Se ha denunciado esta presentación.
Utilizamos tu perfil de LinkedIn y tus datos de actividad para personalizar los anuncios y mostrarte publicidad más relevante. Puedes cambiar tus preferencias de publicidad en cualquier momento.

Orçamentação de obras palestra

664 visualizaciones

Publicado el

Orçamentação de obras

Publicado en: Ingeniería
  • DOWNLOAD THIS BOOKS INTO AVAILABLE FORMAT (2019 Update) ......................................................................................................................... ......................................................................................................................... Download Full PDF EBOOK here { https://soo.gd/irt2 } ......................................................................................................................... Download Full EPUB Ebook here { https://soo.gd/irt2 } ......................................................................................................................... Download Full doc Ebook here { https://soo.gd/irt2 } ......................................................................................................................... Download PDF EBOOK here { https://soo.gd/irt2 } ......................................................................................................................... Download EPUB Ebook here { https://soo.gd/irt2 } ......................................................................................................................... Download doc Ebook here { https://soo.gd/irt2 } ......................................................................................................................... ......................................................................................................................... ................................................................................................................................... eBook is an electronic version of a traditional print book THIS can be read by using a personal computer or by using an eBook reader. (An eBook reader can be a software application for use on a computer such as Microsoft's free Reader application, or a book-sized computer THIS is used solely as a reading device such as Nuvomedia's Rocket eBook.) Users can purchase an eBook on diskette or CD, but the most popular method of getting an eBook is to purchase a downloadable file of the eBook (or other reading material) from a Web site (such as Barnes and Noble) to be read from the user's computer or reading device. Generally, an eBook can be downloaded in five minutes or less ......................................................................................................................... .............. Browse by Genre Available eBooks .............................................................................................................................. Art, Biography, Business, Chick Lit, Children's, Christian, Classics, Comics, Contemporary, Cookbooks, Manga, Memoir, Music, Mystery, Non Fiction, Paranormal, Philosophy, Poetry, Psychology, Religion, Romance, Science, Science Fiction, Self Help, Suspense, Spirituality, Sports, Thriller, Travel, Young Adult, Crime, Ebooks, Fantasy, Fiction, Graphic Novels, Historical Fiction, History, Horror, Humor And Comedy, ......................................................................................................................... ......................................................................................................................... .....BEST SELLER FOR EBOOK RECOMMEND............................................................. ......................................................................................................................... Blowout: Corrupted Democracy, Rogue State Russia, and the Richest, Most Destructive Industry on Earth,-- The Ride of a Lifetime: Lessons Learned from 15 Years as CEO of the Walt Disney Company,-- Call Sign Chaos: Learning to Lead,-- StrengthsFinder 2.0,-- Stillness Is the Key,-- She Said: Breaking the Sexual Harassment Story THIS Helped Ignite a Movement,-- Atomic Habits: An Easy & Proven Way to Build Good Habits & Break Bad Ones,-- Everything Is Figureoutable,-- What It Takes: Lessons in the Pursuit of Excellence,-- Rich Dad Poor Dad: What the Rich Teach Their Kids About Money THIS the Poor and Middle Class Do Not!,-- The Total Money Makeover: Classic Edition: A Proven Plan for Financial Fitness,-- Shut Up and Listen!: Hard Business Truths THIS Will Help You Succeed, ......................................................................................................................... .........................................................................................................................
       Responder 
    ¿Estás seguro?    No
    Tu mensaje aparecerá aquí

Orçamentação de obras palestra

  1. 1. Apresentação  Rejane Teixeira Mendes  Engenheira Civil e de Segurança do Trabalho  Empresas onde atuou:  CBPO – Obra de Recomposição dos Molhes  Odebrecht – elaboração de propostas para licitações públicas em Porto Alegre  Consórcio CBPO PEDRASUL CARIOCA IVAÍ – Obra de Prolongamento dos Molhes  Multitek Engenharia – Fabricação e montagem dos tanques 519 e 520, 528 e 529 do TERIG  Galvão Engenharia – Manutenção dos tanques 501, 503 e 504 do TERIG  Adão Costa da Costa ME – elaboração de propostas, planejamento e medições de serviços
  2. 2. Introdução  O orçamento de uma obra é uma das etapas mais importantes da obra, se não a mais importante.  Um orçamento bem feito é determinante para que o empreendimento tenha resultado positivo.
  3. 3. Conceitos básicos  ORÇAMENTO  COMPOSIÇÃO DE CUSTO UNITÁRIO DE SERVIÇO  COMPONENTES  INSUMOS  MÃO-DE-OBRA DIRETA  MÃO-DE-OBRA INDIRETA  ENCARGOS SOCIAIS E TRABALHISTAS  IMPOSTOS (PIS, COFINS, CSLL, IRPJ, ISSQN)  BDI – BONIFICAÇÃO E DESPESAS INDIRETAS  PROJETO  ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA  CADERNO DE ENCARGOS  MEMORIAL DESCRITIVO  CRITÉRIO DE MEDIÇÃO
  4. 4. Tipos de orçamento  Paramétrico – utiliza índices, para estudo de viabilidade, baseia-se no CUB (R$ 964,89) Atividade % mínima % máxima % média Projetos e aprovações 5 8 6 Serviços preliminares 2 4 3 Fundações 5 9 7 Estruturas / alvenarias 15 30 23 Coberturas 5 8 6 Impermeabilização 2 4 3 Instalações elétricas e hidrossanitárias 15 25 20 Esquadrias 6 10 8 Acabamentos 20 30 22 Serviços complementares 2 5 2 TOTAL 77 133 100
  5. 5. Tipos de orçamento  NBR 12721 - Avaliação de custos unitários e preparo de orçamento de construção para incorporação de edifícios em condomínio – Procedimento  Orçamento discriminado (detalhado) – utilizado para construção civil  Demonstrativo de Formação de Preço (DFP) – sistema PETROBRAS  Homem x Hora (HH) – utilizado para serviços de manutenção em paradas industriais
  6. 6. Regime de contratação  Preço unitário – não existe informações precisas de quantidades de serviços (reformas), os preços são fornecidos por unidade de serviço (m² de alvenaria, m² de reboco, m de fundação superficial, etc.)  Preço global – muito utilizado por órgãos públicos, depende de projeto executivo completo, com especificações e quantidades bem definidas  OBS.: Sistema misto – contratação por preço global e pagamento por preço unitário conforme alteração das quantidades durante execução.
  7. 7. Classificação dos custos  Custo direto – máquinas e mão de obra de produção, mão de obra administrativa, veículos, materiais de aplicação, ferramentas, transporte do pessoal, alimentação, EPI, etc.  Custo indireto: administração central, seguros, impostos, lucro, etc
  8. 8. Etapas do orçamento  Análise de documentos (edital, minuta de contrato, projeto básico/detalhado, etc.)  Visita técnica: relevo, estradas de acesso, distância do centro comercial, água, energia, telefone, imóveis, disponibilidade de mão de obra, fornecedores locais, etc.  Levantamento de quantidades de materiais e serviços; análise criteriosa do projeto  Planejamento básico: sequencia executiva, tempos de execução  Definição dos recursos: categorias de mão de obra, dimensionamento do canteiro, transportes, máquinas e equipamentos mínimos, etc.
  9. 9. Etapas do orçamento  Levantamento de preços de MO, materiais e prestadores de serviço  Cálculo de encargos sociais e trabalhistas  Custo horário de utilização de equipamentos  Produtividade de equipes  Praticabilidade  Montagem das composições dos serviços  Definição dos impostos e do BDI
  10. 10. Cálculo de encargos sociais  Os empregados são divididos em duas categorias;  Mensalista: alguns já estão inclusos no salário, como repouso semanal, folga em feriados, etc. Encargos estimados em 90%  Horista: o pagamento é por salário/hora, sendo todos os encargos sociais e trabalhistas acrescentados na quantidade de horas trabalhadas no mês. Encargos estimados entre 120% e 130%
  11. 11. Cálculo de encargos sociais  Devem ser considerado os seguintes encargos trabalhistas:  INSS  SESI  SENAI  INCRA  SEBRAE  Salário educação  Seguro contra acidentes do trabalho  FGTS  SINDUSCON
  12. 12. Cálculo de encargos sociais  Devem ser considerados os seguintes encargos sociais:  Repouso semanal remunerado  Feriados  Aviso prévio trabalhado  Auxílio doença  13° salário  Aviso prévio indenizado  Licença paternidade  Faltas abonadas  Depósito por recisão sem justa causa  Adicional por aviso prévio
  13. 13. Cálculo de encargos sociais  Para o horista pode-se acrescentar nos encargos sociais os percentuais correspondentes a EPI, alimentação, vale transporte, vale refeição ou outros benefícios oferecidos pela empresa.  Nesta condição o percentual de encargos sociais sobe para 179% (fonte Sinduscon-RS)  OBS.: no cálculo do salário deve ser considerado o percentual de dissídio, dependendo do período previsto para a obra
  14. 14. Cálculo do custo horário de equipamentos  Deve ser calculado quando é utilizado equipamentos próprios.  Custo horário (CP) = DJ + M + MAT + MO  DJ: é a parcela referente à perda do valor do equipamento mais os juros para remuneração do capital investido  M: custo de manutenção  MAT: materiais necessários para operação do equipamento  MO: custo do operador e auxiliares
  15. 15. Cálculo de transporte  Deve ser calculado para todos os equipamentos de transporte próprio de materiais (caminhões carreta, caminhões basculante, caminhões betoneira, etc.) e de pessoal (ônibus e veículos utilitários e de passeio da empresa).  Custo de transporte por hora – o cálculo é o mesmo do custo horário de equipamentos  Custo por km rodado – utilizado para transporte de pessoal e veículos leves (carros, kombis, utilitários)
  16. 16. Custo de transporte por km rodado  É a soma de todas as parcelas envolvidas na operação e manutenção do veículo  CT/km=D+J+C+OC+OD+LIC+ST+LAV+PN+MAN+MOT  D – depreciação  J – juros de capital  C – combustível  OM – óleo do motor  OD – óleo de câmbio e do diferencial
  17. 17. Custo de transporte por km rodado  LIC – licenciamento e seguro obrigatório  ST- seguro total  LAV – lavagem e limpeza do vaículo  PN – substituição de pneus  MAN – manutenção do veículo  MOT - motorista
  18. 18. Custo de transporte T/km ou m³/km  É obtido pela divisão do custo horário de transporte pela produção horária  y = (custo horário de produção) / (produção)  A produção é em função da rodovia e da distância de transporte, sendo:  P = (60 x c x E) / [60 x (2X / V) + T]  P – produção em m³/h ou t/h  c - capacidade de carga do veículo em m³ ou t  E – eficiência (0,83 da hora)  V – velocidade média  T – tempo de espera  X – distância de transporte em km
  19. 19. Montagem do orçamento  O orçamento para obras é montado serviço a serviço, através de composições de custo, relacionando as quantidades e os custos unitários de materiais, mão de obra e equipamentos.  Pode-se utilizar tabelas e índices usuais no mercado (PINI, FRANARIN, etc), mas os índices de utilização e produtividade devem ser sempre verificados com dados históricos da empresa ou com o nível de dificuldade da obra.
  20. 20. Montagem do orçamento  Exemplo de composição:  Alvenaria de tijolo maciço, argamassa de rejunte 1:4 – espessura de parede 10cm - unidade m²  Tijolo comum 84 unidades  Cimento 0,2,5 kg  Cal virgem em pó 4,18 kg  Areia média 0,03 m³  Pedreiro 1,6 h  Servente 1,97 h  Fonte: TCPO 2000 - PINI
  21. 21. Montagem do orçamento  Após a montagem de composições para todos os serviços, devem ser estimados os custos relativos à mobilização e manutenção do canteiro de obras, pessoal técnico e administrativo, encarregados e supervisores, etc.  A soma de todos estes valores resulta no Custo da Obra, ainda sem aplicação do BDI
  22. 22. Cálculo do BDI  O BDI é a parcela do custo da obra correspondente ao lucro (Bonificação) e aos impostos e outros custos indiretos (DI)  Os custos indiretos podem variar grandemente conforme o edital da obra, sendo alguns:  Impostos e taxas sempre fazem parte do custo indireto  Administração central e custo financeiro  Seguros e garantias  Contingências
  23. 23. Cálculo do BDI  Impostos (tributos)  Tributos sobre a receita – são calculados sobre o valor total da nota fiscal de serviços  ISS (municipal) – 4%  COFINS (federal) – 3%  PIS (federal) – 0,65%  Tributos sobre o lucro  IRPJ – alíquota depende do tipo da tributação da empresa (lucro real, lucro presumido)  CSLL - alíquota depende do tipo da tributação da empresa (lucro real, lucro presumido)
  24. 24. Cálculo do BDI  Tributos sobre o lucro  IRPJ  Para o lucro presumido as alíquotas podem ser:  1,2% sobre a nota fiscal para execução de obras  4,8% sobre a nota fiscal para serviços de engenharia consultiva  Para o lucro real as alíquotas podem ser:  15% para lucro anual de até R$ 240.000,00  25% para lucro anual acima de R$ 240.000,00  COFINS  1,08% sobre a nota fiscal para execução de obras  2,88% sobre a nota fiscal para serviços de engenharia consultiva
  25. 25. Cálculo do BDI  Administração central (AC)  A alíquota é definida pela empresa em função dos custos da sede (aluguéis, salários, representações, etc.) e pode variar de 4 a 15%  Custo financeiro (CF)  É a taxa relativa à correção monetária e aos juros bancários pagos para financiamento de capital (capital de giro)  Depende das taxas em uso no banco e do tempo que a empresa necessitará de capital de giro
  26. 26. Cálculo do BDI  Contingências ou margem de incerteza (MI)  Visa elevar a estimativa dos custos do contratante (órgão público), em função de possíveis erros ou incertezas na definição dos serviços e especificação de quantidades  A alíquota deve estar entre 5 a 10% do custo da obra  Seguros (S) e garantias (G) – são definidos no edital de licitação a exigência de seguro e garantia  Para o seguro aplica-se as taxas do mercado  Para a garantia deve-se prever um percentual do total da obra que será liberado pelo contratante somente no final da obra (aceitação e recebimento da obra pelo cliente)
  27. 27. Cálculo do BDI  Margem bruta de contribuição (MBC)  É o lucro da obra acrescido dos impostos sobre o lucro  A definição do percentual do lucro depende de fatores relacionados à importância da obra, capacidade de pagamento do cliente e da necessidade de investimentos especiais em tecnologias  MBC = Lucro líquido + IRPJ + CSLL  Os percentuais normais de lucro variam de 5% (para obras acima de R$ 1.500.000,00) a 15% (para obras até R$ 150.000,00)
  28. 28. Cálculo do BDI  Fórmula do BDI  BDI = [(1+AC+CF+S+G+MI)/(1-(TM+TE+TF+MBC) -1] x 100  AC – Administração central  CF – Custo financeiro  S e G – Seguro e Garantia  MI – Margem de incerteza  TM – Tributos municipais  TE – Tributos estaduais  TF – Tributos federais  MBC – Margem bruta de contribuição (lucro bruto)
  29. 29. Apresentação do preço final  Exemplo de cálculo de BDI  Alíquotas aplicadas para uma obra  AC – 5%  CF – 1,5%  S e G – 2% e 5%  MI – 5%  TM – 4%  TE – 0%  TF – 5,93%  MBC – 10% + 7,68% = 10,768%  BDI = [(1,185)/(0,79302) -1] x 100 = 49,43%
  30. 30. Apresentação do preço final  Para encontrar o preço final da obra deve-se multiplicar o custo total pelo BDI.  Exemplo:  Utilizando o BDI de 49,43% sobre o custo de R$ 120.000,00, o preço final fica em R$ 179.316,00  A diferença de R$ 59.316,00 corresponde a todas as despesas indiretas (administração central, seguros, contingências, garantias, lucro e impostos municipais e federais)

×