Se ha denunciado esta presentación.
Utilizamos tu perfil de LinkedIn y tus datos de actividad para personalizar los anuncios y mostrarte publicidad más relevante. Puedes cambiar tus preferencias de publicidad en cualquier momento.

Word 9 d_10

985 visualizaciones

Publicado el

  • Sé el primero en comentar

  • Sé el primero en recomendar esto

Word 9 d_10

  1. 1. EB 2/3º CEB José Maria dos Santos2010/2011<br />2958465336029-289560149225<br />Lisandra Lopes 9ºD Nº10Área de ProjectoProf. Pedro Francisco<br />Índice TOC o "1-3" h z u Introdução PAGEREF _Toc287275994 h 3Origem do Cão PAGEREF _Toc287275995 h 4Características PAGEREF _Toc287275996 h 5Estrutura externa: PAGEREF _Toc287275997 h 5Estrutura interna: PAGEREF _Toc287275998 h 6Os sentidos: PAGEREF _Toc287275999 h 7Reprodução e esterilização PAGEREF _Toc287276000 h 8Envelhecimento PAGEREF _Toc287276001 h 8Saúde PAGEREF _Toc287276002 h 9Alimentação PAGEREF _Toc287276003 h 9Doenças PAGEREF _Toc287276004 h 9Relacionamento com o Homem PAGEREF _Toc287276005 h 10Grupos de Raças PAGEREF _Toc287276006 h 11<br />Introdução<br /> O cão é um mamífero canídeo e talvez o mais antigo animal domesticado pelo ser humano. Teorias postulam que surgiu do lobo cinzento no continente asiático há mais de 100 000 anos. Ao longo dos séculos, através da domesticação, o ser humano realizou uma selecção artificial dos cães pelas suas aptidões, características físicas ou tipos de comportamentos. <br />O resultado foi uma grande diversidade de raças caninas, as quais variam em tipo de pelo e tamanho dentro das suas próprias raças, actualmente classificadas em diferentes grupos ou categorias. As designações rafeiras (em Portugal) são dadas aos cães sem raça definida ou mestiços descendentes.<br />Com uma expectativa de vida que varia entre dez e vinte anos, o cão é um animal social que, na maioria das vezes, aceita o seu dono como o "chefe da matilha" e possui várias características que o tornam de grande utilidade para o homem. Possui excelente olfacto e audição, é bom caçador e corredor vigoroso, relativamente dócil e leal, inteligente e com boa capacidade de aprendizagem. Deste modo, o cão pode ser treinado para executar um grande número de tarefas úteis, como um cão de caça, de guarda ou pastor de rebanhos, por exemplo. Assim como o ser humano, também é vítima de doenças como as constipações, a depressão e o Alzheimer, bem como das características do envelhecimento, como problemas de visão e audição, artrite e mudanças de humor.<br />Origem do Cão<br />O cão (Canis lupus familiaris) é um mamífero canídeo e talvez o mais antigo animal doméstico. Teorias indicam que surgiu da domesticação do lobo cinzento asiático pelos povos daquele continente há cerca de 100.000 anos.<br /> Uma das teorias da origem dos cães domésticos é a de que surgiram há 10.000 anos atrás por selecção artificial de filhotes de lobos cinzentos e chacais que viviam em volta dos acampamentos humanos pré-históricos, alimentando-se de restos de alimentos deixados como resíduos pelos caçadores. <br />Eventualmente, alguns filhotes foram capturados e levados para esses acampamentos humanos, na tentativa de serem criados ou domesticados.<br />Com o passar do tempo, os animais que, ao atingirem a fase adulta, se mostravam ferozes, não aceitando a presença humana, eram descartados ou impedidos de se acasalar. Deste modo, ao longo do tempo, houve uma selecção de animais dóceis, tolerantes e obedientes ao ser humano, aos quais era permitido o acasalamento e que, quando adultos, eram de grande utilidade, auxiliando na caça e na guarda do acampamento. Isto levou eventualmente à criação dos cães domésticos.<br />Ao longo dos séculos, através da domesticação, o ser humano realizou uma selecção artificial dos cães pelas suas aptidões, características físicas ou tipos de comportamentos. O resultado foi uma grande variedade de raças (mais 400 raças), que actualmente são classificadas em diferentes grupos ou categorias.<br />O cão é um animal social que na maioria das vezes aceita o seu dono como o “chefe da matilha” e possui várias características que o tornam de grande utilidade para o ser humano, possui excelente olfacto e audição, é bom caçador e corredor vigoroso, é actualmente omnívoro, é inteligente, relativamente dócil e obediente ao ser humano, com boa capacidade de aprendizagem. <br />Deste modo, o cão pode ser treinado para executar um grande número de tarefas úteis ao homem, como cão de caça; pastar rebanhos; como cão de guarda para vigiar propriedades ou proteger pessoas; farejar diversas coisas; resgatar afogados ou soterrados; guiar cegos; puxar pequenos trenós e como cão de companhia. Estes são alguns dos motivos da famosa frase: "O cão é o melhor amigo do Homem". <br />Características<br />Estrutura externa:<br />Quando comparado fisicamente com o seu ancestral, o cão possui mínimas diferenças no design genético. A estrutura óssea, os tipos de músculo, nervos e dentições, por exemplo, são idênticos. Até mesmo o pelo é parecido. Como diferença acentuada, tem-se o fato dos lobos contarem com cérebro e glândulas produtoras de harmónios mais pesados, já que vivem em ambientes que requerem respostas rápidas a eventos extremos.<br />Entre as principais características externas, iguais em todas as raças, estão:<br /> O stop, a cabeça, o pescoço, as espáduas, a garupa, os ombros, a cauda, as coxas, os cotovelos, os joelhos, os jarretes, os boletos, as patas posteriores e as munhecas.<br />Outra característica comum é a dentição. Em geral, um cão possui um total de 42 dentes, divididos em 12 incisivos, 4 caninos, 16 pré-molares e 10 molares.<br />A sua pele, outra característica comum nestes animais, representa a maior parte do seu sistema imunológico. Ao longo dela, certas áreas mostram-se sob formas diferentes, pois têm propósitos específicos. As unhas e as patas são para a durabilidade, as orelhas para sinalização social e as glândulas da derme para demarcação pelo cheiro.<br />É ainda possível classificar o cão de acordo com o seu peso como mostra a seguinte tabela:<br />RaçaPesoPequena<10KgMédia11-25KgGrande26-45KgGigante>45Kg<br />Outra marcante característica, capaz de distinguir cães dentro de sua própria raça, é a pelagem, que, variando em comprimento e tipo, gera combinações. Os comprimentos são quatro: sem pelo, raso, curto e semi-longo; Os tipos são cinco: duro, heterogéneo, liso, sedoso e lanoso.<br />Estrutura interna:<br />A estrutura interna dos cães é constituída por:<br />O esqueleto, a rígida estrutura que sustenta o corpo e desempenha as funções de protecção, movimento, reserva de elementos químicos, como o cálcio, e a produção de glóbulos vermelhos nestes animais.<br />O crânio, que tem por função principal a protecção do cérebro, é composto por treze ossos que começam a desenvolver-se logo após o nascimento e articulam-se directamente à coluna vertebral.<br />Também partes importantes na movimentação e locomoção são as articulações caninas, divididas em dois tipos: as sinoviais, que permitem grande mobilidade e estabilidade, e as não-sinoviais, soldas ósseas ao nível da caixa craniana cuja união se dá através de um tecido fibroso.<br />Recobrindo estas duas estruturas estão os 34 músculos superficiais do cão, responsáveis por todos os movimentos voluntários ou involuntários, e de funções flexoras, extensivas, abdutoras e adutoras. É na parte frontal que se encontra a maior concentração muscular dos cães. Entre as peculiaridades deste sistema estão o facto de permitirem um giro da cabeça de 220º e que as patas escavem e arranhem com força.<br />É na topografia torácica que se encontra o aparelho respiratório, composto pelas cavidades nasais, a faringe, a traqueia, os brônquios, os bronquíolos e os alvéolos pulmonares, importantes para o funcionamento dos pulmões. No tórax também está o aparelho cardiovascular, cujo coração apresenta quatro cavidades, e tem a forma predominante de um globo<br />Na topografia abdominal, está o aparelho digestivo, com 17 partes, que vão da boca ao ânus. As particularidades deste aparelho apresentam-se no volume considerável do estômago, e da boca, cuja mastigação é pouco desenvolvida, o que deixa o trabalho digestivo quase completamente para o estômago. Também nesta área do corpo do canino, está o aparelho urinário.<br />Os sentidos:<br />Apesar da domesticação e do cruzamento selectivo, que tornara o cão menos dependente dos seus sentidos, estes ainda são considerados habilidades sensoriais incríveis. Assim como os humanos e outros mamíferos, os seus sentidos dividem-se em cinco:<br />Olfacto - Considerado o principal sentido canino, superior a de todos os outros animais. Os cães possuem trinta vezes mais sensores olfactivos que um ser humano. Tal capacidade apurada permite a um cão treino policial, por exemplo, para localizar drogas, minas terrestres e pessoas sob escombros. É devido às suas dobras convolutas que qualquer cheiro, por mais subtil que seja, pode ser capturado.<br />Audição - É outro sentido bastante desenvolvido no cão, que, diferente do ser humano, ouve sons de alta frequência e baixo volume. São capazes de localizar com precisão a direcção e a origem do som em seis centésimos de segundo. Tais características concedem-lhe úteis habilidades, como a capacidade de executar com facilidade as palavras pronunciadas pelo seu dono.<br />Visão - A visão nocturna dos cães é muito mais apurada que a dos humanos. O seu ângulo de visão também é mais amplo, devido à posição dos seus olhos, localizados ao lado da cabeça. A sua visão é bicromática, isto é, distinguem bem apenas o amarelo e o azul, além do branco e do preto.<br />Tacto - Sentido considerado pouco desenvolvido, o tacto é fundamental na relação afectiva com outros animais. Ao tacto está ligada a sensibilidade do animal, que sente mais o frio que o calor, respondendo com aceleração da respiração e a evaporação da água através da língua.<br />3920490716915205740821690Paladar - Em relação com o homem, possui quase nove vezes a menos o número de papilas gustativas. Por isso, o sabor que os cães sentem está directamente ligado ao odor. É também por esta razão que podem consumir diariamente o mesmo alimento.<br />Reprodução e esterilização<br />Num cruzamento natural, o processo é iniciado na fase do cio da cadela, que dura em média cerca de quinze a vinte dias, cujo ápice de fertilidade é atingido entre o 8.º e o 11.º dia. A erecção do macho é possibilitada pela rigidez do osso peniano e pelo fluxo de sangue do tecido eréctil. Com um monte bem sucedido, desencadeia-se então as contracções vaginais na fêmea que favorecem a ascensão dos espermatozóides e a manutenção da erecção. <br />A gestação, dura em média sessenta dias e gera um número variado de filhotes, dependendo do tamanho e do sistema reprodutor da fêmea bem como os cuidados com os cachorros. A alimentação de uma cadela durante a gestação é fundamental para o nascimento de uma cria saudável. A cadela é protectora e amamenta os filhos cerca de 45 dias. Aos poucos, os cachorros, que desenvolvem primeiramente o olfacto e o tacto junto da mãe, abrem os olhos e as orelhas, que lhes conferem dois sentidos bastante aguçados.<br />Existe ainda a esterilização, chamada também de castração. A esterilização consiste na remoção cirúrgica completa dos órgãos com funções restritivamente reprodutoras. <br />Envelhecimento<br />18821402527935Cães de idade avançada estão mais sujeitos a doenças, dores e alterações comportamentais. Por isso, é importante dar atenção às mudanças da idade de um cão doméstico, pois isso permite novas necessidades e proporciona melhores condições de vida. Entre os principais males que podem atingir os idosos caninos estão a artrite, o mal de Alzheimer e a depressão. Estes problemas e outros, como a queda de dentes, decorrentes da idade, são diagnosticáveis desde o início pela observação das mudanças comportamentais e pela realização de constante acompanhamento veterinário. Problemas de visão e audição, quietude, embranquecimento e queda do pêlo são factores considerados normais, causados pelo avanço da idade.<br />Saúde<br />Alimentação<br />Da dieta do cão doméstico tem-se em vista que a simples alimentação seria dar-lhe comida. Para a manutenção da sua saúde, é fundamental nutri-lo com proteínas, cálcio, lipídios, carbonatos, minerais e vitaminas. Filhotes, adultos e seniores podem trocar o hábito alimentar dependendo da necessidade. Independente da troca, esta deve ser mais gradual à medida que aumenta a idade do animal, já que este pode se mostrar mais resistente fisiológica e/ou psicologicamente à mudança alimentar. Há ainda a considerar que o cão não gasta energia como os seus antecessores livres e o exagero na alimentação, causa sobre peso e obesidade nos animais, e os alimentos proibidos aos cães, como os ricos em açúcares, gordura saturada e sódio, por exemplo. Outro alimento perigoso é o chocolate, em qualquer forma que se apresente. Por isso, deve-se não apenas evitar, mas proibir a ingestão de chocolate nestes animais. Como consequência da má alimentação, os animais estão a desenvolver, de acordo com veterinários, problemas coronários, dispepsia, pressão alta, artrite, diabetes, aumento no risco de derrames e cancro. Como solução, foi apontada a união da dieta equilibrada e os exercícios físicos.<br />Doenças<br />Entre as doenças que os cães podem ter, algumas destacam-se por serem transmitidas aos seres humanos e a outros mamíferos, como as dermatofitoses, as intoxicações, e a raiva, que atinge o sistema nervoso. Estas enfermidades são denominadas zoonoses e tratáveis por meio da vacinação, higiene e tratamento da doença em si. Crianças e idosos são mais vulneráveis a estes problemas devido ao sistema imunológico debilitado ou pouco desenvolvido. Todavia, dependendo da progressão e da demora no diagnóstico, nem todas são curáveis.<br />Para os caninos em si, existem sete doenças comuns e fatais, que também podem ser evitadas através de vacinação anual ou combatidas por meio de fortes tratamentos. <br />Relacionamento com o Homem<br />O processo de domesticação fez com que os cães se adaptassem aos homens em todos os sentidos. No relacionamento do cão com o homem, um detalhe precisa estar sempre estabelecido: a hierarquia. Deste ponto, é dever do ser humano, como líder, premiar boas condutas, castigar a desobediência, administrar os recursos essenciais e não usar a brutalidade. Isso dá ao cão a protecção e a certeza de que todas as suas necessidades serão satisfeitas, e acima disso, uma boa relação de convivência. <br />Existem ainda os cães com funções específicas, sem distinção e limitações de raças, com certas preferências de acordo com as aptidões de cada categoria, como por exemplo, os cães-guia, treinados para guiar deficientes visuais totais ou parciais, e auxiliá-los nas tarefas caseiras e na rua, e os cães ouvintes, seleccionados e treinados para ajudarem os surdos ou deficientes auditivos, alertando-os para sons importantes dentro de casa, como campainhas e alarmes de incêndio.<br />-381020955313944020955 <br />3139440723900-3810723900<br />Grupos de Raças<br />De acordo com a Federação Cinológica Internacional, existem onze grupos de raças oficiais, porém variados de país para país, já que cada organização internacional admite diferentes grupos para a classificação do conjunto de raças que reconhece. A FCI divide as raças caninas em 10 grupos oficiais de acordo com a função e tipo físico ou história da raça:<br />Grupo 1: Cão Pastor e Cão Boiadeiro (excepto boiadeiro Suíço);<br />Grupo 2: Cães tipo Pinscher e Schaunzer, Cães de montanha e Boiadeiros Suíços;<br />Grupo 3: Terriers;<br />Grupo 4: Dashshunds;<br />Grupo 5: Cães tipo Spitz e primitivos;<br />Grupo 6: Cães de levante, corso e raças semelhantes;<br />Grupo 7: Cães de caça continentais e britânicos;<br />Grupo 8: Cães levantadores de caça, recolhedores de caça e Cães d’agua.<br />Grupo 9: Cães de companhia;<br />Grupo 10: Galgos.<br />Entre as raças mais populares do mundo, eleitas no ano de 2009, estão o labrador retriever, considerado amigável e boa companhia para as crianças; o golden retriever, dito simpático, gentil e brincalhão; o yorkshire terrier, classificado como activo e protector apesar do seu pequeno tamanho; o pastor alemão, que se diz como uma das raças mais inteligentes e leais; o beagle, visto como grande farejador; o dachshund, de corpo exótico; o boxer, activo e leal; o poodle, activo e companheiro; o shih tzu, dito excelente companheiro; e o schnauzer miniatura, visto como esperto e amável.<br />19773900lefttop<br />

×