Se ha denunciado esta presentación.
Utilizamos tu perfil de LinkedIn y tus datos de actividad para personalizar los anuncios y mostrarte publicidad más relevante. Puedes cambiar tus preferencias de publicidad en cualquier momento.

O Papel do Ensaio no Jornalismo Contemporâneo

Aula sobre o papel e os tipos de ensaio.
Ensaio pessoal, ensaio jornalístico, ensaio literário, ensaio fotográfico, filme ensaio.

  • Sé el primero en comentar

O Papel do Ensaio no Jornalismo Contemporâneo

  1. 1. O PAPEL DO ENSAIO NO JORNALISMO CONTEMPORÂNEO Rodrigo Volponi
  2. 2. O Precursor Visões e Tipos Ensaio Jornalístico 12 Características O Fluxo Papel do Ensaio
  3. 3. Michel de Montaine O Precursor do Ensaio Pessoal Escritor e ensaísta francês do século XVI. Autor da obra composta por 3 volumes batizada de Essays. Seus textos apresentavam análises de instituições, costumes e dogmas da época. Seu principal objeto de estudo era a generalidade da humanidade. Reflexões sobre o comportamento das pessoas, acontecimentos históricos e sua própria história.
  4. 4. Michel de Montaine Estilo e público Escrita de forma acessível; Cumplicidade com o humano; Não tinha um público definido, Construía seus ensaios metódicamente sem método; Variedade de assuntos;
  5. 5. “Devemos evitar nos ater às opiniões correntes e julgá-las pela razão, não pela voz do povo.” (Montaigne)
  6. 6. Prova, experiência. Uma tentativa. Apresentação de um assunto, seja ele filosófico, científico, histórico ou de teoria literária. Caracterizado pela síntese e pelo tratamento crítico. Etimologia
  7. 7. Visões sobre o Ensaio
  8. 8. “Eu considero um gênero. Eu considero o perfil, o jornalismo literário de viagem, o texto de memórias gêneros. Eu chamo de gêneros, pois eles têm especificidades muito claras, mas mantém uma matriz de conexão com o básico do Jornalismo Literário. E o que é o básico do JL? É a busca da compreensão, mesmo intuitivamente, de uma leitura complexa do real.” Um Gênero do Jornalismo Literário Edvaldo Lima O ensaio pessoal
  9. 9. “No ensaio como forma, o que se anuncia de modo inconsciente e distante da teoria é a necessidade de anular, mesmo no procedimento concreto do espírito, as pretensões de completude... Ao se rebelar esteticamente contra o método mesquinho, cuja única preocupação é não deixar escapar nada, o ensaio obedece a um motivo da crítica epistemológica.” Uma Forma de Pensamento Theodor Adorno O ensaio como forma A epistemologia estuda a origem, a estrutura, os métodos e a validade do conhecimento, e também é conhecida como teoria do conhecimento.
  10. 10. “...o ensaio com sua combinação elaborada de autobiografia, auto-reflexão e estilo sedutor e, finalmente, com sua aliança entre a arte e ciência, mostra-se, hoje, o modo mais adequado para recuperar uma exuberância ornamental, agora plenamente criativa, para a imaginação complexa.” Um Modo de Exposição José Català A estética do ensaio
  11. 11. Um Método & Gênero “O ensaio é um gênero e ao mesmo tempo é um método. É um gênero porque é uma ampla forma orgânica de modelo de construção de um tecido de pensamentos em texto de reflexão sobre as realidades humanas. É um método porque é um caminho para a construção de conhecimentos nas ciências humanas e sociais.” Raul Vargas Reportagensaio
  12. 12. Formas de Pensamento SIMPLISTA Superficial, segmentado e direto Tentativa de apropriação da verdade Parte de uma ideia pré-concebida Tenta controlar a informação Busca pela completude: exatas, simétricas e conclusivas Pensamento mutilador Edgar Morin A reforma do pensamento
  13. 13. Formas de Pensamento SIMPLISTA COMPLEXO Superficial, segmentado e direto Tentativa de apropriação da verdade Parte de uma ideia pré-concebida Tenta controlar a informação Busca pela completude: exatas, simétricas e conclusivas Pensamento mutilador Profundo e interligado; Aproximação da realidade humana; Busca pela clareza, aberto ao novo; Articulação transdisciplinar Busca por novas possibilidades, permite abertura e aceita assimetria; Pensamento agregador Edgar Morin A reforma do pensamento
  14. 14. Forma de pensamento. Tudo isso Tudo, menos simplista. Método de construção de conhecimento Gênero textual do Jornalismo Literário Modo de exposição das camadas da realidade complexa
  15. 15. TIPOS DE ENSAIO
  16. 16. ENSAIO PESSOAL Michel de Montaigne
  17. 17. ENSAIO LITERÁRIO Escritora americana. Possui dirversos trabalhamos como jornalista, ensaísta e romancista. Colaborada do New Yorker Review of Books e na revista The New Yorker. Prêmio National Book Award.
  18. 18. Pai Polícia -Talita Virgínia, no seu TCC, contou a história de um policial, seu pai. Nessa trajetória acabou revelando sua própria vida, captando de forma muito rica o universo ao seu redor, uma história contada com a sensibilidade que apenas uma mulher, estudante, fotógrafa e filha, conseguiria produzir ENSAIO FOTOGRÁFICO Talita Virgínia
  19. 19. ENSAIO VISUAL Pablo Ruiz Picasso | Pintor, escultor e poeta Em janeiro de 1937, o governo espanhol pediu a Picasso que criasse algo para o pavilhão da Espanha na Exposição Internacional de Paris. No dia 26 de março, a cidade basca de Guernica havia sido arrasada por aviões nazi-fascistas que testavam seus novos equipamentos. Profundamente comovido pelas fotografias que estampavam o horror nos jornais, decidiu traduzir seu sentimento de repulsa à guerra. Trancafiado no seu ateliê por cerca de um mês, materializou e expôs aquilo que se tornaria sua obra-prima: o painel de Guernica
  20. 20. FILME Agnès Varda Fotógrafa e Cineasta Belga Roteirista e Cineasta Belga. Com entrevistas, fotografias, reportagens e trechos de suas obras, como uma espécie de álbum de família, Varda monta um ensaio sobre sua vida e obra. Uma tentativa exploratória de compreender retrospectivamente as formas em que sua vida e seu cinema evoluíram juntos. Prêmios: César de Melhor Documentário. National Society of Film Critics de Melhor Documentário
  21. 21. JORNALÍSTICO Eliane Brum Escritora, repórter e jornalista. El País A obra é um conjunto de ensaios-reportagens, reunidas em livro, sobre o olhar da autora, a repórter Eliane Brum, em busca dos acontecimentos que não viram notícia e das pessoas que não são celebridades. Prêmio Jabuti 2007.
  22. 22. Jornalismo “fora” da agenda; De profundidade; Novas formas de interpretar o Mundo; Argumentos X Fatos; A prática do ato de Compreender; As vozes das Pessoas X “Especialistas”. O JORNALISMO DE TIPO ENSAÍSTICO
  23. 23. Objetividade Atualidade Método Pesquisa Apuração Vigor Polissemia Rigor Polifonia 12 PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS Estilo Marca Experiência
  24. 24. Fluxograma Construção EJ
  25. 25. FLUXOGRAMA
  26. 26. 1º ATO | COMPREENDER Buscar temas que causam sensações. Colocar-se no lugar do outro. Relacionar as perspectivas com os fatos. Viver a experiência.
  27. 27. Fluxograma Construção EJ
  28. 28. 2º ATO | INTERPRETAR Comunicação verbal entre os fatos, perspectivas e experiência pessoal com o tema. Papel de mediador dando ao leitor condições de interpretar as informações apresentadas.
  29. 29. Fluxograma Construção EJ
  30. 30. 3º ATO | REPORTAR Objetividade do tema. Fazer com que seja compreendido. Estilo de escrita com marca pessoal. Vigor! Proximidade entre o tema e o público.
  31. 31. Fluxograma Construção EJ
  32. 32. Mudar a forma do pensar. Construir conhecimento. Expressar assuntos de forma compreensiva. Libertar e integrar disciplinas, redes e pessoas. Levar à sociedade reflexões mais profundas. O Papel do Ensaio no Jornalismo
  33. 33. À beira de um precipício só há uma maneira de andar para frente: é dar um passo atrás. (Michel de Montaigne)
  34. 34. A SEGURANÇA NO TRANSPORTE PÚBLICO DE SÃO PAULO Atividade em Dupla 1 entrevista duas fontes + Revisão 1 escreve
  35. 35. Baixe essa apresentação em: Rodrigo Volponi rodrigo@vpublic.com.br

×