4 Dicas Simples para
Abandonar a
Mentalidade de Vítima
Alguma vez reagiste de acordo com a
tua Mentalidade de Vítima e não
saberes como lidar com a situação?
A nossa mentalidade...
Depois de estudar um pouco este assunto e falar com várias pessoas
interessantes, consegui desconstruir esta ideia em 4 co...
Eu como adolescente começei a entender este conceito com a minha vida
social na escola.
Lembro-me perfeitamente como se fo...
A maioria de nós – provavelmente todos – deixa que pequenas partes de si morram todos os dias, muitas vezes sem dar conta....
Imagina uma pessoa que procura mudar de emprego ou mesmo despedir o patrão e começar um negócio
próprio como eu e a Rute f...
meu futuro. Tinha um desejo ardente de começar a actuar sobre o meu sonho e isso influênciava as pessoas à
minha volta a f...
Atitude
As tuas atitudes por norma são os resultados das tuas experiências vividas. Se tiveres vivido uma vida a lutar pel...
o meu coração transmitia. Era real, era o meu sonho e eu passei a adorar falar nele e a ensinar outras pessoas
a adaptarem...
Gratidão
Este último conceito e o mais importante para eliminares a mentalidade de vítima que te tem atormentado ao longo ...
Se me permitires agora vou dar-te 4 dicas directamente para
ti e para a tua mentalidade de vítima (se aplicável).
 Talvez...
 Uma mentalidade negativa pode te fazer tomar atitudes menos boas. Analisa a mentalidade de vítima, por exemplo: trata-se...
4 dicas simples para abandonar a mentalidade de vítima
Próxima SlideShare
Cargando en…5
×

4 dicas simples para abandonar a mentalidade de vítima

384 visualizaciones

Publicado el

O que mudaria na tua vida se deixasses de validar a tua mentalidade de vitima?
Deixa que hoje seja o dia em que sacodes todo o drama derrotista e abraces a tua abilidade inata de recuperar e superar: http://filipecvieira.com/e/blog-ment-vitima

Publicado en: Desarrollo personal
  • Sé el primero en comentar

  • Sé el primero en recomendar esto

4 dicas simples para abandonar a mentalidade de vítima

  1. 1. 4 Dicas Simples para Abandonar a Mentalidade de Vítima
  2. 2. Alguma vez reagiste de acordo com a tua Mentalidade de Vítima e não saberes como lidar com a situação? A nossa mentalidade é estabelecida pelas nossas experiências vividas, conduzidas pelos nossos 5 sentidos (visão, audição, olfacto, tacto, paladar). O significado que nós atribuimos a cada experiência, seja ela boa ou má, irá reflectir-se na maneira como pensamos, óbvio. Então se é tão óbvio porquê que continuamos com os mesmos problemas de sempre e a queixarmo-nos das mesmas coisas? Hoje o que te vou falar, irá aprofundar está ideia complexa para ti. Ao desconstruir uma ideia, conseguimos identificar os detalhes e trabalhar neles individualmente em vez de continuarmos a tentar de tudo à espera que algo funcione. É a mesma coisa que tomares comprimidos para a dor de cabeça quando te doi a barriga. Algo vai acontecer, mas provavelmente vais continuar com dor de cabeça.
  3. 3. Depois de estudar um pouco este assunto e falar com várias pessoas interessantes, consegui desconstruir esta ideia em 4 conceitos:  Ambição;  Ação;  Atitude;  Gratidão. Ambição Nós como Seres Humanos, temos uma certa tendência para procrastinar, é a verdade pura e dura. Existem tantos obstáculos no nosso dia-a-dia que acaba por se tornar mais fácil deixarmos de alimentar a nossa ambição. É mais fácil e seguro adoptar uma mentalidade de vitima e deixar de sonhar e deixar que os sonhos de outras pessoas se apoderem das nossas vidas.
  4. 4. Eu como adolescente começei a entender este conceito com a minha vida social na escola. Lembro-me perfeitamente como se fosse hoje, era um miúdo ainda. Não me importava de me sujar e andar por aí com roupa rasgada de tanto brincar. Não havia nada neste mundo que me fazia confusão. Tudo era perfeito. Até chegar uma altura em que apenas ter um nódoa na roupa me fazia confusão, não suportava a ideia de alguém me ver com aquela mancha nojenta. Era essa a minha mentalidade quando era pré-adolescente, era o que eu via e ouvia na rua, na televisão, na escola. A minha realidade estava a ser construída por pessoas que não eram mais nem menos inteligentes do que eu. Estavamos todos a estudarFracassologia, a ciência de ensinar outras pessoas a serem fracassadas. Os meus sonhos e a minha ambição era igual a de todas as outras pessoas. Estava a transformar a minha ambição em sonhos utópicos e impotentes. E, assim, todos os dias perdemos um pouco de nós: morremos um pouco cada vez que um sonho fica por alcançar, cada vez que o medo ultrapassa a coragem. Mas, vivemos melhor quando temos consciência que a nossa felicidade só depende de nós. Por isso, é importante aprender como é simples enfrentar mais um dia de sorriso ambicioso na cara.
  5. 5. A maioria de nós – provavelmente todos – deixa que pequenas partes de si morram todos os dias, muitas vezes sem dar conta. Seja por corrermos para o telemóvel mais rápido do que corremos para a felicidade, seja sempre que somos levados pela monotonia e embalados pela inércia, há uma parte de nós que fica para trás. Os hábitos que criamos são uma barreira ao sonho. Especialistas referem que a vontade de ambicionar diminui quando o conforto cresce. De facto, viver de acordo com os padrões de grupo, traz só por si um certo de nível de segurança e estabilidade, mas com facilidade nos despersonalizamos e esquecemos de nós. Neste sentido, é importante criarmos um tempo de reflexão no dia-a-dia de forma a não entrar numa rotina que nos leva a deixar de ter tempo e vontade para os sonhos e ambições. É importante alimentar a ambição, o desejo de atingir um objetivo específico. Pode ser desde ter bens materiais até termos a oportunidade de desenvolver as nossas capacidades a nível mais espiritual. A vida é feita de pequenas vitórias. Porque desistimos de ambicionar? O medo é uma forma de aviso e prevenção desenvolvido pelas nossas experiências de vida que tem boas razões para existir e que, em muitas situações nos protege. Mas também é o medo o responsável por parte da nossa falta de desejo de mudança. O medo de falhar, de saltar fora da zona de conforto, de perder estabilidade e segurança.
  6. 6. Imagina uma pessoa que procura mudar de emprego ou mesmo despedir o patrão e começar um negócio próprio como eu e a Rute fizemos, o medo da mudança poderá fazer com que a pessoa nem sequer veja as oportunidades óbvias mesmo à sua frente. Os pensamentos negativos, “nunca vou conseguir!” ou “eu não sou capaz”, devem ser racionalizados e substituídos pela ponderação lógica da realidade da situação. Na realidade, isto não é mais do que um exercício de autoconfiança. E a autoconfiança, está intimamente relacionada com o nosso desenvolvimento pessoal, com a forma como integramos a ambição, a motivação e o comportamento. Focar nos factos presentes e não se deixar levar pela instabilidade das emoções. Este é o equilíbrio que podemos encontrar entre o medo e a ambição. Acção Quando já tiveres entendido qual é a tua ambição real, separada da ambição alheia, é a altura certa para actuares sobre ela. Como diz a lei da inércia, a acção e força que aplicares ou não aplicares num objecto vai fazer como que o objecto entre em movimento ou não. Quanto mais acção aplicares no objecto, mais rápido se irá deslocar. Nos meus anos de adolescência, quando já estava a começar a pensar pela minha própria cabeça, comecei a ver uma diferença significativa na minha vida em geral. Porém, a fase de mudança não foi pêra doce. Quando decidi deixar crescer o meu cabelo e a minha barba, uma coisa tão simples e pertencente à natureza Humana, todas as pessoas me criticavam e questionavam acerca do porquê da minha barba e cabelo. Claro que eu não sabia o que responder, apenas me sentia bem assim, foi a maneira que encontrei para me começar a expressar individualmente. Com isso, comecei a desenvolver-me um pouco mais, deixei que a minha ambição fizesse parte da minha vida e decidi actuar sobre ela. Partilhava as minha ideias e intenções para o
  7. 7. meu futuro. Tinha um desejo ardente de começar a actuar sobre o meu sonho e isso influênciava as pessoas à minha volta a fazerem o mesmo, mesmo parecendo uma loucura. Mais ou menos um ano depois, todas as pessoas que me tinham criticado ou não, começaram a agir da mesma maneira. Rapazes a deixar crescer cabelo e a barba, não por eu ser muito bonito e eles terem uma panca estranha por mim…mas sim por o que aquilo significava. Significava mudança, pensamento próprio eacção sobre a ambição…fosse ela qual fosse. Tudo tem uma métrica, mesmo quando estamos a aplicar acção sobre a nossa ambição pessoal devemos ter um metodo e uma estratégia. Existe a probabilidade de falhares, sim, talvez mais que uma vez. A tua persistência é que vai determinar o alcance que vais ter sobre o teu sonho.
  8. 8. Atitude As tuas atitudes por norma são os resultados das tuas experiências vividas. Se tiveres vivido uma vida a lutar pelas tuas ideias e influênciado pessoas a fazer o mesmo, muito provavelmente irá ser mais fácil teres uma personalidade feliz e as tuasatitudes serem positivas no geral. As tuas palavras falam a abundância do teu coração Está mais que provado que o que tu pensas e o que sai da tua boca reflectem-se nas tuas atitudes e na taxa de sucesso do teu trabalho. Faz sentido para ti? Quando comecei este meu projecto de blog e actual profissão eu pensava muito “e se não der resultado?” ou “será que vou ser bem sucedido com uma coisa que ninguém faz?”. Eu não estava a acreditar no que estava a fazer, apenas por não ser genérico e não me terem ensinado isso na escola. Achas que tive algum tipo de audiência ou sucesso no ínicio quando tinha este tipo de pensamento? Claro que não Só após ter encontrado a fórmula certa aplicada à minha vida é que comecei a ter resultados. Comecei a receber comentários interessantes no meu blog, a minha audiência estava a sentir nos meus artigos aquilo que
  9. 9. o meu coração transmitia. Era real, era o meu sonho e eu passei a adorar falar nele e a ensinar outras pessoas a adaptarem a minha fórmula aos sonhos delas. A influência que as tuas ideias claras têm na vida de outras pessoas é talvez um dos maiores poderes que um Ser Humano pode ter.
  10. 10. Gratidão Este último conceito e o mais importante para eliminares a mentalidade de vítima que te tem atormentado ao longo da tua vida. Gratidão corresponde ao fim de um ciclo e ao ínicio de um novo. Quando a tua vida é abundante a nível pessoal e fincanceiro, o teu coração fica com mais espaço para receber outras pessoas para o teu ciclo de abundância. Dar de volta a outras pessoas é o ESTADO SUPREMO do sucesso. Ser grato não é só dizer obrigado. Ser grato é usares a tua ambição, as tuas ações e as tuas atitudes para te conectares com o mundo e fazeres o que tu poderes para tornar o mundo um bocadinho melhor, todos os dias Vejo isso a acontecer com o meu grupo de bloggers regularmente em grande escala e constantemente em menores escalas. Já por 2 anos seguidos um grupo de pessoas comuns como eu e tu, compraram viaturas e angariaram materiais escolares, sementes para cultivo e medicamentos para conduzirem até à Guiné Bissau e deixar lá tudo e voltarem de avião apenas com a roupa que tem na pele. Penso que nunca assiti a nada tão grandioso e gratificante.
  11. 11. Se me permitires agora vou dar-te 4 dicas directamente para ti e para a tua mentalidade de vítima (se aplicável).  Talvez houveram dias em que tu acordaste e te sentiste ótimo. Conforme o dia foi passando, parecia que nada poderia dar errado e que a sorte continuava a sorrir para ti. Talvez foste o heroi do dia no teu trabalho ou finalmente tiveste uma conversa com alguém que ja nao vias a anos. Quando te sentes feliz e positivo, os pontos maus do dia têm menor probabilidade de trazer o teu humor para baixo. Focas-te nos eventos positivos do dia com mais intensidade do que nos negativos, fazendo com que o teu comportamento se torne mais agradável e educado. Isso leva as pessoas a tua volta a reagirem com mais positividade também.  Uma mentalidade de vítima tem a habilidade de te deixar em baixo rapidamente, caso tu permitas. Esse tipo de atitude faz com que tu te foques nos aspectos frustrantes do teu dia, nos obstáculos, nos problemas e nas experiências desagradáveis. A frustração pode fazer com que tu te tornes agressiva ou até mesmo rude com os outros. Em troca, as pessoas a tua volta passam a ter uma probabilidade maior de reagirem negativamente a tudo o que tu fazes. Como resultado disso, espalhas o mau humor e promoves um comportamento negativo.  Uma atitude positiva pode induzir ações do mesmo tipo, criando um ciclo de autoperpetuação. Quando tu tens alta auto-estima e estímulo para ajudares as pessoas, tu possuis todas as ferramentas necessárias para que ações positivas sejam realizadas. Por exemplo, uma mentalidade vencedora pode motivar as pessoas a participarem numa maratona para a caridade ou para ajudar os menos afortunados. Esse tipo de iniciativa dá a coragem que se precisa para desenvolver tais eventos, além de trabalhar a generosidade para ajudar os outros.
  12. 12.  Uma mentalidade negativa pode te fazer tomar atitudes menos boas. Analisa a mentalidade de vítima, por exemplo: trata-se da ideia de que a vida não é justa e sentes-te intitulado a receber coisas por todo o sofrimento que passas-te. Um ladrão pode pensar dessa forma quando coloca produtos não pagos nos bolsos. Uma mentalidade criminosa também pode ser um fator determinante para o comportamento negativo. Mesmo quando não se tem uma mentalidade de vítima, permitir que pensamentos negativos de um grupo te afetem pode fazer com que tu tenha atitudes que não seriam consideradas em outras situações. Estas 4 dicas que praticamente ninguem aplica fazem toda a diferenca entre teres a vida feliz que queres ou criares uma vida frustrante. Se mantiveres a tua mente aberta a outras opinioes irá permitir que a tua realidade se expanda para as pessoas ao teu redor e vai motiva-las a fazer o mesmo com as suas vidas individuais, assim todos se iram sentir compreendidos e aceites mesmo quando tiverem opiniões opostas. Obrigado por leres e não te esqueças de partilhar uma experiência tua nos comentários abaixo Filipe Vieira

×