Se ha denunciado esta presentación.
Utilizamos tu perfil de LinkedIn y tus datos de actividad para personalizar los anuncios y mostrarte publicidad más relevante. Puedes cambiar tus preferencias de publicidad en cualquier momento.

Acessibilidade Web Cognitiva

645 visualizaciones

Publicado el

Palestra apresentada no evento Women Tech Day 2017 na IBM Brasil em 04 de Março de 2017.

Publicado en: Internet
  • Hey guys! Who wants to chat with me? More photos with me here 👉 http://www.bit.ly/katekoxx
       Responder 
    ¿Estás seguro?    No
    Tu mensaje aparecerá aquí

Acessibilidade Web Cognitiva

  1. 1. Talita Pagani @talitapagani Acessibilidade Web Cognitiva
  2. 2. It´s me, Mario! 12 de XP em TI Mestre em Computação pela UFSCar UX Designer na Nexaas Fundadora da Utilizza – Design de Interação Membro do grupo de especialistas em Acessibilidade Web do W3C Membro das #GarotasCPBr desde sua fundação em 2010
  3. 3. @garotascpbr | facebook.com/GarotasCPBr
  4. 4. @nexaasoficial | facebook.com/nexaas
  5. 5. @utilizzaco
  6. 6. @meninasautistas | facebook.com/meninascomautismo
  7. 7. @w3cbrasil | @cewebbr
  8. 8. O que vêm à mente quando falamos em Acessibilidade Web?
  9. 9. Deficiência visual? Leitores de tela? Recursos assistivos? Teclado adaptado? Talvez deficiência auditiva? http://br.freepik.com/vetores-gratis/projeto-duvidar-man_987207.htm
  10. 10. E quanto à usuários que têm dificuldade de manter o foco e a concentração em um texto?
  11. 11. E quanto à usuários que têm problemas de memória de curto prazo?
  12. 12. E quanto à usuários que não conseguem relacionar uma representação de um objeto ao objeto?
  13. 13. E quanto à usuários que têm dificuldade de interpretar metáforas e expressões conotativas?
  14. 14. E quanto à usuários que têm dificuldade com conteúdo que é mais textual que visual?
  15. 15. Estes são alguns problemas recorrentes para pessoas que possuem alguma deficiência cognitiva, neuronal ou de apredizagem
  16. 16. Definição: Condições, síndromes ou transtornos relacionados ao desenvolvimento da memória, atenção, linguagem, comunicação, habilidade de comunicação e letramento, dentre outras funções cognitivas e de neurodesenvolvimento. (SEEMAN; COOPER, 2016)
  17. 17. Source: http://www.slideshare.net/RuthEllison/designing-for-cognitive-disabilities/6- There_is_no_onesizefitsallrulebr
  18. 18. 1,3% da população no Brasil tem alguma dessas condições, segundo o Censo de 2010 IBGE, 2010
  19. 19. Estimativa da população com Autismo em 2015 no Brasil* 2 Milhões Estimativa da população com Autismo somente no estado de São Paulo em 2010** 255 Mil * Oliveira, 2015 ** Mello et al., 2013
  20. 20. Funções afetadas Memória/memorização; Resolução de problemas; Leitura; Compreensão verbal ou linguística (lidar com materiais escritos); Compreensão visual; Foco e atenção; Compreensão matemática (POUNCEY, 2010; WEBAIM, 2014)
  21. 21. Soluções computacionais Aliados das pessoas com deficiências cognitivas para desenvolver habilidades e auxiliar em atividades de vida cotidiana
  22. 22. Carly Fleischmann http://bit.ly/2bvmClz Tecnologia pode ajudar a Desenvolver habilidades sociais e de comunicação Ajudar a organizar rotina Auxiliar na alfabetização Auxiliar a se comunicar com família e amigos
  23. 23. Porém... Interação e Experiência de Uso projetadas inadequadamente podem levar à estresse, irritação, desconforto e ansiedade 
  24. 24. Porém... Má usabilidade e acessibilidade impedem MESMO a pessoa de utilizar o sistema
  25. 25. Algumas dificuldades Estas deficiências são complexas (muitas variações) Não são binária De difícil identificação Podem se sobrepor (ex.: TDAH e Dislexia) São pouco endereçadas em recomendações
  26. 26. Outros problemas...
  27. 27. Dados da survey do meu mestrado: dos profissionais de TI não consideram ou consideram parcialmente pessoas com deficiências cognitivas ou neuronais em seus projetos84%
  28. 28. Dados da survey do meu mestrado: dos que não consideram o fazem porque não têm conhecimento suficiente sobre essas deficiências para aplicar em seus projetos75%
  29. 29. Dados da survey do meu mestrado: Disseram que empresa em que atuam não considera que estes usuários seriam parte do público-alvo dos projetos54%
  30. 30. Dados da survey do meu mestrado: Dos participantes desconheciam totalmente o WCAG 33% Desconheciam o trabalho e as recomendações do COGA (Cognitive and Learning Disabilities Task Force - WAI - W3C) 54%
  31. 31. “Mas se eu fizer um site acessível com base em nas diretrizes existentes, eu estarei atendendo a este público”
  32. 32. Não é bem verdade Para condições que envolvem neurodesenvolvimento, pode ser necessário simplificar ou adaptar o contéudo
  33. 33. ? ? Como desenvolver aplicações adequadas a este público? Como as crianças podem ser mais autônomas usando a tecnologia? Conheço pouco sobre o tema Será que a tecnologia está ajudando ou criando barreiras? Gap Semântico Programador Educador Desafio também para conscientizar múltiplos profissionais
  34. 34. Como faz?
  35. 35. Consistência Previsibilidade / rotina Distrações Sons e cores Controle do usuário Prevenção de erros Aspectos críticos
  36. 36. Dicas De como tornar a experiência melhor para este público
  37. 37. #1 Indique claramente o progresso e forneça indicativos de navegação Livra.com (Ellison, 2011) Dislexia, Autismo e Dificuldades de Memória
  38. 38. #2 Forneça recursos de multimodalidade e representações redundantes Imagens do app SocialClues (ELLISON, 2011; WEBAIM, 2013; SMITH, 2009) Dislexia, Disgrafia, Discalculia, Autismo e Dificuldades de Aprendizagem
  39. 39. #2 Forneça recursos de multimodalidade e representações redundantes (ELLISON, 2011; WEBAIM, 2013; SMITH, 2009) Dislexia, Disgrafia, Discalculia, Autismo e Dificuldades de Aprendizagem Spotify Booking
  40. 40. #2 Forneça recursos de multimodalidade e representações redundantes (ELLISON, 2011; WEBAIM, 2013; SMITH, 2009) Dislexia, Disgrafia, Discalculia, Autismo e Dificuldades de Aprendizagem http://webaim.org/articles/cognitive/
  41. 41. #3 Projete páginas com layouts simples e consistente https://willianjusten.com.br/criando-efeito-parallax-no-header/ Dislexia, Autismo, TDA/TDAH e Dificuldades de Aprendizagem (ELLISON, 2011; WEBAIM, 2013)
  42. 42. De boa na lagoa, fera! Estou tranquilo, amigo! #4 Evite o uso de metáforas e figuras de linguagem Dislexia, Autismo e Dificuldades de Aprendizagem
  43. 43. #5 Forneça compatibilidade com o mundo real Marble jar Autismo
  44. 44. #5 Forneça compatibilidade com o mundo real Discover Our World Autismo
  45. 45. #6 Evite popups e propagandas que interrompam o conteúdo http://kikolani.com/optin-popup-forms.html Autismo e Dificuldades de Aprendizagem
  46. 46. #7 Forneça restrições úteis de interação http://www.appcues.com/blog/the-5-best-user-onboarding-experiences/ Autismo e Dificuldades de Aprendizagem
  47. 47. #8 Ajude a pessoa a focar a atenção na tarefa principal Facebook Dislexia, Autismo e Dificuldades de Aprendizagem
  48. 48. #8 Ajude a pessoa a focar a atenção na tarefa principal http://www.appcues.com/blog/the-5-best-user- onboarding-experiences/ Dislexia, Autismo e Dificuldades de Aprendizagem
  49. 49. #9 Habilite customização e modo leitura quando possível https://support.mozilla.org/en-US/kb/view-articles-reader-view-firefox-android Dislexia, Disgrafia, Autismo
  50. 50. #10 Forneça ergonomia, por exemplo, boas áreas de clique Sebrae Dislexia, Autismo e Dificuldades de Aprendizagem
  51. 51. #11 Habilite customização quando possível Dislexia, Disgrafia, Autismo http://www.raphaelfabeni.com.br/
  52. 52. #12 Forneça Feedbacks adequados Dislexia, Autismo e Dificuldades de Aprendizagem Imagens de Interaction-Design.org
  53. 53. #13 Tenha suporte a alternative spelling Dislexia, Disgrafia
  54. 54. Facilite a escolha das opções Permita que usuários controlem movimento e tempo (cuidado com autoplay e timeout de forms) Evite menus com muitos níveis, muitas opções e submenus Cuidado com flat design Atente-se à ortografia dos itens Confirme ações Outras dicas (ELLISON, 2011; WEBAIM, 2013; DAHL, 2015; SMITH, 2009)
  55. 55. O importante é Ser simples, objetivo, consistente, previsível, apreensível e deixar o usuário no controle
  56. 56. Projeto em construção GAIA – Guia de Acessibilidade de Interfaces Web com foco em Aspectos do Autismo http://talitapagani.com/gaia/ http://github.com/talitapagani/gaia/
  57. 57. Referências DAHL, D. Web accessibility for people with cognitive disabilities. 2015. http://www.slideshare.net/dadahl/web-accessibility-for- people-with-cognitive-disabilities ELLISON, R. Designing for cognitive disabilities. 2011. http://www.slideshare.net/RuthEllison/designing-for-cognitive-disabilities/ IBGE, Censo Demográfico 2010. 2010. Disponível em: http://censo2010.ibge.gov.br/ MELLO, et al. Retratos do Autismo no Brasil. AMA: 2013. http://www.ama.org.br/site/images/home/Downloads/RetratoDoAutismo.pdf OLIVEIRA, C. Um retrato do autismo no Brasil. 2015. http://www.usp.br/espacoaberto/?materia=um-retrato-do-autismo-no-brasil POUNCEY, I. Web Accessibility for Cognitive Disabilities and Learning Difficulties. 2010. Disponível em: https://dev.opera.com/articles/cognitive-disability-learning-difficulty/ SEEMAN, L.; COOPER, M. (Org.). Cognitive Accessibility User Research. 2015. Disponível em: https://www.w3.org/TR/coga- user-research/ SMITH, J. Insights into Cognitive Web Accessibility. 2009. http://www.slideshare.net/jared_w_smith/insights-into-cognitive-web- accessibility WEBAIM. Cognitive. 2013.http://webaim.org/articles/cognitive/
  58. 58. Talita Pagani @talitapagani | @garotascpbr | @utilizzaco Obrigada!

×