Se ha denunciado esta presentación.
Utilizamos tu perfil de LinkedIn y tus datos de actividad para personalizar los anuncios y mostrarte publicidad más relevante. Puedes cambiar tus preferencias de publicidad en cualquier momento.

Doces e compotas a.d.r. - 12ºc

153 visualizaciones

Publicado el

Trabalho sobre Doces e Compotas, fala sobre os dois tema e apresenta um plano de valorização dos produtos regionais

Publicado en: Viajes
  • Inicia sesión para ver los comentarios

Doces e compotas a.d.r. - 12ºc

  1. 1. Trabalho realizado por: Luís Reis Nº 8 12ºC Disciplina: A.D.R. ( Ambiente e Desenvolvimento Rural) Professora: Ana Catarina Módulo: 12 – Valorização dos Recursos Endógenos
  2. 2. Introdução O trabalho a seguir apresentado desenvolve-se no Módulo 12: Valorização dos Recursos Endógenos, na disciplina de A.D.R. ( Ambiente e Desenvolvimento Rural. O presente projeto baseia-se na exploração, divulgação e conhecimento de Doces e Compotas a nível Regional.
  3. 3. Numa 1ª Parte são apresentados os Produtos Tradicionais Certificados existentes a nível Nacional, para posteriormente apresentar um Plano de valorização de um produto do mesmo tipo existente em Mondim de Basto.
  4. 4. A Bela Queijadinha de Barcelos A massa do recheio é envolvida em hóstia e, depois de lhe ser dado o formato, a queijadinha vai ao forno a coser. Quando sai do forno é mergulhada numa calda de “ fondant” e seca ao ar, o que lhe dá uma cor branca. A base do recheio é uma massa de amêndoa com frutos em calda, queijo branco fresco e ovos triturados até ficar uma consistência de papa.. Depois de pronta, a queijadinha tem uma consistência macia embora o invólucro seja estaladiço.
  5. 5. A Bela Queijadinha de Barcelos Típica da Região: Norte Queijaditas; Queijadinhas; Queijadinhas de Barcelos.
  6. 6. Modo de Preparação Trituram- se frutos em Calda ( laranja em maior proporção, maracujá, damasco e pêssego, amêndoa e um pouco de queijo branco até formar uma papa que vai ao lume e engrossa com gema de ovos. Depois da pasta fria acrescenta-se miolo de amêndoa ralado. Embrulha-se em hóstia dando origem á forma de estrela e outras formas de charutos. Vão ao forno a secar, sendo seguidamente mergulhada numa calda de açúcar feita em água e claras em castelo, o que lhes dá depois de secas uma cor branca.
  7. 7. Aletria (Região Centro) Doce de tonalidade amarela, cremoso, adocicado e com um suave aroma a limão e a canela. Ovos; água; açúcar aletria; uma pitada de sal; casca de limão manteiga e canela.
  8. 8. Modo de Preparação Numa caçarola, colocar água q.b., a manteiga, o sal e a casca de limão e deixar ferver. Juntar a aletria desmanchada e deixar cozer. Depois de cozida, juntar o açúcar e deixar ferver. Separar as gemas das claras. Bater as gemas e juntá-las ao preparado anterior, mexendo sempre. Depois de levantar fervura, deixar cozer durante cerca de 2 minutos. Por fim, retira-se do lume, retirando também a casca de limão, coloca-se em travessas fundas e deixar arrefecer. Polvilhar a gosto com canela moída.
  9. 9. Acompanhar com pão, tostas ou bolachas. Consumir com carnes frias e queijos curados ou de pasta mole. Utilizar para dar um toque especial aos assados ou utilizar na preparação de sobremesas. A melhor pêra portuguesa é combinadas com sultanas e especiarias. Compota de Pêra ( Pêra Rocha do Oeste com Passas de Uva) DOP
  10. 10. Compota de Maçã Riscadinha ( Mação Riscadinha de Palmela) DOP Acompanhar com pão, tostas ou bolachas. Consumir com carnes frias e queijos curados. Utilizar para dar um toque especial aos assados ou utilizar na preparação de sobremesas. A partir de uma maçã única , resulta uma compota quente e reconfortante.
  11. 11. 2 nd part
  12. 12. O que existe em Mondim de Basto? Em Mondim de Basto existe a Quinta das Fundieiras, localizada na Freguesia de Paradança. Esta quinta produz actualmente Mirtilo e Groselha.
  13. 13. O que existe em Mondim de Basto? Em Mondim de Basto existe a Pastelaria “ Doces de Basto”, localizada na Freguesia de Atei.
  14. 14. Plano de Valorização A Quinta das Fundieiras explora essencialmente o Mirtilo e a Groselha.Mirtilo Groselha
  15. 15. Perceber junto dos produtores locais a disponibilidade para estabelecer parceria com uma empresa, que seria criada por mim, para a produção de compotas. Plano de Valorização Com o contributo de frutos, nomeadamente, frutos silvestres, produzir compota para posterior comercialização. Deste modo, valoriza-se a produção excedentária dos produtores locais, evitando-se eventuais desperdícios, e dinamiza-se a economia da região. Inicialmente os produtos seriam comercializados no mercado local e, posteriormente, desencadeados os procedimentos para outra escala de negócio. 2º 1º 3º
  16. 16. Confecção de bolachas a partir do fruto Mirtilo. Plano de Valorização 1º Aproveitamento dos frutos dos produtores locais na confecção deste produto. .2º
  17. 17. https://reis2015luis.wixsite.com/cookie Plano de Comunicação e Comercialização
  18. 18. Com a realização deste trabalho que incorporou um Plano de Valorização, percebi que muitas das vezes olhamos para as coisas ao nosso redor e não sabemos o que está lá. Apercebi-me que muitas das vezes estamos em contacto com aquilo que é diferente. Mondim possui uma capacidade enorme de Pastelaria e que sendo conjugada correctamente com os produtos da região, o resultado é fantástico. Com o Projecto de Valorização compreendi que devemos começar com uma coisa pequena, para depois evoluirmos. . Conclusão
  19. 19. Bibliografia http://portugaltreasures.pt/categoria-produto/doces/compotas http://portalterrafria.com/Produtos/Sabores-Tranmontanos/Conpotas http://www.lamiregourmet.pt/ https://reis2015luis.wixsite.com/cookie

×