Se ha denunciado esta presentación.
Utilizamos tu perfil de LinkedIn y tus datos de actividad para personalizar los anuncios y mostrarte publicidad más relevante. Puedes cambiar tus preferencias de publicidad en cualquier momento.

Desenvolvendo com qualidade em ambientes caóticos

1.090 visualizaciones

Publicado el

Como entregar softwares cada vez mais robustos em ambientes cada vez mais caóticos ? Nessa sessão veremos um pouco de algumas formas de alcançar esse objetivo.

Publicado en: Tecnología
  • Sé el primero en comentar

  • Sé el primero en recomendar esto

Desenvolvendo com qualidade em ambientes caóticos

  1. 1. Desenvolvendo com Qualidade em Ambientes Caóticos Guilherme Cardoso Especialista ALM & DevOps | Arquiteto de Software guilherme.silvacardoso@hotmail.com / @guilhermescard blog.guilhermescardoso.com.br
  2. 2. O mercado atualmente ….
  3. 3. Funcionalidade Prazo Orçamento Funcionalidade Prazo Orçamento Qualidade
  4. 4. Causadores desses problemas • “Visibilidade do andamento do projeto” • “Não existe comunicação na equipe” • “Difícil conciliar necessidade do usuário com riscos” • “Modelos de desenvolvimento complexos” • “Soluções não são testadas”
  5. 5. Impacto no desenvolvimento Desenvolvedores sentem-se desmotivados • Bug ping/pong • Falta de acesso a ambientes seguros • Tempo para preparação do ambiente excessivo Testadores não são respeitados • Preparar testes e ambiente consomem 30%-50% do ciclo de testes • Maioria dos defeitos fechados como “não-reproduzíveis”” • Ferramentas não integradas ao ciclo de desenvolvimento Impacto no negócio • Falta de agilidade para responder ameaças ou oportunidades • Alta taxa de falha em projetos • Quem sente “dor” é o usuário final
  6. 6. 5S no desenvolvimento de software
  7. 7. Senso de utilização • Apagar códigos comentados desnecessários; • Otimizar os ambientes utilizados; • Diminuir a quantidade de dependências.
  8. 8. Senso de organização • Separar papeis e funcionalidades; • Aderir a padrões – que facilitem a vida; • Não aderir a política do ‘jeitinho brasileiro’.
  9. 9. Senso de limpeza • Tratar fluxos alternativos; • Testar, testar e testar; • Refatorar o código constantemente – de preferência removendo código não utilizados;
  10. 10. Senso de padronização • Aderir a padrões – de novo; • Implementar integração continua, deploy contínuo e qualidade contínua;
  11. 11. Senso de disciplina • Seguir tudo o que falamos até agora.
  12. 12. Ferramentas para se alcançar
  13. 13. Obrigado !!! Guilherme Cardoso Especialista ALM & DevOps | Arquiteto de Software guilherme.silvacardoso@hotmail.com / @guilhermescard blog.guilhermescardoso.com.br

×