REGIMENTO INTERNO
CMS ERNESTO ZEFERINO TIBAU JR – VII RA

1 –CONTEXTUALIZAÇÃO E HISTÓRICO
Inaugurado como Sexto Distrito S...
O atual perfil do Centro Municipal de Saúde
ERNESTO ZEFERINO TIBAU JR é de uma
Unidade de Atenção Primária. Conforme
recom...
CAPÍTULO 1: DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

1.1 - IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE

O Centro Municipal de Saúde ERNESTO
ZEFERINO TIBAU JR ...
1.2 - IDENTIFICAÇÃO DE CATEGORIAS
PROFISSIONAIS DO CMSEZTJ
TOTAL DE PROFISSIONAIS: 117
Nível Superior: total 64
34
08
08
0...
Nível Elementar: total 08
01
01
01
01
01
02
01

Telefonista
Agente Comunitário II
Art. De Alv. E Pintura
Datilógrafo
Auxil...
BAIRROS DE ABRANGÊNCIA:
SÃO CRISTOVÃO
Desde meados do século XX, a industrialização,
principalmente a atividade fabril e a...
centro de exposições e palco de celebrações da
cultura nordestina, que desde 1966/67 e rebatizado
em 2003 está localizado ...
VASCO DA GAMA
É um bairro-favela, originado da comunidade
chamada “Barreira do Vasco” criado em 08 de
setembro de 1998, po...
VISÃO:
Adotar um modelo de atenção à saúde com foco no
cidadão e suas necessidades, substituindo o modelo
clínico; que sej...
CAPÍTULO 4: ESTRUTURA ORGÂNICA
4.1 – ESTRUTURA GERAL
4.1.1) ESTRUTURA GERAL DE GESTÃO
O modelo de gestão participativa pra...
-Estabelecer prioridades e criar estratégias que
envolvam os membros das equipes de saúde e
usuários,
com
co-responsabilid...
. SERVIÇO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA (SGA):
-Setor de Recursos Humanos (SRH)
-Setor de Informação, Controle e Avaliação (SIC...
4.2 - ORGANIZAÇÃO INTERNA
EQUIPE MULTIDISCIPLINAR
A estrutura de prestação de cuidados do
CMSEZTJ é constituída por servid...
4.2.1) CAPACIDADE INSTALADA
ESPECIALIDADES MÉDICAS
Especialidades Médicas

Número de Consultórios

Número de Médicos

Clín...
CAPÍTULO 5: COMPROMISSOASSISTENCIAL
O Principal compromisso desta unidade é
promover inovações nas suas práticas gerenciai...
5.1 – HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO E
COBERTURA ASSISTENCIAL
O CMSEZTJ encontra-se aberto à população das
07h00min às 17h00min,...
(Atendimento clínico, de grupos apoio terapêutico.)
. Rastreamento e aconselhamento de tabagismo.
. Rastreamento de Hipert...
5.2.2– ATENÇÃO CENTRADA NA CRIANÇA E
ADOLESCENTE
. Acolhimento mãe- bebê após alta da maternidade
. Vigilância ao recém-na...
.Identificação inscrição e acompanhamento
crianças do Programa Bolsa Família;
.Atendimento aos agravos prevalentes na infâ...
5.2.4–VIGILÂNCIA EM SAÚDE
.Programa de Imunizações
.Detecção, notificação e atuação na resposta
coordenada às emergência d...
CONTROLE DO TABAGISMO
- Ambiente livre de fumo
- Abordagem mínima do tabagismo em todos
os tabagistas;
- Tratamento para d...
-

Controle da pressão arterial;
Controle da glicemia capilar;
Emissão de Atestados
Administração de medicamentos para
tub...
Produção de Consultas não Médicas
Serviço Social

4319

Fonoaudiologia

3736

Psicologia

4646

Nutrição

4519

Terapia Oc...
planejamento familiar, gestantes e acolhimento
mãe-bebê.
5.3– PORTA DE ENTRADA
(ACOLHIMENTO, ORIENTAÇÃO, AGENDAMENTO DE
CO...
implantada. Foram realizadas oficinas de
humanização, com participação de servidores das
mais variadas categorias funciona...
Após solicitação pelo médico assistente o pedido é
inserido no sistema para regulação. Após
agendamento, o paciente é info...
de doença meningocócica com a devida indicação
de quimioprofilaxia.
Repasse imediato dos agravos de notificação
compulsóri...
doenças emergentes e reemergentes,
epidemias e agravos inusitados.

surtos,

.Imunização
Segue normas e orientações precon...
encaminhamento à Coordenação de Imunização,
para posterior encaminhamento à SES e ao
Ministério da Saúde.
-Treinamento e c...
5.7 – INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA
. INSTALAÇÕES FÍSICAS:
-Clínicas básicas - 08 consultórios
-PSF – 02 consultórios
-Clínic...
-Atenção à Saúde Auditiva Preventiva do
Recém nato
-Atenção à Saúde do portador de Tuberculose
-Atenção à Saúde do pacient...
Sonar Obstétrico – 02
Telefonia
Linhas Telefônicas – 06
– 38607295 - Gabinete
- 38602956 – SVS
- Farmácia – 3895 8663
- Ad...
através de prestação de contas das despesas
efetuadas. Sendo responsável perante o Município
do RJ, o gestor como primeiro...
dificuldade em definir clientela adstrita e mostra
que 4% das consultas produzidas são ocupadas por
essa população flutuan...
Regimento Interno CMS Ernesto Zeferino Tibau Jr 2013
Regimento Interno CMS Ernesto Zeferino Tibau Jr 2013
Regimento Interno CMS Ernesto Zeferino Tibau Jr 2013
Regimento Interno CMS Ernesto Zeferino Tibau Jr 2013
Regimento Interno CMS Ernesto Zeferino Tibau Jr 2013
Regimento Interno CMS Ernesto Zeferino Tibau Jr 2013
Regimento Interno CMS Ernesto Zeferino Tibau Jr 2013
Regimento Interno CMS Ernesto Zeferino Tibau Jr 2013
Regimento Interno CMS Ernesto Zeferino Tibau Jr 2013
Regimento Interno CMS Ernesto Zeferino Tibau Jr 2013
Regimento Interno CMS Ernesto Zeferino Tibau Jr 2013
Regimento Interno CMS Ernesto Zeferino Tibau Jr 2013
Regimento Interno CMS Ernesto Zeferino Tibau Jr 2013
Regimento Interno CMS Ernesto Zeferino Tibau Jr 2013
Regimento Interno CMS Ernesto Zeferino Tibau Jr 2013
Próxima SlideShare
Cargando en…5
×

Regimento Interno CMS Ernesto Zeferino Tibau Jr 2013

641 visualizaciones

Publicado el

Publicado en: Empresariales
0 comentarios
0 recomendaciones
Estadísticas
Notas
  • Sé el primero en comentar

  • Sé el primero en recomendar esto

Sin descargas
Visualizaciones
Visualizaciones totales
641
En SlideShare
0
De insertados
0
Número de insertados
2
Acciones
Compartido
0
Descargas
4
Comentarios
0
Recomendaciones
0
Insertados 0
No insertados

No hay notas en la diapositiva.

Regimento Interno CMS Ernesto Zeferino Tibau Jr 2013

  1. 1. REGIMENTO INTERNO CMS ERNESTO ZEFERINO TIBAU JR – VII RA 1 –CONTEXTUALIZAÇÃO E HISTÓRICO Inaugurado como Sexto Distrito Sanitário, em 16/06/1950, na cidade do Rio de Janeiro, Distrito Federal, que era Capital dos Estados Unidos Do Brasil. Era Presidente da República o Excelentíssimo Senhor General Eurico Gaspar Dutra e Prefeito o Excelentíssimo Senhor General de Divisão Ângelo Mendes de Moraes. A unidade, que ficou conhecida como “Posto da Cancela”ou “Postinho 6”, desde a inauguração até 1996, passou apenas por uma remodelação . A reforma realizada visou adequar as instalações existentes à expansão da oferta de serviços e à crescente demanda da população, que hoje já se mostra-se insuficiente para atende-la. Dezessete anos após, uma nova reestruturação se faz necessária.
  2. 2. O atual perfil do Centro Municipal de Saúde ERNESTO ZEFERINO TIBAU JR é de uma Unidade de Atenção Primária. Conforme recomenda a Política Nacional de Atenção Básica, sua atuação deve se caracterizar por “um conjunto de ações de saúde, no âmbito individual e coletivo, que abrangem a promoção e a proteção da saúde, a prevenção de agravos, o diagnóstico, o tratamento, a reabilitação e a manutenção da saúde. É desenvolvida por meio do exercício de práticas gerenciais e sanitárias democráticas e participativas, sobre forma de trabalho de equipe, dirigidas a populações de territórios bem delimitados, pelos quais assume a responsabilidade sanitária, considerando a dinamicidade existente no território em que vivem as populações.” Deste modo, esta Unidade é responsável pelo acesso universal e contínuo aos serviços de saúde, como porta de entrada preferencial ao sistema de saúde de seu território adstrito e deve ser capaz de planejar e programar ações em consonância com o princípio da equidade.
  3. 3. CAPÍTULO 1: DADOS DE IDENTIFICAÇÃO 1.1 - IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE O Centro Municipal de Saúde ERNESTO ZEFERINO TIBAU JR está localizado à Avenida do Exército nº 01, São Cristóvão, VII RA, que faz parte da Coordenadoria de Saúde da Área Programática 1.0. A sede é própria da Prefeitura Municipal, com estrutura verticalizada (três pavimentos) e tem uma área construída de 1.741,42m2. No momento, encontra-se em precárias condições de conservação e segurança, apresentando inúmeras infiltrações, necessitando urgentemente de obras de infra-estrutura, principalmente reformas de rede elétrica, hidráulica, pintura e readequação do espaço interno para as atuais necessidades, visando humanizar o atendimento e garantir conforto e segurança para profissionais e usuários.
  4. 4. 1.2 - IDENTIFICAÇÃO DE CATEGORIAS PROFISSIONAIS DO CMSEZTJ TOTAL DE PROFISSIONAIS: 117 Nível Superior: total 64 34 08 08 04 03 02 02 01 02 Médicos Odontólogos Enfermeiros Fonoaudiólogos Psicólogos Assistentes Sociais Nutricionistas Terapeuta Ocupacional Farmacêuticos Nível Técnico: total 43 31 10 01 01 Auxiliares de enfermagem Agentes de Administração Técnico de Higiene Bucal Técnico de Laboratório
  5. 5. Nível Elementar: total 08 01 01 01 01 01 02 01 Telefonista Agente Comunitário II Art. De Alv. E Pintura Datilógrafo Auxiliar de Laboratório Agentes de Vigilância Agente de Portaria CAPÍTULO 2: INFLUÊNCIA ÁREA GEOGRÁFICA DE Abrange os bairros de São Cristóvão, Benfica e Vasco da Gama. Sua população residente é de 67.073, segundo o censo de 2010. Nesta área encontram-se as comunidades Erédia de Sá, Arará e Tuiuti.
  6. 6. BAIRROS DE ABRANGÊNCIA: SÃO CRISTOVÃO Desde meados do século XX, a industrialização, principalmente a atividade fabril e a inauguração da Avenida Brasil, em 1940, maior via de escoamento da produção do bairro, trouxe imigrantes de várias regiões do Brasil à procura de emprego. Este processo ocasionou uma ocupação desordenada e deslocou a classe média para outros bairros das zonas Norte e Sul da cidade. Antigos casarões e sobrados foram transformados em lojas, pensões e cortiços e houve favelização em torno das fábricas. Assim os moradores atuais são predominantemente de classe média baixa. Como qualquer bairro com estas características, sofre com problemas comuns a todos: desde o precário asfaltamento, pelo intenso tráfego pesado; o comércio informal que ocupa calçadas; a falta de manutenção dos edifícios históricos remanescentes; a presença de moradores de rua; o vandalismo e a má conservação do mobiliário urbano. Entretanto, esforços de revitalização tem sido feitos, entre eles o CENTRO DE TRADIÇÕES NORDESTINAS, antigo PAVILHÃO DE SÃO CRISTOVÃO, grande
  7. 7. centro de exposições e palco de celebrações da cultura nordestina, que desde 1966/67 e rebatizado em 2003 está localizado no Campo de São Cristóvão. População residente – 84.908 (Censo 2010) BENFICA Por ser o bairro próximo à moradia do imperador, em São Cristóvão, havia atração da nobreza por aquelas áreas. Com o advento da república e a mudança de residência dos chefes de governo, houve transferência de grande parte dos ricos para a Zona Sul da cidade. Assim, o bairro de Benfica foi se degradando. Ainda existem sobrados do século XIX em estado precário no bairro, da época em que a região era uma das mais nobres da cidade. O Conjunto Residencial Prefeito Mendes de Moraes, conhecido pela imprensa especializada como “Minhocão de Benfica”, é um ícone da arquitetura Affonso Eduardo Reidy, tendo recebido painéis assinados por Roberto Burle Marx e Cândido Portinari.
  8. 8. VASCO DA GAMA É um bairro-favela, originado da comunidade chamada “Barreira do Vasco” criado em 08 de setembro de 1998, por ocasião do centenário do Clube Vasco da Gama. Situado entre Benfica e São Cristóvão, também apresenta as mesmas precárias condições de vida e características de todas as outras áreas da região. DEMAIS COMUNIDADES INSERIDAS NOS BAIRROS: ERÉDIA DE SÁ, ARARÁ E TUIUTI. CAPÍTULO 3: MISSÃO, VISÃO E VALORES MISSÃO: “Prestar assistência primária à saúde da população adstrita ao território do Centro Municipal de Saúde Ernesto Zeferino Tibau Jr., centrado nos princípios fundamentais do SUS – de integralidade, equidade, universalidade, descentralização e participação social – e na sua Política de Humanização.”
  9. 9. VISÃO: Adotar um modelo de atenção à saúde com foco no cidadão e suas necessidades, substituindo o modelo clínico; que seja capaz de promover e recuperar a saúde e prevenir danos; potencializando a construção de vínculos entre usuários e profissionais de saúde.” VALORES: “Garantir e ampliar o acesso e a capacidade resolutiva da atenção primária, estabelecendo prioridades aos grupos com maior vulnerabilidade em função do agravo ou condições de vida.” “Estabelecer referências e a continuidade da linha de cuidado, com participação efetiva dos diversos atores sociais envolvidos na ação.” “Estabelecer parcerias com outros setores, instituições ou equipamentos sociais da região e organizações do movimento social/comunitário.” “Implementar ações e estratégias que possibilitem um maior acolhimento e humanização do cuidado, qualidade do serviço e satisfação do usuário.” “Desenvolver uma gestão participativa, evitando a lógica da verticalizada e fragmentada.”
  10. 10. CAPÍTULO 4: ESTRUTURA ORGÂNICA 4.1 – ESTRUTURA GERAL 4.1.1) ESTRUTURA GERAL DE GESTÃO O modelo de gestão participativa praticado é centrado no trabalho de equipe, na construção coletiva –“ planeja quem faz” – e poder compartilhado, por meio de análises, decisões e avaliações construídas coletivamente; onde as propostas serão apreciadas pelo colegiado e resolvidas de comum acordo. Atribuições CMSEZTJR: do colegiado gestor do -Elaborar o projeto de ação: -Atuar e intervir no processo de trabalho, buscando conciliar a missão da organização com os interesses dos trabalhadores; -Acolher e encaminhar as demandas dos usuários; -Criar e avaliar indicadores;
  11. 11. -Estabelecer prioridades e criar estratégias que envolvam os membros das equipes de saúde e usuários, com co-responsabilidade e comprometimento de todos. O colegiado gestor reúne-se regularmente às sextas - feiras, das dez horas ao meio-dia, ou extraordinariamente se necessário. A estrutura da gestão do CMS EZTJ está organizada como abaixo descrita: . DIREÇÃO – AUXILIAR DE CHEFIA . SERVIÇO DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE (SAIS): -Seção de Atenção à Saúde da Mulher, Criança e Adolescente (SAS) -Seção de Atenção Integral ao Adulto (SAIA) -Seção de Enfermagem(SE) -Setor de Odontologia (SAIS-1) -Setor de Farmácia (SAIS-2) . SERVIÇO DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE (SVS)
  12. 12. . SERVIÇO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA (SGA): -Setor de Recursos Humanos (SRH) -Setor de Informação, Controle e Avaliação (SICA) -Setor de Infraestrutura e Logística (SIL) .ESF TUIUTI DIREÇÃO CMSEZTJ Serviço de Vigilância em Saúde (SVS) Seção de Atenção à Saúde da ESF Mulher, TUIUTI Criança e Adoles cente (SAS) Serviço de Atenção Integral à Saúde (SAIS) Seção de Gestão Administrativa (SGA) Seção de Seção Atenção Setor de Setor de Setor de de Integral Odonto Farmácia Recursos Enfer ao logia Humanos Adulto magem (SAIS-1) (SAIS-2) (SRH) (SE) (SAIA) Auxiliar de Chefia II Setor de Infor mação Controle e Avali ação (SICA) Setor de Infra estrutura e Logís Tica (SIL)
  13. 13. 4.2 - ORGANIZAÇÃO INTERNA EQUIPE MULTIDISCIPLINAR A estrutura de prestação de cuidados do CMSEZTJ é constituída por servidores estatutários e contratados pelo regime de CLT que atendem parte pelo modelo tradicional e parte pelo sistema do Estratégia Saúde da Família, direcionado à comunidade do Tuiuti. Médicos, enfermeiros, odontólogos, farmacêuticos, assistentes sociais, psicólogos, fonoaudiólogos, terapeuta ocupacional, nutricionistas, administrativos, agentes comunitários de saúde, técnicos de laboratório e de higiene bucal além de vigilantes, digitadores e pessoal de limpeza contratados.
  14. 14. 4.2.1) CAPACIDADE INSTALADA ESPECIALIDADES MÉDICAS Especialidades Médicas Número de Consultórios Número de Médicos Clínica Médica 4 8 Tisiologia 1 2 Dermatologia 1 2 Pediatria 2 4 Gineco-Obstetrícia 2 2 Saúde Pública 1 1 Infectologia 1 1 Otorrinolaringologia 1 2 Psiquiatria 2 2 Homeopatia 1 2 Número de Consultórios Número de Profissionais Nutrição 1 2 Psicologia 2 3 Fonoaudiologia 2 4 Serviço Social 1 2 Terapia Ocupacional 1 1 03 Cadeiras 8 Outras Especialidades Odontologia
  15. 15. CAPÍTULO 5: COMPROMISSOASSISTENCIAL O Principal compromisso desta unidade é promover inovações nas suas práticas gerenciais e das equipes locais de saúde capazes de superar os desafios e limites impostos pela diversidade e complexidade das situações e sujeitos que conformam a demanda. O resultado destas ações devem oferecer uma atenção integral à saúde centrada na qualidade e na humanização dos seus serviços, possibilitando viver uma vida saudável. Este compromisso é norteado pelos seguintes princípios: - Transversalidade -Corresponsabilidade -Protagonismo dos sujeitos Vínculos solidários Participação coletiva nas práticas de saúde Compartilhamento nas práticas de cuidados e de gestão.
  16. 16. 5.1 – HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO E COBERTURA ASSISTENCIAL O CMSEZTJ encontra-se aberto à população das 07h00min às 17h00min, de segunda à sexta-feira e de 8h00min às 12h00min aos sábados. Fica fechado aos domingos e feriados. 5.2 – PROGRAMAS DE SAÚDE IMPLANTADOS E DESENVOLVIDOS PELA UNIDADE 5.2.1 – ATENÇÃO CENTRADA NO ADULTO/IDOSO - Consultas clínicas para tratamento de doenças e seus agravos; - Ações educativas para prevenção de riscos e promoção da saúde; . Manejo das doenças cardiovasculares . Rastreamento de dislipidemias em adultos . Manejo das doenças crônicas respiratórias . Manejo de outras doenças crônicas prevalentes . Manejo de Problemas mais prevalentes no adulto . . Avaliação global do paciente idoso ( Prioridade de consulta. Assistência social e odontológica) . Manejo da Tuberculose. . Manejo de Hansen.
  17. 17. (Atendimento clínico, de grupos apoio terapêutico.) . Rastreamento e aconselhamento de tabagismo. . Rastreamento de Hipertensão Arterial e Diabetes (Atendimento individual e em grupo multidisciplinar , pé diabético, assistência odontológica, dispensação de medicamentos). . Grupo de insulinodependentes; . Rastreamento de dislipidemias em adultos. . Rastreamento de câncer de próstata. . Planejamento familiar e direito sexual e reprodu tivo. . Assistência Pré-Natal (Consulta de enfermagem, avaliação e acompanhamento nutricional, grupo de gestantes, avaliação e tratamento odontológico, psicológico e de assistência social individual ou demandada do bolsa família) . Diagnóstico Precoce de Gravidez . . Assistência ao Puerpério. . Assistência Clínico Ginecológica . Assistência ao planejamento familiar . Assistência ao climatério. . Rastreamento do câncer de colo uterino. . Rastreamento de câncer de mama. . Rastreamento e tratamento das DIPS. . Prevenção, identificação e acompanhamento de distúrbios nutricionais.
  18. 18. 5.2.2– ATENÇÃO CENTRADA NA CRIANÇA E ADOLESCENTE . Acolhimento mãe- bebê após alta da maternidade . Vigilância ao recém-nato de risco/vulnerável; . Triagem Neonatal; -Teste do Pezinho -Teste do Reflexo Vermelho -Teste auditivo comportamental .Acompanhamento do Crescimento e Desenvolvimento com utilização da Caderneta da criança em todo atendimento. .Imunização de rotina e participação nas campanhas; .Atualização do calendário vacinal; .Vigilância Nutricional. .Acolhimento com avaliação de risco (demanda espontânea; .Prevenção da violência contra a criança e o adolescente e acolhimento/atendimento /notificação/acompanhamento ds casos suspeitos e confirmados; .Assistência aos problemas comuns do Recémnascido e do lactente; .Identificação, tratamento e acompanhamento de crianças e adolescentes com asma;
  19. 19. .Identificação inscrição e acompanhamento crianças do Programa Bolsa Família; .Atendimento aos agravos prevalentes na infância e adolescência. .Identificação de situações de urgência e/ou especiaizado/internação e encaminhamentos necessários. 5.2.3– ATENÇÃO À SAÚDE BUCAL .Atividade Educativa/Orientação em grupo na atenção básica; .Instrução de higiene oral; .Evidenciação/revelação da placa bacteriana; .Escovação dental supervisionada; .Ações do Dentescola .Restaurção de dentes .Exodontias .Atendimentos de urgência; .Encaminhamentos para os CEOS para realização de procedimentos de média complexidade.
  20. 20. 5.2.4–VIGILÂNCIA EM SAÚDE .Programa de Imunizações .Detecção, notificação e atuação na resposta coordenada às emergência de saúde pública; .Busca ativa de casos de Doenças de Notificação Compulsória; .Investigação domiciliar de DNC (casos ou óbitos) ou outros agravos de notificação compulsória; .Adoção de medidas de controle em domicílios e comunidade. .Análise da Situação de Saúde; .Investigação de óbitos; .Alimentação do Gerenciador de Informações locais; .Desenvolvimento das ações de controle de Dengue e outros riscos ambientais em saúde. 5.2.5 – PROMOÇÃO DA SAÚDE .Alimentação saudável - Promoção da alimentação saudável; - Vigilância alimentar e nutricional; -Acompanhamento dos agravos nutricionais e doenças relacionadas a alimentação.
  21. 21. CONTROLE DO TABAGISMO - Ambiente livre de fumo - Abordagem mínima do tabagismo em todos os tabagistas; - Tratamento para dependência da nicotina. 5.2.6 – PROCEDIMENTOS/ AMBULATORIAIS - CIRURGIAS Debridamento e curativo de ulcerações Curativo Curativo em pé diabético Tratamento de miíase furunculóide Retirada de pontos; Retirada de corpo estranho do ouvido e nariz Remoção de cerumem Nebulização Aplicação de medicação parenteral; Coleta de material de sangue para exame laboratorial; - Coleta de material de escarro para exame laboratorial; - Inserção de DIU - Coleta de material para exame citopatológico
  22. 22. - Controle da pressão arterial; Controle da glicemia capilar; Emissão de Atestados Administração de medicamentos para tuberculose Terapia de rehidratação oral Consulta pré-natal realizada por enfermeiro Atividades realizadas por agente comunitário de saúde Visita domiciliar por profissional de nível médio Consulta médica do PSF; Consulta/atendimento em atenção básica por enfermeiro; Consulta médica domiciliar. Produção de Consultas Médicas e Procedimentos – Ano: 2012 Clínica Médica 22690 Pediatria 10691 Ginecologia e Obstetrícia 7701 Infectologia 1401 Pneumologia 2344 Dermatologia 4309 Psiquiatria 3863 Otorrinolaringologia 4117 Homeopatia 1482 Médico Sanitarista 1147
  23. 23. Produção de Consultas não Médicas Serviço Social 4319 Fonoaudiologia 3736 Psicologia 4646 Nutrição 4519 Terapia Ocupacional 1936 Odontologia 5723 ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA: Atende à comunidade do Tuiuti contando com três equipes compostas de médico (01 de 40h ou 02 de 20h), enfermeiro (01), técnico de enfermagem (01) e agentes comunitários de saúde (06). Duas estão incompletas. As visitas domiciliares são organizadas de acordo com as prioridades avaliadas pelos ACS e profissionais técnicos. Tem prioridade: acamados ou com dificuldade de deambulação. Grupos terapêuticos são realizados, como o Grupo de Tabagismo com prática de Auriculoterapia, atividades em escolas da área e na comunidade, grupo qualidade de vida com foco na prevenção de danos e promoção da saúde, palestras em creches para alunos e profissionais e grupo de
  24. 24. planejamento familiar, gestantes e acolhimento mãe-bebê. 5.3– PORTA DE ENTRADA (ACOLHIMENTO, ORIENTAÇÃO, AGENDAMENTO DE CONSULTAS E RENOVAÇÃO DE PRESCRIÇÃO): Acolher expressa vários sentidos - admitir, aceitar, receber, atender, dar ouvidos... Neste sentido, a “Porta de Entrada” da Unidde também deve expressar uma ação de aproximação, de inclusão, de estar próximo, de estar atento às necessidades. Um espaço de escuta. “Um copmpromisso coletivo de envolver-se em estar com pelo reconhecimento do outro em suas diferenças, dores, alegrias, modos de viver, sentir e estar na vida.” Até abril de 2010, o acesso pela livre demanda ao CMSEZTJ era realizado por um único servidor administrativo, que distribuía os números disponíveis pela sobra ou falta dos agendados, sendo seguido o critério de ordem de chegada. O turno da manhã concentrava a maior procura. Com a mudança do modelo de gestão, o acolhimento centrado nas necessidades e fragilidades passou a ser uma das prioridades a ser
  25. 25. implantada. Foram realizadas oficinas de humanização, com participação de servidores das mais variadas categorias funcionais, com objetivo de sensibilizar sobre estas orientações e planejar o modelo a ser adotado na Unidade. Desde então, tem funcionado com a participação de todas as categorias de nível superior que se revezam em escalas diárias e em dois turnos. Turno da manhã – das 07:30h às 12:30h e turno da tarde – das 12:30h às 16:30h. Neste local estamos disponíveis para receber os que nos procuram, escutá-los em suas necessidades e tudo fazer dentro de nossos recursos para melhor solucionar cada questão individualmente. Na ESF o paciente é acolhido pelo Agente Comunitáio de Saúde que identifica sua necessidade e o encaminha para atendimento imediato ou setor adequado. 5.4 – REGULAÇÃO – SISREG Sistema informatizado para solicitação de agendamento de consultas especializadas e exames de média e alta complexidade.
  26. 26. Após solicitação pelo médico assistente o pedido é inserido no sistema para regulação. Após agendamento, o paciente é informado e encaminhado. 5.5 – VIGILÂNCIA EM SAÚDE Vigilância dos agravos de notificação compulsória e investigação. Busca ativa semanal junto às Unidades de Saúde e Hospitais da área para proceder à notificação negativa de doenças tais como paralisia flácida. Visitas domiciliares para investigação e fechamento de casos de doenças de notificação compulsória com participação dos Agentes de Vigilância em Saúde e Agentes Comunitários de Saúde do Tuiuti. Parceria com a gerência de vetores da área, objetivando ações rápidas em casos notificados de doenças transmitidas por vetores de pacientes moradores e internados em hospitais da área. Ações rápidas em caso de suspeita de doenças exantemáticas como o sarampo e a rubéola, evitando o aparecimento de casos secundários – ações de vacinação de bloqueio “in loco” e investigação epidemiológica. Ações de visita domiciliar, palestras em escolas firmas ou qualquer outro estabelecimento em caso
  27. 27. de doença meningocócica com a devida indicação de quimioprofilaxia. Repasse imediato dos agravos de notificação compulsória nas primeiras 24h à Coordenação de Epidemiologia, oriundas de nossa unidade ou de qualquer hospital de nossa área de abrangência para o desencadeamento de parcerias junto às outras RAs envolvidas. Atuação rápida em surtos alimentares oriundos de restaurantes ou outros estabelecimentos da área, trabalhando em conjunto com a “vigilância Sanitária” para coleta de amostras e investigação de casos suspeitos. Encaminhamento semanal de planilha à DVS, específica para vigilância epidemiológica das doenças diarréicas. Solicitação de laudos de necropsia junto ao IML situado no bairro de São Cristóvão, para elucidação de casos cuja “causa mortis” foi indeterminada. Ações de vigilância e controle em casos de doença de veiculação hídrica ou por roedores, sempre e principalmente em períodos pós enchente, acionando as devidas gerências para parcerias. Parceria com o CIEVS ( Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde) no sentido de agilizar a investigação e o controle de
  28. 28. doenças emergentes e reemergentes, epidemias e agravos inusitados. surtos, .Imunização Segue normas e orientações preconizadas pelo PNI(Programa Nacional de Imunizações), visando a aplicação dos imunobiológicos de terminados pelo Ministério da Saúde. -Monitoramento das coberturas vacinais da área da VIIRA (rotina e campanha); -Realização de Campanhas Nacionais de Vacinação; -Realização de Campanhas de “Follow Up” -Realização de vacinas de bloqueio; -Responsabilidade técnica pelo acondicionamento, transporte, indicação e aplicação de imunobiológicos. -Vigilância epidemiológica dos eventos adversos pós vacinais e dos eventos inusitados pós vacinais. -Digitação mensal dos dados no sistema API, incluindo as vacinas realizadas no Hospital Maternidade Fernando Magalhães e no IBEX (Instituto de Biologia do Exército), e
  29. 29. encaminhamento à Coordenação de Imunização, para posterior encaminhamento à SES e ao Ministério da Saúde. -Treinamento e capacitação de profissionais que irão atuar em campanhas nacionais e na sala de vacinas. A operacionalização da imunização fica sob a reaponsabilidade da enfermagem. 5.6 – SISTEMAS DE INSTALADOS NO CMSEZTJ INFORMAÇÃO INFORMAÇÃO, CONTROLE, AVALIAÇÃO E RELACIONAMENTO COM OS USUÁRIOS: -GIL (Gerenciamento de indicadores local); -SIGMA – Controle de Almoxarifado,Farmácia e Infraestrutura; -SICLOM; -SICOP; -CNES; -Requer Farmácia, médico, cirúrgico e -CADASTRAMENTO DE PACIENTES MATRICULADOS; -MEDCINEONE – Prontuário Eletrônico utilizado pelo PSF.
  30. 30. 5.7 – INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA . INSTALAÇÕES FÍSICAS: -Clínicas básicas - 08 consultórios -PSF – 02 consultórios -Clínicas Especializadas – 07 consultórios -Odontologia – 01 gabinete com 03 equipos -Outros consultórios não médicos – consultórios -Sala de Enfermagem e serviços – 05 salas -Sala de Imunizações- 02 salas -Sala de Esterelização – 01 sala -Sala de Repouso e Procedimento Enfermagem – 01 sala -Sala de exame ECG – 01 sala -Sala de Curativos – 01 sala 06 de . SERVIÇO DE APOIO -Farmácia: Almoxarifado - 02 salas Sala Administrativa – 01 sala Sala de dispensação de Medicamentos – 01 sala -Documentação médica – 02 salas -Serviço Social – 01 sala -Métodos Gráficos – ECG -Posto de coleta de material biológico
  31. 31. -Atenção à Saúde Auditiva Preventiva do Recém nato -Atenção à Saúde do portador de Tuberculose -Atenção à Saúde do paciente portador de Hanseníase; . INFRAESTRUTURA Equipamentos - Eletrocardiógrafo – 01 - Autoclave – 01 - Centrífuga – 01 - Máquina Copiadora – 01 -Cadeira Motorizada com Sistema Regulável 01 -Ultrassom odontológico – 01 Aparelhos de Informática Computadores de funcionamento- 16 Aparelhos de Refrigeração – 41 Geladeira – 04 Aparelhos Elétricos Ventiladores – Televisão Aparelho de DVD - 1 Fax - 2 Nebulizador elétrico -1 Balança antropométrica pediátrica digital –1
  32. 32. Sonar Obstétrico – 02 Telefonia Linhas Telefônicas – 06 – 38607295 - Gabinete - 38602956 – SVS - Farmácia – 3895 8663 - Administração – 38958659 - Portaria – 38958660 - Marcação de consulta e exames – 38958662 SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS -Autoclave: Firmas PLANEC e INNOVAMED -Módulo Odontológico – TX -Câmara Fria – Manutenção pelo Fundo Rotativo OUTROS: -Vigilância: Firma FACILITY -Limpeza e higienização: Firma Leste Sudeste -Oxigênio : Ar Liquide -Máquina Xerox – Firma Ziuleo A Unidade não é orçamentária e está vinculada à Coordenadoria de Saúde da AP1.0. Recebe uma verba orçada em R$8.000,00 (oito mil reais),
  33. 33. através de prestação de contas das despesas efetuadas. Sendo responsável perante o Município do RJ, o gestor como primeiro titular e como segundo titular, seu substituto legal. Esta verba é utilizada para sanar as necessidades urgentes temporárias. CAPÍTULO 6.0 – INTERSETORIALIDADE Estabelecer parcerias e desburocratizar procedimentos que facilitem as relações intersetoriais e favoreçam ações conjuntas, através de contatos com escolas, creches, CRAS, CRES, gerências, COMLURB, RA, Instituições militares, igrejas, lideranças comunitárias, ONGS e outras representações da sociedade civil. CAPÍTULO 7.0 DISPOSIÇÕES FINAIS E TRANSITÓRIAS O CMSEZTJ está situado em rua de grande afluência de transeuntes e com rede expressiva de transporte coletivo, principalmente ônibus e VANS fazendo ligação entre o município do Rio de Janeiro e a Baixada Fluminense. Bem como, apresenta concentração de empresas, sendo o bairro de São Cristóvão considerado um pólo de confecções. Esta configuração aponta para a
  34. 34. dificuldade em definir clientela adstrita e mostra que 4% das consultas produzidas são ocupadas por essa população flutuante de residentes em locais variados. Este é támbem um dos fatores geradores de filas. Desde cedo, já é possível identificar um número significativo de pessoas à porta da Unidade, aguardando atendimento, que se somam aos residentes e trabalhadores de nossa área. Apesar das orientações e encaminhamentos cotidianos às referências de suas áreas, a carência de recursos de alguns municípios fronteiriços, obriga estas populações a procurarem em outras regiões a assistência à suas necessidades. Espera-se que a mudança conceitual recente no modelo de “Porta de Entrada”: avaliação da demanda por critério de necessidde, não por ordem de chegada e realizada por profissionais de saúde, não por administrativos, cobrindo os turnos de atendimento, seja capaz de minimizar estas situações. A implantação da Estratégia de Saúde da Família, prioritariamente às comunidades mais carentes – Tuiuti, Vasco da Gama e Arará, deverá contribuir para a melhora da qualidade de vida destas populações e elevar os indicadores de saúde.

×