Se ha denunciado esta presentación.
Utilizamos tu perfil de LinkedIn y tus datos de actividad para personalizar los anuncios y mostrarte publicidad más relevante. Puedes cambiar tus preferencias de publicidad en cualquier momento.

Integração utilizando REST API e Microservices

Solucionando integrações entre sistemas utilizando REST API e Microservices, além das boas práticas de desenvolvimento ágil.

  • Sé el primero en comentar

Integração utilizando REST API e Microservices

  1. 1. NS-Integration Integrações baseada em RESTAPI e Microservices
  2. 2. Introdução NSI ou Netshoes Integration é o nome do time que hoje é responsável por prover integrações sistemicas entre os diversos sistemas da Netshoes como STEP, Ábacos, BCC, ATG. Bem-vindo! 0 1
  3. 3. Missão A nossa missão é solucionar os problemas de comunicação entre os sistemas, como PRODUTO X LOJA ou PREÇO X LOJA, garantindo feedback rápido aos sistemas, áreas de negócio e usuários. 0 3
  4. 4. CATALOG Gestão do catálogo de produtos e tudo o que o compões como Marca, Departamento, Atributos, Configurações, Classificação, Categoriazação SERVICE ATG Integração de produtos e preços com a loja, realizando a orquestração da composição do produtos, críticas e gestão de reenvio PRICE Integração de preços entre o Ábacos e a Loja, mantendo o preço atualizado online. Produtos Hoje o NSI é composto por diversos microservices 1 8 SERVICE MKP Integração com o catálogo de produtos do Marketplace, realizando o matching de produtos entre o catálogo Netshoes e Sellers. SERVICE ÁBACOS Mantem o Ábacos atualizado com o catálogo de produtos do Marketplace CRITICIZES MANAGER Gerencia as críticas das integrações RESERVE MANAGER Sistema de reserva que gerencia consumo de dados para cada sistema TASK MANAGER Gerencia tarefas agendadas para que sejam executadas garantindo um feedback da tarefa
  5. 5. Primeiramente, não optamos pela tradicional solução de integração onde temos um sistemão com integrações baseadas em arquiteturas monolíticas fazendo o uso de SOAP, tudo no BANCO DE DADOS e a velha troca de arquivos XML . Solução
  6. 6. O que tem dado certo em arquiteturas complexas com muitos sistemas se comunicando, grande volume de dados, garantia na entrega? REST API e Microservices Vamos ao bom e velho trabalho de arquitetura
  7. 7. Empresas que precisam trocar grande volume de dados com um grande ecosistema sistemico tem mostrado que isso funciona, veja: Quem tem usado isso?
  8. 8. 01 Protocolo de rede muito utilizado HTTP 03 Alta Performance Web Proxy (localização geográfica) 04 Alta Disponibilidade Load Balancers como serviço Escalabilidade Web Cache 02 05 Permite evolução sem parar o sistema Load Balancers Porque REST? 1 9 06 Permite evolução sem quebrar os clientes JSON, XML, HTML 07 Segurança Oauth, HTTPS, TLS
  9. 9. Queremos integrar e manter o baixo acoplamento Mapeando recursos que possam ficar transparentes para os clientes Porque REST? 1 9 uuid type entity Resource code department attrbiutes Product code name Department category sku_code list_price sale_price Price
  10. 10. Porque REST? 1 9 Definição de contratos e Representação JSON
  11. 11. Porque REST? 1 9 RESTful nível 2 Utilização dos verbos e códigos de retorno do HTTP
  12. 12. Porque REST? 1 9
  13. 13. Porque REST? 1 9
  14. 14. REST + SWAGGER 1 9
  15. 15. REST + SWAGGER 1 9
  16. 16. REST + SWAGGER 1 9
  17. 17. Porque Microservices? 1 9 O Microservices é uma estratégia de arquitetura de software que vem sendo aplicada faz alguns anos com o objetivo de tornar os serviços mais escaláveis. As aplicações monolíticas estão perdendo espaço para os projetos orientados a serviço. Essa mudança deve-se a necessidade dos negócios atuais de crescerem rapidamente e de forma dinâmica. Ao projetar esse novo modelo arquitetural princípios de orientação a objetos, padrões, desacoplamento e responsabilidades se tornam fundamentais além de testes unitários integrados e suporte ao ciclo inteligente de DevOps. • Combina com agilidade • Estabelece pequenos serviços que possam funcionar de forma independente • Garante a entrega continua e agilidade na atualização de partes do aplicação • Favorece testes automatizados para que possa provisionar ou atualizar com segurança uma nova versão http://www.ramonduraes.net/2015/05/10/introduo-ao-conceito-de-microservices/
  18. 18. 01 Delegar responsabilidade específicas para cada componente 02 Escala na horizontal 03 Permite manutenção continua sem afetar o ecosistema Porque Microservices? 1 9 04 Foco no produto e na evolução de novas features 05 Baixo custo de infraestrutura 06 Facilita a automação e reduz o trabalho operacional/manual, permite o DevOps
  19. 19. Porque Microservices?
  20. 20. Tecnologias utilizadas
  21. 21. Boas Práticas CODE COVERAGE
  22. 22. Boas Práticas Tests
  23. 23. Boas Práticas Sonar
  24. 24. Futuro do NSI INKA Netshoes
  25. 25. Visão Macro de Integrações 1 9
  26. 26. Visão de Componentes de Integrações 1 9
  27. 27. Visão de Componentes de Integrações 1 9
  28. 28. Visão de Componentes de Integrações 1 9
  29. 29. Visão de Componentes de Integrações 1 9
  30. 30. Visão de Componentes de Integrações 1 9
  31. 31. Visão de Componentes de Integrações 1 9
  32. 32. Obrigado! Denis Santos denissys@gmail.com

×