Se ha denunciado esta presentación.
Utilizamos tu perfil de LinkedIn y tus datos de actividad para personalizar los anuncios y mostrarte publicidad más relevante. Puedes cambiar tus preferencias de publicidad en cualquier momento.

história

1.490 visualizaciones

Publicado el

a busca pela potencialização sugestiva

Publicado en: Educación
  • Inicia sesión para ver los comentarios

  • Sé el primero en recomendar esto

história

  1. 1. A Busca Pela Potencialização Sugestiva Exponha para os alunos que há momentos para tudo. Há hora para estudar, comer, brincar, tomar banho,dormir, ir para a escola, enfim, tudo deve ser controlado. Reflita e indague com sua turma: você já aprendeu a organizar seu tempo? Suas atividades diárias? 1° Essa história reflete bem isto, é o conto do menino que só queria dormi. Agora, é ler e discutir. A história tem uma opção em áudio no link abaixo. Era uma vez um menino chamado Lucas. Ele tinha seis anos e até aquele dia de sua vida nunca tinha dormido. Desde que tinha saído da barriga de sua mãe, nunca tinha tido sono. Seus pais, no começo, quando ele era ainda um bebê, ficavam acordados com ele, mas depois não aguentaram mais. Cansados de sono, dormiam e ele continuava acordado. Lucas tinha um quarto só para ele. seu quarto era como o quarto que todos os meninos de seis anos mereciam ter. Tinha uma cama, um armário para guardar roupas e sapatos, um baú cheio de brinquedos, uma mesinha com uma cadeira para ele se sentar para fazer desenhos e ver seus livrinhos, e uma estante com seus cadernos e livros de histórias. Depois de jantar, pôr o pijama e escovar os dentes, ele se deitava em sua caminha, como todos os meninos, e escutava as histórias que seus pais lhe contavam. às vezes era o seu pai que contava histórias e às vezes era sua mãe. De vez em quando, era uma de suas avós. Mas todas as noites ele se deitava para ouvir histórias. Como não tinha sono, pedia que o contador de histórias contasse outra e depois outra e mais outra história. Só que o contador de histórias tinha sono e precisava parar para dormir, como todo mundo. Menos ele, que não tinha Sono. Depois que dizia boa noite para quem estava com ele, se levantava, fechava a porta de seu quarto e começava a brincar sozinho. Ficava bem quietinho para não acordar as outras pessoas da casa seus pais e seus dois irmãos. E também seu cachorrinho. Só ele acordado na casa, passava a noite brincando sozinho. Conversava com seus brinquedos, fazia desenhos, via seus livrinhos, escutava música bem baixinho, fazia ginástica, e fazia tudo o que dá para fazer sozinho num quarto de menino. De manhã, sua mãe ia ao seu quarto e ele estava brincando. Então trocava de roupa, tomava seu café da manhã, escovava seus dentinhos e ia para a escolinha. Todos os seus amiguinhos dormiam um pouco na escola, menos ele, que ficava brincando com suas professoras e fazendo desenhos. Lucas jamais dormia, mas via os outros dormindo e ficava com vontade de dormir também. Só que não conseguia. Ele bem que tentava. Ficava quietinho na cama, fechava os olhinhos, pensava em coisas boas, mas....nada! Não dormia. Seus pais, seus avós e seus professores já tinham tentado de tudo. Ele já tinha sido levado a todos os médicos da cidade, tinha tomado remédios para dormir, tinha escutado todas as histórias que fazem as crianças dormirem, tinha brincado com todos os brinquedos que fazem as crianças dormirem, mas...nada! Com ele nada funcionava. Nem mesmo uma cama que se mexia (balançava bem devagarinho) funcionava. Estava sempre acordado e sem sono. Um dia apareceu naquela cidade um inventor. Fazia qualquer coisa que lhe pedissem. Inventava máquinas e aparelhos para tudo. Tinha até inventado um robô igualzinho a ele e que também era Inventor. Assim, quando ele estava cansado, mandava o robô trabalhar e ninguém percebia que não era ele. Quando o inventor apareceu naquela cidade, o pai de Lucas pediu para ele inventar uma máquina que fizesse seu filho dormir. Depois de alguns dias, o inventor trouxe uma caixa bem grande até a casa de Lucas e disse que ia montar uma máquina no quarto dele para que aprendesse a dormir. A máquina parecia um robô. Na verdade, era mesmo um robô, só que meio desengonçado, sem pernas, só com braços. Quatro O conteúdo é desenvolvido pelo professor e o técnico trabalha com um meio afim de transmitir o conteúdo. O conteúdo é desenvolvido pelo professor e o técnico trabalha com um meio afim de transmitir o conteúdo. Ferramentas que contribuem com a construção da aprendizagem -técnicoFerramentas que contribuem com a construção da aprendizagem -técnico
  2. 2. Quatro braços. O inventor pediu que Lucas vestisse o seu pijaminha e que se deitasse para dormir. o inventor pediu que a mãe dele lhe contasse uma história e que cantasse para ele, como fazem todas as mães na hora de dormir. Então ligou a máquina.A máquina fazia umbarulho de chuva bem delicado. De vez em quando o barulho de chuva parava e a máquina cantava bem baixinho.Depois voltava o barulhinho da chuva. De tempos em tempos a máquina falava bem baixinho no ouvido do menino: - Eu gosto muito de você. Eu amo você. Fonte: No link tem uma opção para ouvir a história. http://www.minhashistorinhas.art.br/index.php/12-o-menino-que-nao-dormia 2° Atividade descrita por uma professora.. Utilizando recortes de jornais e revistas, represente na folha algumas atividades que você realiza durante os dias em que frequenta a escola. Professor, nesse momento trabalhe a questão dos dias da semana, por exemplo, o final de semana que compreende o sábado e o domingo você não vai para a escola, portanto deve se basear nos cinco dias da semana para realizar a atividade. Comer- Faz bem para o organismo, ajuda a crescer. ( È gostoso !) Dormi- Para pode crescer enquanto sonham com o que vocês mais gostam. Estudar- O que quero ser quando crescer ? - Um juiz, historiador, astronauta… Quem quer ser o pega pega ? -Se divertir e alavancar os sentidos motores. O técnico vai procurar ferramentas que contribuam com a construção da aprendizagem. Aqui, a história que o professor dispõe para trabalhar possui uma versão em mp3, ela foi disponibilizada na internet, assim como revistas e os jornais é de minha responsabilidade organizar esse material e encontrar novos para a aula. Fique por dentro Aula escrita pelo professor.Aula escrita pelo professor.
  3. 3. 3° Com a evolução dos meios tecnológicos sabemos como os hábitos de brincar estão cada vez mais dispersos nas crianças de hoje. O uso excessivo de aparelhos eletrônicos tem causado enormes problemas nas crianças e também nos jovens, é com esse descontrole que sugiro uma brincadeira popular para mostrá-los como é divertido interagir com o colega. Lembre-se : Segui a recomendação de especialistas para a execução da atividade nessa faixa etária. Qual a melhor diversão para cada idade? A educadora Adriana Friedmann, autora dos livros A Arte de Brincar e Desenvolvimento da Criança através do Brincar, indica a melhor brincadeira para cada faixa etária. A melhor brincadeira de 7 a 10 anos O que a criança curte nessa fase: Quando chegam ao Ensino Fundamental, as crianças querem e procuram companhias da mesma idade. Gostam de acampamentos, espaços ao ar livre e parques. O que os pais devem lembrar: A companhia de outras crianças da mesma idade é recomendável e muito salutar. Atividades como acampamentos e idas a clubes e a parques proporcionam essa convivência. Nessa faixa de idade, as crianças também já podem passar alguns períodos sozinhas, para que escrevam, pintem e brinquem do que tiverem vontade. Atividades ideais: As crianças precisam de desafios, iniciação aos esportes, contato com a natureza e visitas a museus. Leitura e jogos de tabuleiro também são boas opções, principalmente para dias frios ou nublados, quando preferem ficar dentro de casa. O contato com instrumentos musicais também é muito interessante. Ponto de atenção: TV, vídeo e computador devem ser limitados. Como nessa idade as crianças Já são mais independentes, é preciso atenção com comidas fora de casa, principalmente com fast food e com petiscos. Dica da Adriana: "Como as crianças já têm discernimento, os eletrônicos, se usados por longos períodos, têm o poder de atrapalhá-las". Reportagem completa e faixa etária. 3 ° Seguindo a recomendação acima, minha ideia é de levar os pequeninos a um museu, parque ou uma outra alternativa que possua em sua cidade. ( De preferência que tenha livros, história, cultura…) “O desafio de inserir métodos com os quais se trabalhe alunos cinestésicos fazendo desperta emoções naquilo que esta sendo trabalhado como atividades dinâmicas; Inserindo apresentações atraentes para os que fixam o que viram; inserindo Ligações das atividades rotineiras para exemplificar as ações estabelecidas em sala de aula. Todas essas ações coordenadas se trabalhadas corretamente trarão ótimo Resultados para esses perfis de aprendizagem.” Sugestão de pesquisa para complemento de conteúdoSugestão de pesquisa para complemento de conteúdo

×