Se ha denunciado esta presentación.
Se está descargando tu SlideShare. ×

Alinhamento Postural.ppt

Anuncio
Anuncio
Anuncio
Anuncio
Anuncio
Anuncio
Anuncio
Anuncio
Anuncio
Anuncio
Anuncio
Anuncio
Próximo SlideShare
Postura
Postura
Cargando en…3
×

Eche un vistazo a continuación

1 de 56 Anuncio
Anuncio

Más Contenido Relacionado

Similares a Alinhamento Postural.ppt (20)

Más reciente (20)

Anuncio

Alinhamento Postural.ppt

  1. 1. smaj@usp.br Alinhamento Postural Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional Profa. Dra. Sílvia Maria Amado João
  2. 2. smaj@usp.br 1. Desenvolvimento Postural  Vantagens e desvantagens da postura ereta;  Curvas primárias da coluna vertebral;  Curvas secundárias da coluna vertebral;  Alterações posturais com a idade.
  3. 3. smaj@usp.br
  4. 4. smaj@usp.br
  5. 5. smaj@usp.br 2. Definição de Postura  “Postura é uma composto das posições das diferentes articulações do corpo num dado momento”. “Postura correta é a posição na qual um mínimo de estresse é aplicado em cada articulação” (Magee, 2002).  “A postura correta consiste no alinhamento do corpo com eficiências fisiológica e biomecânicas máximas, o que minimiza os estresses e as sobrecargas sofridas ao sistema de apoio pelos efeitos da gravidade” (Palmer & Apler, 2000).
  6. 6. smaj@usp.br 3. Postura Padrão  A “Postura Padrão” refere-se a uma postura “ideal” ao invés de uma postura média;  O alinhamento esquelético ideal utilizado como padrão é consiste com princípios científicos válidos, envolve uma quantidade mínima de esforço e sobrecarga, e conduz à eficiência máxima do corpo.
  7. 7. smaj@usp.br Avaliação Fisioterapêutica e Postura Amado-João, SM.Métodos de Avaliação Clínica e Funcional em Fisioterapia, 2006
  8. 8. smaj@usp.br 4. Análise da Postura  Envolve a identificação e a localização dos segmentos corpóreos relativos a linha de gravidade;  A avaliação postural deve determinar se um segmento corporal ou articulação desvia-se de um alinhamento postural ideal.
  9. 9. smaj@usp.br
  10. 10. smaj@usp.br Postura Padrão  Alinhamento esquelético ideal envolve uma quantidade mínima de esforço e sobrecarga, e conduz à eficiência máxima do corpo.  Linha de gravidade: intersecção dos planos médios sagital e frontal do corpo.  Fio de prumo: linha vertical- padrão para medir desvios.  Ponto fixo da postura em pé: base onde os pés estão em contato com o solo. (Kendall et al., 1995)
  11. 11. smaj@usp.br Avaliação Postural Qualitativa  Método Clássico: análise visual (observação) (Kendall et al., 1995; Watson e MacDonncha, 2000);  Postura Natural (Fedorak et al., 2003)
  12. 12. smaj@usp.br 4.1 Vista Lateral: Alinhamento ideal  Na vista lateral, a linha de referência vertical, divide o corpo em secções anterior e posterior de igual peso;  Na vista lateral, o ponto de referência fixo é levemente anterior ao maléolo externo e representa o ponto básico do plano médio-coronal do corpo em alinhamento ideal. (Kendall et al., 1995)
  13. 13. smaj@usp.br 4.2 Vista Posterior: Alinhamento ideal  Na vista posterior, a linha de referência vertical, divide o corpo em secções direita e esquerda;  Na vista posterior, o ponto fica a meio caminho entre os calcanhares e representa o ponto básico do plano médio sagital do corpo em alinhamento ideal.
  14. 14. smaj@usp.br 4.3 Vista Anterior: Alinhamento ideal  Na vista anterior, a linha de referência vertical, divide o corpo em secções direita e esquerda;  Na vista anterior, o ponto fica a meio caminho entre os calcanhares e representa o ponto básico do plano médio sagital do corpo em alinhamento ideal.
  15. 15. smaj@usp.br 4.4 Alinhamento Postural  Articulação do tornozelo: está na posição neutra, entre a dorsiflexão e a flexão plantar. A linha de gravidade cai levemente anterior ao maléolo lateral e anterior ao eixo da articulação do tornozelo.  Pés: os calcanhares estão separados cerca de 7,5 cm e a parte posterior de cada pé está abduzida cerca de 8 a 10 graus da linha mediana.  Articulação do joelho: está em extensão e a linha da gravidade passa anterior à linha média do joelho e posterior à patela.
  16. 16. smaj@usp.br 4.4 Alinhamento Postural  Posição neutra da pelve: as EIAS ficam no mesmo plano horizontal, existe uma curvatura anterior normal na coluna lombar.  Articulação do quadril: o quadril está em posição neutra a linha gravitacional passa através do trocânter maior e posterior ao eixo da articulação do quadril.
  17. 17. smaj@usp.br 4.4 Alinhamento Postural  Coluna vertebral: quando as curvas vertebrais estão em ótimo alinhamento, a linha de gravidade passa através da linha média do tronco. A linha de gravidade passa posterior ao eixo de rotação das vértebras cervicais e lombares, anterior às vértebras torácicas e através do corpo da quinta vértebra lombar.
  18. 18. smaj@usp.br 4.4 Alinhamento Postural  Articulação do ombro e cintura escapular: a linha de referência ideal lateral passa a meio da articulação as escápulas ficam planas contra a coluna torácica.  Cabeça: a linha de gravidade da cabeça passa através do meato auditivo externo, posterior à sutura coronal e através do processo odontóide.
  19. 19. smaj@usp.br 5. Avaliação Postural  Abordagem organizada e sistemática;  O paciente deve sentir-se à vontade e evitar rigidez e posições não-naturais;  Deve ser visualizado o equilíbrio global do corpo;  O fio de prumo situa-se no ponto ântero-posterior anterior ao maléolo lateral e, para os desvios laterais, entre os calcanhares.  É importante verificar as alterações de tempos em tempos para certificar-se dos dados, se a posição não mudou, porque o paciente pode "corrigir" sua alteração momentaneamente.
  20. 20. smaj@usp.br
  21. 21. smaj@usp.br 5. Avaliação Postural 5.1 Vista Lateral 1) Articulações dos tornozelos: Ângulo tíbio-társico ( ) Preservado; ( ) Aumentado D / E; ( ) Diminuído D / E. 2) Articulações dos joelhos: ( ) Alinhados; ( ) Fletidos D / E; ( ) Hiperestendidos D / E.
  22. 22. smaj@usp.br 5. Avaliação Postural 3) Articulações dos quadris: ( ) Alinhada; ( ) Fletida D / E; ( ) Estendida D / E. 4) Pelve: ( ) Alinhada; ( ) Com anteversão; ( ) Com antepulsão; ( ) Com retroversão; ( ) Com retropulsão.
  23. 23. smaj@usp.br
  24. 24. smaj@usp.br
  25. 25. smaj@usp.br
  26. 26. smaj@usp.br 5. Avaliação Postural 5) Alinhamento do Tronco: ( ) Alinhado; ( ) Rotação de cintura escapular D / E ; ( ) Rotação de cintura pélvica D / E; ( ) Rotação de cintura escapular e pélvica D / E. 6) Coluna Lombar: ( ) Curvatura normal; ( ) Aumento da lordose; ( ) Retificação da lordose; ( ) Aumento da lordose toráco-lombar.
  27. 27. smaj@usp.br 5. Avaliação Postural 7) Coluna Torácica: ( ) Curvatura normal; ( ) Aumento da cifose; ( ) Retificação da cifose. 8) Articulação do cotovelo: ( ) Alinhada; ( ) Aumento da flexão D / E ; ( ) Com hiperextensão D / E.
  28. 28. smaj@usp.br 5. Avaliação Postural  9) Articulações dos ombros: ( ) Alinhados; ( ) Com protração D / E; ( ) Com retração D /E; ( ) Com rotação medial D / E; ( ) Com rotação lateral D / E.  10) Coluna Cervical: ( ) Curvatura normal; ( ) Aumento da lordose; ( ) Retificação da lordose.
  29. 29. smaj@usp.br
  30. 30. smaj@usp.br 5. Avaliação Postural 11) Cabeça: ( ) Alinhada; ( ) Com protração; ( ) Com retração.
  31. 31. smaj@usp.br 5. Avaliação Postural 5.2 Vista Posterior 1) Articulações dos tornozelos: ( ) Alinhadas; ( ) Com varo D / E; ( ) Com valgo D / E. 2) Retropé: (Tendão de Aquiles) ( ) Alinhado; ( ) Desalinhado.
  32. 32. smaj@usp.br 5. Avaliação Postural 3) Apoio do retropé: ( ) Apoio homogêneo no bordo medial e lateral; ( ) Maior apoio em bordo medial D / E; ( ) Maior apoio em bordo lateral D / E. 4) Articulações dos joelhos: ( ) Alinhadas; ( ) Com valgo D / E; ( ) Com varo D / E.
  33. 33. smaj@usp.br 5. Avaliação Postural 5) Espinhas ilíacas póstero-superiores (EIPS): ( ) Alinhadas; ( ) Desalinhadas mais alta D / E; 6) Altura das cristas ilíacas: ( ) Alinhadas; ( ) Desalinhadas mais alta D / E. 7) Coluna Lombar: ( ) Alinhada; ( ) Convexidade D / E.
  34. 34. smaj@usp.br 5. Avaliação Postural 8) Coluna Torácica: ( ) Alinhada; ( ) Convexidade D / E. 9) Ângulos inferiores da escápula: ( ) Alinhados; ( ) Desalinhados mais alto D / E. 10) Posição das escápulas: ( ) Alinhadas; ( ) Alada (s) D / E; ( ) Abduzida D / E; ( ) Aduzida D / E.
  35. 35. smaj@usp.br 5. Avaliação Postural 11) Distância entre bordo medial da escápula e coluna vertebral: ( ) Simétrica; ( ) Assimétrica (D: .......cm e E: .......cm). 12) Triângulo de Tales: ( ) Simétrico; ( ) Maior D / E; 13) Articulações dos ombros: ( ) Alinhados; ( ) Ombro mais alto D / E ;
  36. 36. smaj@usp.br 5. Avaliação Postural 14) Coluna Cervical: ( ) Alinhada; ( ) Convexidade D / E. 15) Cabeça: ( ) Alinhada; ( ) Inclinação lateral D / E; ( ) Rotação D / E;
  37. 37. smaj@usp.br 5. Avaliação Postural 5.3 Vista Anterior: 1) Hálux: ( ) Alinhado; ( ) Valgo D / E; 2) Antepé: ( ) Alinhado; ( ) Abduzido D / E, ( ) Aduzido D / E.
  38. 38. smaj@usp.br 5. Avaliação Postural 3) Arco longitudinal medial: ( ) Normal D / E; ( ) Plano D / E; ( ) Cavo D / E. 4. Apoio do antepé: ( ) Apoio homogêneo no bordo medial e lateral; ( ) Maior apoio em bordo medial D / E; ( ) Maior apoio em bordo lateral D / E.
  39. 39. smaj@usp.br 5. Avaliação Postural 5) Articulações dos joelhos: ( ) Alinhada; ( ) Valgo D / E - Distância entre maléolos internos:...............cm; ( ) Varo D / E - Distância entre côndilos internos:.................cm; 6) Patelas: ( ) Alinhadas; ( ) Patela mais alta D / E; ( ) Patela rodada lateralmente ( rotação lateral do fêmur); ( ) Patela rodada medialmente ( rotação medial do fêmur).
  40. 40. smaj@usp.br 5. Avaliação Postural 7) Espinhas ilíacas ântero-superiores (EIAS): ( ) Alinhadas; ( ) Desalinhadas mais alta D / E; 8) Alturas das cristas ilíacas: ( ) Alinhadas; ( ) Desalinhadas mais alta D / E; 9) Alinhamento do Tronco: ( ) Alinhado; ( ) Rotação de cintura escapular D / E ; ( ) Rotação de cintura pélvica D / E; ( ) Rotação de cintura escapular e pélvica D / E. ( ) Inclinação lateral D / E.
  41. 41. smaj@usp.br 5. Avaliação Postural 10) Tórax: ( ) Simétrico; ( ) Assimétrico. 11) Articulações dos ombros: ( ) Alinhados; ( ) Ombro mais alto D / E ; ( ) Rotação medial D / E; ( ) Rotação lateral D / E. 12) Cotovelos: ( ) Alinhados; ( ) Aumento da flexão D / E; ( ) Hiperextensão D / E.
  42. 42. smaj@usp.br 5. Avaliação Postural 13) Clavículas: ( ) Simétricas; ( ) Clavícula mais horizontalizada D/E; ( ) Clavícula mais verticalizada D/E. 14) Fossas Supraclaviculares: ( ) Simétricas; ( ) Assimétricas - aumentada D / E; 15) Cabeça: ( ) Alinhada; ( ) Inclinação lateral D / E; ( ) Rotação D / E.
  43. 43. smaj@usp.br 5. Avaliação Postural 5. 4 Flexão de Tronco: Teste de Flexibilidade: Schober e Stibor / 3° dedo ao chão.  Mensuração do comprimento de membros Inferiores.
  44. 44. smaj@usp.br  As práticas e condutas tradicionais estão sendo desafiadas com a demanda de tratamento baseado em evidências e a proporção entre custo-benefício.  As informações subjetivas são provindas da observação incluindo julgamento pelo examinador e as medidas fornecem os dados objetivos. Avaliação Postural Quantitativa
  45. 45. smaj@usp.br Avaliação Postural Quantitativa Instrumentos Flexicurva Outros Exames de Topografia de Tronco Fotogrametria Topografia de Moiré Escoliômetro Radiografia
  46. 46. smaj@usp.br Avaliação Postural Quantitativa Instrumentos  Ângulo de Cobb (padrão para mensuração da escoliose);  Rotação Vertebral ( Método de Nash e Moe- rotação do pedículo); Clinical Radiology (2002) 57:543-562
  47. 47. smaj@usp.br Avaliação Postural Quantitativa Fotogrametria - Definição  Fotogrametria digital: medidas lineares e ângulares (Watson, 1998)  De acordo com a American Society for Photogrammetry and Remote Sensing (ASPRS, 2006), a fotogrametria é a arte, ciência e tecnologia de obtenção de informação confiável sobre objetos físicos e o meio ambiente por meio de processos de gravação, medição e interpretação de imagens fotográficas e padrões de energia eletromagnética e outras fontes.
  48. 48. smaj@usp.br Avaliação Postural Quantitativa Fotogrametria- Metodologia  Controle de reprodutibilidade e repetibilidade da avaliação  Uso do nível de bolha para posicionamento do simetrógrafo, base de madeira e tripé;  Calibração da foto  Ambiente: Controle de temperatura, barulho e distrações. Penha et al. Spinal postural alignment variance according to sex and age in 7- and 8-year-old children. Journal of Manipulative and Physiological Therapeutics, 32 (2): 154-159, 2009.
  49. 49. smaj@usp.br Penha et al. Spinal postural alignment variance according to sex and age in 7- and 8-year-old children. Journal of Manipulative and Physiological Therapeutics, 32 (2): 154-159, 2009.
  50. 50. smaj@usp.br 6. Fatores anatômicos que afetam a Postura Correta  Contornos ósseos;  Frouxidão das estruturas ligamentares;  Encurtamentos de fáscias e músculotendinosos;  Tônus muscular;  Posição e mobilidade articular;  Aferência e eferência sensorial.
  51. 51. smaj@usp.br 7. Principais causas de uma postura incorreta  Traumatismo;  Patologias que limitam a perda funcional da força muscular e a mobilidade;  Hábitos de postura viciosa;  Fraqueza muscular;  Atitude Mental;  Hereditariedade;  Indumentária Inadequada
  52. 52. smaj@usp.br 8. Alterações Posturais / Desvios do Alinhamento Ideal  Hiperlordose / Retificação da Lordose;  Aumento da Cifose Torácica / Retificação da Cifose;  Escoliose.
  53. 53. smaj@usp.br
  54. 54. smaj@usp.br
  55. 55. smaj@usp.br 8.1 Escoliose  Definição : É um desvio lateral da coluna, uma curva que se desenvolve no espaço, causada por movimento de torção generalizada de toda a coluna vertebral, sendo um desvio tridimensional nos planos horizontal, vertical e sagital.
  56. 56. smaj@usp.br Referências Bibliográficas- Leitura Obrigatória 1) Magee D J. Avaliação Postural In: Magee DJ. Disfunção Musculoesquelética. 3ª edição, São Paulo: Manole:, 2002, p.105-157. 2) Kendall FP; McCreary EK; Provance PG. Postura: alinhamento e equilíbrio muscular. In: Kendall FP; McCreary EK; Provance PG. Músculos Provas e Funções. 4ªedição, São Paulo: Manole,1995, p.69-118. 3) Kendall FP; McCreary EK; Provance PG. Escoliose. In: Kendall FP; McCreary EK; Provance PG. Músculos Provas e Funções. 4ªedição, São Paulo: Manole,1995, p.121-129.

×