Se ha denunciado esta presentación.
Utilizamos tu perfil de LinkedIn y tus datos de actividad para personalizar los anuncios y mostrarte publicidad más relevante. Puedes cambiar tus preferencias de publicidad en cualquier momento.

Vanguardas européias

Resumo sobre vanguardas artísticas europeias

  • Inicia sesión para ver los comentarios

Vanguardas européias

  1. 1. Vanguardas artísticas A revolução em formas, texturas e cores
  2. 2. Momento histórico • Fins do século XIX e início do século XX • Crescimento do nacionalismo europeu. • Primeira Grande Guerra entre 1914 e 1918. • A Europa viu-se banhada de sangue pela disputa das grandes potências, na primeira guerra pós-Revolução Industrial • Revolução Russa de 1917, com a criação de um novo país: a União Soviética. • A urbanização, a corrida armamentista, as crises econômicas e as disputas na Europa criavam um clima tenso e contraditório, mas profundamente propício à criação artística.
  3. 3. Vanguarda • Palavra derivada do francês “avant-garde” • É o nome da guarda que precede as tropas em um ataque para desestabilizar o inimigo. • Na arte, associa a ideologia à criação, subvertendo a cultura, e a maneira de pensar da sociedade, desestabilizando as estruturas conservadoras. • Ruptura com padrões estabelecidos. • Experimentalismo • Assim, os movimentos de vanguarda são aqueles que inovam a expressão artística. KANDINSKY, Wassily. Composição VII (1913)
  4. 4. A arte moderna • Estilos inovadores • Ruptura com a representação das aparências naturais • Desconstrução das formas e da realidade • Questionamento do papel social da arte • Questionamento da própria validade da arte em si BOCCIONI, Umberto. Formas únicas de continuidade no espaço (1913)
  5. 5. Expressionismo MARC, Franz. Os grandes cavalos azuis (1911)
  6. 6. • A criação parte da subjetividade do artista em direção ao mundo exterior. • A arte é a materialização de seu mundo interior, dispensando conceitos de beleza ou feiura. • Deformação da realidade. • Cores fortes e agressivas. • Sua temática é reflexo da angústia interior, solidão e miséria humanas. • Caricatura da alma humana, na busca pela dor e pelo sentido trágico da vida. MUNCH, Edvard. O grito (1893)
  7. 7. HECKEL, Erich. Retrato de um homem (1919) PEACHSTEIN, Max. Atrás das árvores (1911)
  8. 8. Cubismo SHEELER, Charles. Sobre iates e iatismo (1922)
  9. 9. • Ressignificação da realidade pela geometrização de formas e volumes. • Ruptura completa com a perspectiva. • Fragmentação da realidade, revelando objetos e pessoas simultaneamente em seus múltiplos ângulos. • Decomposição do objeto em diferentes planos geométricos, múltiplos, superpostos e descontínuos. PICASSO, Pablo. As senhoritas de Avignon (1907)
  10. 10. PICASSO, Pablo. Guernica (1937)
  11. 11. • Na literatura, o poeta francês Guillaume Apollinaire propunha a mistura de assuntos, espaços e tempos diferentes, em uma clara superposição e simultaneidade de planos, correspondendo à decomposição e à fragmentação usadas na pintura. • Ilogismo, humor, verso livre, antiacademicismo, palavras soltas em uma linguagem nominal. Banquete Uma hora de táxi ao longo da praia Velocidade buzina apresentações risos mocidade Paris Rio Brasil França entrevistas apresentações risos Vamos até a Gruta da Imprensa Depois voltamos para almoçar na cidade Os pratos ainda não foram servidos e já os jornais falam de mim e publicam a foto de agora há pouco Boa cozinha do país vinhos portugueses e pinga Às quatorze horas em ponto estou a bordo Um jovem poeta simpático vomita no convés eu o levo de volta à terra onde seu companheiro vomita por sua vez Os outros não conseguiram acompanhar Subo para mergulhar na piscina enquanto o Forome le- vanta ferros Viva a água Blaise Cendrars
  12. 12. Futurismo NEVINSON, C.R. Wynne, Voltando às trincheiras (1914)
  13. 13. • Temática da exaltação à modernidade, à máquina, ao automóvel e à velocidade. • Sobreposição de imagens, repetições de traços buscando a ideia de movimento. • Dinamismo em simultaneidade. • Ideologicamente, o movimento sofreu grande repulsa por ter uma forte identificação com o fascismo de Mussolini. • O termo “Futurismo” virou sinônimo de postura artística inovadora. BOCCIONI, Umberto. Visões simultâneas (1911-1912)
  14. 14. • No plano literário, propôs a destruição da sintaxe, o uso de sinais matemáticos e musicais, o menosprezo pela pontuação e a abolição dos advérbios e dos adjetivos, usando-se em seu lugar o substantivo duplo (praça-funil, mulher-golfo etc.). BALLA, Giacomo. Dinamismo de cão na coleira (1912)
  15. 15. Dadaísmo HAUSMANN, Raoul. Elasticum (1920)
  16. 16. • Movimento mais radical entre as vanguardas. • Crítica à preocupação estética no contexto da guerra, por parecer hipócrita e presunçoso. • Ridicularização da arte • O dadaísmo representa a antiarte. • Ilogismo, ridicularização da arte e das concepções estéticas. • Ready-made: retirar um objeto de seu uso comum e apresentá-lo como obra de arte. DUCHAMPS, Marcel. Fonte (1917)
  17. 17. • Na literatura, caracterizou-se pela desordem, pelo improviso, pela agressividade e pela rejeição de qualquer racionalização poética. • Quebra de estruturas de sentidos básicos na composição. DUCHAMPS, Marcel. L.H.O.O.Q. – Elle a choud au cul (1917)
  18. 18. Surrealismo DALI, Salvador. A persistência da memória (1931)
  19. 19. • Arte que pretende unir a arte à psicanálise. • Valorização do sonho e do subconsciente. • Temática de devaneios, ilogismo e loucura. • Ambivalência de imagens. • Aproxima-se ao expressionismo, mas acrescenta elementos artísticos e temáticos à visão interior do artista. MAGRITTE, René. Não deve ser representado (1937)
  20. 20. • Propõe experiências criadoras automáticas. • Os impulsos criadores do subconsciente. • Ilogismo, devaneio, loucura, hipnose, inusitado e impulsos humanos em geral. MAGRITTE, René. Clarividência (1936)
  21. 21. DALI, Salvador. Aparição de rosto e fruteira (1938)
  22. 22. Exercícios
  23. 23. “Todas as manhãs quando acordo, experimento um prazer supremo: o de ser Salvador Dalí.” NÉRET, G. Salvador Dalí. Taschen, 1996. Assim escreveu o pintor dos “relógios moles” e das “girafas em chamas” em 1931. Esse artista excêntrico deu apoio ao general Franco durante a Guerra Civil Espanhola e, por esse motivo, foi afastado do movimento surrealista por seu líder, André Breton. Dessa forma, Dalí criou seu próprio estilo, baseado na interpretação dos sonhos e nos estudos de Sigmund Freud, denominado “método de interpretação paranoico”. Esse método era constituído por textos visuais que demonstram imagens A. do fantástico, impregnado de civismo pelo governo espanhol, em que a busca pela emoção e pela dramaticidade desenvolveram um estilo incomparável. B. do onírico, que misturava sonho com realidade e inconsciente como um universo único ou pessoal. C. da linha inflexícel da razão, dando vazão a uma forma de produção despojada no traço, na temática e nas formas vinculadas ao real. D. do reflexo que, apesar do termo "paranoico", possui sobriedade e elegância advindas de uma técnica de cores discretas e desenhos precisos. E. da expressão e intensidade entre o consciente e a liberdade, declarando o amor pela forma de conduzir o enredo histórico dos personagens retratados. GABARITO: B
  24. 24. O quadro Les Demoiselles d’Avignon (1907), de Pablo Picasso, representa o rompimento com a estética clássica e a revolução da arte no início do século XX. Essa nova tendência se caracteriza pela A. pintura de modelos em planos irregulares. B. mulher como temática central da obra. C. cena representada por vários modelos. D. oposição entre tons claros e escuros. E. nudez explorada como objeto de arte. GABARITO: A

×