Se ha denunciado esta presentación.
Utilizamos tu perfil de LinkedIn y tus datos de actividad para personalizar los anuncios y mostrarte publicidad más relevante. Puedes cambiar tus preferencias de publicidad en cualquier momento.

Acessibilidade Web Cognitiva - BrazilJS 2016

503 visualizaciones

Publicado el

Palestra ministrada na BrazilJS 2016 sobre como requisitos de acessibilidade web para pessoas com deficiências cognitivas, neuronais ou de aprendizagem como Autismo, Dislexia, TDAH, entre outras.

Publicado en: Internet
  • Sé el primero en comentar

  • Sé el primero en recomendar esto

Acessibilidade Web Cognitiva - BrazilJS 2016

  1. 1. Acessibilidade Web Cognitiva Talita Pagani @talitapagani http://br.freepik.com/vetores-gratis/bckground-moderna-do-crebro_884409.html
  2. 2. Talita Pagani Bacharel e quase mestre em Ciência da Computação 10+ de XP em TI Professora, palestrante UX Designer / Front-end Foco atual = UX e Acessibilidade Web Membro do grupo de especialistas em Acessibilidade Web do W3C Brasil
  3. 3. O que vêm à mente quando falamos sobre Acessibilidade Web?
  4. 4. Deficiência visual? Leitores de tela? Recursos assistivos? Teclado adaptado? Talvez deficiência auditiva?
  5. 5. E quanto à usuários que têm dificuldade de manter o foco e a concentração em um texto?
  6. 6. E quanto à usuários que têm problemas de memória de curto prazo?
  7. 7. E quanto à usuários que não conseguem relacionar uma representação de um objeto ao objeto?
  8. 8. E quanto à usuários que têm dificuldade de interpretar metáforas e expressões conotativas?
  9. 9. E quanto à usuários que têm dificuldade com conteúdo que é mais textual que visual?
  10. 10. Estes são alguns problemas recorrentes para pessoas que possuem alguma deficiência cognitiva, neuronal ou de apredizagem
  11. 11. Deficiências cognitivas, neuronais ou de aprendizagem (DCNA) Condições, síndromes ou transtornos relacionados ao desenvolvimento da memória, atenção, linguagem, comunicação, habilidade de comunicação e letramento, dentre outras funções cognitivas e de neurodesenvolvimento (SEEMAN; COOPER, 2016)
  12. 12. Source: http://www.slideshare.net/RuthEllison/designing-for-cognitive-disabilities/6-There_is_no_onesizefitsallrulebr
  13. 13. 1,3% da população têm alguma destas condições, segundo o Censo de 2010 (IBGE, 2010)
  14. 14. 2 milhões de brasileiros podem ter Autismo Estimativas internacionais de 1 a cada 51 pessoas (OLIVEIRA, 2015)
  15. 15. Isto significa que pelo menos 30 pessoas neste auditório podem ser autistas (e muitos nunca foram diagnosticados, como eu) (OLIVEIRA, 2015)
  16. 16. Funções afetadas em DCNAs Memória/memorização; Resolução de problemas; Leitura; Compreensão verbal ou linguística (lidar com materiais escritos); Compreensão visual; Foco e atenção; Compreensão matemática (POUNCEY, 2010; WEBAIM, 2014)
  17. 17. “Mas se eu fizer um site acessível com base em nas diretrizes existentes, eu estarei atendendo a este público”
  18. 18. FALSO Para DCNAs pode ser necessário uma simplificação do conteúdo ou adaptabilidade
  19. 19. Algumas dificuldades DCNAs são complexas (muitas variações) Não são binária De difícil identificação Podem se sobrepor (ex.: TDAH e Dislexia) São pouco endereçadas em recomendações
  20. 20. Barreiras de interação para este público podem gerar: Stress Ansiedade Pânico Desconforto de um modo geral Impedem MESMO a pessoa de utilizar o sistema
  21. 21. Não basta ser acessível a nível funcional (leitores de tela, navegação via teclado), tem que ter acessibilidade informacional (compreender o conteúdo)
  22. 22. Dados da survey do meu mestrado: 84% dos profissionais de TI não consideram ou consideram parcialmente pessoas com DCNAs em seus projetos 75% dos que não consideram o fazem porque não têm conhecimento suficiente sobre essas deficiências para aplicar em seus projetos 54% dizem que empresa em que atuam não considera que estes usuários seriam parte do público-alvo dos projetos
  23. 23. Dados da survey do meu mestrado: 33% dos participantes desconhecem totalmente o WCAG 62% desconhecem o trabalho e as recomendações do COGA (Cognitive and Learning Disabilities Task Force - WAI - W3C)
  24. 24. 10 Dicas De como você pode tornar a experiência melhor para este público
  25. 25. #1 Indique claramente o progresso e forneça indicativos de navegação Previsibidade, consistência, rotina e reconhecimento: Dislexia, Autismo e Dificuldades de Memória (ELLISON, 2011) Imagens de TypeForm e Livra.com
  26. 26. #2 Forneça recurso de multimodalidade e representações redundantes Imagens do app SocialClues Reforço de conteúdo: Dislexia, Disgrafia, Discalculia, Autismo e Dificuldades de Aprendizagem (ELLISON, 2011; WEBAIM, 2013; SMITH, 2009)
  27. 27. #2 Forneça recurso de multimodalidade e representações redundantes Imagens do Spotify Reforço de conteúdo: Dislexia, Disgrafia, Discalculia, Autismo e Dificuldades de Aprendizagem (ELLISON, 2011; WEBAIM, 2013; SMITH, 2009)
  28. 28. #2 Forneça recurso de multimodalidade e representações redundantes Imagens do site do Detran-SP Reforço de conteúdo: Dislexia, Disgrafia, Discalculia, Autismo e Dificuldades de Aprendizagem (ELLISON, 2011; WEBAIM, 2013; SMITH, 2009)
  29. 29. #2 Forneça recurso de multimodalidade e representações redundantes http://webaim.org/articles/cognitive/ Reforço de conteúdo: Dislexia, Disgrafia, Discalculia, Autismo e Dificuldades de Aprendizagem (ELLISON, 2011; WEBAIM, 2013; SMITH, 2009)
  30. 30. #3 Projete páginas simples e intuitivas https://willianjusten.com.br/criando-efeito-parallax-no-header/(ELLISON, 2011; WEBAIM, 2013) Consistência, foco e atenção: Dislexia, Autismo, TDA/TDAH e Dificuldades de Aprendizagem
  31. 31. #4 Habilite customização quando possível http://www.raphaelfabeni.com.br/ Legibilidade, contraste adequado, controle: Dislexia, Disgrafia e Autismo
  32. 32. #5 Forneça feedback adequado Visibilidade do estado do sistema: Dislexia, Autismo e Dificuldades de Aprendizagem
  33. 33. #5 Forneça feedback adequado Visibilidade do estado do sistema: Dislexia, Autismo e Dificuldades de Aprendizagem Imagens de Interaction-Design.org
  34. 34. #6 Permita uma área de clique confortável Prevenção de erros: Dislexia, Autismo e Dificuldades de Aprendizagem Imagens de TypeForm e SEBRAE
  35. 35. #7 Seja previsível: elementos similares devem produzir interações similares Previsibidade, consistência, rotina e reconhecimento: Dislexia, Autismo e Dificuldades de Memória https://www.interaction-design.org/literature/article/principle- of-consistency-and-standards-in-user-interface-design
  36. 36. #8 Evite popups e propagandas que interrompem o conteúdo Previsibidade, quebra de expectativa: Autismo e Dificuldades de Aprendizagem http://kikolani.com/optin-popup-forms.html
  37. 37. #9 Quando possível, tenha um modo de leitura Foco, atenção e compreensão visual: Autismo, Dislexia, Disgrafia https://support.mozilla.org/en-US/kb/view-articles-reader- view-firefox-android
  38. 38. #10 Tenha suporte a “alternative spelling” Prevenção de erros, flexibilidade: Dislexia, Disgrafia
  39. 39. Outras dicas Facilite a escolha das opções Permita que usuários controlem movimento e tempo (cuidado com autoplay e timeout de forms) Evite menus com muitos níveis, muitas opções e submenus Cuidado com flat design #polêmica Atente-se à ortografia dos itens Confirme ações (ELLISON, 2011; WEBAIM, 2013; DAHL, 2015; SMITH, 2009)
  40. 40. Acessibilidade Web Cognitiva é sobre Comunicação efetiva
  41. 41. Acessibilidade Web Cognitiva é sobre Controle do usuário
  42. 42. Acessibilidade Web Cognitiva é sobre Consistência
  43. 43. Acessibilidade Web Cognitiva é sobre Multimodalidade
  44. 44. Para saber mais Cognitive Accessibility User Research http://w3c.github.io/coga/user-research/ WebAIM: Cognitive http://webaim.org/articles/cognitive/ Meus “2 cents” sobre o assunto: GAIA - Guia de Acessibilidade de Interfaces Web com foco em aspectos do Autismo (Guidelines for Accessible Interfaces for people with Autism) http://talitapagani.com/gaia/
  45. 45. Referências DAHL, D. Web accessibility for people with cognitive disabilities. 2015. http://www.slideshare.net/dadahl/web-accessibility-for-people-with-cognitive-disabilities ELLISON, R. Designing for cognitive disabilities. 2011. http://www.slideshare.net/RuthEllison/designing-for-cognitive-disabilities/ IBGE, Censo Demográfico 2010. 2010. Disponível em: http://censo2010.ibge.gov.br/ OLIVEIRA, Carolina. Um retrato do autismo no Brasil. 2015. http://www.usp.br/espacoaberto/?materia=um-retrato-do-autismo-no-brasil POUNCEY, I. Web Accessibility for Cognitive Disabilities and Learning Difficulties. 2010. Disponível em: https://dev.opera.com/articles/cognitive-disability-learning-difficulty/ SEEMAN, L.; COOPER, M. (Org.). Cognitive Accessibility User Research. 2015. Disponível em: https://www.w3.org/TR/coga-user-research/ SMITH, J. Insights into Cognitive Web Accessibility. 2009. http://www.slideshare.net/jared_w_smith/insights-into-cognitive-web-accessibility WEBAIM. Cognitive. 2013.http://webaim.org/articles/cognitive/
  46. 46. OBRIGADA! Talita Pagani | @talitapagani http://br.freepik.com/vetores-gratis/bckground-moderna-do-crebro_884409.html

×