Se ha denunciado esta presentación.

Más Contenido Relacionado

Audiolibros relacionados

Gratis con una prueba de 14 días de Scribd

Ver todo

Natação

  1. 1. Natação Crawl Agrupamento de Escolas Padre Benjamim Salgado Vera Silva – 25 10º A Vitor Peixoto - 26
  2. 2. Introdução Este trabalho foi realizado no âmbito da disciplina de Educação Física. Nesta apresentação iremos abordar história, velocidade, técnica e outros aspetos importantes acerca do crawl. Espero que esteja do vosso agrado.
  3. 3. História
  4. 4. História O crawl tem sido usado desde os tempos antigos. No mundo ocidental, o crawl foi visto pela primeira vez numa corrida de natação realizada em 1844, em Londres, onde era nadado por índios norte-americanos, que derrotaram facilmente os britânicos. No entanto, os ingleses consideraram este estilo "não-europeu“ e continuaram a nadar apenas de bruços.
  5. 5. História Entre 1870 e 1890, John Trudgen aprende crawl de nativos sul- americanos durante uma viagem à Argentina. John Trudgen trouxe o crawl à europa, onde se popularizou, no entanto com alguns erros. O crawl foi melhorado pelo nadador australiano, Richmond Cavill.
  6. 6. História Cavill modificou o curso de natação usando o crawl como inspiração e criou um novo e mais sofisticado crawl, conhecido como o "crawl australiano". O nadador norte-americano Charles Daniels fez modificações no movimento de pés, criando assim o "crawl americano". Com pequenas modificações, este tipo é o crawl que é usado hoje.
  7. 7. Velocidade
  8. 8. Velocidade A maior velocidade já conseguida em crawl foi de 2 m/s (7,2 km/h). As distâncias das provas de crawl são 50, 100, 200, 400, 800, 1500 e 3000. A posição do peito permite maior flexibilidade na água. O crawl foi uma revolução na natação, pois esta modalidade permite maior velocidade e menor cansaço. Fig. 1 – Um corpo recto permite maior velocidade.
  9. 9. Técnica
  10. 10. Movimento de Braços Os braços alternam-se a cada braçada dada. A braçada é dada em forma circular. Enquanto um braço está na água a puxar a água, outro está no ar em direção à água para fazer o mesmo e sempre assim. Fig. 2 – Movimento de braços no crawl.
  11. 11. Movimento de Pernas São dados pontapés vigorosos. As pernas mexem-se alternadamente, enquanto uma perna dá chuto na água e a outra move-se para cima para fazer o mesmo. As pernas têm duas principais funções no crawl, uma é dar velocidade e a outra é dar estabilidade ao corpo Fig. 3 – Movimento de braços no crawl.
  12. 12. Respiração Normalmente a cabeça está na água a olhar para o limite da pista. A respiração é feita pela boca. Para inspirar a cara roda para o lado do braço no exterior da água. A respiração pelo nariz pode evitar que a água entre pelo nariz. Nadadores comuns inspiram a cada três braçadas (1,5 ciclos) alternando o lado a cada respiração. Fig. 4 – Respiração no crawl. inspira expira
  13. 13. Movimento do Corpo Fig. 5 – O corpo oscila para o lado onde o braço está levantado. O corpo roda com os braços, o que faz a respiração muito mais fácil. Como um dos ombros está fora da água, o atrito é reduzido e assim que entra na água, aumenta a velocidade. O batimento das pernas serve para manter o corpo linear.
  14. 14. Mergulho Fig. 6 – O salto permite fazer grande parte da corrida sem gastar muita energia. O mergulho usado é o mais comum. Após um máximo de 15 metros debaixo de água, o nadador vem à superfície e começa a nadar.
  15. 15. Volta (flip turn) Fig. 7 – A volta permite mudança de sentido rápida e impulso O nadador usa o “flip turn” para reverter a direção no mínimo tempo possível. Aproxima-se da parede o máximo possível. Faz um rolamento e, com os pés encolhidos faz força na parede, empurrando-o. A distância máxima debaixo de água é de 15 metros.
  16. 16. Chegada Fig. 8 – O primeiro a tocar na parede ganha. Para acabar a corrida, o nadador tem de tocar com qualquer parte do corpo na parede (usualmente com a mão). O primeiro a tocar na parede ganha. Na etapa final, os nadadores fazem um sprint.
  17. 17. Erros Comuns
  18. 18. Erros Não alinhar cabeça com corpo; Pulso fletido ao entrar na água; Mão perto da cabeça na entrada na água; Mão entra violentamente na água; Erguer demais o braço; Pés “pedalam” em vez de estarem alongados; Batimento de pés irregular; Elevar demasiado a cabeça na respiração. Fig. 9 – Movimento correto de um nadador.
  19. 19. Conclusão
  20. 20. Conclusão O nado de Crawl é uma técnica de natação e também uma disciplina olímpica. O nado crawl já era praticado bem antes do aparecimento de nossa civilização. Ele é, sem dúvida, o estilo mais utilizado e mais rápido. No princípio, o crawl utilizava diversas vezes o mesmo braço, o que cansava o nadador e dava pouca velocidade ao nado. Apenas em 1906 o crawl foi aperfeiçoado e passou a ser realizado em braçadas alternadas e com o movimento vertical das pernas.
  21. 21. Bibliografia/Webgrafia Freitas, Armando (2007). O que é Natação. Casa da Palavra. http://www.prof2000.pt/users/paulojvs/erros.htm http://en.wikipedia.org/wiki/Front_crawl http://es.wikipedia.org/wiki/Crol

×