Se ha denunciado esta presentación.
Se está descargando tu SlideShare. ×

Perturbações do comportamento alimentar

Anuncio
Anuncio
Anuncio
Anuncio
Anuncio
Anuncio
Anuncio
Anuncio
Anuncio
Anuncio
Anuncio
Anuncio
Próximo SlideShare
Disturbios alimentares
Disturbios alimentares
Cargando en…3
×

Eche un vistazo a continuación

1 de 20 Anuncio
Anuncio

Más Contenido Relacionado

Presentaciones para usted (20)

Similares a Perturbações do comportamento alimentar (20)

Anuncio

Más de Oficina Psicologia (20)

Perturbações do comportamento alimentar

  1. 1. Dia Mundial da Alimentação<br />16. Outubro. 2011<br />Joana Florindo- Psicóloga Clínica<br />www.oficinadepsicologia.com<br />
  2. 2. Actualmente… as perturbações alimentares como <br />a ANOREXIA, a BULIMIA, e particularmente a <br />INGESTÃO COMPULSIVA, assumem-se como realidades <br />cada vez mais frequentese assustadoramente próximas<br />
  3. 3. Parece ser cada vez mais provável, <br />conhecermos alguém que sofre de uma destas perturbações, podendo mesmo, tratar-se de um <br />dos nossos familiares ou amigos<br />
  4. 4. Mas nem sempre é fácil reconhecermos <br />tais problemas em quem nos rodeia… <br />
  5. 5. … Quer devido à sua <br />expressão silenciosa e envergonhada, <br />quer devido ao nosso próprio desconhecimento<br />dos seus sinais…<br />
  6. 6. E muitas vezes, estes problemas acabam por ser <br />detectados em estados avançados, <br />quando a saúde física e emocional <br />já se encontram comprometidas! <br />
  7. 7. Sabendo que uma sociedade informada <br />é uma sociedade mais atenta e consciente, <br />com maior poder de prevenção e intervenção…<br />
  8. 8. …e porque nos encontramos perante perturbações <br />que acarretam graves consequências de saúde, <br />muitas vezes irreversíveis, e em que em alguns casos <br />podem mesmo conduzir à morte…<br />
  9. 9. …conhecer e identificar os seus sinais de alerta, <br />revela-se de extrema importância,<br />permitindo uma respostamais rápida e precoce, <br />e tendencialmente mais eficaz!<br />
  10. 10. Nesse sentido, destaco de seguida alguns dos sinais de alertamais comummente associados a estas perturbações, <br />salientando contudo, que embora se revelem úteis indicadores, não se podem assumir, por si só, <br />como garantias de diagnóstico de uma <br />perturbação do comportamento alimentar…<br />
  11. 11. Sinais de alerta:<br />* Avaliações e preocupações intensas e frequentes <br />com o peso e com a forma corporal;<br />* Insatisfação permanente com o seu corpo;<br />* Preocupações intensas e frequentes <br />com os alimentos, calorias e nutrição; <br />
  12. 12. Sinais de alerta (cont.):<br />* Implementação de rotinas diárias rígidas, no que toca à ingestão alimentar ou prática de actividade física;<br />*Selecção excessiva de alimentos com baixas calorias;<br />
  13. 13. Sinais de alerta (cont.):<br />* Comportamentos pouco comuns em relação aos alimentos, como parti-los em pedaços extremamente pequenos, <br />ingerir esses pedaços individualmente, <br />espalhá-los organizadamente pelo prato, <br />e muitas vezes, acabar por não os ingerir;<br />
  14. 14. Sinais de alerta (cont.):<br />* Dietas constantes, mesmo quando apresenta <br />sinais de magreza corporal;<br />* Insistência em “estar gorda(o)”, mesmo <br />quando é notório que está magra(o);<br />* Medo intenso de estar gorda(o) ou de engordar;<br />
  15. 15. Sinais de alerta (cont.):<br />* Oscilações de peso rápidas e inexplicáveis;<br />* Toma excessiva de diuréticos, <br />laxantes ou medicação para emagrecer;<br />* Exercício físico intenso e excessivo, <br />especialmente antes e/ou depois de comer;<br />*Jejuns prolongados;<br />
  16. 16. Sinais de alerta (cont.):<br />* Arranjar frequentemente pretextos e desculpas para abandonar os momentos de refeição;<br />*Evitar activamente situações sociais que envolvam comida;<br />* Refugiar-se na casa de banho após as refeições;<br />* Isolar-se para comer, ou comer mesmo em segredo;<br />
  17. 17. Mas lembre-se… <br />Cada caso é um caso, e deve-se sempre considerar a experiência individual de cada um<br />
  18. 18. Não hesite em procurar ajuda especializada, <br />de forma a avaliar cuidadosamente o seu caso,<br />e, se necessário, poder actuar <br />o mais precocemente possível no seu problema.<br />
  19. 19. Para mais informações sobre Perturbações do Comportamento Alimentar, bem como sobre a intervenção terapêutica que a Oficina de Psicologia disponibiliza para os casos de <br />Bulimia e Ingestão Compulsiva, aceda aos seguintes links:<br />http://oficinadepsicologia.com/corpo/peso/comportamento-alimentarhttp://oficinadepsicologia.com/corpo/peso/programa-paparocas<br />
  20. 20. Joana Florindo - Psicóloga Clínica<br />www.oficinadepsicologia.com<br />

×