Se ha denunciado esta presentación.
Utilizamos tu perfil de LinkedIn y tus datos de actividad para personalizar los anuncios y mostrarte publicidad más relevante. Puedes cambiar tus preferencias de publicidad en cualquier momento.
HISTÓRIA DO 
DESIGN GRÁFICO 
Prof. Ms. Elizeu N. Silva
Art Nouveau no Brasil: 
Primeira edição da revista Cruzeiro (1928) e 
cartões-postais do Departamento de Turismo 
do Rio d...
Art Déco no Brasil: 
Cartazes da Revolução 
Constitucionalista
Art Déco:
Bauhaus:
Na década de 1940 a fotografia colorida ocupa 
definitivamente o papel de principal linguagem gráfica nas 
capas de revist...
Uma ideia ousada surge na revista Tricô e Crochê, que 
tinha Alceu Penna como diretor de arte. Para fugir da mera 
reprodu...
Para se diferenciar de publicações mais populares, que 
usavam a fotografia ostensivamente, revistas mais 
sofisticadas ap...
Referência bibliográfica 
ARGAN, Giulio Carlo. Arte moderna. São Paulo, Ed. Cia das 
Letras, 2004 
LUPTON, Ellen; MILLER, ...
Aula 05   história do design gráfico
Próxima SlideShare
Cargando en…5
×

Aula 05 história do design gráfico

História do Design Gráfico no Brasil. Anos 1940 e 1950.

  • Sé el primero en comentar

Aula 05 história do design gráfico

  1. 1. HISTÓRIA DO DESIGN GRÁFICO Prof. Ms. Elizeu N. Silva
  2. 2. Art Nouveau no Brasil: Primeira edição da revista Cruzeiro (1928) e cartões-postais do Departamento de Turismo do Rio de Janeiro (1934). Ilustrador: Manuel Móra
  3. 3. Art Déco no Brasil: Cartazes da Revolução Constitucionalista
  4. 4. Art Déco:
  5. 5. Bauhaus:
  6. 6. Na década de 1940 a fotografia colorida ocupa definitivamente o papel de principal linguagem gráfica nas capas de revistas. As ilustrações cedem espaço para fotos de estrelas do rádio em fotos posadas, ou em montagens de fotografias. Carmen Miranda, no auge da carreira artística, é o rosto mais constante nas capas de revista de variedades.
  7. 7. Uma ideia ousada surge na revista Tricô e Crochê, que tinha Alceu Penna como diretor de arte. Para fugir da mera reprodução fotográfica nas capas de revistas, presentes em todos os títulos, ele decide fundir desenho e fotografia. O resultado foi muito bem recebido pelo público feminino, que via nas capas um toque encantador e bem humorado.
  8. 8. Para se diferenciar de publicações mais populares, que usavam a fotografia ostensivamente, revistas mais sofisticadas apelam a artistas plásticos reconhecidos, como Di Cavalcanti e Carlos Thiré, para desenvolver capas antenadas com o modernismo.
  9. 9. Referência bibliográfica ARGAN, Giulio Carlo. Arte moderna. São Paulo, Ed. Cia das Letras, 2004 LUPTON, Ellen; MILLER, J. Abbott. ABC da Bauhaus. Ed. Cosac Naify, São Paulo, 2008 MELO, Chico Homem de. Linha do tempo do design gráfico no Brasil. Ed. Cosac Naify, São Paulo, 2011

×