Se ha denunciado esta presentación.
Utilizamos tu perfil de LinkedIn y tus datos de actividad para personalizar los anuncios y mostrarte publicidad más relevante. Puedes cambiar tus preferencias de publicidad en cualquier momento.

Mkt Cultural Patricia Lisboa

Apresentação de Patricia Lisboa no Tio Flávio Cultural: "Marketing Cultural". Dia 29 de Agosto de 2012 no auditório do IEC PUC-MG (Pça da liberdade, BH)

  • Inicia sesión para ver los comentarios

Mkt Cultural Patricia Lisboa

  1. 1. Marketing CulturalProdução cultural e estratégias de divulgaçãoPatrícia Lisboa
  2. 2. CulturaSegundo Bechara, “cultura é o conjunto de experiências,realizações e conhecimentos que caracterizam determinado povo,nação ou região.”A cultura não é formada apenas por um indivíduo e sim por umasociedade, como afirma Eliot “a cultura do indivíduo depende dacultura de um grupo ou classe, e que a cultura do grupo ouclasse depende da cultura da sociedade a que pertence estegrupo ou classe.”O modo de vestir, os gostos musicais, a forma de pensar e atémesmo a religião são originados pela cultura adquirida. Ela tantopode agrupar como também pode excluir um indivíduo de umacomunidade, grupo ou sociedade. Através dela, podemosidentificar tribos, etnias e até classes sociais.
  3. 3. O mercado cultural Durante algum tempo o mercado cultural foi muito restrito, mas, com o passar dos anos, a relação de consumo x mercado cultural ganhou força com o surgimento da cultura de massa. Vimos, então, surgir novos espaços e ocupações de espaços públicos, acontecendo uma transformação na forma da apresentação de produtos culturais. Esses movimentos começaram a ganhar força para se tornarem independentes da indústria cultural. Diante desse crescimento do mercado cultural, vimos a necessidade de discutir e analisar a forma pela qual se dá a divulgação de produtos culturais que não possuem verba destinada para esse fim. Muitos produtos culturais são contemplados por programas de Leis de Incentivos do governo, outros encontram nas empresas privadas apoio e patrocínios para tal demanda. Mas, ainda existem aqueles produtos culturais que não possuem uma verba específica destinada à divulgação.
  4. 4. A cadeia produtiva da culturaPara a realização de um evento existem uma série de etapas , processos e profissionais envolvidos:- O artista ou produto cultural- O produtor- A equipe de produção- Espaço cultural: teatro, arena, praça, rua- A técnica- A mídia- A montagem- O público- A apresentação- A desmontagem- A prestação de contas- O resultado
  5. 5. Leis de incentivo à cultura:Políticas públicas A Lei Federal de Incentivo à Cultura (Lei nº 8.313 de 23 de dezembro de 1991), conhecida também por Lei Rouanet, é a lei que institui politicas públicas para a cultura nacional, como o PRONAC - Programa Nacional de Apoio à Cultura. As diretrizes para a cultura nacional foram estabelecidas nos primeiros artigos, e sua base é a promoção, proteção e valorização das expressões culturais nacionais. O grande destaque da Lei Rouanet é a politica de incentivos fiscais que possibilita as empresas (pessoas jurídicas) e cidadãos (pessoa fisíca) aplicarem uma parte do IR (imposto de renda) devido em ações culturais. O percentual disponível de 6% do IRPF para pessoas físicas e 4% de IRPJ para pessoas jurídicas, ainda que relativamente pequeno permitiu que em 2008 fossem investidos em cultura, segundo o MinC (Ministério da Cultura) mais de R$ 1 bilhão. A lei surgiu para educar as empresas e cidadãos a investirem em cultura, e inicialmente daria incentivos fiscais, pois com o benefício no recolhimento do imposto a iniciativa privada se sentiria estimulada a patrocinar eventos culturais, uma vez que o patrocínio além de fomentar a cultura, valoriza a marca das empresas junto ao público. No entanto a lei tem sido atacada, em vez de ensinar empresas a investirem em cultura, ensiná-las a fazer propaganda gratuita.
  6. 6. A cultura e o desenvolvimento “O marketing cultural vem despontando em todo o mundo como uma ferramenta cada vez mais utilizada pela comunidade empresarial. A cesta de benefícios que oferece é reconhecida por empresas que começaram a atuar de forma isolada e cuja participação, hoje, encontra eco junto a uma torrente de novos seguidores. A associação entre as comunidades empresarial e cultural vem comprovando ser um combustível de alta octanagem para, por um lado, atingir os objetivos de marketing das empresas e, por outro, movimentar a economia, incrementar a qualidade de vida da comunidade e transformar a sociedade em que vivemos. A concentração do mercado é o grande problema, 80% das salas de cinema do mundo estão nas mãos das empresas de Hollywood. “É essa a escolha que nós temos? Se não sabemos que existem outras coisas então não temos liberdade nenhuma de escolha”. Outro fator relevante é que a cultura é um bem de consumo insaciável. Sendo um filão de negócios que não se encerra. Quanto mais as pessoas adquirem cultura mais elas querem. É diferente de comprar comida, quando se consome apenas o necessário. Não quero tratar cultura como mera mercadoria. Querendo ou não, vivemos em uma sociedade capitalista. Podemos nos aproveitar disso e dizer para os governos e empresas investirem na cultura e que existam políticas para regular tudo isso, garantindo diversidade e a não concentração em oligopólios. Só há liberdade se houver acesso à produção, à distribuição e ao consumo” * Ana Carla Fonseca Reis é formada em AdministraçãoPública pela EAESP-FGV/SP e em Economia pela FEA/USP. Tem mestrado em Administração pela FEA/USP e MBA pela Fundação Dom Cabral.
  7. 7. “Todo artista deve ir aonde opovo está”Existem diversas maneiras de divulgação de eventos culturais e as variáveis devem seranalisadas:- Capacidade de público- Expectativa de receita- Repercussão mercadológica-Verba disponível para mídiaPodemos pensar na tradicional mídia como televisão, rádio, jornal, mídia exterior.Ou em opções alternativas de acordo com o target a ser atingido:- Distribuição de material gráfico- Redes sociais- E sim, o tradicional boca a boca

×