Se ha denunciado esta presentación.
Utilizamos tu perfil de LinkedIn y tus datos de actividad para personalizar los anuncios y mostrarte publicidad más relevante. Puedes cambiar tus preferencias de publicidad en cualquier momento.

Simulado de história do brasil colonial

8.930 visualizaciones

Publicado el

Simulado de História do Brasil Colonial para os alunos do Pré-Vestibular Comunitário Ganga Zumba (com gabarito), Abril 2015.

Publicado en: Educación
  • Sé el primero en comentar

  • Sé el primero en recomendar esto

Simulado de história do brasil colonial

  1. 1. Simulado de História do Brasil Colonial - Ano 2015 - COM GABARITO - Pré-vestibular Comunitário Ganga Zumba Prof: Ricardo Jorge Exercício 1. (UEL-PR) No Brasil colônia, a pecuária teve um papel decisivo na A) ocupação das áreas litorâneas. B) expulsão do assalariado do campo. C) formação e exploração dos minifúndios. D) fixação do escravo na agricultura. E) expansão para o interior. Reposta: E Exercício 2. Os primitivos habitantes do Brasil foram vítimas do processo colonizador. O europeu, com visão de mundo calcada em preconceitos, menosprezou o indígena e sua cultura. A acreditar nos viajantes e missionários, a partir de meados do século XVI, há um decréscimo da população indígena, que se agrava nos séculos seguintes. Os fatores que mais contribuíram para o citado decréscimo foram: A) a captura e a venda do índio para o trabalho nas minas de prata do Potosí. B) as guerras permanentes entre as tribos indígenas e entre índios e brancos. C) o canibalismo, o sentido mítico das práticas rituais, o espírito sanguinário, cruel e vingativo dos naturais. D) as missões jesuíticas do vale amazônico e a exploração do trabalho indígena na extração da borracha. E) as epidemias introduzidas pelo invasor europeu e a escravidão dos índios. Resposta: E Exercício 3. (UFMG) Leia o texto. “A língua de que [os índios] usam, toda pela costa, é uma: ainda que em certos vocábulos difere em algumas partes; mas não de maneira que se deixem de entender. (…) Carece de três letras, convém a saber, não se acha nela F, nem L, nem R, coisa digna de espanto, porque assim não tem Fé, nem Lei, nem Rei, e desta maneira vivem desordenadamente (…)." (GANDAVO, Pero de Magalhães, História da Província de Santa Cruz, 1578.) A partir do texto, pode-se afirmar que todas as alternativas expressam a relação dos portugueses com a cultura indígena, EXCETO: A) A busca de compreensão da cultura indígena era uma preocupação do colonizador. B) A desorganização social dos indígenas se refletia no idioma. C) A diferença cultural entre nativos e colonos era atribuída à inferioridade do indígena. D) A língua dos nativos era caracterizada pela limitação vocabular. Simulado de História do Brasil Colonial - Ano 2015 Página - 1
  2. 2. E) Os signos e símbolos dos nativos da costa marítima eram homogêneos. Resposta: A Exercício 4. (ENEM 2012) (adaptado) Em um engenho sois imitadores de Cristo crucificado porque padeceis em um modo muito semelhante o que o mesmo Senhor padeceu na sua cruz e em toda a sua paixão. A sua cruz foi composta de dois madeiros, e a vossa em um engenho é de três. Também ali não faltaram as canas, porque duas vezes entraram na Paixão: uma vez servindo para o cetro de escárnio, e outra vez para a esponja em que lhe deram o fel. A Paixão de Cristo parte foi de noite sem dormir, parte foi de dia sem descansar, e tais são as vossas noites e os vossos dias. Cristo despido, e vós despidos; Cristo sem comer, e vós famintos; Cristo em tudo maltratado, e vós maltratados em tudo. Os ferros, as prisões, os açoites, as chagas, os nomes afrontosos, de tudo isto se compõe a vossa imitação, que, se for acompanhada de paciência, também terá merecimento de martírio. (VIEIRA, A. Sermões. Tomo XI. Porto: Lello & Irmão, 1951.) O trecho do sermão do Padre Antônio Vieira estabelece uma relação entre a Paixão de Cristo e A) a atividade dos comerciantes de açúcar nos portos brasileiros. B) a função dos mestres de açúcar durante a safra de cana. C) o sofrimento dos jesuítas na conversão dos ameríndios. D) o papel dos senhores na administração dos engenhos. E) o trabalho dos escravos na produção de açúcar. Resposta: E Comentário da questão: No texto apresentado o Padre Antônio Vieira estabelece uma relação entre o sofrimento de cristo crucificados e as condições de maus-tratos sofridos pelos escravos nos engenhos de açúcar, denunciando assim o martírio vivido pelos cativos na sociedade colonial. O que fica evidente em passagens do texto como: “Em um engenho sois imitadores de Cristo crucificado porque padeceis em um modo muito semelhante o que o mesmo Senhor padeceu na sua cruz e em toda a sua paixão”. Fonte: http://educacao.globo.com/provas/ENEM- 2012/questoes/40.html Exercício 3. (UNISO) Durante a maior parte do período colonial a participação nas câmaras das vilas era uma prerrogativa dos chamados “homens bons”, excluindo-se desse privilégio os outros integrantes da sociedade. A expressão “homem bom” dizia respeito a: A) homens que recebiam a concessão da Coroa portuguesa para explorar minas de ouro e de diamantes; B) senhores de engenho e proprietários de escravos; C) funcionários nomeados pela Coroa portuguesa para exercerem altos cargos administrativos na colônia; D) homens considerados de bom caráter, independentemente do cargo ou da função que exerciam na colônia. Reposta: B Exercício 4. (Cesgranrio-RJ). “O senhor de engenho é título a que muitos aspiram, porque traz consigo o ser servido, obedecido e respeitado de muitos.” O comentário de Antonil, escrito no século XVIII, pode ser considerado característico da sociedade colonial brasileira porque: A) a condição de proprietário de terras e de homens garantia a preponderância dos senhores de engenho na sociedade colonial. Simulado de História do Brasil Colonial - Ano 2015 Página - 2
  3. 3. B) a autoridade dos senhores restringia-se aos seus escravos, não se impondo às comunidades vizinhas e a outros proprietários menores. C) as dificuldades de adaptação às áreas coloniais levaram os europeus a organizar uma sociedade com mínima diferenciação e forte solidariedade entre seus segmentos. D) as atividades dos senhores de engenho não se limitavam à agroindústria, pois controlavam o comércio de exportação, o tráfico negreiro e a economia de abastecimento. E) o poder político dos senhores de engenho era assegurado pela metrópole através da sua designação para os mais altos cargos da administração colonial. Resposta: A Exercício 5. (Fuvest-SP) Podemos afirmar sobre o período da mineração no Brasil que A) atraídos pelo ouro, vieram para o Brasil aventureiros de toda espécie, que inviabilizaram a mineração. B) a exploração das minas de ouro só trouxe benefícios para Portugal. C) a mineração deu origem a uma classe média urbana que teve papel decisivo na independência do Brasil. D) o ouro beneficiou apenas a Inglaterra, que financiou sua exploração. E) a mineração contribuiu para interligar as várias regiões do Brasil e foi fator de diferenciação da sociedade. Resposta: E Exercício 6. Em 1534, o governo português concluiu que a única forma de ocupação do Brasil seria através da colonização. Era necessário colonizar, simultaneamente, todo o extenso território brasileiro. Essa colonização dirigida pelo governo português se deu através da: A) criação da Companhia Geral do Comércio do Estado do Brasil. criação do sistema de governo-geral e câmaras municipais. B) criação das capitanias hereditárias. C) montagem do sistema colonial. D) criação e distribuição das sesmarias. Resposta: C Exercício 7. (FESO-RJ) “O governo-geral foi instituído por D. João III, em 1548, para coordenar as práticas colonizadoras do Brasil. Consistiriam estas últimas em dar às capitanias hereditárias uma assistência mais eficiente e promover a valorização econômica e o povoamento das áreas não ocupadas pelos donatários.” (Manoel Maurício de Albuquerque. Pequena história da formação social brasileira. Rio de Janeiro: Graal, 1984. p. 180.) As afirmativas abaixo identificam corretamente algumas das atribuições do governador-geral, à exceção de: A) Estimular e realizar expedições desbravadoras de regiões interiores, visando, entre outros aspectos, à descoberta de metais preciosos. B) Visitar e fiscalizar as capitanias hereditárias e reais, especialmente aquelas que vivenciavam problemas quanto ao povoamento e à exploração das terras. C) Distribuir sesmarias, particularmente para os beneficiários que comprovassem rendas e meios de valorizar economicamente as terras recebidas. D) Regular as alianças com tribos indígenas, Simulado de História do Brasil Colonial - Ano 2015 Página - 3
  4. 4. controlando e limitando a ação das ordens religiosas, em especial da Companhia de Jesus. E) Organizar a defesa da costa e promover o desenvolvimento da construção naval e do comércio de cabotagem. Reposta: E Exercício 8. (Mackenzie) Enquanto os portugueses escutavam a missa com muito “prazer e devoção”, a praia encheu-se de nativos. Eles sentavam-se lá surpresos com a complexidade do ritual que observavam ao longe. Quando D. Henrique acabou a pregação, os indígenas se ergueram e começaram a soprar conchas e buzinas, saltando e dançando (…) (Náufragos Degredados e Traficantes, Eduardo Bueno Este contato amistoso entre brancos e índios preservado: A) pela Igreja, que sempre respeitou a cultura indígena no decurso da catequese. B) até o início da colonização quando o índio, vitimado por doenças, escravidão e extermínio, passou a ser descrito como sendo selvagem, indolente e canibal. C) pelos colonos que escravizaram somente o africano na atividade produtiva de exportação. D) em todos os períodos da História Colonial Brasileira, passando a figura do índio para o imaginário social como “o bom selvagem e forte colaborador da colonização”. E) sobretudo pelo governo colonial, que tomou várias medidas para impedir o genocídio e a escravidão. Resposta: B Exercício 9. (PUC-RS) Responder à questão sobre o período pré-colonial brasileiro, com base no texto a seguir: “… Da primeira vez que viestes aqui, vós o fizestes somente para traficar. (…) Não recusáveis tomar nossas filhas e nós nos julgávamos felizes quando elas tinham filhos. Nessa época, não faláveis em aqui vos fixar. Apenas vos contentáveis com visitar- nos uma vez por ano, permanecendo, entre nós, somente durante quatro ou cinco luas [meses]. Regressáveis então ao vosso país, levando os nossos gêneros para trocá-los com aquilo que carecíamos.” (MAESTRI, Mário. “Terra do Brasil: a conquista lusitana e o genocídio tupinambá”. São Paulo: Moderna, 1993, p. 86) O texto anterior faz alusão ao comércio que marcou o período pré-colonial brasileiro conhecido por A) mita. B) escambo. C) encomienda. D) mercantilismo. E) Corvéia. Resposta: B Exercício 10. (Fatec) Dentre as características gerais do período pré-colonizador destaca-se A) o grande interesse pela terra, pois as comunidades primitivas do nosso litoral produziam excedentes comercializados pela burguesia mercantil portuguesa. B) o extermínio de tribos e a escravização dos nativos, efeitos diretos da ocupação com base na grande lavoura. C) a montagem de estabelecimentos provisórios em diferentes pontos da costa, onde eram amontoadas as toras de pau- brasil, para serem enviadas à Europa. D) a distribuição de lotes de terras a fidalgos e funcionários do Estado português, copiando-se a experiência realizada em Simulado de História do Brasil Colonial - Ano 2015 Página - 4
  5. 5. ilhas do Atlântico. E) a implantação da agromanufatura açucareira, iniciada com construção do Engenho do Senhor Governador, em 1533, em São Vicente. Resposta: C Exercício 11. (PUC-Rio) Leia as afirmativas a seguir sobre a expedição de Pedro Álvares Cabral, que saiu de Lisboa em março de 1500: I. A missão da esquadra era expandir a fé cristã e estabelecer relações comerciais com o Oriente, de modo a trazer as valiosas especiarias para Portugal; desta maneira, reunia num mesmo episódio os esforços da Coroa, da Igreja e dos grupos mercantis do Reino. II. Chegar às Índias através de um caminho inteiramente marítimo só foi possível após o longo “périplo” realizado pela costa africana, durante o século XV, por diversos navegadores portugueses, cujos expoentes foram Bartolomeu Dias e Vasco da Gama. III. A viagem expressou a subordinação da Coroa portuguesa à Igreja Católica, na época dos descobrimentos, já evidenciada quando o Papa estabeleceu a partilha do Mundo Novo, em 1494, através do tratado de Tordesilhas. IV. Era objetivo da viagem tomar posse de terras a Oeste, de modo a assegurar o controle do Oceano Atlântico Sul e, consequentemente, da rota marítima para as Índias. Assinale a alternativa que contém as afirmativas corretas: A) somente I, II e III. B) somente I, III e IV. C) somente II, III e IV. D) somente I, II e IV. E) todas as afirmativas estão corretas. Resposta: D Exercício 12. (Adaptado) Quais foram os ciclos econômicos mais destacados no período do Brasil Colonial? Fale um pouco sobre eles. __________________________________________ __________________________________________ __________________________________________ __________________________________________ __________________________________________ __________________________________________ __________________________________________ __________________________________________ __________________________________________ __________________________________________ __________________________________________ __________________________________________ __________________________________________ Resposta: Ciclos da cana-de-açúcar e o ciclo do ouro. No ciclo da cana-de-açúcar teve predomínio a região nordeste, foi escravista, teve grandes propriedades para os engenhos. Os holandeses faziam o transporte para a Europa e o refino do açúcar, etc. O ciclo de ouro foi importante na região de Minas Gerais, marcou a transferência da capital administrativa do Brasil do nordeste para o sudeste, isto é, de Salvador (BA) para o Rio de Janeiro (RJ), desenvolveu cidades mineiras foi marcante para a cultura da região. A Metrópole controlava a extração e arrecadação do ouro que era transportado para Portugal, em um período de recuperação econômica e de novas parcerias para os portugueses, como a Inglaterra. Exercício 13. (ENEM-2001) Os textos referem-se à integração do índio à chamada civilização brasileira. I. “Mais uma vez, nós, os povos indígenas, somos vítimas de um pensamento que separa e que tenta nos eliminar cultural, social e até fisicamente. A justificativa é a de que somos apenas 250 mil pessoas e o Brasil não pode suportar esse ônus. Simulado de História do Brasil Colonial - Ano 2015 Página - 5
  6. 6. (…) É preciso congelar essas ideias colonizadoras, porque elas são irreais e hipócritas e também genocidas.(…) Nós, índios, queremos falar, mas queremos ser escutados na nossa língua, nos nossos costumes.” Marcos Terena, presidente do Comitê Intertribal Articulador dos Direitos Indígenas na ONU e fundador das Nações Indígenas, Folha de S. Paulo, 31 de agosto de 1994. II. “O Brasil não terá índios no final do século XXI (…) E por que isso? Pela razão muito simples que consiste no fato de o índio brasileiro não ser distinto das demais comunidades primitivas que existiram no mundo. A história não é outra coisa senão um processo civilizatório, que conduz o homem, por conta própria ou por difusão da cultura, a passar do paleolítico ao neolítico e do neolítico a um estágio civilizatório.”. Hélio Jaguaribe, cientista político, Folha de S. Paulo, 2 de setembro de 1994. Pode-se afirmar, segundo os textos, que A) Tanto Terena quanto Jaguaribe propõem ideias inadequadas, pois o primeiro deseja a aculturação feita pela “civilização branca”, e o segundo, o confinamento de tribos. B) Terena quer transformar o Brasil numa terra só de índios, pois pretende mudar até mesmo a língua do país, enquanto a ideia de Jaguaribe é anticonstitucional, pois fere o direito à identidade cultural dos índios. C) Terena compreende que a melhor solução é que os brancos aprendam a língua tupi para entender melhor o que dizem os índios. Jaguaribe é de opinião que, até o final do século XXI, seja feita uma limpeza étnica no Brasil. D) Terena defende que a sociedade brasileira deve respeitar a cultura dos índios e Jaguaribe acredita na inevitabilidade do processo de aculturação dos índios e de sua incorporação à sociedade brasileira. E) Terena propõe que a integração indígena deve ser lenta, gradativa e progressiva, e Jaguaribe propõe que essa integração resulte de decisão autônoma das comunidades indígenas. Resposta: D Exercício 14. (FATEC) Assinale a alternativa INCORRETA sobre o período açucareiro. A) Utilização da mão-de-obra escrava que garantiu o desenvolvimento de uma sociedade aristocrática. B) A organização social brasileira assentava- se na produção do açúcar, produzido em grande escala, porém em pequenas propriedades. C) O trabalho nesse período foi predominantemente escravo, mas também se utilizou a mão-de-obra livre. D) Além de patriarcal e aristocrática, a sociedade colonial brasileira estava marcada pelo seu caráter rural. Reposta: B Exercício 15. (Cesgranrio-RJ) A ocupação do território brasileiro, restrita, no século XVI, ao litoral e associada à lavoura de produtos tropicais, estendeu-se ao interior durante os séculos XVII e XVIII, ligada à exploração de novas atividades econômicas e aos interesses políticos de Portugal em definir as fronteiras da colônia. As afirmações abaixo relacionam as regiões ocupadas a partir do século XVII e suas atividades dominantes. 1. No vale amazônico, o extrativismo vegetal – as drogas do sertão – e a captura de índios atraíram os colonizadores. Simulado de História do Brasil Colonial - Ano 2015 Página - 6
  7. 7. 2. A ocupação do Pampa gaúcho não teve nenhum interesse econômico, estando ligada aos conflitos luso-espanhóis na Europa. 3. O planalto central, nas áreas correspondentes aos atuais estados de Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso, foi um dos principais alvos do bandeirismo, e sua ocupação está ligada à mineração. 4. A zona missioneira no Sul do Brasil representava um obstáculo tanto aos colonos, interessados na escravização dos indígenas, quanto a Portugal, dificultando a demarcação das fronteiras. O Sertão nordestino, primeira área interior ocupada no processo de colonização, foi um prolongamento da lavoura canavieira, fornecendo novas terras e mão de obra para a expansão da lavoura. As afirmações corretas são: A) somente 1, 2 e 4. B) somente 1, 2 e 5. C) somente 1, 3 e 4. D) somente 2, 3 e 4. E) somente 2, 3 e 5. Reposta: D Exercício 16. (UFSE) O texto abaixo refere-se à atividade pecuarista no Brasil Colônia: O gado podia penetrar o Sertão. Não tinha o problema seríssimo do transporte, porque transportava a si mesmo. A mão de obra exigida era pouca. Sem a complexidade da agricultura, principalmente da canavieira, tinha na amplitude do sertão o caminho de sua expansão, acompanhando os rios rumo ao interior. Assinale a única alternativa NÃO contida no texto. A) A criação do gado era pouco exigente com respeito à mão de obra. B) A agricultura açucareira era atividade mais complexa do que a criação de gado. C) A penetração do gado no Sertão não envolvia custos no transporte. D) A pecuária não tinha maior produtividade do que as atividades agrícolas. E) O Sertão apresentou-se como caminho adequado para a expansão e criação do gado. Resposta: D Exercício 17. (CEFET-PR) Alguns historiadores afirmam que as consequências do modelo de colonização adotado pelos portugueses para a exploração do Brasil são ainda muito perceptíveis (devastação do meio ambiente, exploração do trabalhador rural, conflitos rurais, etc). Este modelo é conhecido como plantation ou plantagem e suas principais características são: A) minifúndio, monocultura, mão-de-obra escrava; B) latifúndio, mão-de-obra assalariada, policultura; C) latifúndio, policultura, mão-de-obra escrava; D) latifúndio, mão-de-obra escrava, monocultura; E) latifúndio, trabalho assalariado, monocultura. Resposta: D Exercício 18. (ENEM 2010) (adaptado) Em 2008 foram comemorados os 200 anos da mudança da família real portuguesa para o Brasil, onde foi instalada a sede do reino. Uma sequência de eventos importantes ocorreu no período 1808-1821, durante os 13 anos em que D. João VI e a família real portuguesa permaneceram no Brasil. Simulado de História do Brasil Colonial - Ano 2015 Página - 7
  8. 8. Entre esses eventos, destacam-se os seguintes: • Bahia – 1808: Parada do navio que trazia a família real portuguesa para o Brasil, sob a proteção da marinha britânica, fugindo de um possível ataque de Napoleão. • Rio de Janeiro – 1808: desembarque da família real portuguesa na cidade onde residiriam durante sua permanência no Brasil. • Salvador – 1810: D. João VI assina a carta régia de abertura dos portos ao comércio de todas as nações amigas, ato antecipadamente negociado com a Inglaterra em troca da escolta dada à esquadra portuguesa. • Rio de Janeiro – 1816: D. João VI torna-se rei do Brasil e de Portugal, devido à morte de sua mãe, D. Maria I. • Pernambuco – 1817: As tropas de D. João VI sufocam a revolução republicana. GOMES. L. 1808: como uma rainha louca, um príncipe medroso e uma corte corrupta enganaram Napoleão e mudaram a história de Portugal e do Brasil. São Paulo. Editora Planeta, 2007. Uma das consequências desses eventos foi A) a decadência do império britânico, em razão do contrabando de produtos ingleses através dos portos brasileiros, B) o fim do comércio de escravos no Brasil, porque a Inglaterra decretara, em 1806, a proibição do tráfico de escravos em seus domínios. C) a conquista da região do rio da Prata em represália à aliança entre a Espanha e a França de Napoleão. D) a abertura de estradas, que permitiu o rompimento do isolamento que vigorava entre as províncias do país, o que dificultava a comunicação antes de 1808. E) o grande desenvolvimento econômico de Portugal após a vinda de D. João VI para o Brasil, uma vez que cessaram as despesas de manutenção do rei e de sua família. Resposta: C Comentário da questão: Após decretação do Bloqueio Continental por Napoleão e a decisão da corte de Portugal de se transferir para o Brasil, a França se torna inimiga de Portugal. Como a Espanha foi invadida por tropas francesas, D. João VI considera legítima a invasão dos territórios espanhóis na América, reivindicando em nome de sua esposa, Carlota Joaquina, como a região do Rio da Prata que, por muitos anos, havia sido fonte de disputas entre Portugal e Espanha. Fonte: http://educacao.globo.com/provas/ENEM- 2010/questoes/25.html Exercício 19. (UFPR) Sobre as capitanias hereditárias no Brasil, totalize os valores corretos: 01) os núcleos coloniais fundados por Martim Afonso não eram suficientes para garantir a posse das terras para Portugal. 02) ofereciam vantagens aos donatários, mas os riscos da empresa ficavam por sua conta. 04) os documentos jurídicos básicos eram a Carta de Doação e o Foral. 08) não haviam sido experimentados em nenhuma colônia portuguesa antes do Brasil. 16) as únicas que prosperaram foram São Vicente e Pernambuco. Resposta: 23 (01 + 02 + 04 + 16) Exercício 20. (ENEM 2011) O açúcar e suas técnicas de produção foram levados à Europa pelos árabes no século VIII, durante a Idade Média, mas foi principalmente a partir das Cruzadas (séculos XI e XIII) que a sua procura foi aumentando. Nessa época passou a ser importado do Oriente Médio e Simulado de História do Brasil Colonial - Ano 2015 Página - 8
  9. 9. produzido em pequena escala no sul da Itália, mas continuou a ser um produto de luxo, extremamente caro, chegando a figurar nos dotes de princesas casadoiras. CAMPOS, R. Grandeza do Brasil no tempo de Antonil (1681-1716). São Paulo: Atual, 1996. Considerando o conceito do Antigo Sistema Colonial, o açúcar foi o produto escolhido por Portugal para dar início à colonização brasileira, em virtude de A) o lucro obtido com o seu comércio ser muito vantajoso. B) os árabes serem aliados históricos dos portugueses C) a mão de obra necessária para o cultivo ser insuficiente. D) as feitorias africanas facilitarem a comercialização desse produto. E) os nativos da América dominarem uma técnica de cultivo semelhante. Resposta: A Comentário da questão: Ainda no século XVI o açúcar era considerado uma especiaria, devido ao alto valor que era vendido na Europa. Além da alta lucratividade, a escolha da cana-de-açúcar foi favorecida, dentre outros fatores, devido ao clima brasileiro e o prévio conhecimento das técnicas de cultivo, pois nesse período Portugal já possuía lavouras nas Ilhas Atlânticas. Dessa maneira, o cultivo de cana foi eleito como atividade que impulsionaria a colonização permanecendo como principal produto por mais de dois séculos. Fonte: http://educacao.globo.com/provas/ENEM- 2011/questoes/33.html Fontes: • http://historiaintegrada.blogspot.com.br/2011/06/banco-de-questoes-brasil-colonia.html • http://tudodeconcursosevestibulares.blogspot.com.br/2012/12/brasil-colonia-questoes- vestibular.html • http://profcarlosguedes.blogspot.com.br/2012/11/questoes-brasil-colonia.html • http://www.seuconcurso.com.br/exercicios-sobre-o-brasil-colonia.htm • http://educacao.globo.com/index.html Simulado de História do Brasil Colonial - Ano 2015 Página - 9
  10. 10. produzido em pequena escala no sul da Itália, mas continuou a ser um produto de luxo, extremamente caro, chegando a figurar nos dotes de princesas casadoiras. CAMPOS, R. Grandeza do Brasil no tempo de Antonil (1681-1716). São Paulo: Atual, 1996. Considerando o conceito do Antigo Sistema Colonial, o açúcar foi o produto escolhido por Portugal para dar início à colonização brasileira, em virtude de A) o lucro obtido com o seu comércio ser muito vantajoso. B) os árabes serem aliados históricos dos portugueses C) a mão de obra necessária para o cultivo ser insuficiente. D) as feitorias africanas facilitarem a comercialização desse produto. E) os nativos da América dominarem uma técnica de cultivo semelhante. Resposta: A Comentário da questão: Ainda no século XVI o açúcar era considerado uma especiaria, devido ao alto valor que era vendido na Europa. Além da alta lucratividade, a escolha da cana-de-açúcar foi favorecida, dentre outros fatores, devido ao clima brasileiro e o prévio conhecimento das técnicas de cultivo, pois nesse período Portugal já possuía lavouras nas Ilhas Atlânticas. Dessa maneira, o cultivo de cana foi eleito como atividade que impulsionaria a colonização permanecendo como principal produto por mais de dois séculos. Fonte: http://educacao.globo.com/provas/ENEM- 2011/questoes/33.html Fontes: • http://historiaintegrada.blogspot.com.br/2011/06/banco-de-questoes-brasil-colonia.html • http://tudodeconcursosevestibulares.blogspot.com.br/2012/12/brasil-colonia-questoes- vestibular.html • http://profcarlosguedes.blogspot.com.br/2012/11/questoes-brasil-colonia.html • http://www.seuconcurso.com.br/exercicios-sobre-o-brasil-colonia.htm • http://educacao.globo.com/index.html Simulado de História do Brasil Colonial - Ano 2015 Página - 9

×