técnico em segurança do trabalho
 
Como freud-criou-a-psicanalise
Como freud-criou-a-psicanaliseComo freud-criou-a-psicanalise
Como freud-criou-a-psicanalise
 
Formação em Psicanálise - Instituto Brasileiro
Formação em Psicanálise - Instituto BrasileiroFormação em Psicanálise - Instituto Brasileiro
Formação em Psicanálise - Instituto Brasileiro
 
Psicologia da educação 1
Psicologia da educação 1Psicologia da educação 1
Psicologia da educação 1
 
Apostila noções de psicologia
Apostila noções de psicologiaApostila noções de psicologia
Apostila noções de psicologia
 
78937455 a-humanizacao-da-medicina
78937455 a-humanizacao-da-medicina78937455 a-humanizacao-da-medicina
78937455 a-humanizacao-da-medicina
 
78937455 a-humanizacao-da-medicina
78937455 a-humanizacao-da-medicina78937455 a-humanizacao-da-medicina
78937455 a-humanizacao-da-medicina
 
Psicologia Aplicada
Psicologia AplicadaPsicologia Aplicada
Psicologia Aplicada
 
Palestra Semelhanças e diferenças entre Freud e Jung
Palestra Semelhanças e diferenças entre Freud e JungPalestra Semelhanças e diferenças entre Freud e Jung
Palestra Semelhanças e diferenças entre Freud e Jung
 
Unidade 01 psicologia (1)
Unidade 01   psicologia (1)Unidade 01   psicologia (1)
Unidade 01 psicologia (1)
 
Psicologia aplicada aula 001 quinta convertido
Psicologia aplicada aula 001 quinta convertidoPsicologia aplicada aula 001 quinta convertido
Psicologia aplicada aula 001 quinta convertido
 
Psicologia
PsicologiaPsicologia
Psicologia
 
As principais abordagens e teorias da psicologia
As principais abordagens e teorias da psicologiaAs principais abordagens e teorias da psicologia
As principais abordagens e teorias da psicologia
 
psicologia geral
psicologia geralpsicologia geral
psicologia geral
 
Psicologias[1]
Psicologias[1]Psicologias[1]
Psicologias[1]
 
Módulo 1
Módulo 1Módulo 1
Módulo 1
 
PSICOLOGIA APLICADA
PSICOLOGIA APLICADAPSICOLOGIA APLICADA
PSICOLOGIA APLICADA
 
Psicopatia e sociopatia
Psicopatia e sociopatiaPsicopatia e sociopatia
Psicopatia e sociopatia
 
Psicologia conceitos
Psicologia   conceitosPsicologia   conceitos
Psicologia conceitos
 
AULA 01 INTRODUÇÃO A PSI APLICADA.pdf
AULA 01 INTRODUÇÃO A PSI APLICADA.pdfAULA 01 INTRODUÇÃO A PSI APLICADA.pdf
AULA 01 INTRODUÇÃO A PSI APLICADA.pdf
 

Más de Luiz Henrique Pimentel Novais Silva

Más de Luiz Henrique Pimentel Novais Silva (20)

SURTO PSICÓTICO, DEPRESSÃO, DISTIMIA E TRANSTORNO BIPOLAR.pdf
SURTO PSICÓTICO, DEPRESSÃO, DISTIMIA E TRANSTORNO BIPOLAR.pdfSURTO PSICÓTICO, DEPRESSÃO, DISTIMIA E TRANSTORNO BIPOLAR.pdf
SURTO PSICÓTICO, DEPRESSÃO, DISTIMIA E TRANSTORNO BIPOLAR.pdf
 
Sigmund_FREUD .pdf
Sigmund_FREUD .pdfSigmund_FREUD .pdf
Sigmund_FREUD .pdf
 
PRINCÍPIO DE REALIDADE, Além do princípio do prazer NEUROSE OBSESSIVA .pdf
PRINCÍPIO DE REALIDADE, Além do princípio do prazer NEUROSE OBSESSIVA  .pdfPRINCÍPIO DE REALIDADE, Além do princípio do prazer NEUROSE OBSESSIVA  .pdf
PRINCÍPIO DE REALIDADE, Além do princípio do prazer NEUROSE OBSESSIVA .pdf
 
Freud Além da Alma.pdf
Freud Além da Alma.pdfFreud Além da Alma.pdf
Freud Além da Alma.pdf
 
Em Busca da Ciência da Psique.pdf
Em Busca da Ciência da Psique.pdfEm Busca da Ciência da Psique.pdf
Em Busca da Ciência da Psique.pdf
 
ATIVIDADES do PSICANALISTA.pdf
ATIVIDADES do PSICANALISTA.pdfATIVIDADES do PSICANALISTA.pdf
ATIVIDADES do PSICANALISTA.pdf
 
A Psicanálise.pdf
A Psicanálise.pdfA Psicanálise.pdf
A Psicanálise.pdf
 
PSICOPATOLOGIA _ ALTERAÇÕES DAS REPRESENTAÇÕES.pdf
PSICOPATOLOGIA _ ALTERAÇÕES DAS REPRESENTAÇÕES.pdfPSICOPATOLOGIA _ ALTERAÇÕES DAS REPRESENTAÇÕES.pdf
PSICOPATOLOGIA _ ALTERAÇÕES DAS REPRESENTAÇÕES.pdf
 
TOC - TRANSTORNO OBSESSIVO COMPULSIVO.pdf
TOC - TRANSTORNO OBSESSIVO COMPULSIVO.pdfTOC - TRANSTORNO OBSESSIVO COMPULSIVO.pdf
TOC - TRANSTORNO OBSESSIVO COMPULSIVO.pdf
 
O PEQUENO HANS.pdf
O PEQUENO HANS.pdfO PEQUENO HANS.pdf
O PEQUENO HANS.pdf
 
A NATUREZA DO PSÍQUICO.pdf
A NATUREZA DO PSÍQUICO.pdfA NATUREZA DO PSÍQUICO.pdf
A NATUREZA DO PSÍQUICO.pdf
 
NEUROSE, PSICOSE & PERVERSÃO.pdf
NEUROSE, PSICOSE & PERVERSÃO.pdfNEUROSE, PSICOSE & PERVERSÃO.pdf
NEUROSE, PSICOSE & PERVERSÃO.pdf
 
VIOLÊNCIA E IMPULSIVIDADE NO PSICOPATA.pdf
VIOLÊNCIA E IMPULSIVIDADE NO PSICOPATA.pdfVIOLÊNCIA E IMPULSIVIDADE NO PSICOPATA.pdf
VIOLÊNCIA E IMPULSIVIDADE NO PSICOPATA.pdf
 
NEUROSE & PSICOSE.pdf
NEUROSE & PSICOSE.pdfNEUROSE & PSICOSE.pdf
NEUROSE & PSICOSE.pdf
 
Caso Dora.pdf
Caso Dora.pdfCaso Dora.pdf
Caso Dora.pdf
 
TRANSTORNO DELIRANTE.pdf
TRANSTORNO DELIRANTE.pdfTRANSTORNO DELIRANTE.pdf
TRANSTORNO DELIRANTE.pdf
 
Sigmund Freud e a Psicanálise .pdf
Sigmund Freud e a Psicanálise .pdfSigmund Freud e a Psicanálise .pdf
Sigmund Freud e a Psicanálise .pdf
 
7 DICAS PRÁTICAS QUE VÃO AJUDAR NA INTERPRETAÇÃO DOS SONHOS.pdf
7 DICAS PRÁTICAS QUE VÃO AJUDAR NA INTERPRETAÇÃO DOS SONHOS.pdf7 DICAS PRÁTICAS QUE VÃO AJUDAR NA INTERPRETAÇÃO DOS SONHOS.pdf
7 DICAS PRÁTICAS QUE VÃO AJUDAR NA INTERPRETAÇÃO DOS SONHOS.pdf
 
LIBIDO.pdf
LIBIDO.pdfLIBIDO.pdf
LIBIDO.pdf
 
Ética e Moral _ Da Filosofia a Psicanálise.pdf
Ética e Moral _ Da Filosofia a Psicanálise.pdfÉtica e Moral _ Da Filosofia a Psicanálise.pdf
Ética e Moral _ Da Filosofia a Psicanálise.pdf
 

Último

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfRELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
HELLEN CRISTINA
 
Treinamento NR 18.pdf .......................................
Treinamento NR 18.pdf .......................................Treinamento NR 18.pdf .......................................
Treinamento NR 18.pdf .......................................
paulo222341
 
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfrelatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
HELLEN CRISTINA
 
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion  ais.pdfrelatorio ciencias morfofuncion  ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
HELLEN CRISTINA
 
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSHomens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 

Último (7)

Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdfCrianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
 
Altas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
Altas habilidades/superdotação. Adelino FelisbertoAltas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
Altas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfRELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
 
Treinamento NR 18.pdf .......................................
Treinamento NR 18.pdf .......................................Treinamento NR 18.pdf .......................................
Treinamento NR 18.pdf .......................................
 
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfrelatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
 
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion  ais.pdfrelatorio ciencias morfofuncion  ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
 
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSHomens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
 

INTRODUÇÃO À PSICANÁLISE.pdf

  • 1. INTRODUÇÃO À PSICANÁLISE O que é psicanálise? Psicanálise é a disciplina instituída por Sigmund Freud que estuda o funcionamento e desenvolvimento da mente humana. Ela compreende as mais importantes contribuições humanas já feitas até hoje em relação à Psicologia Humana. Baseia-se na suposição de que os significados das experiências vividas pelos seres humanos permanecem, em grande parte, desconhecidas pelos próprios.
  • 2. Estes significados inconscientes exercem um papel muito importante sobre os sentimentos e sobre o comportamento humano, gerando sofrimentos ou distúrbios que variam de um simples desajustamento ocasional até graves distúrbios da personalidade e do contato com a realidade, inibição de diversas funções psíquicas (ou corporais) ou dificuldades diversas no relacionamento pessoal e emocional. O tratamento psicanalítico, na medida em que traga estes significados inconscientes à tona permitindo que eles sejam analisados pelo paciente junto com o analista, abre um campo novo de perspectivas para o indivíduo ajudando-o a lidar melhor consigo próprio e com as realidades da vida.
  • 3. A análise implica em um relacionamento íntimo durante o qual o paciente revive com o analista seus conflitos inconscientes na experiência do dia-a-dia, nas fantasias e nos sonhos. Por esse motivo, a análise demanda tempo, continuidade e precisa se dar em um ambiente de acolhimento, isenção, respeito e confiabilidade, ambiente cujas regras e limites o analista aprenda durante o longo período de sua formação analítica. Mas a análise não é apenas um método de conhecer a mente. Ela é também, uma teoria geral sobre o comportamento humano que influenciou como nenhuma outra disciplina deste século as ciências humanas em geral.
  • 4. Determinismo Psíquico Determinismo psíquico é o princípio que na nossa mente afirma que nada acontece por acaso ou sem importância. Cada evento psíquico é determinado por outros que os precederam. Sempre existe uma razão para todos. É que os fenômenos mentais necessitam de um elo de ligação entre eles. Nenhum deles é acidental. Sempre existirá também uma razão para todos eles. Na psicanálise não existem "casualidades". Tudo tem uma explicação!