Se ha denunciado esta presentación.
Utilizamos tu perfil de LinkedIn y tus datos de actividad para personalizar los anuncios y mostrarte publicidad más relevante. Puedes cambiar tus preferencias de publicidad en cualquier momento.

01 apostila passo a passo refugiados

COMPETÊNCIAS DO ENEM

  • Sé el primero en comentar

  • Sé el primero en recomendar esto

01 apostila passo a passo refugiados

  1. 1. 1.1 Competência 1 Demonstrar domínio da modalidade escrita formal da Língua Portuguesa 1.2 Competência 2 Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo em prosa 1.3 Competência 3 Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista 1.4 Competência 4 Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação 1.5 Competência 5 Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos 2017 Allencar Rodriguez
  2. 2. REDAÇÃO COMPLETA O que está explícito na guerra Síria não pode ser agravado com ideias preconceituosas. Campos de concentração é um mal do passado que não pode ser revivido com cercas e muros. Pontes de acolhimentos devem ser construídas no lugar de guardas de fronteira. Então, a questão dos refugiados deve ser vista como uma realidade cruel, vergonhosa e chocante (op) que encontram no seu destino problemas iguais ao preconceito, rejeição e a barreira linguística (pb) cuja consequência é o não atendimento de seu pedido de asilo político (co), então essa situação precisa ser combatida com urgência (so). Isso, com intervenção social no combate ao efeito e intervenção de cunho político no combate à causa, isto é, na origem do problema. Acolher e dar o benefício de dupla cidadania ao refugiado dever ser política prioritária de países membros da ONU incluindo o Brasil, visto que naturalizar e legalizar esses indivíduos evitará sua marginalização. Diante disso, o mercado de trabalho estará apto a empregar esses refugiados. Consequentemente, com a melhoria de seu padrão de vida fomentará a iniciativa para investimento em estudos, saúde e moradia. Por outro lado, haverá a saudável miscigenação entre culturas, processo que enriquece a identidade de um país. Estatísticas demonstram que em cinco anos o Brasil concedeu para mais de 40.000 haitianos autorização de permanência chamada “visto humanitário” lhes dando uma nova oportunidade de vida. Concomitantemente a essa intervenção, uma ação de cunho político no combate à causa se faz necessário. É fundamental que o Brasil junto à ONU crie ações de recuperação da governabilidade e sustentabilidade social, uma vez que essa intervenção promoverá a reestruturação da infraestrutura do país e o seu equilíbrio social. Essa ação, controlará os conflitos internos mediante o diálogo e forças de apoio que sustentem ações políticas. Nesse contexto, grupos armados deixarão de combater depondo suas armas. O resultado será o fim do êxodo de sua população e suas graves consequências. Exemplo disso, são as forças militares brasileiras em Missão de Paz das Nações Unidas que promoveu a estabilização do Haiti e restaurou a ordem civil. Em suma, a tese de que a questão dos refugiados é chocante que gera preconceito e rejeição e que precisa ser combatida com urgência no contexto de seu efeito e causa está comprovada. E, as intervenções de acolher o refugiado lhes dando cidadania e ações de recuperação da governabilidade e sustentabilidade social do país de sua origem formam um conjunto de soluções para a crise dos refugiados. Desta forma, o mundo estará livre das tenebrosas sombras do passado quando milhões de judeus sofreram com o êxodo, com a discriminação e o Holocausto.
  3. 3. POSICIONAMENTO DAS COMPETÊNCIAS O que está explícito na guerra Síria não pode ser agravado com ideias preconceituosas. Campos de concentração é um mal do passado que não pode ser revivido com cercas e muros. Pontes de acolhimentos devem ser construídas no lugar de guardas de fronteira. Então, a questão dos refugiados deve ser vista como uma realidade cruel, vergonhosa e chocante (op) que encontram no seu destino problemas iguais ao preconceito, rejeição e a barreira linguística (pb) cuja consequência é o não atendimento de seu pedido de asilo político (co), então essa situação precisa ser combatida com urgência (so). Isso, com intervenção social no combate ao efeito e intervenção de cunho político no combate à causa, isto é, na origem do problema. Acolher e dar o benefício de dupla cidadania ao refugiado dever ser política prioritária de países membros da ONU incluindo o Brasil, visto que naturalizar e legalizar esses indivíduos evitará sua marginalização. Estatísticas demonstram que em cinco anos o Brasil concedeu para mais de 40.000 haitianos autorização de permanência chamada “visto humanitário” lhes dando uma nova oportunidade de vida. Diante disso, o mercado de trabalho estará apto a empregar esses refugiados. Consequentemente, com a melhoria de seu padrão de vida fomentará a iniciativa para investimento em estudos, saúde e moradia. Por outro lado, haverá a saudável miscigenação entre culturas, processo que enriquece a identidade de um país. Concomitantemente a essa intervenção, uma ação de cunho político no combate à causa se faz necessário. É fundamental que o Brasil junto à ONU crie ações de recuperação da governabilidade e sustentabilidade social, uma vez que essa intervenção promoverá a reestruturação da infraestrutura do país e o seu equilíbrio social. Exemplo disso, são as forças militares brasileiras em Missão de Paz das Nações Unidas promoveu a estabilização do Haiti e restaurou a ordem civil. Essa ação, controlará os conflitos internos mediante o diálogo e forças de apoio que sustentem ações políticas. Nesse contexto, grupos armados deixarão de combater depondo suas armas. O resultado será o fim do êxodo de sua população e suas graves consequências. Em suma, a tese de que a questão dos refugiados é chocante que gera preconceito e rejeição e que precisa ser combatida com urgência no contexto de seu efeito e causa está comprovada. E, as intervenções de acolher o refugiado lhes dando cidadania e ações de recuperação da governabilidade e sustentabilidade social do país de sua origem formam um conjunto de soluções para a crise dos refugiados. Desta forma, o mundo estará livre das tenebrosas sombras do passado quando milhões de judeus sofreram com o êxodo, com a discriminação e o Holocausto.
  4. 4. DETALHAMENTO DAS COMPETÊNCIAS O que está explícito na guerra Síria não pode ser agravado com ideias preconceituosas. Campos de concentração é um mal do passado que não pode ser revivido com cercas e muros. Pontes de acolhimentos devem ser construídas no lugar de guardas de fronteira. Então, a questão dos refugiados deve ser vista como uma realidade cruel, vergonhosa e chocante (op) que encontram no seu destino problemas iguais ao preconceito, rejeição e a barreira linguística (pb) cuja consequência é o não atendimento de seu pedido de asilo político (co), então essa situação precisa ser combatida com urgência (so) {{{{APRESENTAÇÃO DA TESE OP PB CO SOAPRESENTAÇÃO DA TESE OP PB CO SOAPRESENTAÇÃO DA TESE OP PB CO SOAPRESENTAÇÃO DA TESE OP PB CO SO}}}}. Isso, com intervenção social no combate ao efeito e intervenção de cunho político no combate à causa, isto é, na origem do problema {{{{APRESENTAÇÃO DASAPRESENTAÇÃO DASAPRESENTAÇÃO DASAPRESENTAÇÃO DAS INTERVENÇÕESINTERVENÇÕESINTERVENÇÕESINTERVENÇÕES XXXX ---- YYYY}}}}. Acolher e dar o benefício de dupla cidadania ao refugiado dever ser política prioritária de países membros da ONU incluindo o Brasil, {{{{COMPETÊNCIACOMPETÊNCIACOMPETÊNCIACOMPETÊNCIA 5555}}}} visto que {{{{COMPETÊNCIACOMPETÊNCIACOMPETÊNCIACOMPETÊNCIA 4444}}}} naturalizar e legalizar esses indivíduos evitará sua marginalização. Estatísticas demonstram que em cinco anos o Brasil concedeu para mais de 40.000 haitianos autorização de permanência chamada “visto humanitário” lhes dando uma nova oportunidade de vida {{{{COMPETÊNCIA 2COMPETÊNCIA 2COMPETÊNCIA 2COMPETÊNCIA 2 –––– ESTRATÉGIAESTRATÉGIAESTRATÉGIAESTRATÉGIA ARGUMENTATIVAARGUMENTATIVAARGUMENTATIVAARGUMENTATIVA}}}}. Diante disso, o mercado de trabalho estará apto a empregar esses refugiados. Consequentemente, com a melhoria de seu padrão de vida fomentará a iniciativa para investimento em estudos, saúde e moradia. Por outro lado, haverá a saudável miscigenação entre culturas, processo que enriquece a identidade de um país. Concomitantemente a essa intervenção, uma ação de cunho político no combate à causa se faz necessário. {{{{EIXO DE COESÃOEIXO DE COESÃOEIXO DE COESÃOEIXO DE COESÃO}}}} É fundamental que o Brasil junto à ONU crie ações de recuperação da governabilidade e sustentabilidade social {{{{COMPETÊNCIACOMPETÊNCIACOMPETÊNCIACOMPETÊNCIA 5555}}}}, uma vez que {{{{COMPETÊNCIACOMPETÊNCIACOMPETÊNCIACOMPETÊNCIA 4444}}}} essa intervenção promoverá a reestruturação da infraestrutura do país e o seu equilíbrio social. Exemplo disso, são as forças militares brasileiras em Missão de Paz das Nações Unidas que promoveu a estabilização do Haiti e restaurou a ordem civil {{{{COMPETÊNCIA 2COMPETÊNCIA 2COMPETÊNCIA 2COMPETÊNCIA 2 –––– ESTRATÉGIA ARGUMENTATIVAESTRATÉGIA ARGUMENTATIVAESTRATÉGIA ARGUMENTATIVAESTRATÉGIA ARGUMENTATIVA}}}}. Essa ação, controlará os conflitos internos mediante o diálogo e forças de apoio que sustentem ações políticas. Nesse contexto, grupos armados deixarão de combater depondo suas armas. O resultado será o fim do êxodo de sua população e suas graves consequências. Em suma, a tese de que a questão dos refugiados é chocante que gera preconceito e rejeição e que precisa ser combatida com urgência no contexto de seu efeito e causa está comprovada. E, as intervenções de acolher o refugiado lhes dando cidadania e ações de recuperação da governabilidade e sustentabilidade social do país de sua origem formam um conjunto de soluções para a crise dos refugiados. Desta forma, o mundo estará livre das tenebrosas sombras do passado quando milhões de judeus sofreram com o êxodo, com a discriminação e o Holocausto.

×