Se ha denunciado esta presentación.
Utilizamos tu perfil de LinkedIn y tus datos de actividad para personalizar los anuncios y mostrarte publicidad más relevante. Puedes cambiar tus preferencias de publicidad en cualquier momento.
Traumas de Face ULBRA – Campus Cachoeira do Sul Curso de Odontologia Clínica Integral IV João  Batista Zanirato
Limites da CTBMF
 
SINAIS VITAIS <ul><li>Pressão: 120/80 </li></ul><ul><li>Temperatura: 36,5 º C </li></ul><ul><li>Pulsos carotídeos, radiais...
A.T.L.S. (ADVANCED TRAUMA LIFE SUPPORT) A =  Airway : obtenção e manutenção das vias aéreas. B =  Breathing : ventilação p...
AIRWAY / VIAS AÉREAS
BREATHING / VENTILAÇÃO 1. Ventilação boca a boca ou boca a máscara 2. AMBU (ambiental breathing unit) 3. Cânulas de Guedel...
BREATHING / VENTILAÇÃO
BREATHING / VENTILAÇÃO
CIRCULATION / CIRCULAÇÃO SANGÜÍNEA <ul><li>MASSAGEM CARDÍACA: </li></ul><ul><li>2 PESSOAS: 5 compressões / 1 ventilação </...
CIRCULATION / CIRCULAÇÃO SANGÜÍNEA
<ul><li>Primeiro controlar os sinais vitais e observar o ABC do Trauma e avaliação da consciência. </li></ul><ul><li>Hemor...
FERIDAS EM TECIDOS MOLES <ul><li>CLASSIFICAÇÃO: </li></ul><ul><li>Contusão: sem descontinuidade dos tecidos. </li></ul><ul...
FERIDAS EM TECIDOS MOLES <ul><li>Feridas penetrantes: perfuração nos tecidos. </li></ul><ul><li>Feridas por arma de fogo: ...
CONTUSÕES <ul><ul><li>Necrose: raro </li></ul></ul><ul><ul><li>Contaminação: raro   </li></ul></ul><ul><ul><li>TRATAMENTO:...
 
ABRASÕES <ul><li>- Hemorragia: rara </li></ul><ul><li>- Necrose: superficial </li></ul><ul><li>- Contaminação: superficial...
 
 
LACERAÇÕES <ul><li>TRATAMENTO: </li></ul><ul><li>Sutura primária precoce </li></ul><ul><ul><li>Feridas com menos de 6 hora...
LACERAÇÕES <ul><li>Sutura da ferida  </li></ul><ul><ul><li>- pontos de referência </li></ul></ul><ul><ul><li>- planos prof...
LACERAÇÕES <ul><li>Sutura primária tardia </li></ul><ul><li>Feridas edemaciadas, infectadas e endurecidas </li></ul><ul><l...
LACERAÇÕES <ul><li>TRATAMENTO DE SUPORTE: </li></ul><ul><li>Drenagem: superficiais ou profundas </li></ul><ul><li>Curativo...
 
 
 
FERIDAS PENETRANTES <ul><li>TRATAMENTO: </li></ul><ul><li>Profilaxia do tétano e infecções </li></ul><ul><li>Limpeza compl...
 
FERIDAS POR ARMA DE FOGO  (FAF) <ul><li>TRATAMENTO: </li></ul><ul><li>controle da hemorragia </li></ul><ul><li>suturas apó...
 
 
 
 
 
 
 
CORPOS ESTRANHOS <ul><li>dentes </li></ul><ul><li>fragmentos ósseos </li></ul><ul><li>vidro </li></ul><ul><li>pedras  </li...
CORPOS ESTRANHOS <ul><li>TRATAMENTO: </li></ul><ul><li>Remover corpo estranho para evitar infecção e atraso na cicatrizaçã...
 
QUEIMADURAS <ul><li>Graus:  </li></ul><ul><li>- 1 ° </li></ul><ul><li>-  2 °  superficial </li></ul><ul><li>- 2 °  profund...
QUEIMADURAS <ul><li>Tratamento local </li></ul><ul><ul><li>limpeza absoluta da superfície </li></ul></ul><ul><ul><li>cobri...
QUEIMADURAS <ul><li>Tratamento de suporte </li></ul><ul><ul><li>controle da infecção </li></ul></ul><ul><ul><li>prevenção ...
 
URGÊNCIAS EM FRATURAS FACIAIS <ul><li>Limpeza e manutenção das vias aéreas superiores livres </li></ul><ul><li>Controle da...
 
 
 
 
 
 
 
 
 
DIAGNÓSTICO DAS FRATURAS DO COMPLEXO ZIGOMÁTICO-ORBITÁRIO <ul><li>CAUSAS DE TRAUMAS: </li></ul><ul><li>agressão física </l...
(pilar fronto-naso-maxilar) * Glabela, * Processo nasal do osso  frontal  * Ossos nasais; * Processo frontal do osso  maxi...
PILAR CENTRAL PROFUNDO: SHAPIRO, H.H. Applied Anatomy of Head and Neck, 1947. STURLA, Flávio; ABSI, D. Plast. Reconstr. Su...
PILAR LATERAL SUPERFICIAL: SHAPIRO, H.H. Applied Anatomy of Head and Neck, 1947. STURLA, Flávio; ABSI, D. Plast. Reconstr....
PILAR LATERAL PROFUNDO: SHAPIRO, H.H. Applied Anatomy of Head and Neck, 1947. STURLA, Flávio; ABSI, D. Plast. Reconstr. Su...
Relação do zigoma com outras estruturas faciais PAREDE LÁTERO- MAXILA  SUPERIOR DO SEIO MAXILAR HEMO-SINUS EPISTAXE
Relação do zigoma com outras estruturas faciais MAIOR PARTE DA  CAV. ORBITÁRIA   PAREDE LATERAL DA ÓRBITA contato íntimo m...
Relação do zigoma com outras estruturas faciais NERVO   ATRAVESSA ASSOALHO INFRAORBITAL   DA ÓRBITA (ramo trigêmio)   EMER...
Classificação das fraturas   (Knight e North, 1961) <ul><li>Grupo I :  </li></ul><ul><li>SEM  DESLOCAMENTO SIGNIFICATIVO <...
Classificação das fraturas   (Knight e North, 1961) <ul><li>Grupo II : </li></ul><ul><li>FRATURAS DA ARCADA ZIGOMÁTICA </l...
Classificação das fraturas   (Knight e North, 1961) <ul><li>Grupo III: </li></ul><ul><li>FRATURAS DO CORPO SEM ROTAÇÃO </l...
Classificação das fraturas   (Knight e North, 1961) <ul><li>Grupo IV: </li></ul><ul><li>FRATURAS DO CORPO COM  ROTAÇÃO MED...
Classificação das fraturas   (Knight e North, 1961) <ul><li>Grupo V: </li></ul><ul><li>FRATURAS DO CORPO COM  ROTAÇÃO LATE...
Classificação das fraturas   (Knight e North, 1961) <ul><li>Grupo VI: </li></ul><ul><li>FRATURAS COMPLEXAS </li></ul><ul><...
DIAGNÓSTICO DAS FRATURAS DO COMPLEXO ZIGOMÁTICO-ORBITÁRIO <ul><li>Exame físico:  </li></ul><ul><li>     assimetria facial...
DIAGNÓSTICO DAS FRATURAS DO COMPLEXO ZIGOMÁTICO-ORBITÁRIO <ul><li>Exame físico:    diplopia </li></ul>Fratura por explosã...
DIAGNÓSTICO DAS FRATURAS DO COMPLEXO ZIGOMÁTICO-ORBITÁRIO <ul><li>Exame físico:  </li></ul><ul><li>   limitação da abertu...
DIAGNÓSTICO DAS FRATURAS DO COMPLEXO ZIGOMÁTICO-ORBITÁRIO <ul><li>Exame físico:  </li></ul><ul><li>     palpação bi-manua...
 
DIAGNÓSTICO DAS FRATURAS DO COMPLEXO ZIGOMÁTICO-ORBITÁRIO <ul><li>Exames radiográficos:  </li></ul><ul><li> •  Incidência ...
<ul><li>Exames radiográficos:  </li></ul><ul><li>   Waters </li></ul>DIAGNÓSTICO DAS FRATURAS DO COMPLEXO ZIGOMÁTICO-ORBI...
INCIDÊNCIA DE WATERS
<ul><li>Exames radiográficos:  </li></ul><ul><li>   Hirtz </li></ul><ul><li>submento - vértice </li></ul>DIAGNÓSTICO DAS ...
HIRTZ
INCIDÊNCIA DE HIRTZ
TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA
CLASSIFICAÇÃO DAS FRATURAS DO OSSO MAXILAR FRATURA TRANSVERSA BAIXA: (Guerin, Duchange, tipo Le Fort I) 1901, René Le Fort...
FRATURA TRANSVERSA BAIXA: GRAZIANI, Mário. Anatomia Aplicada,  In :GRAZIANI, M. Traumatologia Maxilofacial. RIO DE JANEIRO...
FRATURA PIRAMIDAL: Fratura tipo Le Fort II: “ Caracteriza por uma linha de fratura que se inicia na região dos ossos nasai...
FRATURA PIRAMIDAL: Na fratura piramidal, tipo Le Fort II, NÃO HÁ, disjunção frontonasal!   GRAZIANI, Mário. Anatomia Aplic...
FRATURA tipo Le Fort III: (Disjunção crâniofacial) “ Caracteriza-se por uma linha de fratura que estende-se desde a região...
FRATURA tipo Le Fort III: * Rotura do pilar transverso da face; * Sentido da força geralmente supero-inferior. GRAZIANI, M...
FRATURA tipo LANNELANGUE: * Descrita inicialmente no ano de 1879; *Geralmente ocorre em associação à fratura transversa ba...
FRATURA tipo LANNELANGUE: GRAZIANI, Mário. Anatomia Aplicada,  In :GRAZIANI, M. Traumatologia Maxilofacial. RIO DE JANEIRO...
FRATURA tipo RICHET: *  Descrita inicialmente em 1857; “ Caracteriza-se por uma associação entre uma fratura transversa ba...
FRATURA tipo RICHET: GRAZIANI, Mário. Anatomia Aplicada,  In :GRAZIANI, M. Traumatologia Maxilofacial. RIO DE JANEIRO:Guan...
FRATURA tipo WALTHER: * Descrita inicialmente em 1891; “ Caracteriza-se por uma associação entre uma fratura horizontal tr...
FRATURAS COMPLEXAS DO TERÇO MÉDIO DA FACE:   GRAZIANI, Mário. Anatomia Aplicada,  In :GRAZIANI, M. Traumatologia Maxilofac...
Avaliação dos Pacientes <ul><li>A: Remoção corpos estranhos... </li></ul><ul><li>B,C. </li></ul><ul><li>Controlar hemorrag...
Diagnóstico de Fraturas mandibulares <ul><li>Anamnese </li></ul><ul><li>Exame clínico </li></ul><ul><ul><li>Sinais </li></...
Exame Clínico
 
 
 
 
Exame Radiográfico <ul><li>Waters </li></ul><ul><li>P.A. de face </li></ul><ul><li>Perfil e perfil oblíquo </li></ul><ul><...
P.A. de face
Perfil e perfil oblíquo
Towne com boca aberta
Panorâmica
T.C. TC com ou sem reconstru-ção tridimensi-onal
Fraturas mandibulares – classificação quanto a Localização <ul><li>Condilares </li></ul><ul><li>De ângulo </li></ul><ul><l...
Freqüência
Tipos: Quanto à extensão da injúria <ul><li>Galho verde – Simples – Cominutiva - Composta ou exposta </li></ul>
Quanto ao deslocamento   Favoráveis  Desfavoráveis
Tratamento das Fraturas de   Face <ul><li>Reabilitação máxima </li></ul><ul><li>Rápida reparação óssea </li></ul><ul><li>R...
Estabilização Óssea/Dentária <ul><li>Odontossíntese </li></ul><ul><ul><li>Utiliza apenas os dentes como meio de fixação </...
ODONTOSSÍNTESE Manobra na qual utiliza-se de recursos para se fazer a imobilização de elementos dentários e estruturas adj...
Princípios Cirúrgicos <ul><li>Avaliação geral, análise das fraturas e plano de tratamento </li></ul><ul><li>Cirurgia o mai...
Avaliação do Terço Médio da Face <ul><li>Mobilidade da maxila, isolada ou combinada a ossos nasais ou zigomáticos. </li></...
Avaliação do Terço Médio da Face <ul><li>Limitação de abertura bucal </li></ul><ul><li>Desvio da linha média e maloclusão ...
 
TRATAMENTO DA FRATURA DO ZIGOMA CIRÚRGICO ANESTESIA GERAL ABORDAGENS:  EXTRA-BUCAL INTRA-BUCAL SUPRACILIAR PALPEBRAL INFER...
 
 
 
 
 
 
 
 
TRATAMENTO DAS FRATURAS DO COMPLEXO MAXILOZIGOMÁTICO   fraturas da arcada zigomática <ul><li>Abordagem temporal ou Método ...
TRATAMENTO DAS FRATURAS DO COMPLEXO MAXILOZIGOMÁTICO   fraturas da arcada zigomática <ul><li>Abordagem temporal ou Método ...
 
 
 
 
ABORDAGEM TRANSCUTÂNEA
Acesso intrabucal
TRATAMENTO DAS FRATURAS DO COMPLEXO MAXILOZIGOMÁTICO   fraturas da arcada e corpo zigomático <ul><li>Abordagem intrabucal ...
 
Acesso subpalpebral e fixação borda infraorbitária Fratura pilar zigomático
 
 
 
 
 
 
<ul><li>Hemorragia ótica </li></ul><ul><ul><li>fratura fossa craniana média, condilar ou ferida primária no canal auditivo...
Tratamento de Fraturas de Mandíbula <ul><li>Fixação maxilo-mandibular (casos desfavoráveis ao deslocamento) </li></ul><ul>...
Oclusão e estabilização
Redução Fechada <ul><li>Indicações </li></ul><ul><ul><li>Em fraturas favoráveis </li></ul></ul><ul><ul><li>Onde se possa m...
Redução fechada - tempo de FIM <ul><li>Fraturas condilares </li></ul><ul><ul><li>adultos: 2 a 3 semanas </li></ul></ul><ul...
Cirurgia aberta - Indicações <ul><li>Se após a FIM não houve correta redução da fratura </li></ul><ul><li>Deslocamento óss...
Vantagens da fixação rígida <ul><li>Maior conforto </li></ul><ul><li>diminuição do período de FIM </li></ul><ul><li>melhor...
Placas de Champy
Odontossínteses <ul><li>Hoorizontais </li></ul><ul><li>Escada </li></ul><ul><li>Ivy simples e contínua </li></ul><ul><li>E...
Odontossíntese Ivy Contínua
ODONTOSSÍNTESE DE GILMER
ODONTOSSÍNTESE DE GILMER
ODONTOSSÍNTESE DE IVY  (SIMPLES)
ODONTOSSÍNTESE DE IVY  (CONTÍNUA)
ODONTOSSÍNTESE COM ARCO DE ERICH
 
 
 
 
Goteiras
 
 
Odontossíntese vertical direta
Traqueostomia Prevenir asfixia devido a blo-queio na faringe ou laringe Corpos estranhos inalados ir-removíveis, edema  ag...
Resposta Pupilar e Movimento  Ocular <ul><li>Isocoria </li></ul><ul><li>Anisocoria </li></ul><ul><li>Midríase </li></ul><u...
Cricotiroidectomia  voltar
Entubação sub-mento-oro-traqueal (Revista do Colégio Brasileiro de CTBMF -  Wesley Cabral Rocha ) Voltar
Próxima SlideShare
Cargando en…5
×

Trauma de face

86.271 visualizaciones

Publicado el

Aula Sobre Trauma do Nono Semestre ULBRA Cachoeira do Sul

Publicado en: Salud y medicina
  • DOWNLOAD THAT BOOKS INTO AVAILABLE FORMAT (2019 Update) ......................................................................................................................... ......................................................................................................................... Download Full PDF EBOOK here { http://bit.ly/2m77EgH } ......................................................................................................................... Download Full EPUB Ebook here { http://bit.ly/2m77EgH } ......................................................................................................................... Download Full doc Ebook here { http://bit.ly/2m77EgH } ......................................................................................................................... Download PDF EBOOK here { http://bit.ly/2m77EgH } ......................................................................................................................... Download EPUB Ebook here { http://bit.ly/2m77EgH } ......................................................................................................................... Download doc Ebook here { http://bit.ly/2m77EgH } ......................................................................................................................... ......................................................................................................................... ................................................................................................................................... eBook is an electronic version of a traditional print book that can be read by using a personal computer or by using an eBook reader. (An eBook reader can be a software application for use on a computer such as Microsoft's free Reader application, or a book-sized computer that is used solely as a reading device such as Nuvomedia's Rocket eBook.) Users can purchase an eBook on diskette or CD, but the most popular method of getting an eBook is to purchase a downloadable file of the eBook (or other reading material) from a Web site (such as Barnes and Noble) to be read from the user's computer or reading device. Generally, an eBook can be downloaded in five minutes or less ......................................................................................................................... .............. Browse by Genre Available eBooks .............................................................................................................................. Art, Biography, Business, Chick Lit, Children's, Christian, Classics, Comics, Contemporary, Cookbooks, Manga, Memoir, Music, Mystery, Non Fiction, Paranormal, Philosophy, Poetry, Psychology, Religion, Romance, Science, Science Fiction, Self Help, Suspense, Spirituality, Sports, Thriller, Travel, Young Adult, Crime, Ebooks, Fantasy, Fiction, Graphic Novels, Historical Fiction, History, Horror, Humor And Comedy, ......................................................................................................................... ......................................................................................................................... .....BEST SELLER FOR EBOOK RECOMMEND............................................................. ......................................................................................................................... Blowout: Corrupted Democracy, Rogue State Russia, and the Richest, Most Destructive Industry on Earth,-- The Ride of a Lifetime: Lessons Learned from 15 Years as CEO of the Walt Disney Company,-- Call Sign Chaos: Learning to Lead,-- StrengthsFinder 2.0,-- Stillness Is the Key,-- She Said: Breaking the Sexual Harassment Story That Helped Ignite a Movement,-- Atomic Habits: An Easy &amp; Proven Way to Build Good Habits &amp; Break Bad Ones,-- Everything Is Figureoutable,-- What It Takes: Lessons in the Pursuit of Excellence,-- Rich Dad Poor Dad: What the Rich Teach Their Kids About Money That the Poor and Middle Class Do Not!,-- The Total Money Makeover: Classic Edition: A Proven Plan for Financial Fitness,-- Shut Up and Listen!: Hard Business Truths that Will Help You Succeed, ......................................................................................................................... .........................................................................................................................
       Responder 
    ¿Estás seguro?    No
    Tu mensaje aparecerá aquí
  • DOWNLOAD THAT BOOKS INTO AVAILABLE FORMAT (2019 Update) ......................................................................................................................... ......................................................................................................................... Download Full PDF EBOOK here { http://bit.ly/2m6jJ5M } ......................................................................................................................... Download Full EPUB Ebook here { http://bit.ly/2m6jJ5M } ......................................................................................................................... Download Full doc Ebook here { http://bit.ly/2m6jJ5M } ......................................................................................................................... Download PDF EBOOK here { http://bit.ly/2m6jJ5M } ......................................................................................................................... Download EPUB Ebook here { http://bit.ly/2m6jJ5M } ......................................................................................................................... Download doc Ebook here { http://bit.ly/2m6jJ5M } ......................................................................................................................... ......................................................................................................................... ................................................................................................................................... eBook is an electronic version of a traditional print book that can be read by using a personal computer or by using an eBook reader. (An eBook reader can be a software application for use on a computer such as Microsoft's free Reader application, or a book-sized computer that is used solely as a reading device such as Nuvomedia's Rocket eBook.) Users can purchase an eBook on diskette or CD, but the most popular method of getting an eBook is to purchase a downloadable file of the eBook (or other reading material) from a Web site (such as Barnes and Noble) to be read from the user's computer or reading device. Generally, an eBook can be downloaded in five minutes or less ......................................................................................................................... .............. Browse by Genre Available eBooks .............................................................................................................................. Art, Biography, Business, Chick Lit, Children's, Christian, Classics, Comics, Contemporary, Cookbooks, Manga, Memoir, Music, Mystery, Non Fiction, Paranormal, Philosophy, Poetry, Psychology, Religion, Romance, Science, Science Fiction, Self Help, Suspense, Spirituality, Sports, Thriller, Travel, Young Adult, Crime, Ebooks, Fantasy, Fiction, Graphic Novels, Historical Fiction, History, Horror, Humor And Comedy, ......................................................................................................................... ......................................................................................................................... .....BEST SELLER FOR EBOOK RECOMMEND............................................................. ......................................................................................................................... Blowout: Corrupted Democracy, Rogue State Russia, and the Richest, Most Destructive Industry on Earth,-- The Ride of a Lifetime: Lessons Learned from 15 Years as CEO of the Walt Disney Company,-- Call Sign Chaos: Learning to Lead,-- StrengthsFinder 2.0,-- Stillness Is the Key,-- She Said: Breaking the Sexual Harassment Story That Helped Ignite a Movement,-- Atomic Habits: An Easy &amp; Proven Way to Build Good Habits &amp; Break Bad Ones,-- Everything Is Figureoutable,-- What It Takes: Lessons in the Pursuit of Excellence,-- Rich Dad Poor Dad: What the Rich Teach Their Kids About Money That the Poor and Middle Class Do Not!,-- The Total Money Makeover: Classic Edition: A Proven Plan for Financial Fitness,-- Shut Up and Listen!: Hard Business Truths that Will Help You Succeed, ......................................................................................................................... .........................................................................................................................
       Responder 
    ¿Estás seguro?    No
    Tu mensaje aparecerá aquí
  • (Unlimited)....ACCESS WEBSITE Over for All Ebooks ................ accessibility Books Library allowing access to top content, including thousands of title from favorite author, plus the ability to read or download a huge selection of books for your pc or smartphone within minutes ......................................................................................................................... DOWNLOAD FULL PDF EBOOK here { http://bit.ly/2m6jJ5M } ......................................................................................................................... Download Full EPUB Ebook here { http://bit.ly/2m6jJ5M } ......................................................................................................................... Download Full PDF EBOOK here { http://bit.ly/2m6jJ5M }
       Responder 
    ¿Estás seguro?    No
    Tu mensaje aparecerá aquí
  • (Unlimited)....ACCESS WEBSITE Over for All Ebooks ................ accessibility Books Library allowing access to top content, including thousands of title from favorite author, plus the ability to read or download a huge selection of books for your pc or smartphone within minutes ......................................................................................................................... DOWNLOAD FULL PDF EBOOK here { http://bit.ly/2m6jJ5M } ......................................................................................................................... Download Full EPUB Ebook here { http://bit.ly/2m6jJ5M } ......................................................................................................................... Download Full PDF EBOOK here { http://bit.ly/2m6jJ5M }
       Responder 
    ¿Estás seguro?    No
    Tu mensaje aparecerá aquí
  • If you want to download or read this book, copy link or url below in the New tab ......................................................................................................................... DOWNLOAD FULL PDF EBOOK here { http://bit.ly/2m6jJ5M } .........................................................................................................................
       Responder 
    ¿Estás seguro?    No
    Tu mensaje aparecerá aquí

Trauma de face

  1. 1. Traumas de Face ULBRA – Campus Cachoeira do Sul Curso de Odontologia Clínica Integral IV João Batista Zanirato
  2. 2. Limites da CTBMF
  3. 4. SINAIS VITAIS <ul><li>Pressão: 120/80 </li></ul><ul><li>Temperatura: 36,5 º C </li></ul><ul><li>Pulsos carotídeos, radiais: de 60 a 80 bpm. </li></ul><ul><li>Respiração: 15 vezes por min. </li></ul><ul><li>The golden hour </li></ul>
  4. 5. A.T.L.S. (ADVANCED TRAUMA LIFE SUPPORT) A = Airway : obtenção e manutenção das vias aéreas. B = Breathing : ventilação proporcionada por métodos auxiliares. C = Circulation : circulação sangüínea proporcionada por compressões cardíacas externas.
  5. 6. AIRWAY / VIAS AÉREAS
  6. 7. BREATHING / VENTILAÇÃO 1. Ventilação boca a boca ou boca a máscara 2. AMBU (ambiental breathing unit) 3. Cânulas de Guedell 4. Intubação oro/naso traqueal
  7. 8. BREATHING / VENTILAÇÃO
  8. 9. BREATHING / VENTILAÇÃO
  9. 10. CIRCULATION / CIRCULAÇÃO SANGÜÍNEA <ul><li>MASSAGEM CARDÍACA: </li></ul><ul><li>2 PESSOAS: 5 compressões / 1 ventilação </li></ul><ul><li>1 PESSOA: 15 compressões / 5 ventilações </li></ul>
  10. 11. CIRCULATION / CIRCULAÇÃO SANGÜÍNEA
  11. 12. <ul><li>Primeiro controlar os sinais vitais e observar o ABC do Trauma e avaliação da consciência. </li></ul><ul><li>Hemorragia facial ou bucal: </li></ul><ul><ul><li>interna compressão: Carótida externa, fa- </li></ul></ul><ul><ul><li>externa cial, temporal superficial, lingual </li></ul></ul><ul><li>Meio adequado para crescimento bacteriano. </li></ul><ul><li>Menor defesa contra bactérias – septicemia. </li></ul><ul><li>Transtornos mecânicos : </li></ul><ul><ul><li>bloqueio das vias respiratórias, hemotórax, pneumotórax, bloqueio cardíaco, aumento da pressão intra-craniana . </li></ul></ul><ul><li>Uso de aspirador é importante para diagnóstico. </li></ul>Tratamento Das Feridas da Face
  12. 13. FERIDAS EM TECIDOS MOLES <ul><li>CLASSIFICAÇÃO: </li></ul><ul><li>Contusão: sem descontinuidade dos tecidos. </li></ul><ul><li>Abrasão: lesão por desgaste superficial dos tecidos. </li></ul><ul><li>Laceração: </li></ul><ul><ul><li>incisa: bordas limpa, margens bem delineadas </li></ul></ul><ul><ul><li>contusa: rasgada </li></ul></ul>
  13. 14. FERIDAS EM TECIDOS MOLES <ul><li>Feridas penetrantes: perfuração nos tecidos. </li></ul><ul><li>Feridas por arma de fogo: </li></ul><ul><ul><li>perfurantes, laceradas </li></ul></ul><ul><li>Presença de corpos estranhos </li></ul><ul><li>Queimaduras </li></ul>
  14. 15. CONTUSÕES <ul><ul><li>Necrose: raro </li></ul></ul><ul><ul><li>Contaminação: raro </li></ul></ul><ul><ul><li>TRATAMENTO: </li></ul></ul><ul><ul><li>Hemorragia: “espectro” </li></ul></ul><ul><li>Conservador </li></ul><ul><li>Anti-inflamatórios / Analgésicos </li></ul><ul><li>Pomada (equimose) </li></ul><ul><li>Gelo nas primeiras 12 horas </li></ul>
  15. 17. ABRASÕES <ul><li>- Hemorragia: rara </li></ul><ul><li>- Necrose: superficial </li></ul><ul><li>- Contaminação: superficial </li></ul><ul><li>TRATAMENTO: </li></ul><ul><li>Anestesia </li></ul><ul><li>Limpar completamente </li></ul><ul><li>- remover escaras </li></ul><ul><ul><li>- tatuagens traumáticas </li></ul></ul><ul><li>Curativo inicial com gaze lubrificada </li></ul>
  16. 20. LACERAÇÕES <ul><li>TRATAMENTO: </li></ul><ul><li>Sutura primária precoce </li></ul><ul><ul><li>Feridas com menos de 6 horas de exposição </li></ul></ul><ul><li>Limpeza completa das feridas </li></ul><ul><li>Debridamento adequado </li></ul><ul><li>Hemostasia completa </li></ul>
  17. 21. LACERAÇÕES <ul><li>Sutura da ferida </li></ul><ul><ul><li>- pontos de referência </li></ul></ul><ul><ul><li>- planos profundos (suturas absorvíveis: categute, categute cromado, vicryl, monocryl) ,pele (nylon) e mucosa (seda ou nylon) </li></ul></ul><ul><ul><li>- redução de fraturas ósseas </li></ul></ul><ul><li>Terapêutica de sustentação adequada </li></ul>
  18. 22. LACERAÇÕES <ul><li>Sutura primária tardia </li></ul><ul><li>Feridas edemaciadas, infectadas e endurecidas </li></ul><ul><li>- debridamento </li></ul><ul><li>- redução de fraturas </li></ul><ul><li>- curativos furacinados </li></ul><ul><li>- verificar diariamente </li></ul><ul><li>- remover áreas necróticas </li></ul><ul><li>- restringir alimentação bucal </li></ul>
  19. 23. LACERAÇÕES <ul><li>TRATAMENTO DE SUPORTE: </li></ul><ul><li>Drenagem: superficiais ou profundas </li></ul><ul><li>Curativos </li></ul><ul><ul><li>gaze ou curativo compressivo </li></ul></ul><ul><ul><li>troca em 48 h, remoção de suturas 6 a 10 dias </li></ul></ul><ul><li>Prevenção de infecções </li></ul><ul><li>Profilaxia do tétano </li></ul>
  20. 27. FERIDAS PENETRANTES <ul><li>TRATAMENTO: </li></ul><ul><li>Profilaxia do tétano e infecções </li></ul><ul><li>Limpeza completa </li></ul><ul><li>Sutura? </li></ul><ul><li>Plástica secundariamente </li></ul>
  21. 29. FERIDAS POR ARMA DE FOGO (FAF) <ul><li>TRATAMENTO: </li></ul><ul><li>controle da hemorragia </li></ul><ul><li>suturas após limpeza do ferimento </li></ul><ul><li>suturar de “dentro para fora” (reduzir fraturas e depois fechar tecidos moles) </li></ul><ul><li>perda de substância tecidual </li></ul><ul><li>Retirada dos projéteis: risco x benefício “ quando uma bala para de se mover, para de causar dano” </li></ul>
  22. 37. CORPOS ESTRANHOS <ul><li>dentes </li></ul><ul><li>fragmentos ósseos </li></ul><ul><li>vidro </li></ul><ul><li>pedras </li></ul><ul><li>roupa </li></ul><ul><li>terra </li></ul><ul><li>madeira </li></ul><ul><li>materiais restauradores </li></ul>
  23. 38. CORPOS ESTRANHOS <ul><li>TRATAMENTO: </li></ul><ul><li>Remover corpo estranho para evitar infecção e atraso na cicatrização </li></ul><ul><li>Antibioticoterapia até que a cicatrização primária tenha terminado </li></ul><ul><li>Profilaxia do tétano </li></ul>
  24. 40. QUEIMADURAS <ul><li>Graus: </li></ul><ul><li>- 1 ° </li></ul><ul><li>- 2 ° superficial </li></ul><ul><li>- 2 ° profundo </li></ul><ul><li>- 3 ° </li></ul><ul><li>- 4 ° </li></ul><ul><li>Toda a face  3% da superfície do corpo </li></ul>
  25. 41. QUEIMADURAS <ul><li>Tratamento local </li></ul><ul><ul><li>limpeza absoluta da superfície </li></ul></ul><ul><ul><li>cobrir com gaze furacinada ou deixar aberta com PVP-I tópico </li></ul></ul><ul><ul><li>enxertos de pele </li></ul></ul>
  26. 42. QUEIMADURAS <ul><li>Tratamento de suporte </li></ul><ul><ul><li>controle da infecção </li></ul></ul><ul><ul><li>prevenção do choque </li></ul></ul><ul><ul><li>prevenção do tétano </li></ul></ul><ul><ul><li>diminuição da dor </li></ul></ul>
  27. 44. URGÊNCIAS EM FRATURAS FACIAIS <ul><li>Limpeza e manutenção das vias aéreas superiores livres </li></ul><ul><li>Controle da hemorragia </li></ul><ul><li>Estabilização das partes </li></ul><ul><li>Bandagens </li></ul><ul><li>Amarrias </li></ul><ul><li>Arco de Erich </li></ul>
  28. 54. DIAGNÓSTICO DAS FRATURAS DO COMPLEXO ZIGOMÁTICO-ORBITÁRIO <ul><li>CAUSAS DE TRAUMAS: </li></ul><ul><li>agressão física </li></ul><ul><li>acidentes de trânsito </li></ul><ul><li>esportes de contato </li></ul><ul><li>quedas </li></ul><ul><li>Acidentes de trabalho. </li></ul>
  29. 55. (pilar fronto-naso-maxilar) * Glabela, * Processo nasal do osso frontal * Ossos nasais; * Processo frontal do osso maxilar; * Termina ao nível da fossa canina (processo alveolar da maxila). PILAR CENTRAL SUPERFICIAL: SHAPIRO, H.H. Applied Anatomy of Head and Neck, 1947. STURLA, Flávio; ABSI, D. Plast. Reconstr. Surg. 1980.
  30. 56. PILAR CENTRAL PROFUNDO: SHAPIRO, H.H. Applied Anatomy of Head and Neck, 1947. STURLA, Flávio; ABSI, D. Plast. Reconstr. Surg. 1980. * Vômer; * Lâmina perpendicular do osso etmóide; * Lâmina horizontal do osso palatino.
  31. 57. PILAR LATERAL SUPERFICIAL: SHAPIRO, H.H. Applied Anatomy of Head and Neck, 1947. STURLA, Flávio; ABSI, D. Plast. Reconstr. Surg. 1980. (pilar fronto-zigomático-maxilar) * Processo frontal do osso zigomático * Corpo do osso Zigomático * Processo Zigomático do osso maxilar * Processo temporal do osso zigomático
  32. 58. PILAR LATERAL PROFUNDO: SHAPIRO, H.H. Applied Anatomy of Head and Neck, 1947. STURLA, Flávio; ABSI, D. Plast. Reconstr. Surg. 1980. (pilar fronto-esfeno-maxilar) * Processo pterigóide do osso esfenóde; * Asa maior do osso esfenóide; * Asa menor do osso esfenóide; * Fissura orbitária.
  33. 59. Relação do zigoma com outras estruturas faciais PAREDE LÁTERO- MAXILA SUPERIOR DO SEIO MAXILAR HEMO-SINUS EPISTAXE
  34. 60. Relação do zigoma com outras estruturas faciais MAIOR PARTE DA CAV. ORBITÁRIA PAREDE LATERAL DA ÓRBITA contato íntimo músc. reto inferior SEPARA CAVIDADE ORBITÁRIA DO SEIO MAXILAR equimose subconjuntival, diplopia
  35. 61. Relação do zigoma com outras estruturas faciais NERVO ATRAVESSA ASSOALHO INFRAORBITAL DA ÓRBITA (ramo trigêmio) EMERGE NO FORAME I.O. Alteração da sensibilidade na região cutânea da asa do nariz, lábio superior, dentes sup. (C e I)
  36. 62. Classificação das fraturas (Knight e North, 1961) <ul><li>Grupo I : </li></ul><ul><li>SEM DESLOCAMENTO SIGNIFICATIVO </li></ul><ul><li>Fratura visível na radiografia; </li></ul><ul><li>Neste grupo o tratamento não é necessário. </li></ul>
  37. 63. Classificação das fraturas (Knight e North, 1961) <ul><li>Grupo II : </li></ul><ul><li>FRATURAS DA ARCADA ZIGOMÁTICA </li></ul><ul><li>Sem envolver as paredes do seio maxilar ou da órbita; </li></ul><ul><li>Trismo, mas não diplopia. </li></ul>
  38. 64. Classificação das fraturas (Knight e North, 1961) <ul><li>Grupo III: </li></ul><ul><li>FRATURAS DO CORPO SEM ROTAÇÃO </li></ul><ul><li>Com deslocamento para dentro do antro; </li></ul><ul><li>Achatamento da bochecha, com degrau palpável na margem infraorbitária. </li></ul>
  39. 65. Classificação das fraturas (Knight e North, 1961) <ul><li>Grupo IV: </li></ul><ul><li>FRATURAS DO CORPO COM ROTAÇÃO MEDIAL </li></ul><ul><li>Tipo A : deslocamento para fora da proeminência zigom.; </li></ul><ul><li>Tipo B : deslocamento para dentro da sutura frontozigom. </li></ul>
  40. 66. Classificação das fraturas (Knight e North, 1961) <ul><li>Grupo V: </li></ul><ul><li>FRATURAS DO CORPO COM ROTAÇÃO LATERAL </li></ul><ul><li>Tipo A : deslocamento para cima da margem infraorbitária; </li></ul><ul><li>Tipo B : deslocamento para fora da sutura frontozigom. </li></ul>
  41. 67. Classificação das fraturas (Knight e North, 1961) <ul><li>Grupo VI: </li></ul><ul><li>FRATURAS COMPLEXAS </li></ul><ul><li>Estão incluídos todos os casos que apresentarem linhas adicionais de fratura no segmento principal. </li></ul>
  42. 68. DIAGNÓSTICO DAS FRATURAS DO COMPLEXO ZIGOMÁTICO-ORBITÁRIO <ul><li>Exame físico: </li></ul><ul><li>  assimetria facial; </li></ul><ul><li>  equimose subconjuntival; </li></ul><ul><li> edema e equimose periorbital; </li></ul><ul><li> queixa de dormência na região inervada pelo n. infraorbitário; </li></ul><ul><li>(asa nariz, lábio superior, pálpebra inferior dentes I e C) </li></ul>
  43. 69. DIAGNÓSTICO DAS FRATURAS DO COMPLEXO ZIGOMÁTICO-ORBITÁRIO <ul><li>Exame físico:  diplopia </li></ul>Fratura por explosão (blow-out)
  44. 70. DIAGNÓSTICO DAS FRATURAS DO COMPLEXO ZIGOMÁTICO-ORBITÁRIO <ul><li>Exame físico: </li></ul><ul><li> limitação da abertura bucal </li></ul><ul><li> lesões de fibras do músculo temporal </li></ul>
  45. 71. DIAGNÓSTICO DAS FRATURAS DO COMPLEXO ZIGOMÁTICO-ORBITÁRIO <ul><li>Exame físico: </li></ul><ul><li>  palpação bi-manual: </li></ul><ul><ul><ul><li>borda infraorbitária </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>sutura fronto-zigomática </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>intrabucal </li></ul></ul></ul>
  46. 73. DIAGNÓSTICO DAS FRATURAS DO COMPLEXO ZIGOMÁTICO-ORBITÁRIO <ul><li>Exames radiográficos: </li></ul><ul><li> • Incidência de Waters </li></ul><ul><li> • Incidência de Waters reversa </li></ul><ul><li> • Incidência submento - vértice (Hirtz) </li></ul><ul><li> • Panorâmica </li></ul><ul><li> • Tomografia computadorizada </li></ul>
  47. 74. <ul><li>Exames radiográficos: </li></ul><ul><li> Waters </li></ul>DIAGNÓSTICO DAS FRATURAS DO COMPLEXO ZIGOMÁTICO-ORBITÁRIO
  48. 75. INCIDÊNCIA DE WATERS
  49. 76. <ul><li>Exames radiográficos: </li></ul><ul><li> Hirtz </li></ul><ul><li>submento - vértice </li></ul>DIAGNÓSTICO DAS FRATURAS DA ARCADA ZIGOMÁTICA
  50. 77. HIRTZ
  51. 78. INCIDÊNCIA DE HIRTZ
  52. 79. TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA
  53. 80. CLASSIFICAÇÃO DAS FRATURAS DO OSSO MAXILAR FRATURA TRANSVERSA BAIXA: (Guerin, Duchange, tipo Le Fort I) 1901, René Le Fort descreve os traços de fraturas observados em cadáveres, submetidos a impactos desferidos de várias direções (Rev. Chir de Paris) “ Linha da fratura tangencia a margem inferior da abertura piriforme e dirige-se horizontalmente, através da parede anterior do seio maxilar até a tuberosidade (bilateralmente), comprometendo o processo pterigóide do osso esfenóide e causando a fratura ou disjunção ptérigo-maxilar.” CRUZ, Ricardo L.; COSTA, Edgar A. Fraturas de maxila, In : PSILAKIS, J.M.; ZANINI, S.A.; MÉLEGA, J.M.; CRUZ, R.L. Cirurgia Craniomaxilofacial: Osteotomias Estéticas da Face. RIO DE JANEIRO: MEDSI, p.515-534, 1987.
  54. 81. FRATURA TRANSVERSA BAIXA: GRAZIANI, Mário. Anatomia Aplicada, In :GRAZIANI, M. Traumatologia Maxilofacial. RIO DE JANEIRO:Guanabara Koogan, p. 176-183, 1982 .
  55. 82. FRATURA PIRAMIDAL: Fratura tipo Le Fort II: “ Caracteriza por uma linha de fratura que se inicia na região dos ossos nasais, descendo pelo processo frontal do osso maxilar, e estendendo-se lateralmente através dos ossos lacrimais ao assoalho da órbita, rebordo infraorbitário e sutura zigomático-maxilar. A linha atinge então a parede lateral da maxila e estende-se ate o processo pterigóde do osso esfenoide, no qual causa a fratura ptérigo-maxilar.” CRUZ, Ricardo L.; COSTA, Edgar A. Fraturas de maxila, In : PSILAKIS, J.M.; ZANINI, S.A.; MÉLEGA, J.M.; CRUZ, R.L. Cirurgia Craniomaxilofacial: Osteotomias Estéticas da Face. RIO DE JANEIRO: MEDSI, p.515-534, 1987.
  56. 83. FRATURA PIRAMIDAL: Na fratura piramidal, tipo Le Fort II, NÃO HÁ, disjunção frontonasal! GRAZIANI, Mário. Anatomia Aplicada, In :GRAZIANI, M. Traumatologia Maxilofacial. RIO DE JANEIRO:Guanabara Koogan, p. 176-183, 1982.
  57. 84. FRATURA tipo Le Fort III: (Disjunção crâniofacial) “ Caracteriza-se por uma linha de fratura que estende-se desde a região da sutura fronto-nasal, passando pelas paredes mediais e do assoalhos das órbitas, alcançando as suturas zigomático-frontal e zigomático-temporal.” * Completa separação do esqueleto facial e craniano; * Não é uma fratura crâniofacial. CRUZ, Ricardo L.; COSTA, Edgar A. Fraturas de maxila, In : PSILAKIS, J.M.; ZANINI, S.A.; MÉLEGA, J.M.; CRUZ, R.L. Cirurgia Craniomaxilofacial: Osteotomias Estéticas da Face. RIO DE JANEIRO: MEDSI, p.515-534, 1987.
  58. 85. FRATURA tipo Le Fort III: * Rotura do pilar transverso da face; * Sentido da força geralmente supero-inferior. GRAZIANI, Mário. Anatomia Aplicada, In :GRAZIANI, M. Traumatologia Maxilofacial. RIO DE JANEIRO:Guanabara Koogan, p. 176-183, 1982.
  59. 86. FRATURA tipo LANNELANGUE: * Descrita inicialmente no ano de 1879; *Geralmente ocorre em associação à fratura transversa baixa. “ Caracteriza-se por uma disjunção ao nível da região mediana da maxila, entre os processos horizontais do osso palatino.”  Diastema traumático entre incisivos centrais;  Laceração da mucosa recobrimento da rafe palatina. CRUZ, Ricardo L.; COSTA, Edgar A. Fraturas de maxila, In : PSILAKIS, J.M.; ZANINI, S.A.; MÉLEGA, J.M.; CRUZ, R.L. Cirurgia Craniomaxilofacial: Osteotomias Estéticas da Face. RIO DE JANEIRO: MEDSI, p.515-534, 1987.
  60. 87. FRATURA tipo LANNELANGUE: GRAZIANI, Mário. Anatomia Aplicada, In :GRAZIANI, M. Traumatologia Maxilofacial. RIO DE JANEIRO:Guanabara Koogan, p. 176-183, 1982. * Fratura mediana da maxila; * Maior prevalência em combinação com outras fraturas.
  61. 88. FRATURA tipo RICHET: * Descrita inicialmente em 1857; “ Caracteriza-se por uma associação entre uma fratura transversa baixa unilateral e uma fratura mediana da maxila” - Movimento posterior causado pelo impacto ântero-lateral; - Mal oclusão do tipo mordida cruzada unilateral. CRUZ, Ricardo L.; COSTA, Edgar A. Fraturas de maxila, In : PSILAKIS, J.M.; ZANINI, S.A.; MÉLEGA, J.M.; CRUZ, R.L. Cirurgia Craniomaxilofacial: Osteotomias Estéticas da Face. RIO DE JANEIRO: MEDSI, p.515-534, 1987.
  62. 89. FRATURA tipo RICHET: GRAZIANI, Mário. Anatomia Aplicada, In :GRAZIANI, M. Traumatologia Maxilofacial. RIO DE JANEIRO:Guanabara Koogan, p. 176-183, 1982.
  63. 90. FRATURA tipo WALTHER: * Descrita inicialmente em 1891; “ Caracteriza-se por uma associação entre uma fratura horizontal transversa completa e uma fratura mediana da maxila.” - Descrita também como fratura em quatro fragmentos; - Grande dificuldade para estabilização dos fragmentos em posição. CRUZ, Ricardo L.; COSTA, Edgar A. Fraturas de maxila, In : PSILAKIS, J.M.; ZANINI, S.A.; MÉLEGA, J.M.; CRUZ, R.L. Cirurgia Craniomaxilofacial: Osteotomias Estéticas da Face. RIO DE JANEIRO: MEDSI, p.515-534, 1987.
  64. 91. FRATURAS COMPLEXAS DO TERÇO MÉDIO DA FACE: GRAZIANI, Mário. Anatomia Aplicada, In :GRAZIANI, M. Traumatologia Maxilofacial. RIO DE JANEIRO:Guanabara Koogan, p. 176-183, 1982.
  65. 92. Avaliação dos Pacientes <ul><li>A: Remoção corpos estranhos... </li></ul><ul><li>B,C. </li></ul><ul><li>Controlar hemorragia </li></ul><ul><li>Estabilização </li></ul><ul><li>Cânula de Guedel </li></ul><ul><li>Anamnese </li></ul><ul><li>Exame físico... face...mandíbula. </li></ul><ul><li>Exame radiográfico </li></ul>
  66. 93. Diagnóstico de Fraturas mandibulares <ul><li>Anamnese </li></ul><ul><li>Exame clínico </li></ul><ul><ul><li>Sinais </li></ul></ul><ul><ul><li>sintomas </li></ul></ul><ul><li>Exame radiográfico </li></ul>
  67. 94. Exame Clínico
  68. 99. Exame Radiográfico <ul><li>Waters </li></ul><ul><li>P.A. de face </li></ul><ul><li>Perfil e perfil oblíquo </li></ul><ul><li>Hirtz </li></ul><ul><li>Towne com boca aberta </li></ul><ul><li>Panorâmica </li></ul><ul><li>Oclusal </li></ul><ul><li>T.C. </li></ul>
  69. 100. P.A. de face
  70. 101. Perfil e perfil oblíquo
  71. 102. Towne com boca aberta
  72. 103. Panorâmica
  73. 104. T.C. TC com ou sem reconstru-ção tridimensi-onal
  74. 105. Fraturas mandibulares – classificação quanto a Localização <ul><li>Condilares </li></ul><ul><li>De ângulo </li></ul><ul><li>De corpo </li></ul><ul><li>Sinfisária e para-sinfisária </li></ul><ul><li>Alveolar </li></ul><ul><li>De ramo </li></ul><ul><li>De processo coronóide </li></ul>
  75. 106. Freqüência
  76. 107. Tipos: Quanto à extensão da injúria <ul><li>Galho verde – Simples – Cominutiva - Composta ou exposta </li></ul>
  77. 108. Quanto ao deslocamento Favoráveis Desfavoráveis
  78. 109. Tratamento das Fraturas de Face <ul><li>Reabilitação máxima </li></ul><ul><li>Rápida reparação óssea </li></ul><ul><li>Retorno à função mastigatória e fonação </li></ul><ul><li>Retorno à estética anterior </li></ul><ul><li>Minimizar efeitos adversos causados pela dificuldade nutricional do paciente </li></ul><ul><li>Minimizar o desconforto </li></ul>
  79. 110. Estabilização Óssea/Dentária <ul><li>Odontossíntese </li></ul><ul><ul><li>Utiliza apenas os dentes como meio de fixação </li></ul></ul><ul><li>Osteossíntese </li></ul><ul><ul><li>Fixa diretamente osso contra osso </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Fios de aço </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Placas de Champy </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Placas A.O. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Micro-placas e malhas de aço </li></ul></ul></ul>
  80. 111. ODONTOSSÍNTESE Manobra na qual utiliza-se de recursos para se fazer a imobilização de elementos dentários e estruturas adjacentes, após um trauma, que pode ou não ter atingido estes dentes.
  81. 112. Princípios Cirúrgicos <ul><li>Avaliação geral, análise das fraturas e plano de tratamento </li></ul><ul><li>Cirurgia o mais precoce possível </li></ul><ul><li>Redução da fratura </li></ul><ul><li>Fixação, contenção e imobilização dos segmentos ósseos </li></ul><ul><li>Restauração da oclusão original </li></ul><ul><li>Prevenção e erradicação da infecção </li></ul>
  82. 113. Avaliação do Terço Médio da Face <ul><li>Mobilidade da maxila, isolada ou combinada a ossos nasais ou zigomáticos. </li></ul><ul><li>Palpação da região média, superior e nasal. </li></ul><ul><li>Medição intercantal e Simetria nasal. </li></ul><ul><li>Visualizar área interna do nariz (espéculo). </li></ul><ul><li>Intra-bucal - lacerações de mucosa, equimoses, oclusão e mobilidade dentária. </li></ul><ul><li>Equimoses peri-orbitárias, subconjuntivais... </li></ul><ul><li>Cheiro de sangue e saliva </li></ul>
  83. 114. Avaliação do Terço Médio da Face <ul><li>Limitação de abertura bucal </li></ul><ul><li>Desvio da linha média e maloclusão </li></ul><ul><li>Manipulação do maxilar anterior e posterior bilateral </li></ul><ul><li>Observar aspecto facial, maxilares e nariz </li></ul><ul><li>Procurar diplopia, enoftalmia, desnível ocular e perda da acuidade visual. </li></ul><ul><li>Hemorragia ótica e nasal </li></ul><ul><li>Parestesia ou anestesia infra-orbitária </li></ul>
  84. 116. TRATAMENTO DA FRATURA DO ZIGOMA CIRÚRGICO ANESTESIA GERAL ABORDAGENS: EXTRA-BUCAL INTRA-BUCAL SUPRACILIAR PALPEBRAL INFERIOR MÉTODO DE GILLIES TRANSCUTÂNEA
  85. 125. TRATAMENTO DAS FRATURAS DO COMPLEXO MAXILOZIGOMÁTICO fraturas da arcada zigomática <ul><li>Abordagem temporal ou Método de Gillies </li></ul><ul><li>1. Preparo do local da incisão: raspar o cabelo da região temporal; </li></ul><ul><li>2. Incisão (2cm) da pele e da aponeurose temporal, </li></ul><ul><li>3. Desliza-se um instrumento (forte elevador ou espátula de Rowe-Bristow), na fossa temporal, sob a arcada zigomática; </li></ul>
  86. 126. TRATAMENTO DAS FRATURAS DO COMPLEXO MAXILOZIGOMÁTICO fraturas da arcada zigomática <ul><li>Abordagem temporal ou Método de Gillies </li></ul><ul><li>4. Uma forte ação de alavanca é exercida tendo como fulcro um maço de gaze colocada na reg. parietal e reduz a fratura, enquanto a outra mão palpa as estruturas através da pele; </li></ul><ul><li>5. Há um engrenamento dos fragmentos ósseos, o que mantém a estabilidade da fratura. </li></ul>
  87. 131. ABORDAGEM TRANSCUTÂNEA
  88. 132. Acesso intrabucal
  89. 133. TRATAMENTO DAS FRATURAS DO COMPLEXO MAXILOZIGOMÁTICO fraturas da arcada e corpo zigomático <ul><li>Abordagem intrabucal </li></ul><ul><li>1. Incisão da mucosa na região do molares; </li></ul><ul><li>2. Divulsão submucosa; </li></ul><ul><li>3. Introdução alavanca sob a arcada zigomática e redução dos fragmentos ósseos. </li></ul><ul><li>4. Corpo: alavanca por trás da tuberosidade. </li></ul>
  90. 135. Acesso subpalpebral e fixação borda infraorbitária Fratura pilar zigomático
  91. 142. <ul><li>Hemorragia ótica </li></ul><ul><ul><li>fratura fossa craniana média, condilar ou ferida primária no canal auditivo externo </li></ul></ul><ul><li>Rinorréia cérebro-espinhal (epistaxe) </li></ul><ul><ul><li>não tentar mobilizar </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>absorver em lenço de papel e deixar secar, se endurece ao secar: muco </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>prova da glicose com fitas (+) LCE; (incorreto se houver sangue) </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Antibioticoterapia profilática </li></ul></ul><ul><li>Sinais neurológicos importantes: perda de consciência, letargia, cefaléia intensa, vômitos, pupilas dilatadas e fixas , lesão nervos oculomotor e facial, equimose mastoidéia, aumento temperatura, otorragia </li></ul>
  92. 143. Tratamento de Fraturas de Mandíbula <ul><li>Fixação maxilo-mandibular (casos desfavoráveis ao deslocamento) </li></ul><ul><li>Osteosíntese com fios de aço </li></ul><ul><li>Osteossíntese com placas de Champy </li></ul><ul><li>Parafusos bi-corticais </li></ul><ul><li>Fios de kirshner </li></ul><ul><li>Fixações extra bucais </li></ul>
  93. 144. Oclusão e estabilização
  94. 145. Redução Fechada <ul><li>Indicações </li></ul><ul><ul><li>Em fraturas favoráveis </li></ul></ul><ul><ul><li>Onde se possa manter a FIM por seis a sete semanas </li></ul></ul><ul><ul><li>Fraturas condilares </li></ul></ul><ul><ul><li>Antes de realizar uma redução aberta </li></ul></ul><ul><ul><li>Quando não se pode lançar mão de placas e parafusos </li></ul></ul>
  95. 146. Redução fechada - tempo de FIM <ul><li>Fraturas condilares </li></ul><ul><ul><li>adultos: 2 a 3 semanas </li></ul></ul><ul><ul><li>crianças: 10 a 14 dias </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>fisioterapia após </li></ul></ul></ul><ul><li>Fraturas de corpo e ramo </li></ul><ul><ul><li>6 a 7 semanas </li></ul></ul>
  96. 147. Cirurgia aberta - Indicações <ul><li>Se após a FIM não houve correta redução da fratura </li></ul><ul><li>Deslocamento ósseo contínuo </li></ul><ul><li>Fraturas desfavoráveis </li></ul>
  97. 148. Vantagens da fixação rígida <ul><li>Maior conforto </li></ul><ul><li>diminuição do período de FIM </li></ul><ul><li>melhor condição de higiene e nutrição </li></ul><ul><li>maior segurança para pacientes com crise convulsiva </li></ul><ul><li>melhores condições para tratamento de pacientes politraumatizados </li></ul>
  98. 149. Placas de Champy
  99. 150. Odontossínteses <ul><li>Hoorizontais </li></ul><ul><li>Escada </li></ul><ul><li>Ivy simples e contínua </li></ul><ul><li>Em oito </li></ul><ul><li>Arcos de Erich </li></ul><ul><li>Goteiras </li></ul><ul><li>Verticais </li></ul><ul><li>Ivy </li></ul><ul><li>Gilmer </li></ul><ul><li>Arcos de Erich </li></ul><ul><li>Goteriras </li></ul>
  100. 151. Odontossíntese Ivy Contínua
  101. 152. ODONTOSSÍNTESE DE GILMER
  102. 153. ODONTOSSÍNTESE DE GILMER
  103. 154. ODONTOSSÍNTESE DE IVY (SIMPLES)
  104. 155. ODONTOSSÍNTESE DE IVY (CONTÍNUA)
  105. 156. ODONTOSSÍNTESE COM ARCO DE ERICH
  106. 161. Goteiras
  107. 164. Odontossíntese vertical direta
  108. 165. Traqueostomia Prevenir asfixia devido a blo-queio na faringe ou laringe Corpos estranhos inalados ir-removíveis, edema agudo de laringe, trauma ou feridas na laringe, fraturas cominutivas compostas, que bloqueiam a passagem do ar. Ansiedade, cianose cinza, respiração curta e rápida, afundamento dos tecidos supra-esternais, fossa supra-clavicular, espaços intercostais e epigástrico .
  109. 166. Resposta Pupilar e Movimento Ocular <ul><li>Isocoria </li></ul><ul><li>Anisocoria </li></ul><ul><li>Midríase </li></ul><ul><li>Miose </li></ul><ul><li>História de drogas </li></ul><ul><li>Nistagno (movimento pendular do olho) </li></ul><ul><li>Avaliação da cabeça </li></ul>
  110. 167. Cricotiroidectomia voltar
  111. 168. Entubação sub-mento-oro-traqueal (Revista do Colégio Brasileiro de CTBMF - Wesley Cabral Rocha ) Voltar

×