ESCOLA BÁSICA DOS 2º E 3º CICLOS BARTOLOMEU PERESTRELO  Plano de aulas - 2º período                                       ...
ESCOLA BÁSICA DOS 2º E 3º CICLOS BARTOLOMEU PERESTRELO Plano de aulas - 2º período                                        ...
ESCOLA BÁSICA DOS 2º E 3º CICLOS BARTOLOMEU PERESTRELO  Plano de aulas - 2º período                                       ...
ESCOLA BÁSICA DOS 2º E 3º CICLOS BARTOLOMEU PERESTRELO  Plano de aulas - 2º período                                       ...
ESCOLA BÁSICA DOS 2º E 3º CICLOS BARTOLOMEU PERESTRELO    Plano de aulas - 2º período                                     ...
ESCOLA BÁSICA DOS 2º E 3º CICLOS BARTOLOMEU PERESTRELOPlano de aulas - 2º período                              Ciências Fí...
Próxima SlideShare
Cargando en…5
×

Planificação 2ºperíodo

743 visualizaciones

Publicado el

Publicado en: Tecnología
  • Sé el primero en comentar

  • Sé el primero en recomendar esto

Planificação 2ºperíodo

  1. 1. ESCOLA BÁSICA DOS 2º E 3º CICLOS BARTOLOMEU PERESTRELO Plano de aulas - 2º período Ciências Físico-Químicas 9º Ano Turma 8 Ano Lectivo: 2011/2012 Conteúdos Competências Específicas Metodologia / Estratégias Recursos Aulas TEMA: Viver Melhor Na Terra Capítulo I - Questões centrais: “Em trânsito”  Reconhece a necessidade de “ De que modo a prevenção e a segurança rodoviárias permitem melhorar as condições de vida na Terra?” - Manual 2 aulas contribuir para a utilização dos “ Que conhecimentos sobre os movimentos são importantes para nos consciencializarmos sobre a - Acetato (03 Jan) meios de transporte terrestres em necessidade do cumprimento de regras de prevenção e segurança rodoviária?” - Retroprojector (05 Jan)1. O movimento e segurança; - Referir alguns dados estatísticos sobre acidentes, recolhidos da imprensa diária ou na Internet, com vista à - Quadroos meios de  Conhece regras de segurança sensibilização dos alunos para o cumprimento de regras de segurança rodoviária. - Caderno de exercíciostransporte rodoviária e de comportamento - Apresentar o significado de distância segurança rodoviária, reconhecendo os factores de que depende. seguro dos peões; - Análise das regras de segurança de veículos e peões referidas nas páginas 15 a 20 do manual e utilizar  Reconhece a importância de acetato.1.1 Segurança e procedimentos que permitem - Analisar os procedimentos referidos na página 21 do manual, dialogando sobre a importância da utilizaçãoprevenção diminuir os consumos energéticos racional dos transportes, de modo a contribuir para a poupança energética e a diminuição da poluiçãorodoviária e a poluição, devidos à utilização ambiental. dos transportes. Solicitar aos alunos a indicação de outros procedimentos também adequados para este fim. - Realizar na aula as actividades de verificação de conhecimentos da página 22 do manual. - Propor aos alunos a resolução, em casa, das questões 1 a 4, página 3 e 4 do caderno de exercícios.1.2 Grandezas  Compreende o significado de - Solicitar aos alunos a indicação de termos relacionados com o movimento, a escrever no quadro, - Manual 1 aulacaracterísticas relatividade do movimento, lembrando a diferença entre movimento e repouso, a relatividade do movimento, posição e trajectória. - Acetato (09 Jan)dos movimentos aplicando-o a situações correctas; - Com base em acetato e utilizando o diálogo: lembrar o significado de trajectória e exemplificar; distinguir - Retroprojector  Distingue entre deslocamento e deslocamento de distância entre dois pontos; lembrar o significado de rapidez média; apresentar o - Quadro distância; significado de velocidade, evidenciando o seu carácter vectorial. - Caderno de exercícios  Usa adequadamente os termos - Realizar na aula as actividades de verificação de conhecimentos das páginas 26 e 27 do manual. rapidez média e velocidade; - Propor aos alunos a resolução, em casa, das questões 5 a 12, páginas 4 e 5 do caderno de exercícios.1.3 Movimento  Distingue entre movimento - Dialogar sobre os valores indicados pelo velocímetro de um automóvel durante uma viagem e analisar - Manual 2 aulasUniforme uniforme, variado, acelerado e tabelas de valores de velocidade e tempo, para associar: - Acetato (10 Jan) retardado; - o movimento uniforme, ao valor de velocidade constante; - Retroprojector (12 Jan)  Caracteriza o movimento - o movimento acelerado, a valores de velocidade crescentes; - Quadro rectilíneo uniforme; - o movimento retardado, a valores de velocidade decrescentes. - Caderno de exercícios  Interpreta, utiliza e traça - Utilizando acetato: gráficos distância - tempo e - Fazer breve referência ao movimento curvilíneo uniforme. velocidade - tempo para o - Concluir que no movimento uniforme: movimento uniforme; - o valor da velocidade é sempre igual à rapidez média; - a distância percorrida é directamente proporcional ao tempo. s - Interpretar a igualdade s = v×t ou v= t - Análise de gráficos “distância - tempo” e “velocidade - tempo” para o movimento uniforme. s - Efectuar cálculos de valores de velocidade, a partir da expressão v= e de gráficos “distância – tempo”, t e de distâncias a partir da mesma expressão e de gráficos “valores de velocidade – tempo”. - Depois de concluir que durante a distracção dos condutores os veículos têm movimento uniforme, calcular distâncias percorridas durante a distracção, para relacionar o perigo com o valor da velocidade do veículo. - Realizar na aula as actividades de verificação de conhecimentos da página 32 do manual. - Propor aos alunos a resolução, em casa, das questões 13 a 17, das páginas 6 e 7 do caderno de exercícios. - Analisar tabelas de valores de velocidade e tempo projectadas em acetato, para associar: - o movimento uniformemente acelerado a valores de velocidade que aumentam regularmente com o tempo; - o movimento uniformemente retardado a valores de velocidade que diminuem regularmente com o tempo. - Análise de gráficos “velocidade - tempo” para movimentos U.A. e U.R., como os do acetato. - Calcular as distâncias percorridas a partir dos mesmos gráficos “velocidade -tempo”.
  2. 2. ESCOLA BÁSICA DOS 2º E 3º CICLOS BARTOLOMEU PERESTRELO Plano de aulas - 2º período Ciências Físico-Químicas 9º Ano Turma 8 Ano Lectivo: 2011/2012 Conteúdos Competências Específicas Metodologia / Estratégias Recursos Aulas - Análise em conjunto com os alunos, das questões resolvidas da página 35 do manual. - Manual 2 aulas  Caracteriza os movimentos - Realizar na aula as actividades de verificação de conhecimentos da página 36 do manual. - Acetato (16 Jan) rectilíneos uniformemente - Propor aos alunos a resolução, em casa, das questões 17 a 19, da página 7 do caderno de exercícios. - Retroprojector (17 Jan) acelerado e uniformemente - Resolução de ficha de trabalho para avaliação - Quadro retardado; - Caderno de exercícios1.4 Movimento  Interpreta, utiliza e traça -Ficha de trabalhoUniformemente gráficos velocidade - tempo paravariado movimentos uniformemente acelerados e retardados; - Manual 2 aulas - Diálogo, com base numa imagem de acetato, sobre o significado de: - Acetato (19 Jan)  Compreende o significado de - tempo e distância de reacção; - Retroprojector (23 Jan) distância de segurança rodoviária, - tempo e distância de travagem; - Quadro associando-a às distâncias de - distância de segurança rodoviária. - Caderno de exercícios reacção e travagem. - O modo como estas grandezas se relacionam entre si, bem como os factores dos quais dependem.1.5 A velocidade  Interpreta e utiliza gráficos - Interpretação do gráfico “velocidade - tempo” para a situação relacionada com a percepção de umdos veículos e a “velocidade - tempo” para obstáculo na estrada, de acordo com acetato, para concluir sobre o cálculo destas distâncias a partir dedistância de situações relacionadas coma gráficos.segurança percepção de obstáculos na - Realizar na aula as actividades de verificação de conhecimentos da página 39 do manual.rodoviária estrada. - Propor aos alunos a resolução, em casa, da questão 20, página 7 do caderno de exercícios. - Partir das ideias dos alunos sobre aceleração, que podem ser registadas no quadro ou em acetato, para - Manual 2 aulas associar variação de velocidade, a aumento ou diminuição, de valor ou ainda variação de direcção. - Acetato (24 Jan)  Interpreta o significado de - Com base em imagens projectadas em acetato: - Retroprojector (26 Jan) aceleração; - informar o significado de aceleração média; - Quadro  Distingue movimentos - caracterizar aceleração média pelo seu valor, direcção e sentido em movimentos rectilíneos; - Caderno de exercícios uniformes, uniformemente - indicar o significado do sinal positivo e negativo. -Ficha de trabalho1.6 A aceleração acelerados e retardados com base - Partindo da observação das restantes imagens do mesmo acetato e através do diálogo, caracterizar:dos movimentos no conceito de aceleração; - o movimento rectilíneo uniformemente acelerado, pela sua aceleração constante positiva;  Interpreta e utiliza gráficos - o movimento rectilíneo uniformemente retardado pela sua aceleração constante negativa; velocidade – tempo e aceleração - caracterizar o movimento rectilíneo uniforme pela aceleração nula. – tempo. - Interpretar os gráficos aceleração - tempo para os movimentos referidos.  Compreende o movimento de - Realizar na aula as actividades de verificação de conhecimentos das páginas 44 e 45 do manual. queda e ascensão dos corpos; - Propor aos alunos a resolução, em casa, das questões 21 a 23, da página 8 do caderno de exercícios. - Revisões da matéria dada 3 aulas - Teste de avaliação Teste de avaliação (31 Jan) 4º Teste de avaliação - Entrega e correcção do teste de avaliação (02 Fev) (07 Fev)
  3. 3. ESCOLA BÁSICA DOS 2º E 3º CICLOS BARTOLOMEU PERESTRELO Plano de aulas - 2º período Ciências Físico-Químicas 9º Ano Turma 8 Ano Lectivo: 2011/2012 Conteúdos Competências Específicas Metodologia / Estratégias Recursos Aulas TEMA: Viver Melhor Na Terra2. Forças: Causasdo movimento - Manual 3 aulas2.1 Resultante de  Compreende o significado de Questões centrais - Acetato (09 Fev)forças resultante de forças e efectuar a - Que forças afectam os movimentos? - Retroprojector (14 Fev) sua determinação em situações - O que é atrito? - Quadro (16 Fev) concretas; - De que depende a força de colisão de veículos? - Caderno de exercícios - Lembrar os elementos que caracterizam as forças e a sua representação por meio de vectores. -Ficha de trabalho - Informação do significado de resultante de forças, procedendo à sua determinação em caracterização no caso de duas forças que actuam no mesmo corpo. - Realizar na aula as actividades de verificação de conhecimentos das páginas 44 e 45 do manual. - Propor aos alunos a resolução, em casa, das questões 24 a 28, da página 9 do caderno de exercícios.2.2 A resultantedas forças e o - Manual 1 aulaestado de repouso - Acetato (23 Fev)ou de movimento  Interpreta o significado de - Informação do significado de equilíbrio de um corpo, associando-o à existência de resultante nula, seguida - Retroprojectorde um corpo equilíbrio, distinguido entre da análise de situações concretas de equilíbrio estático (repouso) e dinâmico (velocidade constante): - Quadro equilíbrio estático e dinâmico; - corpo pousado numa superfície horizontal; - Caderno de exercícios  Compreende a existência de - paraquedista com o pára-quedas aberto -Ficha de trabalho proporcionalidade directa entre a - Referência ao significado de inércia e à lei da inércia. resultante de forças e a - Deduzir que a existência de resultante não nula se associa sempre a corpos em movimento com aceleração de um corpo; velocidade variável, ou seja, com aceleração.  Reconhece a aplicabilidade das - Partir da observação de imagens e tabelas em acetatos, para através de diálogo, concluir que: Leis de Newton; - a resultante das forças aplicadas num corpo e a sua aceleração são directamente proporcionais; - o quociente entre os valores da resultante e da aceleração corresponde à massa do corpo; - a resultante e a aceleração são vectores com a mesma direcção e sentido; - quando a força resultante é constante, o movimento é uniformemente acelerado ou uniformemente retardado; - quanto maior é a massa de um corpo, menor é a aceleração produzida pela mesma resultante. - Referência à lei fundamental do movimento. Focar a situação particular do peso e da aceleração gravítica para interpretar a expressão que permite determinar a massa de um corpo, quando se conhece a massa do corpo. - Realizar na aula as actividades de verificação de conhecimentos da página 59 do manual. - Realização do trabalho de casa, das questões 29 a 34, das páginas 10 e 11 do caderno de exercícios.2.3 Par acção –reacção e a colisão - Manual 1 aulade veículos - Acetato (27 Fev)  Reconhece a existência do par - Observação de situações como: repulsão mútua entre ímanes, acção entre um corpo e uma mola em - Retroprojector acção – reacção para descrever a hélice na qual está suspenso, acção entre a mão e um objecto que não deixamos cair, repulsão entre dois - Quadro interacção dos corpos; balões iguais previamente friccionados, atracção entre duas tiras de acetato branco e vermelho previamente - Caderno de exercícios  Interpreta o efeito e as variáveis friccionadas com um pano para, através do diálogo, lembrar que as forças actuam sempre aos pares. -Ficha de trabalho de que depende a força de - Sistematizar as características das forças que formam pares acção-reacção e proceder à sua colisão; representação por meio de vectores para cada uma das situações observadas, - Referência à lei da acção reacção. - Dedução da expressão que relaciona a força que actua num veículo durante uma colisão com o valor da velocidade no momento da colisão, a massa do veiculo e o tempo de colisão, por aplicação da lei fundamental do movimento. - Diálogo sobre o efeito do aumento do tempo da colisão e suas aplicações práticas. - Realizar na aula as actividades de verificação de conhecimentos da página 65 do manual. - Propor aos alunos a resolução em casa, das questões 35 e 36, página 11 do caderno de exercícios.
  4. 4. ESCOLA BÁSICA DOS 2º E 3º CICLOS BARTOLOMEU PERESTRELO Plano de aulas - 2º período Ciências Físico-Químicas 9º Ano Turma 8 Ano Lectivo: 2011/2012 Conteúdos Competências Específicas Metodologia / Estratégias Recursos Aulas - Diálogo sobre as ideias dos alunos acerca do atrito, focando situações concretas como: o movimento de - Manual 2 aulas diferentes meios de transporte, abrir uma porta, patinar no gelo, etc. - Acetato (01 Mar)  Reconhece a existência e a - Indicação do significado de força de atrito e a sua representação, partindo de imagens projectadas em - Retroprojector (05 Mar) importância do atrito; acetato. Estas imagens permitem também focar a diferença entre atrito estático e cinético, de - Quadro escorregamento e rolamento. - Caderno de exercícios2.4 Forças de atrito - Referência de factores de que depende o atrito e dos quais não depende, com vista à análise de situações -Ficha de trabalho em que o atrito é útil e por isso é necessário saber como aumentá-lo e outras em que é prejudicial, sendo importante saber eliminá-lo. - Realizar na aula as actividades de verificação de conhecimentos da página 71 do manual. - Realizar a actividade experimental 4 da página 11 do caderno de actividades práticas. - Propor aos alunos a resolução, em casa, das questões 37 e 38, páginas 11 e 12 do caderno de exercícios. - Demonstração e caracterização do equilíbrio estável, instável e indiferente de corpos apoiados, utilizando, - Manual 1 aula por exemplo, um cone de madeira. - Acetato (08 Mar)  Reconhece o significado de - Retroprojector equilíbrio dos corpos, os factores - Utilização de um paralelepípedo articulado para demonstrar que os corpos apoiados estão em equilíbrio apenas enquanto a vertical traçada pelo centro de gravidade passar pela base de apoio do corpo. - Quadro que o afectam e a sua importância - Caderno de exercícios na segurança de veículos; - Através de diálogo, baseado na análise de situações referidas na página 78 do manual, concluir que a2.6 Equilíbrio dos estabilidade do equilíbrio aumenta com o aumento da base de apoio e o abaixamento do centro de - Cone de Madeiracorpos apoiados e gravidade. - Paralelepípedosegurança dos - Realizar na aula as actividades de verificação de conhecimentos da página 79 do manual. articuladoveículos - Realização do trabalho de casa, da questão 41, da página 13 do caderno de exercícios. - Demonstração experimental de que o valor do peso de um corpo, lido num dinamómetro, é maior no ar do - Manual 1 aula que quando se encontra mergulhado num líquido. - Acetato (12 Mar)  Reconhece a existência da - Retroprojector impulsão e os factores de que - Atribuir a diminuição do peso de um corpo num líquido à existência de uma força ascendente que o líquido exerce no corpo contraria o peso – a impulsão. Caracterizar a impulsão e o peso aparente, representando - Quadro depende; - Caderno de exercícios  Interpreta a flutuação dos os respectivos vectores.2.7 Impulsão - Demonstração experimental de que: - Protocolo da actividade corpos com base na impulsão; experimental  Compreende e reconhece a 1. a impulsão depende do volume dos corpos (usando dois corpos com o mesmo peso, mas volumes diferentes); - Material de laboratório aplicabilidade da lei de Arquimedes; 2. a impulsão não depende do peso (usando dois corpos com o mesmo volume, mas pesos diferentes); 3. a impulsão depende da densidade do líquido (mergulhando o mesmo corpo em líquidos diferentes). - Explicação do motivo pelo qual uns corpos vão ao fundo e outros flutuam na água, associando a flutuação a peso aparente nulo. - Revisões da matéria dada 3 aulas5º Teste de avaliação - Teste de avaliação (15 Mar) - Entrega e correcção do teste de avaliação (19 Mar) - Auto e hetero –avaliação (22 Mar) Competências gerais a privilegiar no 2º Período
  5. 5. ESCOLA BÁSICA DOS 2º E 3º CICLOS BARTOLOMEU PERESTRELO Plano de aulas - 2º período Ciências Físico-Químicas 9º Ano Turma 8 Ano Lectivo: 2011/20123. Usar correctamente a língua portuguesa para comunicar adequadamente e para estruturar pensamento próprio. b. Usar a língua portuguesa de forma adequada às situações de comunicação criadas nas diversas áreas do saber, numa perspectiva de construção pessoal do conhecimento. c. Usar a língua portuguesa no respeito das regras do seu funcionamento. § - Organizar o ensino valorizando situações de interacção e de expressão oral escrita que permitam ao aluno intervenções personalizadas, autónomas e críticas. § - Promover a identificação e a articulação dos contributos de cada área do saber com vista ao uso correctamente estruturado da Língua Portuguesa. § - Rentabilizar as potencialidades das tecnologias de informação e de comunicação no uso adequado da Língua Portuguesa.4. Usar línguas estrangeiras para comunicar adequadamente em situações do quotidiano e para apropriação de informação. a. Compreender textos orais e escritos em línguas estrangeiras para diversificação das fontes dos saberes culturais, científicos e tecnológicos. b. Interagir, oralmente e por escrito, em línguas estrangeiras, para alargar e consolidar relacionamentos com interlocutores/parceiros estrangeiros. § - Organizar o ensino prevendo o recurso a materiais pedagógicos em língua estrangeira. § - Promover actividades de intercâmbio presencial ou virtual, com utilização, cada vez mais intensa, das Tecnologias de Informação.5. Adoptar metodologias personalizadas de trabalho e de aprendizagem adequadas a objectivos visados. a. Exprimir dúvidas e dificuldades. b. Planear e organizar actividades de aprendizagem. c. Identificar, seleccionar e aplicar métodos de trabalho. § - Promover intencionalmente, na sala de aula e fora dela, actividades dirigidas à expressão e ao esclarecimento de dúvidas e de dificuldades. § - Prever experimentação de técnicas, instrumentos e formas de trabalho diversificados.8. Realizar actividades de forma autónoma, responsável e criativa. a. Realizar tarefas por iniciativa própria. b. Identificar, seleccionar e aplicar métodos de trabalho, numa perspectiva crítica e criativa. c. Responsabilizar-se pela realização integral de uma tarefa. § - Organizar o ensino prevendo a realização de actividades por iniciativa do aluno. § - Promover intencionalmente, dentro e fora da sala de aula, actividades dirigidas à experimentação de situações pelo aluno e à expressão da sua criatividade. § - Apoiar o aluno na descoberta das diversas formas de organização da sua aprendizagem e na construção da sua autonomia para aprender. § - Valorizar, na avaliação da aprendizagem do aluno, a produção de trabalhos livres e concebidos pelo próprio.9. Cooperar com outros em tarefas e projectos comuns. a. Participar em actividades interpessoais e de grupo, respeitando normas, regras e critérios de actuação, de convivência e de trabalho em vários contextos. b. Manifestar sentido de responsabilidade, de flexibilidade e de respeito pelo seu trabalho e pelo dos outros. § - Organizar o ensino prevendo e orientando a execução de actividades individuais, de pares, de grupo e colectivas. § - Promover intencionalmente, na sala de aula e fora dela, actividades dirigidas para o trabalho cooperativo, desde a concepção à avaliação e comunicação de resultados.
  6. 6. ESCOLA BÁSICA DOS 2º E 3º CICLOS BARTOLOMEU PERESTRELOPlano de aulas - 2º período Ciências Físico-Químicas 9º Ano Turma 8 Ano Lectivo: 2011/2012 Critérios de Avaliação de acordo com as Competências Essenciais Domínio Cognitivo – 70% Domínio Atitudinal – 30% Parâmetros Instrumentos de avaliação Parâmetros Instrumentos de avaliação - Aquisição de conhecimento (factos, - Testes - Comportamento - Observação directa conceitos, princípios e procedimentos); - Relatório e/ou trabalho - Responsabilidade - Lista de verificação - Compreensão de conteúdos e/ou escrito (individual ou de fenómenos; grupo) - Autonomia - Registo dos incidentes - Aplicação do conhecimento adquirido; - Participação críticos - Adopção de estratégias na resolução - Fichas de trabalho - Espírito crítico de problemas e exercícios; - Raciocínio.

×