Se ha denunciado esta presentación.
Utilizamos tu perfil de LinkedIn y tus datos de actividad para personalizar los anuncios y mostrarte publicidad más relevante. Puedes cambiar tus preferencias de publicidad en cualquier momento.
TEORIA CRÍTICA



  A ESCOLA DE
  FRANKFURT
Teoria Crítica - Cronologia
O  Instituto de Pesquisas Sociais (Escola
  de Frankfurt) surge em 1923 na
  Alemanha.
 A es...
Conceitos
 Dois conceitos importantes foram
  criados durante o exílio nos EUA:
 Dialética do Esclarecimento

 Indústri...
Dialética do Esclarecimento
   Este conceito fazia uma crítica à idéia de que a razão
    libertaria a humanidade, de que...
Indústria Cultural
 Como   extensão, o conceito de Indústria
  Cultural trata da produção em série, da
  homogeneização e...
O indivíduo na era da I. Cultural
   O indivíduo deixa de decidir
    autonomamente, tornado-se acrítico
    e manipuláve...
A AUDIÊNCIA

   A intenção dos
    pensadores alemães é
    denunciar as formas
    de dominação que não
    precisam suj...
Indústria Cultural como sistema
   O mercado de massas impõe
    a padronização e a
    organização do gosto público;
  ...
Expoentes
 Theodor  Adorno e Max Horkheimer,
  após o exílio, retornam à Alemanha e
  instalam o Instituto de Pesquisas S...
Horkheimer e Adorno




                         1965
Expoentes
 Walter Benjamin e Herbert Marcuse,
  pesquisadores notórios da primeira
  geração de Frankfurt, desenvolveram
...
Marcuse, Benjamin e Habermas
A escola de Frankfurt hoje
   Leitura da entrevista com Olivier Voirol
Como conceber os MCM hoje?
Qual o efeito dos MCM atualmente? Temos a mesma lógica
  (sistema) descrita nos estudos sobre a...
Ilustração dos conceitos




 Com base nos quadrinhos e nos conhecimentos sobre os meios de
 comunicação de massa (MCM), a...
   a) As reflexões da personagem Mafalda sobre as propagandas levam-
    na a concluir que sua mãe precisa adquirir os pr...
FIM

@gesojr
Próximo SlideShare
Cargando en…5
×

de

Teoria crítica Slide 1 Teoria crítica Slide 2 Teoria crítica Slide 3 Teoria crítica Slide 4 Teoria crítica Slide 5 Teoria crítica Slide 6 Teoria crítica Slide 7 Teoria crítica Slide 8 Teoria crítica Slide 9 Teoria crítica Slide 10 Teoria crítica Slide 11 Teoria crítica Slide 12 Teoria crítica Slide 13 Teoria crítica Slide 14 Teoria crítica Slide 15 Teoria crítica Slide 16 Teoria crítica Slide 17
Próximo SlideShare
Teorías pedagógicas diapos
Siguiente

10 recomendaciones

Compartir

Teoria crítica

Audiolibros relacionados

Gratis con una prueba de 30 días de Scribd

Ver todo

Teoria crítica

  1. 1. TEORIA CRÍTICA A ESCOLA DE FRANKFURT
  2. 2. Teoria Crítica - Cronologia O Instituto de Pesquisas Sociais (Escola de Frankfurt) surge em 1923 na Alemanha.  A escola congrega teóricos marxistas heterodoxos.  Técnica: Pesquisa empírica  Objeto de estudo: a mensagem na comunicação de massa
  3. 3. Conceitos  Dois conceitos importantes foram criados durante o exílio nos EUA:  Dialética do Esclarecimento  Indústria Cultural
  4. 4. Dialética do Esclarecimento  Este conceito fazia uma crítica à idéia de que a razão libertaria a humanidade, de que a evolução tecnológica elevaria a sociedade a um estágio superior.  Para os frankfurtianos, o iluminismo (movimento intelectual europeu do século XVIII) libertou o homem da emoção, do misticismo, mas o acorrentou à razão. A racionalidade técnica, na sociedade capitalista, em lugar de garantir a autodeterminação dos indivíduos, os submeteu à dominação ec onômica, sem condições de insurgir-se contra o sistema estabelecido.
  5. 5. Indústria Cultural  Como extensão, o conceito de Indústria Cultural trata da produção em série, da homogeneização e, em conseqüência, da deterioração dos padrões culturais.  A exploração comercial dos bens considerados culturais reforça a dominação técnica imposta pelo sistema, gerando passividade e alienação.
  6. 6. O indivíduo na era da I. Cultural  O indivíduo deixa de decidir autonomamente, tornado-se acrítico e manipulável.  A sociedade é sempre vencedora e o indivíduo não passa de um fantoche manipulado pelas normas sociais.  Visto como impotente, a individualidade é substituída pela pseudo-individualidade.
  7. 7. A AUDIÊNCIA  A intenção dos pensadores alemães é denunciar as formas de dominação que não precisam sujeitar os corpos nem se impor pela violência física.  Trata-se da dominação pela igualação e homogeneização, que atua no inconsciente dos indivíduos
  8. 8. Indústria Cultural como sistema  O mercado de massas impõe a padronização e a organização do gosto público;  Aquilo que a IC oferece como novo não é mais do que a representação de algo que é sempre igual;  Os produtos oriundos desse sistema trazem a marca da indústria cultural: serialização – padronização – divisão do trabalho.
  9. 9. Expoentes  Theodor Adorno e Max Horkheimer, após o exílio, retornam à Alemanha e instalam o Instituto de Pesquisas Sociais novamente na Universidade de Frankfurt.  Frustrados com a massificação da sociedade e com as perspectivas de transformá-la, os teóricos alemães voltaram-se para outros temas.
  10. 10. Horkheimer e Adorno  1965
  11. 11. Expoentes  Walter Benjamin e Herbert Marcuse, pesquisadores notórios da primeira geração de Frankfurt, desenvolveram estudos importantes no que se refere à sociedade industrial e cultura de massa.  A teoria crítica da Escola de Frankfurt teve continuidade nos trabalhos de outros pesquisadores, entre eles Jürgen Habermas.
  12. 12. Marcuse, Benjamin e Habermas
  13. 13. A escola de Frankfurt hoje  Leitura da entrevista com Olivier Voirol
  14. 14. Como conceber os MCM hoje? Qual o efeito dos MCM atualmente? Temos a mesma lógica (sistema) descrita nos estudos sobre a Indústria Cultural?
  15. 15. Ilustração dos conceitos Com base nos quadrinhos e nos conhecimentos sobre os meios de comunicação de massa (MCM), assinale a alternativa que explicita algumas posições do debate teórico sobre esse tema.
  16. 16.  a) As reflexões da personagem Mafalda sobre as propagandas levam- na a concluir que sua mãe precisa adquirir os produtos, que as crianças podem assistir TV e brincar, dosando suas tarefas diárias, o que revela a pertinência das teorias que vêem os MCM como mecanismos de integração social.  b) A personagem Mafalda obedece às ordens de sua mãe, assiste à TV e encanta-se com as promessas das propagandas, corroborando com as teorias pessimistas sobre o papel dos MCM e a passividade dos telespectadores.  c) A atitude da personagem Mafalda demonstra a crítica aos artifícios da propaganda que ressalta a magia da mercadoria, prometendo mais do que ela realmente pode oferecer, e que os sujeitos nem sempre são passivos diante dos MCM.  d) Ao sair para brincar após assistir à TV, a personagem Mafalda sente-se mais livre e feliz, pois descobriu o quanto alguns produtos anunciados pelas propagandas melhoram a vida doméstica de sua mãe, reproduzindo aspectos da cultura erudita e do modo de vida sofisticado, como acreditam as teorias “otimistas” sobre os MCM.  e) A mãe da personagem Mafalda admira-se da inteligência da filha, que compreendeu muito bem os poderes dos objetos anunciados nas propagandas de TV, reforçando as teorias sobre o papel educativo e de emancipação dos MCM.
  17. 17. FIM @gesojr
  • ppkencantada

    Sep. 2, 2015
  • RafaelaAmorim3

    Jun. 30, 2015
  • lekaloka319

    Oct. 24, 2014
  • DRAGONOLIVEIRA

    Sep. 14, 2014
  • mariarosariosilvasouza

    Aug. 28, 2014
  • NatliaRipardo

    May. 23, 2014
  • taiguzzi

    Apr. 21, 2014
  • nataliadias5055

    Aug. 27, 2013
  • bmls1980

    May. 19, 2013
  • cecilpaiva

    Nov. 28, 2012

Vistas

Total de vistas

4.793

En Slideshare

0

De embebidos

0

Número de embebidos

4

Acciones

Descargas

0

Compartidos

0

Comentarios

0

Me gusta

10

×