Se ha denunciado esta presentación.
Utilizamos tu perfil de LinkedIn y tus datos de actividad para personalizar los anuncios y mostrarte publicidad más relevante. Puedes cambiar tus preferencias de publicidad en cualquier momento.

Aula 03 história do design gráfico

975 visualizaciones

Publicado el

História do design gráfico

Publicado en: Educación
  • Sé el primero en comentar

Aula 03 história do design gráfico

  1. 1. HISTÓRIA DO DESIGN GRÁFICO Prof. Ms. Elizeu N. Silva
  2. 2. Nas primeiras décadas do século XX a publicidade irá emprestar de movimentos artísticos uma estética mais complexa e sofisticada, visando apresentar um mundo de sonhos ao consumidor. Entre as novidades do campo da arte, duas tendências atendem à perfeição as necessidades da publicidade: art nouveau e art déco. Cartazes art nouveau. A popularização da litografia favoreceu a aplicação dessa estética em produtos impressos nos anos 1920
  3. 3. O art nouveau é uma arte cosmopolita, bem ao gosto da sociedade urbana em franco crescimento no fim do século XIX e começo do XX. É adotado em diversos campos da atividade humana: urbanismo, arquitetura, mobiliário, arte figurativa, moda, joias etc.
  4. 4. O art nouveau ocorre no contexto da belle epóque. Virou moda ao ponto de alcançar quase todas as camadas: os mais ricos dispunham de peças exclusivas feitas por artistas renomados, como Gaudí, Gustav Klimt e Toulouse-Lautrec. Aos mais pobres eram destinadas cópias baratas e industrializadas, feitas com materiais menos nobres.
  5. 5. O art nouveau tem certas características constantes: a. temática naturalista (flores e animais); b. motivos derivados da arte japonesa; c. arabescos lineares e cromáticos, ritmados em curvas, espirais e volutas; d. tonalidades frias, pálidas, transparentes, esfumaçados; e. fuga do equilíbrio simétrico, com opção pela sinuosidade, ondulação, com largura ou altura acentuadas; f. agilidade, leveza, elasticidade, juventude e otimismo.
  6. 6. Nos objetos e na arquitetura, o art nouveau rejeita as formas meramente funcionais típicas da produção industrial, aderindo à sinuosidade e às formas curvilíneas.
  7. 7. O art nouveau nunca foi uma arte popular. Ao contrário, foi produzida e consumida quase exclusivamente para as elites da economia capitalista. Desapareceu quase completamente em decorrência dos conflitos sociais decorrentes da I Guerra Mundial e que resultariam na II Grande Guerra.
  8. 8. Outro movimento que contribuiu fortemente para o design gráfico foi o art déco. O nome tem como origem uma exposição realizada em Paris em 1925, sob o nome “Exposição Internacional das Artes Decorativas e Industriais Modernas”. Como sugerido pelo nome da exposição, trata-se de obras decorativas e geralmente industrializadas.
  9. 9. Caracterizado pelas linhas geométricas e referências a culturas antigas (Egito e Grécia, principalmente), o art déco se difundiu entre na primeira metade do século XX, com forte presença entre os anos 1920 e 1940.
  10. 10. Nos primeiros anos se caracterizou pelo uso de materiais caros, como marfim, mármores e jade, atendendo à sofisticação e ao desejo de luxo da burguesia europeia.
  11. 11. Posteriormente trilha o caminho do design industrial, adotando materiais sintéticos e mais baratos, favorecendo a produção em larga escala. No Brasil, adota a cerâmica marajoara como referência estética. Cerâmica marajoara serviu de inspiração para produção art déco no Brasil
  12. 12. Contribuição para o design de tipos:
  13. 13. Contribuição para o design de tipos:
  14. 14. Anúncios em estilo art déco:
  15. 15. Anúncios em estilo art déco:
  16. 16. Anúncios em estilo art déco:
  17. 17. Referência bibliográfica ALVES FILHO, Manuel. 200 anos da história do livro no país. Jornal da UNICAMP. Campinas, 21 a 27 de novembro de 2011 ARGAN, Giulio Carlo. Arte moderna. São Paulo, Ed. Cia das Letras, 2004 DELMAS, Ana Carolina. Dedicatórias impressas no Brasil joanino. Rede Memória. Disponível em http://redememoria.bn.br/2012/01/dedicatorias-impressas-no-brasil- joanino/ MELO, Chico Homem de; RAMOS, Elaine. (Orgs.) Linha do tempo do design gráfico no Brasil. São Paulo, ed. Cosac Naify, 2011

×