Se ha denunciado esta presentación.
Utilizamos tu perfil de LinkedIn y tus datos de actividad para personalizar los anuncios y mostrarte publicidad más relevante. Puedes cambiar tus preferencias de publicidad en cualquier momento.
COLÉGIO EVOLUÇÃO

BIOSSEGURANÇA NAS AÇÕES
DE SAÚDE

CURSO: TÉCNICO DE ENFERMAGEM
Prof.: Wheverton Teixeira
BIOSSEGURANÇA
“É uma condição de segurança alcançada
por um conjunto de ações destinadas a prevenir,
controlar, reduzir ou...
EDUCAÇÃO AMBIENTAL
Visão - Educação ambiental:
Preocupação com a preservação do Meio
Ambiente, através da educação buscand...
SAÚDE X MEIO AMBIENTE


A "Organização Mundial de Saúde" (OMS) define a
saúde como "um estado de completo bem-estar
físic...
MANUSEIO E SEPARAÇÃO DOS RESÍDUOS DOS
SERVIÇOS DE SAÚDE
Definição: Todo produto resultantes das atividades
nos serviços de...
PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DE
SERVIÇOS DE SAÚDE (PGRSS)
É o projeto que descreve as ações relativas ao manejo
dos ...
CONCEITOS BÁSICOS
Aterramento;
 Vala séptica;
 Incineração;
 Reciclagem;

CLASSIFICAÇÃO

Segundo a ABNT, os resíduos são divididos
em três classes de acordo com o potencial de
risco ao trabalhador...
CLASSIFICAÇÃO
A RDC ANVISA no 306/04 e a Resolução CONAMA
no 358/05 classificam os RSS segundo grupos
distintos de risco q...
NOÇÕES DE MICROBIOLOGIA

“Microbiologia,
É o ramo da ciência que estuda os
microrganismos , como bactérias, fungos.”
RELAÇÃO ENTRE OS SERES VIVOS


Os seres vivos não vivem de forma isolada, mas se
inter-relacionam com o ambiente. Eles es...
RELAÇÕES HARMÔNICAS


Comensalismo: Uma das espécies
vantagem, mas a outra é neutra.

mantém



Mutualismo: espécies se ...
RELAÇÕES DESARMÔNICAS



Predação: Nesse tipo de relação desarmônica a
espécie maior destrói a outra para se alimentar.

...
PRINCIPAIS CONCEITOS
Contaminação: penetração de microorganismos
numa determinada superfície.
 Infecção:
é a penetração, ...
FATORES QUE SE DESTACAM NA PRODUÇÃO
DE DOENÇA


1.

2.
3.

Para que haja doença, três fatores determinantes
no adoeciment...
BARREIRAS DE PROTEÇÃO
1.
2.
3.

Pele
Mucosas
Pêlos

Vários fatores podem comprometer o organismo na
defesa contra esses mi...
TIPOS DE TRANSMISSÃO DE DOENÇAS
DIRETO: contato direto entre o organismo doente
com o organismo sadio.
 INDIRETO: através...
VIAS DE TRANSMISSÃO
1.
2.
3.
4.
5.

6.
7.
8.

Pele
Ar
Alimentos
Objetos
Relação sexual
Vetores
Sangue
Placenta
VÍRUS
Os vírus são seres muito especiais e diferenciados
por não possuírem estrutura celular, sendo formado
basicamente po...
BACTÉRIAS
Unicelulares;
 Vivem isoladas ou em colônia;
 Estrutura: membrana celular, citoplasma e núcleo.
Podem ser clas...
BACTÉRIAS


Aeróbias: necessitam de oxigênio para viver;



Anaeróbicas: não necessitam de oxigênio;



Facultativas: p...
FUNGOS


São organismos unicelulares ou pluricelulares , são
encontrados
em
variados
ambientes,
preferencialmente em úmid...
INFECÇÃO HOSPITALAR


Infecção Hospitalar, é a infecção adquirida pelo
paciente após sua admissão na unidade hospitalar.
...
PRINCIPAIS INFECÇÕES
Pneumonia associada a ventilação mecânica;
 Infecções do trato urinário.
 Infecções de feridas cirú...
MEDIDAS DE PREVENÇÃO DAS INFECÇÕES
HOSPITALARES
retirar adornos;
 Não sentar no leito do paciente;
 Manter cabelos longo...
PRECAUÇÕES


Precaução padrão: Uso dos Epi’s ( luvas, avental),
Lavagem das mãos e imunização.



Precauções expandidas:...
5 MOMENTOS PARA HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS
1.

Ao entrar na enfermaria/ leito.

2.

Antes de qualquer procedimento.

3.

Após c...
HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS
TÉCNICA DE LAVAGEM SIMPLES DAS MÃOS











1. Abrir a torneira, molhar as mãos e colocar o sabão
líquido (+ / - ...
REPROCESSAMENTO DE MATERIAIS
DEFINIÇÕES:
 Reprocessamento: É o processo que inclui limpeza,
preparo, empacotamento, rotul...
CENTRAL DE MATERIAL
Estrutura:
Expurgo – local destinado a receber materiais
contaminados ou sujo e realizar o processo de...
CLASSIFICAÇÃO DOS ARTIGOS
Os materiais podem ser classificados em:
Artigos críticos: todo material cx, que penetram nos
te...
MEIOS DE DESINFECÇÃO E ESTERILIZAÇÃO
Desinfecção
Físico: água em ebulição e maquinas automáticas
com água quente.
Químicos...
TESTE DE VALIDAÇÃO DO PROCESSO
Biossegurança nas ações de saúde
Biossegurança nas ações de saúde
Biossegurança nas ações de saúde
Biossegurança nas ações de saúde
Biossegurança nas ações de saúde
Biossegurança nas ações de saúde
Biossegurança nas ações de saúde
Próxima SlideShare
Cargando en…5
×

Biossegurança nas ações de saúde

  • Inicia sesión para ver los comentarios

Biossegurança nas ações de saúde

  1. 1. COLÉGIO EVOLUÇÃO BIOSSEGURANÇA NAS AÇÕES DE SAÚDE CURSO: TÉCNICO DE ENFERMAGEM Prof.: Wheverton Teixeira
  2. 2. BIOSSEGURANÇA “É uma condição de segurança alcançada por um conjunto de ações destinadas a prevenir, controlar, reduzir ou eliminar riscos inerentes às atividades que possam comprometer a saúde humana, animal e o meio ambiente.” (ANVISA, 2002)
  3. 3. EDUCAÇÃO AMBIENTAL Visão - Educação ambiental: Preocupação com a preservação do Meio Ambiente, através da educação buscando conscientizar a população através de algumas medidas como: tratamento da água, coleta e destino correto do lixo, reflorestamento, entre outros.  História do Brasil Com a chegada dos portugueses, trouxe também a exploração de nossas terras, como a exploração do pau-brasil, e os grandes desmatamentos da mata atlântica. 
  4. 4. SAÚDE X MEIO AMBIENTE  A "Organização Mundial de Saúde" (OMS) define a saúde como "um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não somente ausência de afecções e enfermidades". Problemas ambientais e suas implicações a Saúde: Exemplos: Contaminação do Ar > N° infecções respiratórias. Enchentes > n° casos leptospirose  Qualidade de vida. 
  5. 5. MANUSEIO E SEPARAÇÃO DOS RESÍDUOS DOS SERVIÇOS DE SAÚDE Definição: Todo produto resultantes das atividades nos serviços de saúde, que não apresentem mais utilidades.  Preocupação: Diversos microrganismos patogênicos, que podem trazer risco a saúde se não tratado corretamente.  Resolução N° 5- Ministério do Meio Ambiente – Conselho Nacional do Meio Ambiente/ CONAMAArt. 4, define: “caberá aos estabelecimentos de serviço de saúde o gerenciamento de resíduos sólidos, desde a geração até a disposição final, de forma que atender os requisitos ambientais e de saúde pública” 
  6. 6. PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE (PGRSS) É o projeto que descreve as ações relativas ao manejo dos resíduos sólidos, observadas suas características e riscos, no âmbito dos estabelecimentos, contemplando os aspectos referentes à geração, segregação, acondicionamento, coleta, armazenamento, transporte, tratamento e disposição final, bem como as ações de proteção à saúde e ao meio ambiente. O PGRSS deve obedecer a critérios técnicos, legislações sanitárias e ambientais, normas locais de coleta e transporte dosserviços de limpeza urbana, especialmente os relativos aos resíduos gerados nos serviços de saúde.
  7. 7. CONCEITOS BÁSICOS Aterramento;  Vala séptica;  Incineração;  Reciclagem; 
  8. 8. CLASSIFICAÇÃO Segundo a ABNT, os resíduos são divididos em três classes de acordo com o potencial de risco ao trabalhador, à saúde pública e ao meio ambiente. Classe A – Infectante  Classe B – Especial  Classe C – Comum 
  9. 9. CLASSIFICAÇÃO A RDC ANVISA no 306/04 e a Resolução CONAMA no 358/05 classificam os RSS segundo grupos distintos de risco que exigem formas de manejo específicas. Os grupos são:  O grupo A - resíduos com a possível presença de agentes biológicos que, por suas características, podem apresentar risco de infecção;  O grupo B - resíduos químicos;  O grupo C - rejeitos radioativos;  O grupo D - resíduos comuns;  O grupo E - materiais perfurocortantes.
  10. 10. NOÇÕES DE MICROBIOLOGIA “Microbiologia, É o ramo da ciência que estuda os microrganismos , como bactérias, fungos.”
  11. 11. RELAÇÃO ENTRE OS SERES VIVOS  Os seres vivos não vivem de forma isolada, mas se inter-relacionam com o ambiente. Eles estão em permanente busca para manter a própria vida, reproduzir e desenvolver. Esta conivência pode ser pacifica, ou não.  Microrganismos patogênicos e não patogênicos.  Agente/ Hospedeiro
  12. 12. RELAÇÕES HARMÔNICAS  Comensalismo: Uma das espécies vantagem, mas a outra é neutra. mantém  Mutualismo: espécies se associam para viver de forma mais intima e ambas são beneficiadas.  Simbiose: associam se e se tornam incapazes de viver isoladamente.
  13. 13. RELAÇÕES DESARMÔNICAS  Predação: Nesse tipo de relação desarmônica a espécie maior destrói a outra para se alimentar.  Parasitismo: as espécies diferentes convivem, mantendo uma dependência que causa prejuízo para o hospedeiro.
  14. 14. PRINCIPAIS CONCEITOS Contaminação: penetração de microorganismos numa determinada superfície.  Infecção: é a penetração, desenvolvimento, proliferação e ação maligna de um microrganismo patogênico dentro do organismo.  Inflamação: reação de defesa.  Virulência: é a maior, ou menor facilidade que o microorganismo tem de provocar doença. 
  15. 15. FATORES QUE SE DESTACAM NA PRODUÇÃO DE DOENÇA  1. 2. 3. Para que haja doença, três fatores determinantes no adoecimento do hospedeiro ou não: A quantidade de invasores; Seus fatores de Virulência Resistência do hospedeiro
  16. 16. BARREIRAS DE PROTEÇÃO 1. 2. 3. Pele Mucosas Pêlos Vários fatores podem comprometer o organismo na defesa contra esses microorganismos, como: idade, raça, etilismo, tabagismo, estresse, comorbidades, entre outros.
  17. 17. TIPOS DE TRANSMISSÃO DE DOENÇAS DIRETO: contato direto entre o organismo doente com o organismo sadio.  INDIRETO: através de objetos usados pelo individuo sadio, após a utilização pelo individuo doente.  ESPECÍFICO: através de vetores. 
  18. 18. VIAS DE TRANSMISSÃO 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. Pele Ar Alimentos Objetos Relação sexual Vetores Sangue Placenta
  19. 19. VÍRUS Os vírus são seres muito especiais e diferenciados por não possuírem estrutura celular, sendo formado basicamente por proteínas e ácidos nucleicos (DNA – RNA). Possuem grande capacidades de sofrer mutações.  Todos os vírus são PARASITAS, isto é, só conseguem se desenvolver dentro de um organismo vivo, seja animal, vegetal ou bactéria.  Principais doenças causadas por vírus: Aids, Raiva, Poliomielite, Dengue, Hepatites, sarampo, rubéola, varicela, herpes. 
  20. 20. BACTÉRIAS Unicelulares;  Vivem isoladas ou em colônia;  Estrutura: membrana celular, citoplasma e núcleo. Podem ser classificadas :  Cocos  Diplocos  Estafilococos  Bacilos  Vibriões  Espirilos 
  21. 21. BACTÉRIAS  Aeróbias: necessitam de oxigênio para viver;  Anaeróbicas: não necessitam de oxigênio;  Facultativas: podem viver em ambientes com oi sem oxigênio. Exemplo de doenças causadas por bactérias: Tétano, Sífilis, cólera, pneumonias bacterianas. 
  22. 22. FUNGOS  São organismos unicelulares ou pluricelulares , são encontrados em variados ambientes, preferencialmente em úmidos e cheios de matéria orgânica. Geralmente atuam como decompositores, podem atacar qualquer material orgânico disponível. Sobretudo em ambientes úmidos.  Micoses.
  23. 23. INFECÇÃO HOSPITALAR  Infecção Hospitalar, é a infecção adquirida pelo paciente após sua admissão na unidade hospitalar. Ela pode se manifestar durante a internação ou após a alta.  Histórico;  Causas: Fatores predisponentes: Intrínsecos & Extrínsecos.
  24. 24. PRINCIPAIS INFECÇÕES Pneumonia associada a ventilação mecânica;  Infecções do trato urinário.  Infecções de feridas cirúrgicas.  Infecções do SNC 
  25. 25. MEDIDAS DE PREVENÇÃO DAS INFECÇÕES HOSPITALARES retirar adornos;  Não sentar no leito do paciente;  Manter cabelos longos presos;  Uso avental;  LAVAR SEMPRE AS MÃOS 
  26. 26. PRECAUÇÕES  Precaução padrão: Uso dos Epi’s ( luvas, avental), Lavagem das mãos e imunização.  Precauções expandidas: Contato. Gotículas. Aerossóis. - -
  27. 27. 5 MOMENTOS PARA HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS 1. Ao entrar na enfermaria/ leito. 2. Antes de qualquer procedimento. 3. Após contato ou procedimentos com fluidos corporais. 4. Contato com mobilias. 5. Ao sair da enfermaria/ leito.
  28. 28. HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS
  29. 29. TÉCNICA DE LAVAGEM SIMPLES DAS MÃOS       1. Abrir a torneira, molhar as mãos e colocar o sabão líquido (+ / - 2 ml); 2. Ensaboar e friccionar as mãos durante 30 a 60 segundos, em todas as suas faces, espaços interdigitais, articulações, unhas e pontas dos dedos. 3. É importante estabelecer uma seqüência a ser seguida sempre, assim a lavagem das mãos ocorre automaticamente; 4. Enxaguar as mãos retirando toda a espuma e resíduos de sabão; 5. Enxugar as mãos com papel toalha; 6. Fechar a torneira com o papel toalha ou cotovelo, evitando assim recontaminar as mãos.
  30. 30. REPROCESSAMENTO DE MATERIAIS DEFINIÇÕES:  Reprocessamento: É o processo que inclui limpeza, preparo, empacotamento, rotulagem, desinfecção ou esterilização e controle de qualidade.  Esterilização: É o processo de destruição completa de todas as formas de vida microbiana, inclusiva a forma esporulada, mediante a aplicação de agentes físicos e químicos.  Desinfecção: é o processo que elimina os microrganismos de forma vegetativa. Neste processo os esporos não são eliminados.  Limpeza: remoção de sujidades.
  31. 31. CENTRAL DE MATERIAL Estrutura: Expurgo – local destinado a receber materiais contaminados ou sujo e realizar o processo de descontaminação e realizar procedimentos de descontaminação prévia ( lavagem, secagem).  Preparo – local a preparar o material a ser esterilizado.  Esterilização.  Armazenamento. 
  32. 32. CLASSIFICAÇÃO DOS ARTIGOS Os materiais podem ser classificados em: Artigos críticos: todo material cx, que penetram nos tecidos subepiteliais, sistema vascular e em outros órgãos.  Artigos Semicríticos: todo material que tenha contato com a mucosa integra.  Artigos Não – críticos: todo material que entra em contato com a pele integra e os que não entram em contato com o paciente. 
  33. 33. MEIOS DE DESINFECÇÃO E ESTERILIZAÇÃO Desinfecção Físico: água em ebulição e maquinas automáticas com água quente. Químicos: Líquidos com ação germicida.  Esterilização: Físico: calor úmido sob pressão, calor seco e radiação. Químico: gazes e líquidos. 
  34. 34. TESTE DE VALIDAÇÃO DO PROCESSO

×