Se ha denunciado esta presentación.
Utilizamos tu perfil de LinkedIn y tus datos de actividad para personalizar los anuncios y mostrarte publicidad más relevante. Puedes cambiar tus preferencias de publicidad en cualquier momento.

Gestão e Comunicação de Mudanças - Fevereiro 2016

aula de gestão de mudanças e comunicação

  • Inicia sesión para ver los comentarios

Gestão e Comunicação de Mudanças - Fevereiro 2016

  1. 1. Gerenciamento de Comunicação/RH Aula 4 Gestão da Comunicação e Mudanças Professor Daniel de Carvalho Luz
  2. 2. Slides disponíveis em http://www.slideshare.net/daniel.luz Contato: (15) 9 9126 5571 Daniel.luz2020@hotmail.com 22 2 MSc Daniel de Carvalho Luz Fone (15) 9 9126 5571 Para baixar os slides
  3. 3. Publicações Disponível na Internet Menções sobre Gestão de Mudanças Change Management 429.000.000 Mudanças 63.500.000 Gestão de Mudanças 26.400.000 Mudanças Organizacionais 389.000 Professor Daniel de Carvalho Luz - (15) 9 9126 5571 3
  4. 4. Empresa Pessoal •Inovação •Conteúdo comportamentalMudanças •Tendências Mercado Gestão de Mudanças O conteúdo do tema de Gestão de Mudanças alcança as três esferas mais importantes para o sucesso de um negócio: EMPRESA e necessidade de inovar, o MERCADO e suas tendências e as PESSOAS e suas atitudes. Amplitude do tema Adapte-se ou Morra
  5. 5. O mundo está mudando Professor Daniel de Carvalho Luz Fone (15) 9126 5571 - daniel.luz@aprh.org.br 5
  6. 6. Mudança é o processoonde o futuro invade nossas vidas ‐ AlvinToffler 7Professor Daniel de Carvalho Luz Fone (15) 9 9126 5571 - daniel.luz2020@Hotmail.com
  7. 7. 8
  8. 8. “When the rate of change outside is faster than the rate of change inside the organization, then the end is near.” —Jack Welch Shift Happens 9
  9. 9. “It is not the strongest of the species that survive, nor the most intelligent, but the one most adaptable to change.” - Charles Darwin
  10. 10. Cuidado para não virar fóssil Se parar de aprender para de adaptar-se Não se torne um dinossauro corporativo Professor Daniel de Carvalho Luz Fone (15) 9 9126 5571 - daniel.luz2020@Hotmail.com 12
  11. 11. Cuidado para não virar fóssil Se parar de aprender vira fóssil Tio; Mestre; Tradicional; Conservador; Vasta experiência; Anos de janela; Arquivo vivo; Já faz parte do imobilizado; Placa de inventário. 13Professor Daniel de Carvalho Luz Fone (15) 9 9126 5571 - daniel.luz2020@Hotmail.com
  12. 12. Quem inventou esta tal de Mudança? 15Professor Daniel de Carvalho Luz Fone (15) 9 9126 5571 - daniel.luz2020@Hotmail.com
  13. 13. Então Adão colocou a mão no ombro de Eva conduzindo–a para fora do paraíso, disse: querida isso é apenas uma fase de transição. Mabuse (1478–1532)
  14. 14. “A única constante é a mudança.” “Ninguém entra em um mesmo rio uma segunda vez, pois quando isso acontece já não se é o mesmo, assim como as águas que já serão outras.” _Heráclito de Éfeso
  15. 15. O que você deve saber? Adapte-se ou Morra 18
  16. 16. Cultura é... •“... o que todo mundo sabe, sem saber que sabe.” Terry Eagleton Filósofo e Professor de Teoria Cultural da Universidade de Manchester (UK) Mudança de cultura ou cultura de mudanças? Change Management
  17. 17. “Se a taxa de crescimento das vendas da sua empresa for sempre maior que a taxa de crescimento dos seus profissionais, você simplesmente não conseguirá executar, e conseqüentemente construir uma grande empresa.” David Packard, Fundador da HP Shift Happens 21 por Daniel de Carvalho Luz - Julho 2012
  18. 18. Por que as Empresas Mudam? Porque o ambiente muda Para adaptar-se às mudanças externa Influencias externas – nem sempre para melhor Regulamentações externas Ser mais competitivo Estar à frente da concorrência Para atender necessidades / aspirações dos stakeholders Alguém no topo diz: nós temos que mudar! Fazer a diferença Planejamento e Desenvolvimento Responder aos desafios inerentes do negócio Implementar melhores práticas Para criar novas oportunidades Gerenciamento de metas – reestruturação – eficiência
  19. 19. O que é mudança no mundo corporativo? • Reestruturação organizacional • Fusões & Aquisições • Novos processos e tecnologias • Profissionalização da empresa • Troca de comando • Demissões em massa e PDV • Aposentadoria dos líderes ou heróis • Contratação de especialistas • Formação de profissionais Adapte-se ou Morra
  20. 20. Kurt Lewin – análise do campo de força e as três etapas Peter Senge – Modelo sistêmico John Kotter – Oito etapas Beckhard e Harris- A fórmula da mudança Willian Bridges – Gerenciamento da transição 25 Estudiosos do Tema Mudança
  21. 21. 26 Kurt Lewin, psicólogo alemão, nasceu em 1890 na Alemanha e morreu em 1947 nos Estados Unidos. Foi o psicólogo que deixou a herança mais importante para o movimento das Ciências do Comportamento. Criação da Teoria de Campo Criação da Pesquisa Ação Considerado o fundador de Dinâmica de Grupo.. A partir dele houve uma gradativa diversificação das ciências sociais.
  22. 22. 27 Peter Senge é uma das marcas de prestígio internacional do Massachusetts Institute of Technology (MIT) na área da gestão. A ele se deve a difusão do conceito de 'aprendizagem organizacional' e de 'organização que aprende' (conhecido mundialmente pela “buzzword”, em inglês 'learning organization') que passou a entrar na linguagem de negócios.
  23. 23. 28 John Kotter Dr. John Kotter é o guru da liderança e da mudança em Harvard Business School. É autor de 11 livros, todos best-sellers da área de gestão. Kotter, é palestrante em diversos seminários em Harvard e por todo o mundo. Vive em Cambridge, Massachusetts, nos Estados Unidos da América.
  24. 24. Mudanças - definições 29 Nadler, David. & Nadler, Mark B. 1998 Champions of change : how CEOs and their companies are mastering the skills of radical change “Change is persuading massive numbers of people to stop what they have been doing and start doing something that they probably don’t want to do.” - David Nadler, Champions of Change
  25. 25. Referência bibliográfica Huczynski e Buchanan, 2007 “Um estudo da estrutura, funcionamento e desempenho das organizações e o comportamento de grupos e indivíduos dentro deles”
  26. 26. O que contribui para as mudanças darem certo % of key managers who cited this as a barrier. Interviews with 500 global companies Source: Organizational Behavior, Buchanan & Huczynsky 1. Apoio da alta administração 82% 2. Tratamento justo às pessoas que serão afetadas pelas mudanças 82% 3. Total envolvimento dos colaboradores 75% 4. Comunicação com clareza, objetividade e no tempo certo 70% 5. Treinar e desenvolver as pessoas para os novos desafios 68% 6. Usar critérios claros e justos para avaliar a performance 65% 7. Criar sinergia após a mudança 62% 8. Concentrar na cultura e na habilidade de mudanças 62% 9. Reconhecer e recompensar o sucesso 60% 10. Usar “Champions” internos 60%
  27. 27. O que impede que a mudança aconteça % of key managers who cited this as a barrier. Interviews with 500 global companies 1. Competição pelos recursos 48% 2. Fronteiras funcionais mal definidas 44% 3. Habilidade de gerenciar mudanças 43% 4. Média gerência egocêntrica 38% 5. Longos prazos de entrega de IT 35% 6. Comunicação pobre 35% 7. Oposição dos colaboradores 33% 8. Questões de RH – (pessoas, treinamento e estrutura) 33% 9. Baixo nível de iniciativa 32% 10. Prazos irreais 31% Source: Organizational Behavior, Buchanan & Huczynsky
  28. 28. 5 razões que levam as pessoas a resistirem Change Management Razões porque as pessoas resistem as mudanças
  29. 29. Change Management 1. Cautela com o que é novo; 2. Interesses e objetivos diferentes; 3. Não entendimento da proposta; 4. Desconfiança no porta voz da mudança; 5. Medo 5 razões que levam as pessoas a resistirem mudanças
  30. 30. edida xagerada os bstáculos M E D O
  31. 31. 10% ACEITAM DE IMEDIATO 20% ACEITAM COM UM POUCO DE CONVENCIMENTO 40% ACEITAM COM MUITO CONVENCIMENTO 30% SÓ ACEITAM DEPOIS QUE A MUDANÇA FOI BEM SUCEDIDA According to Daryl R. Conner - Managing at the speed of Change Receptividade Para Mudanças em Culturas Estáveis
  32. 32. TEMPO DESEMPENHO ESTADO ATUAL ESTADO DESEJADO ESTADO DE TRANSIÇÃO VALE DO DESESPERO O Que Parece a Mudança?
  33. 33. Infelizmente, as pessoas podem ser resistentes para novas idéias.
  34. 34. Emoções fazem as pessoas agirem
  35. 35. Types Of Change respostas emocionais ás mudanças planejadas AtivaPassiva RESPOSTAEMOCIONAL TEMPO
  36. 36. Estabilidade Aceitação ou Abandono Raiva Negação Imobilização Barganha Teste Depressão TEMPO AtivaPassiva RESPOSTAEMOCIONAL Respostas Emocionais às Mudanças Developed by Sharon M. Danes, Professor, University of Minnesota, Family Social Science Department, College of Human Ecology & Resource Management Specialist, Minnesota Extension Service, and illustrated by Jim Kiehne Graphics. From Kubler-Ross, E., 1969, On Death and Dying.
  37. 37. Mihali Csikszentmihalyi “Flow: the psycology of optimal experience” Desafios Habilidades O Campo do fluir Tédio Desinteresse Depressão Ansiedade Estresse Depressão Professor Daniel de Carvalho Luz Fone (15) 9126 5571 - daniel.luz@aprh.org.br 42
  38. 38. 4 regras para gerenciar mudanças 1. Adapte-se ou Morra 2. Inove, veja regra 1 3. Mude enquanto funciona 4. Três vezes mais tempo Encante sua audiência em qualquer situação – aula, palestra ou apresentação. Professor Daniel de Carvalho Luz Fone (15) 9126 5571 - daniel.luz@aprh.org.br 43
  39. 39. 1 2 3 4 5 6 7 8 Os Oitos passos para uma mudança bem Sucedida Kotter & Rathgeber Our Iceberg Is Melting Changing and Succeeding Under Any Conditions
  40. 40. Os Oito passos da mudança de acordo com John P. Kotter • 1. Forme uma equipe. • 2. Tenha uma visão clara. • 3.Definir os impactos da mudança • 4.Comunique-se para conseguir apoio. • 5.Delegue a ação. • 6. Crie metas a curto prazo. • 7. Não desista diante dos obstáculos. • 8. Faça com que as mudanças perdurem.
  41. 41. 1. Envolva todas as pessoas relacionadas à mudança. Todas as principais partes interessadas devem trabalhar rumo à mesma visão. De outro modo ocorre resistência; 2. Comunique a mudança. Melhor ainda, mostre como esta vai fazer as coisas melhores; 3. Desenvolva liderança. O melhor líder é alguém com quem a equipe tenha afinidade; 4. Monte uma equipe de gerenciamento da mudança. Essas pessoas podem traduzir ideias em ações e ajudar os líderes da mudança a conduzir sua missão; 5. Forneça treinamento apropriado. Uma organização deve desenvolver constantemente as competências requeridas em gerenciamento de projetos e gerenciamento de mudanças; 6. Mantenha a mudança viva. Demonstre os resultados e forneça retorno para manter a iniciativa de mudança nos trilhos; 7. Recompense o sucesso. Isto mantém a moral elevada e a resistência baixa; 8. Mantenha a mudança nos trilhos. Esteja preparado para o inesperado - e tenha sistemas, ferramentas e estratégias prontas para lidar com este. 8 Orientações para promover as mudanças Change Management
  42. 42. Você está mudando?
  43. 43. Slides disponíveis em http://www.slideshare.net/daniel.luz Contato: 15 9126 5571 Daniel.luz@aprh.org.br C o n t a t o – 1 5 9 1 2 6 5 5 7 1 D a n i e l @ a p r h . o r g . b r Professor Daniel de Carvalho luz
  44. 44. Gestão de comunicação e Mudanças 5° módulo Inovação & Criatividade
  45. 45. Qual das seguintes letras é diferente dos outros e por quê? A E I F U Pense em alternativas Olhar por outro prisma
  46. 46. Determine por que estes números foram postos dentro da ordem em que eles estão…. 5 2 9 8 4 3 1 0 É um jogo de números Quebra Gelo
  47. 47. 5 2 9 8 4 3 1 0 5 = Cinco 2 = Dois 9 = Nove 8 = Oito 4 = Quatro 3 = Três 1 = Um 0 = Zero Despreze sua suposição de que os números sempre deveriam ser considerados numeral, e tente ordem alfabética.. É um jogo de números Quebra Gelo
  48. 48. Ouse ser diferente Fuja da norma Como medir um prédio com um barômetro?
  49. 49. Ouse ser diferente Fuja da norma Como medir um prédio com um barômetro?
  50. 50. Niels Bhor Fuja da norma Niels Henrick David Bohr (1885 – 1962) foi um físico dinamarquês cujos trabalhos contribuíram decisivamente para a compreensão da estrutura atômica e da física quântica
  51. 51. Hoje em dia existe um excesso de empresas similares, empregando pessoas similares, que tiveram uma educação similar, exercendo funções similares, tendo idéias similares, produzindo coisas similares, com preços similarese qualidade similar. Ouse ser diferente Fuja da norma
  52. 52. O mundo está cheio de pessoas iguais, trabalhando em empresas iguais, que vendem produtos iguais, em mercados iguais Ouse ser diferente Diferenciação
  53. 53. SEJA DIFERENTE
  54. 54. Pense fora da caixa
  55. 55. Ofereça soluções Seja um solution provider Pessoas compram soluções para seus “PROBLEMAS”
  56. 56. Um olhar diferente para o desafio saindo do convencional
  57. 57. "Qualquer negócio pode ser reinventado, mesmo o mais simples. Aprendi isso quando tive de assumir a padaria criada por meu pai, morto num assalto. Eu era o primogênito e a família só tinha a padaria para se sustentar. Aprendi a fazer pão e virei padeiro. Identifiquei a melhor farinha para fazer o melhor pão da região. Aprendi a vender barato. Na época, o preço do pão era tabelado, mas eu o vendia com desconto de 30%. Fiz uma promoção em que o cliente, se comprasse dez pães, levava 12. Substituí os funcionários ruins. A padaria, que era a pior da área, virou a melhor. Os clientes faziam fila na porta. Percebi que mesmo em mercados aparentemente simples é possível se destacar dos concorrentes.”Alberto Saraiva, fundador e Presidente do Habib´s Pense em alternativas Olhar por outro prisma
  58. 58. 3 Habilidades básicas Voce S/A – Maio de 2015 Ser Curioso (pergunte, pergunte e pergunte) Ser receptivo (ao trabalho em equipe) Não ter medo (de testar e errar) Referência: Warren Berger, autor do livro A More Beautiful Question
  59. 59. 3 questões básicas Voce S/A – Maio de 2015 Por quê? (para entender o problema) E se? (conjecturas para estimular a imaginação) Como? (traz para a realidade possíveis respostas) Referência: Warren Berger, autor do livro A More Beautiful Question
  60. 60. Pessoas Inovadoras Perfil
  61. 61. Pessoas Inovadoras 8 Características do perfil do inovador São persistentes Correm riscos e cometem erros São curiosos Criam combinações novas a partir de padrões existentes Reconhecem necessidades Desenvolvem e refinam uma solução Vão mais longe Criam significado
  62. 62. 5 desculpas que não se pode mais dar Voce S/A – Maio de 2015 página 30 “Não sou criativo” Todo mundo é criativo e interpreta diferentes papéis ao longo da vida “Não sou Gênio” Não é preciso ser gênio para inovar, a maioria das ideias nasce do trabalho coletivo “Minha empresa não é inovadora” Assuma a responsabilidade, quem persistir será reconhecido como profissional inovador “Inovar é caro” Procure oportunidades baratas, sempre há um jeito de fazer mais simples e com menos recursos “Tenho medo de dar errado” O ser humano tem aversão ao risco o problema é que não há inovação sem risco
  63. 63. A Força das perguntas A pergunta certa é metada da solução Questolução Uma RESOLUÇÃO colocada em forma de QUESTÃO Referência: Warren Berger, autor do livro A More Beautiful Question
  64. 64. Mesmo que as empresas façam tudo certo, se não abrirem os olhos ao futuro poderão ainda estar erradas Miopia e hipermetropia Inovar sempre
  65. 65. As empresas falham por não arriscar na busca de novas tecnologias ou novos modelos de negócios capazes de atender futuras demandas Futurar Inovar ou evaporar
  66. 66. frases que matam ideias inovadoras Chic Thompson 1. Sim, mas... 2. Isto não está no orçamento 3. Isto nunca funcionará 4. Isso já foi tentado antes 5. O chefe não vai aceitar 6. Essa ideia demorará para ser implantada 7. Depois eu te dou um retorno 8. Isto precisa de mais estudos. 9. Se não está quebrado não concerte 10. O concorrente vai nos engolir
  67. 67. Quer ser surpreendido com boas ideias dos funcionários? A melhor maneira de fazer isso é criar incentivos, oferecer suporte e reconhecer. Valem prêmios em dinheiro, promoções, certificados – e o que mais a criatividade permitir. _Revista Negócios Profissão: Inovador Inovação deve estar no DNA da empresa
  68. 68. Inovar não é inventar Inovar pode ser incrementar
  69. 69. Por que falar sobre isto? Aula que faz o maior sucesso em Stanford ensina jovens a 'desenhar' futuro Desenhando o Futuro
  70. 70. Tendências 3 elementos fundamentais Mudança – Volume – Tempo
  71. 71. Exemplos de tendências Qual a tendência? Animais de estimação Mais mulheres no mercado de trabalho Mais casais sem filhos Mais consumidores de meia idade Mais pessoas morando sozinhas
  72. 72. Perguntas norteadoras Perguntas que ajudam na estruração do negócio 1.Qual a tendência? 2.Tem dinheiro? 3.Qual a demanda? 4.Qual a Solução?
  73. 73. Ferramentas Inovar
  74. 74. Análise SCAMPER Mnemonic device created by Bob Eberle (1971) to supplement training in basic rules of Brainstorming Problema/situação/necessidade S O que pode ser Substituído? C O que pode ser Combinado com outra coisa? A O que pode ser Adaptado? M O que pode ser Modificado? P O que pode ser Posto em outro uso? E O que pode ser Eliminado? R O que pode ser Rearranjado?
  75. 75. Substituir? combina r? rearranjar? reverter? adaptar? modificar? maximizar? minimizar? eliminar? Rever uso? “É mais fácil domar uma idéia selvagem Do que ter uma nova.” Alex Osborne Inove ou evapore Inovar pode instigar perguntas
  76. 76. Inovar não é inventar Inovar pode instigar combinações lápis + borracha
  77. 77. Que mais é igual a isto? Nós poderíamos combinar outro produto/serviço com isto? O que mais você usaria ao mesmo tempo? Como seria isto híbrido com outras idéias? Combinar Inovar pode instigar perguntas
  78. 78. Como ficaria se fosse enorme? E se nós aumentássemos um pouco? E se aumentássemos a quantidade, força, gama, capacidade? Como nós poderíamos aumentar o mercado? Maximizar Inovar pode instigar perguntas
  79. 79. O que aconteceria se fosse minúsculo? Nós poderíamos encolher um pouco? Reduzir o custo, esforço, peso? Há um mercado menor? Minimizar Inovar pode instigar perguntas
  80. 80. O que poderia alterar ou poderia redesenhar? Atualizar a tecnologia? Repensar as partes adjacentes? Qual velha suposição que nós poderíamos abandonar? Modificar Inovar pode instigar perguntas
  81. 81. O que poderíamos usar no lugar ? Tente materiais diferentes? Tente mercados diferentes? Tente componentes diferentes? Substituir Inovar pode instigar perguntas
  82. 82. Nós podemos usar algo de outra idéia? Nós poderíamos copiar outros processos? Nós poderíamos superar a tecnologia? Quem mais está fazendo isto? Adaptar Inovar pode instigar perguntas
  83. 83. Como se ajustaria em outro lugar? Pode se tornar parte de outra coisa? Como funcionaria na praia? Em tráfico? Em órbita? Subaquático? Adaptar Inovar pode instigar perguntas
  84. 84. De quantos modos poderíamos reconfigurar isto? Nós podemos reestruturar o processo? Nós podemos reconstruir o mercado? O que não estamos fazendo é melhor continuar não fazendo? Rearranjar Inovar pode instigar perguntas
  85. 85. Esqueça para o qual foi feito, em que mais poderíamos utilizar? Estaria em um incêndio? Em uma inundação? O que faria um habitante de outro planeta com isto? Rever uso Inovar pode instigar perguntas
  86. 86. O que poderíamos abandonar? O que está pesando nesta idéia? O que seria sem este componente? O que faríamos sem isto? Eliminar Inovar pode instigar perguntas
  87. 87. E se nós fizéssemos exatamente oposto? Trabalharia ao contrário? Ao avesso, de cabeça para baixo? Reverter Inovar pode instigar perguntas

×