Se ha denunciado esta presentación.
Utilizamos tu perfil de LinkedIn y tus datos de actividad para personalizar los anuncios y mostrarte publicidad más relevante. Puedes cambiar tus preferencias de publicidad en cualquier momento.

Síntese proteica

13.995 visualizaciones

Publicado el

Biologia 11º ano.
Síntese proteica.
Crescimento e renovação celular

Publicado en: Educación
  • Sé el primero en comentar

Síntese proteica

  1. 1. IV - SÍNTESE PROTEICA Unidade 5 Cresc. e renovação celular
  2. 2. Genótipo  Constituição génica de um indivíduo. Nuno Correia 2011/12
  3. 3. Fenótipo  Conjunto de características de um indivíduo resultante da expressão dos seus genes. Nuno Correia 2011/12
  4. 4. A célula expressa o genótipo como fenótipo por meio da síntese de proteínas Nuno Correia 2011/12
  5. 5. Código genético  Corresponde ao dicio- nário que a célula utiliza para traduzir a linguagem genética em linguagem proteica
  6. 6. Código genético Como é que existindo 4 nucleótidos diferentes, é possível que estes codifiquem cerca de 20 aminoácidos distintos? Que código é utilizado pelos genes? Monómeros dos ácidos nucleicos Monómeros das proteínas 4 tipos de nucleótidos diferentes em cada ácido nucleico Existem cerca de 20 aminoácidos diferentes Nucleótidos Aminoácidos
  7. 7. Aminoácidos
  8. 8. Quantos nucleótidos são necessários para codificar uma proteína??
  9. 9. Código genético Três nucleótidos consecutivos do DNA constituem um codogene – tripleto que possui mensagem genética para a síntese de um aa. Cada aa é codificado por um conjunto de três nucleótidos do mRNA – tripleto ou codão
  10. 10. Código genético 9
  11. 11. Características do código genético 1- Universalidade do Código genético – cada codão tem o mesmo significado para a maioria dos seres vivos 2- Redundância – codões diferentes podem codificar o mesmo aminoácido. Este fenómeno também se designa por degenerescência do código genético. 3- Não ambiguidade – um codão codifica apenas um aminoácido 4- Codão de iniciação – o codão AUG tem uma dupla função: inicia a leitura do código (para a síntese proteica) e codifica o aminoácido metionina. 5- Codão de terminação/finalização – os codões UAA, UAG e UGA terminam a síntese da proteína 6- Especificidade dos nucleótidos – o terceiro nucleótido é menos específico do que os dois primeiros.
  12. 12. Síntese de proteínas
  13. 13. Síntese proteica   A maioria do DNA de uma célula eucariótica está no núcleo e, devido as sua dimensões, não passa pelos poros da membrana nuclear. Se a síntese proteica ocorre no citoplasma, como é que a informação genética chega ao citoplasma?
  14. 14. Visão geral da síntese de proteínas
  15. 15. Dogma central da biologia molecular Replicação
  16. 16. Síntese de proteínas 37
  17. 17. Transcrição   Nos seres vivos, a primeira etapa da transferência da informação genética corresponde à síntese de RNAm a partir de uma cadeia de DNA que contém informação e que lhe serve de molde. Esta síntese faz-se na presença de um complexo enzimático chamado RNA polimerase.
  18. 18. Transcrição  O mRNA é polimerizado exclusivamente no sentido 5’3’  As bases emparelham-se por complementaridade, ocupando o uracilo o lugar da timina (U emparelha com A)
  19. 19. Transcrição
  20. 20. Transcrição 15       1º- ligação da RNA polimerase a locais específicos do DNA 2º- quebra das pontes de hidrogénio e separação das cadeias de DNA 3º - ligação de nucleótidos livres de acordo com a regra de complemetaridade das bases azotadas para formar a cadeia de mRNA, que é sintetizada no sentido 5’ → 3` a partir de uma das cadeias de DNA que lhe serve de molde. 4º- libertação do mRNA sintetizado 5º - restabelecimento das pontes de hidrogénio e da estrutura do DNA.
  21. 21. Transcrição Início da transcrição Fim da transcrição
  22. 22. Intervenientes da transcrição
  23. 23. 21 Maturação ou processamento
  24. 24. Maturação ou processamento    Na molécula de mRNA imatura existem porções — os intrões — que não contêm informação para a síntese da proteína e que, antes de a molécula passar para o citoplasma, são removidas. As porções que permanecem — os exões — são expressas na fase seguinte, originando uma proteína. É o conjunto dos exões que deixa o núcleo através de um dos poros da membrana nuclear. O processo de remoção dos intrões é designado por maturação ou, processamento
  25. 25.  Nos seres procariontes, a molécula de mRNA não sofre maturação e todas as fases da síntese proteica ocorrem no mesmo local, dado que não há núcleo individualizado nas células destes seres. Maturação ou processamento
  26. 26. Tradução   A tradução permite que a mensagem contida no mRNA seja descodificada e utilizada para fabricar uma proteína. As proteínas são constituídas por aminoácidos (nos seres vivos, existem 20 aminoácidos diferentes), unidos por ligações peptídicas.
  27. 27. Intervenientes da tradução 24
  28. 28. Tradução 25
  29. 29. RNA transferência  O RNAt funciona como intérprete entre a ―linguagem do RNAm e a ―linguagem das proteínas.
  30. 30. RNA transferência
  31. 31. Ribossomas  Constituído por 2 subunidades cuja constituição química são proteínas e RNAr (RNA ribossómico)
  32. 32. Etapas da tradução INICIAÇÃO ALONGAMENTO FINALIZAÇÃO
  33. 33. 1 - Iniciação  A tradução inicia-se com a ligação do mRNA à subunidade menor do ribossoma, e com o reconhecimento do codão iniciador (AUG) pelo tRNA correspondente (anticodão UAC, com o aminoácido metionina - met). Em seguida estabelece- se a ligação da subunidade maior. O ribossoma está então funcional.
  34. 34. 2 - Alongamento      Esta é a fase de tradução dos codões sucessivos e da ligação dos a.a. Um novo RNAt, que transporta um segundo a.a., liga-se ao segundo codão. Há formação de uma primeira ligação peptídica entre o a.a. que ele transporta e a meteonina. O ribossoma avança três nucleótidos. O processo repete-se ao longo do RNAm
  35. 35. 2 - Alongamento
  36. 36. 3 - Finalização   A síntese da proteína termina quando surge no mRNA um dos codões de terminação ou stop (UGA, UAG ou UAA), pois não há tRNA correspondentes a esses codões. O último tRNA liberta-se do ribossoma, separando-se as suas subunidades (que podem depois ser reutilizadas), e a proteína é libertada, adquirindo a sua estrutura tridimensional.
  37. 37. : A tradução pode ocorrer ao nível do citoplasma ou no Retículo Endoplasmático Rugoso (RER).
  38. 38. • No decurso do processo da síntese proteíca algumas fases são amplificadas: – Várias moléculas de mRNA formadas a partir de um mesmo gene (transcrição); – Várias proteínas sintetizadas a partir da mesma molécula de mRNA (tradução).
  39. 39. É de notar que a mesma molécula de mRNA pode ser traduzida em simultâneo por vários ribossoma, formando um polirribossoma ou polissoma havendo assim a formação de várias proteínas iguais.
  40. 40.  Os polirribossomas são abundantes nas células que necessitam de sintetizar elevadas quantidade de proteínas.  Representam uma economia de recursos e energia para a célula, dado que uma molécula de mRNA pode ser utilizada para formar um elevado número de proteinas iguais.
  41. 41. Características da síntese proteica Complexidade - intervenção de vários agentes. Rapidez – proteínas complexas produzida em apenas alguns minutos. Amplificação – transcrição repetida da mesma zona de DNA (várias moleculas de mRNA produzidas a partir do mesmo gene) e tradução repetida do mesmo RNAm (formação de várias cadeias polipeptídicas a partir do mesmo mRNA).
  42. 42. Nuno Correia 2011/12
  43. 43. • Após a síntese nem todas as proteínas apresentam atividade biológica, tendo por isso de sofrer algumas alterações – alterações pós- traducionais. • As proteínas resultantes da síntese proteica pode ser transportada para outros locais da célula (organitos por exemplo) ou ser secretada para o meio extracelular. Neste caso as proteínas são posteriormente encaminhadas para o complexo de Golgi.
  44. 44. • Função estrutural – proteínas fazem parte de todos os constituintes celulares (membranas, cromossomas, etc).Outros ex: Colagénio da pele; queratina das unhas, pelos ,garras. • Função enzimática–atuam como enzimas, acelerando as reações químicas. • Função de transporte micromoléculas e iões transportados por proteínas. Ex. hemoglobina transporta O2. • Função de reserva alimentar–proteínas fornecem aminoácidos ao organismo durante o seu desenvolvimento, bem como energia (ex. albumina do ovo). • Função imunológica(defesa)–anticorpos neutralizam substâncias estranhas. • Função motora–componentes dos músculos. • Função hormonal certas hormonas têm constituição proteica (insulina, adrenalina,…)

×